sábado, 24 de agosto de 2019

“Imaginação…

A cabeça do homem possui uma imaginação sem dúvida imensa, quando menos se espera surgem coisas inacreditáveis, e ao mesmo tempo bonitas de ver, aqui ficam algumas dessas imaginações férteis da cabeças do homem, digam lá que não são originais estas imagens.

A redação.

Imagens pesquisa Google.
 
 
























 

“Miguel Ángel López é o primeiro líder da Vuelta”

Astana venceu o contrarrelógio por equipas

Por: Lusa

equipas da primeira etapa da Volta a Espanha em bicicleta, em Torrevieja, convertendo o colombiano Miguel Ángel López no primeiro líder da geral individual.

A equipa cazaque cumpriu os 13,4 quilómetros do crono em 14.51 minutos, menos dois segundos do que a belga Deceuninck-Quick Step, segunda, e menos cinco do que a alemã Sunweb, terceira, num dia em que a holandesa Jumbo-Visma, favorita, sofreu uma queda e acabou com o 16.º melhor tempo.

López, primeiro da Astana a cortar a meta, vai vestir a camisola vermelha, de líder da classificação geral individual da Vuelta.

No domingo, a primeira etapa em linha liga Benidorm a Calpe ao longo de 199,6 quilómetros, com duas contagens de montanha de segunda categoria e uma de terceira.

Fonte: Record on-line

“Rui Vinhas fecha Volta a Limousin no sexto lugar”

Após a quarta e última etapa

Por: Lusa

O português Rui Vinhas (W52-FC Porto) fechou este sábado a Volta a Limousin em bicicleta no sexto lugar final, após a quarta e última etapa, vencida ao sprint pelo italiano Francesco Gavazzi (Androni Giocattoli-Sidermec).

Gavazzi, de 35 anos, completou a ligação de 177,4 quilómetros entre Confolens e Limoges em 4:38.17 horas, batendo o francês Guillaume Martin (Wanty Gobert), segundo, e o também francês Benoit Cosnefroy (AG2R La Mondiale), terceiro.

Cosnefroy acabou por vencer a geral final, conseguindo a primeira vitória profissional numa corrida por etapas aos 23 anos, à frente dos compatriotas Lilian Calmejane (Total Direct Energie), segundo, e Guillaume Martin, terceiro.

Vinhas acabou em sexto e como melhor elemento dos dragões, que este sábado colocaram César Fonte nos primeiros lugares da etapa, no 10.º posto, para fechar no 16.º lugar da geral.

Fonte: Record on-line

“Gustavo Veloso em nono na quarta etapa da Volta à Dinamarca”

Espanhol subiu ao 12.º lugar da geral

Por: Lusa

O espanhol Gustavo Veloso (W52-FC Porto) cortou este sábado a meta em nono lugar na quarta etapa da Volta à Dinamarca em bicicleta, ganha pelo belga Jasper de Buyst (Lotto Soudal).

De Buyst completou os 175,2 quilómetros entre Korsor e Asnaes Indelukke em 4:09.38 horas, graças a uma escapada no último quilómetro, ao lado do compatriota Amaury Capiot (Sport Vlaanderen-Baloise), segundo com o mesmo tempo, e o holandês Huub Duijn (Roompot-Charles), terceiro.

Veloso, vencedor da Volta a Prtugal em 2014 e 2015, foi o melhor dos dragões, em nono lugar, a cinco segundos, e subiu ao 12.º lugar da geral à entrada para a quinta e última etapa, no domingo.

Em 11.º, e com o mesmo 1.23 minutos de distância para o líder que Veloso, está Edgar Pinto, outro atleta azul e branco, este sábado 13.º, num dia em que a equipa portuguesa perdeu António Carvalho, que abandonou.

Samuel Caldeira segue em 14.º, a 1.27, enquanto o atual vencedor da Volta a Portugal, João Rodrigues, é 39.º, enquanto Ricardo Mestre saltou 26 posições e subiu ao 75.º posto.

André Carvalho (Hagens Berman Axeon), o outro português em prova, subiu ao 45.º lugar ao cortar a meta em 52.º.

O dinamarquês Niklas Larsen (ColoQuick) continua a liderar a prova, agora com apenas seis segundos de vantagem para o compatriota Jonas Vindegaard (Jumbo-Visma), segundo, com outro dinamarquês, Rasmus Quaade (Riwal Readynez), a fechar o pódio a sete.

No domingo, a 29.ª edição da corrida dinamarquesa encerra com os últimos 165,6 quilómetros, entre Roskilde e um circuito em Frederiksberg, com as colinas como último teste.

Fonte: Record on-line

“14.ª Volta a Portugal de Juniores”


André Domingues ataca de longe e conquista a camisola amarela

Por: José Carlos Gomes

André Domingues (Escola de Ciclismo Bruno Neves) assumiu hoje o comando da classificação geral da Volta a Portugal de Juniores, graças ao triunfo na segunda etapa, 130 quilómetros entre Figueira de Castelo Rodrigo e o Sabugal.

A etapa, longa para esta categoria etária, ficou marcada por múltiplos ataques, sob calor intenso. Mas a temperatura de corrida só aqueceu verdadeiramente nos últimos 30 quilómetros, após a primeira passagem pela meta.

Depois de passar no Sabugal, André Domingues resolveu atacar, a 25 quilómetros da chegada. Foi uma movimentação que apanhou desprevenidos os rivais, que esperavam o ataque do leiriense apenas na montanha de segunda categoria de Águas Belas, a 8,3 quilómetros do final.

André Domingues foi sempre em progressão, deixando para trás os outros ciclistas que seguiam adiantados, até se isolar, definitivamente, na subida de Águas Belas. Nessa altura, o camisola amarela, João Carvalho, ficou sem ajuda dos colegas de equipa da Bairrada, porque Diogo Narciso e João Silva furaram na aproximação à montanha e atrasaram-se.

O corredor da Escola de Ciclismo Bruno Neves não deu hipótese à concorrência, ganhando tempo ao pelotão até à chegada, o mesmo acontecendo com Martín Gil (Giménez Ganga/Primoti/Tocobike) e de Steven Bayona (Ingeniería de Vías/Monsalud), segundo e terceiro, a 48 segundos. O grupo do camisola amarela chegou a 1m15s do vencedor do dia.

Com estas diferenças, André Domingues, que iniciou a etapa a 29 segundos da camisola amarela, arrebatou o símbolo da liderança. Está agora na dianteira da geral, com 39 segundos de vantagem sobre o colombiano Steven Bayona e com 56 segundos à melhor sobre João Carvalho.

“Hoje queria a camisola da montanha e tentar recuperar tempo face ao camisola amarela. Estou satisfeito com a minha prestação. Preparei-me muito bem para esta corrida e sinto-me capaz de defender a camisola amarela na última etapa, que é muito dura. Conto com a minha equipa para me ajudar. Aliás, sem os meus companheiros e sem o staff da equipa não teria conseguido hoje este resultado. Agradeço-lhes a todos”, afirmou André Domingues, que, além da camisola amarela, passou a ser dono da azul, de melhor trepador.

O belga Tijs Verstappen (Maes CT Blabbeek) mantém o primeiro lugar na geral por pontos e o colombiano Steven Bayona assumiu a primazia entre os juniores de primeiro ano. A Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact ascendeu ao topo da geral coletiva.

Domingo vai ser o dia de todas as decisões na Volta a Portugal de Juniores. O pelotão vai encontrar a etapa mais dura, 112,1 quilómetros entre Fornos de Algodres (12h00) e Seia (15h00). A meta coincide com um prémio de montanha de terceira categoria, que será antecedida pelas subidas pontuáveis de Chã de Tavares (Km 6,9), Paranhos da Beira (Km 46,5), Gouveia (km 75,2), Seia (passagem na meta, km 93,6), Catraia (km 104,2).

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Jorge Magalhães volta a ser o melhor português em França”

Por: José Carlos Cunha

Jorge Magalhães foi hoje o melhor português na nona etapa da Volta a França do Futuro, cortando a meta na 39.ª posição, a 12m25s do vencedor do dia, o húngaro Atilla Valter. Gonçalo Carvalho continua a ser o melhor da Equipa Portugal na geral, comandada pelo norueguês Tobias Foss.

Os 67,2 quilómetros, entre Villaroger a Tignes, voltaram a ser marcados pela alta montanha, com a derradeira subida, de primeira categoria a coincidir com a chegada. O húngaro Atilla Valter foi hoje o mais forte, vencendo com 15 segundos de vantagem sobre o camisola amarela, Tobias Foss. O terceiro, a 32 segundos, foi o alemão Georg Zimmermann.

Jorge Magalhães foi, pelo segundo dia consecutivo, o melhor português, 39.º, a 12m25s. Guilherme Mota foi o 57.º, a 16m39s, a mesma diferença registada por Gonçalo Carvalho, 63.º. Francisco Campos chegou fora de controlo.

Tobias Foss reforçou o comando na geral, tendo uma margem de 1m10s para o italiano Giovanii Aleotti e de 2m33s para o belga Ilan van Wilder. Gonçalo Carvalho é o 49.º, a 1h02m16s, Guilherme Mota é 69.º, a 1h32m16s, e Jorge Magalhães é o 74.º, a 1h18m20s.

A corrida termina neste domingo. A última etapa terá 78 quilómetros, entre Saint-Colomban-des-Villard e le Corbier. A meta coincide com uma subida de primeira categoria. Antes dessa, haverá uma montanha de categoria especial, uma de segunda categoria e uma de primeira.

Fonte: FPC