segunda-feira, 3 de junho de 2019

“Ações de Formação Contínua dia 22 de junho em Caminha”

No dia anterior ao Triatlo Longo de Caminha irão realizar-se duas ações de formação contínua destinadas a Treinadores de Triatlo.

Cada vez mais os treinadores de triatlo precisam de se atualizar, sendo esta uma excelente oportunidade para desenvolver competências nesta área, enriquecendo conhecimentos através também da partilha de experiências entre os diferentes treinadores. Dentro deste contexto irão realizar-se duas acões de formação com maior pertinência para os treinadores de triatlo.

‘Material Técnico de Triatlo’ e ‘Periodização e Planeamento do Treino’

No dia 22 de junho da parte da manhã irá realizar-se em Caminha uma ação de formação em ‘Material Técnico de Triatlo’ e da parte da tarde terá lugar outra ação de formação, desta vez em ‘Periodização e Planeamento do Treino’. As duas formações serão ministradas pelo Prof. André Guimarães.

‘Material Técnico de Triatlo’, 22 de junho, 9h – Caminha

O Triatlo inclui material específico para três modalidades, implicando uma escolha criteriosa de equipamento que depende também do nível de triatlo, dos objetivos pretendidos e das distâncias a alcançar em treino e em prova. O aconselhamento de material dos treinadores aos triatletas assume importância dado que pode influenciar os treinos e a performance das provas, podendo mesmo ajudar na prevenção de lesões.

Programa da formação:

10h – Início da formação;

– a importância do material técnico em Treino e Competição;

– o material específico para treino e competição na natação em Triatlo;

– o material específico para treino e competição no ciclismo em Triatlo;

– o material específico para treino e competição na corrida em Triatlo.

13h Encerramento;

Razões/pertinência da ação:

– Transmitir aos treinadores de Triatlo competências que lhes permitam identificar e aconselhar os seus atletas, na escolha do material a adquirir para treino e competição;

– Identificar e perceber as vantagens/desvantagens do uso de determinado equipamento/material.

Atribui 0,8 UC para a componente específica da cédula de treinador de Triatlo.

Valor: 5€*

Sala a designar

‘Periodização e Planeamento do Treino’, 22 de junho, 14h – Caminha

Um treinador de triatlo deve ter conhecimentos ecléticos, com uma perspetiva global das três disciplinas que compõem o triatlo. Esta formação visa partilhar e refletir sobre as diferentes metodologias de treino aplicadas, tendo em conta a distância olímpica e a longa distância.

Programa de formação

14h – Início da formação

– Metodologia do Treino – as teorias que melhor se adaptam ao treino de Triatlo;

– A elaboração de um programa de treino – macrociclo, mesociclo, microciclo;

– Da teoria à prática – casos de sucesso em Triatlo

17h – Encerramento;

Razões/pertinência da ação:

– Promover a reflexão e partilha entre treinadores, sobre as diversas metodologias aplicadas no treino de triatletas;

– Refletir perante a especificidade da Distância Olímpica e Distância Longa;

Atribui 0,8 UC para a componente específica da cédula de treinador de Triatlo.

Valor: 5€*

Sala a designar

* O valor de inscrição é de 5€, quer se inscreva em apenas numa ou em ambas as ações de formação.

Fonte: FTP

“Equipa Portugal/Um olho na Corrida da Paz e outro no Tour do Futuro”

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal vai disputar a Corrida da Paz, prova checa da Taça das Nações de Sub-23, entre quinta-feira e domingo. A luta por um bom resultado tem em vista um “brinde”: a qualificação direta para a Volta a França do Futuro.

Portugal chega à Corrida da Paz no 15.º lugar do ranking da Taça das Nações, o último posto que assegura a presença na Volta a França do Futuro. Daí que o trabalho para brilhar na Corrida da Paz tenha um duplo significado: o resultado na prova checa e a aquisição de pontos que deixem Portugal a salvo de sobressaltos na qualificação para o Tour de l’Avenir.

O selecionador nacional, José Poeira, convocou seis corredores, num misto de ciclistas experientes na categoria de sub-23 com dois jovens que se estreiam nesta categoria etária. Os caçulas da convocatória são Afonso Silva (Rádio Popular-Boavista) e Guilherme Mota (Caja Rural-Seguros RGA). Formarão equipa com Francisco Campos e Jorge Magalhães (W52-FC Porto), Gonçalo Carvalho (Monaco) e João Almeida (Hagens Berman Axeon), que é o corredor apontado à luta pela classificação geral, num percurso montanhoso que encaixa bem nas caraterísticas do caldense.

A Corrida da Paz mantém a estrutura dos últimos anos, iniciando-se com um curto prólogo de 2 quilómetros, em Krnov, que deixa boas recordações aos portugueses, uma vez que Ivo Oliveira foi o vencedor deste exercício em 2017 e conseguiu o segundo lugar em 2018.

A primeira etapa em linha, sempre perigosa por ser palco de ataques potencialmente surpreendentes para os homens da geral, terá 134,2 quilómetros, ligando Jeseník a Rýmařov. É a menos montanhosa das etapas em linha, mas, ainda assim, irá decorrer em terreno rompe-pernas.

As duas tiradas finais terminam em alto. A segunda etapa tem 148,5 quilómetros, entre Krnov e Dlouhé stráně, incorporando quatro prémios de montanha, dois de elevada dificuldade, um dos quais coincidente com a meta.

A derradeira etapa, 171 quilómetros com partida e chegada em Jeseník, promete ser demolidora. A subida para a meta é antecedida por outros seis prémios de montanha que ajudarão a encontrar o sucessor de Tadej Pogačar, primeiro classificado em 2018.

“Acredito na qualidade desta equipa para discutir etapas e a classificação geral. No prólogo será mais difícil pontuar, mas na primeira etapa em linha temos condições para bater-nos num eventual sprint. Nas restantes etapas vão brilhar os corredores que estiverem na discussão da geral e nós temos ambição de o fazer”, adianta José Poeira.

Fonte: FPC

“Rui Dolores venceu XTERRA Portugal 2019”

Dia 1 de junho realizou-se o XTERRA Portugal, na Golegã, que incluiu uma competição nacional e internacional com excelentes resultados nacionais.

Nos dias 1 de junho realizou-se o XTERRA Portugal, uma prova de Triatlo Cross que incluiu provas distintas para todos os níveis e idades. Esta prova integrou o Campeonato Nacional Individual de Triatlo Cross, uma prova Standard  pontuável para o XTerra Europe e de apuramento para o Xterra World Championship. O percurso contou com um ciclismo muito técnico e com um segmento de corrida plano, embora combinado com alguns obstáculos urbanos.

O XTERRA Portugal contou com nomes com o da italiana Eleonora Peroncini, que venceu a competição e Pauline Vie, que subiu ao pódio na terceira posição, alcançando a medalha de bronze, conquistando posições relativamente a 2018, ano em que ficou em 7º lugar.  Sendo a primeira triatleta portuguesa a passar a meta, Pauline Vie conquistou o título de Campeã Nacional Individual de Triatlo Cross.

Na prova masculina, Rui Dolores confirmou o favoritismo, vencendo esta competição. O triatleta conta já com duas vitórias no Circuito Europeu XTERRA e um 4º lugar (Portugal, Malta e Itália respetivamente), mantendo-se para já em primeiro lugar do ranking europeu. O atleta conta-nos que a prova correu muito bem, apesar da adversidade das condições climatéricas com temperaturas a rondarem os 40º. ‘ em que a gestão do esforço e hidratação foram fundamentais para obter um bom resultado!’ Quanto à prova propriamente dita, Rui Dolores conseguiu posicionar-se no grupo principal, saindo da água na 8ª posição.


«Sabia que o segmento de BTT iria ser decisivo por isso imprimi um ritmo forte, alcançando Rafael Domingos que seguia na frente ainda na primeira metade do percurso.» Dolores conseguiu isolar-se nos últimos quilómetros e começou a correr com vantagem relativamente ao segundo classificado, fazendo uma boa gestão dos 11km de corrida, conseguindo vencer a competição! «Esta é a minha segunda vitória em provas do circuito europeu do XTERRA em 2019, mas o XTERRA Portugal tem um sabor muito especial por ter sido realizada no meu país.»

Rui Dolores venceu a competição sagrando-se Campeão Nacional Individual de Triatlo Cross, conseguindo também manter a primeira posição no ranking do circuito europeu XTERRA 2019.

O pódio do Campeonato Nacional de Triatlo Cross foi constituído por Rui Dolores, Rafael Domingos e Octávio Vicente, já o  XTERRA Portugal fechou com pódio nacional com Rui Dolores, Rafael Domingos e Tiago Maia. Muitos parabéns pelos resultados nesta prova de elevado nível técnico, com as dificuldades acrescidas das elevadas temperaturas que se fizeram sentir.

Fonte: FTP

“Ricardo Batista conquista medalha de bronze no Campeonato da Europa de Weert”

Ricardo Batista conquistou a medalha de bronze e Gabriela Ribeiro alcançou a 6ª posição no Campeonato Europa de Juniores em Weert, na Holanda.

Portugal participou no Campeonato da Europa de Juniores em Weert, na Holanda, uma prova disputada na distância sprint, que contou com a participação de seis atletas, três femininas e três masculinos. Dia 31 de maio, Gabriela Ribeiro, Maria Tomé e Mariana Vargem alinharam à partida, e no dia 1 de junho foi a vez de Ricardo Batista, Alexandre Montez e José Vieira que competiram na prova masculina.

Gabriela Ribeiro alcançou a 6ª posição com 00:55:22 a 36” de Beatrice Mallozi, a italiana que venceu a competição com 00:54:46. Maria Tomé ficou em 9ª lugar com o tempo de 00:55:26 e Mariana Vargem conseguiu a 21º lugar com a marca de 00:56; 18. As três atletas ocuparam posições de destaque, numa prova de elevado nível competitivo.

Na competição masculina, Ricardo Batista subiu ao pódio na terceira posição com 00:49:07 a 2” do vencedor, Alexandre Montez alcançou um ótimo 5º lugar com 00:49:31 e José Vieira ficou em 32º lugar, com 00:51:31, devido a furo na bicicleta.

O primeiro e segundo lugares foram ocupados por atletas franceses com o atleta Paul Georgenthum que fez o tempo de 00:49:04 e Boris Pierre que passou a meta aos00:49:07.

Ricardo Batista contou-nos que o lugar alcançado correspondeu às expectativas que eram à partida elevadas. «A natação correu muito bem, decorreu de modo tranquilo, saindo da água um grande número de atletas ao mesmo tempo, formando-se grupos de ciclismo grandes. Ricardo perdeu algum tempo na segunda transição, pelo imprimiu ritmo competitivo para conseguir chegar aos lugares cimeiros na corrida, acabando na terceira posição.

Ótimos resultados para os nossos atletas juniores, fruto do esforço empreendido por atletas e treinadores, que nos transmite bons indicadores para o resto da época.

Fonte: FTP
 

“Portugal obtém quinto lugar nas estafetas mistas nos Europeus de triatlo”

Prova foi disputada em Weert, Holanda

Por: Lusa

Ricardo Batista durante a prova • Foto: Direitos Reservados

Portugal obteve este domingo a quinta posição na prova de estafetas de elites mistas e de juniores nos Europeus de Triatlo, que se disputaram em Weert, na Holanda.

Na elite mista, os portugueses Melanie Santos, Gabriela Silva, João Silva e João Pereira obtiveram um total de 01:11.44 horas, numa prova vencida pela França (01:11.40), seguida da Alemanha (01.11,43) e da anfitriã Holanda (01:11.54).

Também os juniores lusos Maria Tomé, Mariana Vargem, Alexandre Montez e Ricardo Batista terminaram no quinto posto, depois de um total fixado em 01:15.19 horas, insuficiente para superar a vencedora Alemanha, que obteve 01:14.45, à frente da Grã-Bretanha, com 01:14.54, e da Hungria, que terminou com 01:14.57.

Fonte: Record on-line

“João Pereira conquista medalha de prata nos Europeus de triatlo”

Ficou a apenas 21 segundos da medalha de ouro

Por: Lusa

Foto: David Cabral Santos

O português João Pereira conquistou este sábado a medalha de prata na prova de elites masculinas nos Europeus de triatlo, que se disputaram em Weert, na Holanda.

O atleta do Benfica ficou a 21 segundos da medalha de ouro, conquistada pelo britânico Alistair Brownlee, que gastou 1:35.01 horas. O bronze foi para o belga Jelle Geens, que terminou 54 segundos depois do vencedor.

João Pereira tinha sido campeão europeu em 2018, em Kitzbühel, numa prova em que João Silva conquistou o bronze, que desta feita não concluiu a prova.

Alexandre Nobre terminou a prova em 16.º, a mais de dois minutos do vencedor, Vasco Vilaça foi 31.º e Miguel Arraoiolos cortou a meta em 40.º.

No escalão de juniores, Ricardo Batista conseguiu uma medalha de bronze, ao terminar a prova em terceiro lugar, a três segundos do vencedor, o francês Paul Georgenthum, e o mesmo tempo do segundo, o também gaulês Boris Pierre.

Pouco atrás, Alexandre Montez foi quinto classificado, a 27 segundos do vencedor, enquanto José Vieira foi 32.º.

Fonte: Record on-line

“Richard Carapaz: «É a recompensa por todos os esforços»”

Equatoriano radiante pela conquista do Giro deste ano

Por: Lusa

Foto: EPA

O equatoriano Richard Carapaz (Movistar), que este domingo venceu a 102.ª edição da Volta a Itália, disse que a vitória é "a recompensa por todos os esforços" durante a prova.

O primeiro equatoriano a vencer uma grande Volta mostrou-se este domingo sem palavras para descrever um "sentimento único", pelo "maior triunfo que se pode ter na vida", a recompensa "por todos os esforços e sacrifícios".

Já felicitado pelo presidente do Equador, Lenín Moreno, o homem da Movistar bateu o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Merida), segundo, e o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma), terceiro.

"Devo isto à minha equipa, que me ajudou a vencer", atirou, na Arena de Verona, pouco depois de levantar o troféu perante várias dezenas de adeptos equatorianos, entre eles os seus pais.


Elogiado por rivais

Nibali, que venceu o Giro em 2013 e 2016, e um dos poucos ciclistas no ativo que venceu as três grandes Voltas, destacou o ritmo "fortíssimo" de Carapaz ao longo da prova, declarando ainda que vai participar na Volta a França, ainda que dependente "à condição física nessa altura".

"Carapaz demonstrou que tem uma condição ótima e a Movistar competiu muito bem. Não me roubou nada, esteve fortíssimo. (...) Fiz um bom Giro, perante grandíssimos rivais, não era fácil ganhar", explicou o 'vice'.

Líder desde a 14.ª etapa, que venceu, o equatoriano confessou que o contrarrelógio final, em Verona, foi de "sofrimento do início ao fim", uma vez que foi o último a partir e tinha de garantir a vantagem para os rivais.

O corredor de 26 anos acabou com 1.05 minutos de vantagem sobre Nibali e 2.30 sobre o terceiro, o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma), após uma última etapa ganha pelo norte-americano Chad Haga (Sunweb).

Roglic, que liderou a prova na primeira metade, explicou que vai "tirar muitas lições desta prova", assim como a sua equipa, mas estava contente por "acabar no pódio" após um ano em que tinha vencido todas as corridas em que tinha participado até abrir a corsa rosa.

Fonte: Record on-line

“André Carvalho em quinto no Paris-Roubaix de sub-23”

Britânico Thomas Pidcock, da Team Wiggins, conquistou prova

Por: Lusa

O ciclista português André Carvalho (Hagens Berman Axeon) foi este domingo quinto classificado no Paris-Roubaix destinado a corredores sub-23, ganha este ano pelo britânico Thomas Pidcock (Team Wiggins).

Pidcock, de 19 anos, foi o mais rápido no final dos 170,5 quilómetros entre Péronne e Roubaix, num traçado adaptado ao escalão etário que termina no famoso velódromo, batendo o suíço Johan Jacobs (Lotto Soudal sub-23), segundo, e o belga Jens Reynders (Wallonie-Bruxels), terceiro.

Na prova, que já foi vencida por grandes nomes como o irlandês Stephen Roche ou o norueguês Thor Hushovd, André Carvalho igualou o resultado que já tinha tido na versão sub-23 de outra clássica, a belga Liège-Bastogne-Liège.

O único português em prova integrou a fuga decisiva e acabou a 2.47 minutos do vencedor, que cumpriu a distância em 3h58.36 minutos.

Fonte: Record on-line

“RICARDO BATISTA de Bronze no Campeonato da Europa de Triatlo em Juniores”

RICARDO BATISTA conquistou no passado sábado dia 1 de junho a MEDALHA DE BRONZE no CAMPEONATO DA EUROPA DE TRIATLO em Juniores, uma prova realizada na Holanda, na cidade de Weert.

Esta competição foi disputada em formato sprint (750m/natação, 20kms/ciclismo e 5kms/corrida), onde o RICARDO BATISTA esteve sempre na frente da prova.

Num circuito totalmente plano, que levou a decisão da prova para o segmento de corrida, com o RICARDO BATISTA a lutar com mais dois atletas franceses por uma medalha até ao fim, alcançando o nosso Ricardo a de Bronze, ocupando os jovens franceses as duas primeiras posições deste Campeonato Europeu.

O colega de equipa JOSÉ PEDRO VIEIRA também esteve presente na mesma prova em representação da Seleção Nacional de Triatlo em Juniores, mas depois de também estar na frente da prova, na última volta de ciclismo, teve um furo o que não lhe permitiu lutar pelos primeiros lugares, apesar de ter substituído a roda na Wheel Station, demonstrou uma grande atitude até ao final da prova, terminando em 32°lugar.

Na prova de Elites deste Campeonato Europeu, esteve presente outra atleta da equipa do Clube Natação Torrejano, MADALENA ALMEIDA. Depois de ter realizado um bom segmento de natação foi envolvida num acidente na transição para o segmento de ciclismo que a colocou fora de prova.

Fonte: Escola de Triatlo do Clube Natação de Torres Novas