segunda-feira, 16 de março de 2020

“Jovem triatleta dinamarquesa de 18 anos suspensa por doping”

Sif Bendix Madsen foi suspensa por um ano

Por: Fábio Lima

A dinamarquesa Sif Bendix Madsen, de 18 anos, uma das mais promissoras triatletas da Europa, foi recentemente suspensa por um ano pela agência antidoping do país, depois de ter sido descoberto que lhe tinha administrada uma dose bastante elevada de uma solução salina. Na prática, a utilização deste procedimento não é uma ilegalidade, mas apenas em quantidades inferiores a 100ml e não os 500ml que a jovem atleta recebeu.

E se Madsen levou apenas um ano de suspensão por à data dos factos ser menor e não ter conhecimento de que a prática era uma irregularidade, já o seu treinador Michael Krüger foi punido em quatro anos e já expulso da Federação Dinamarquesa da modalidade. A punição anula todos os resultados registados desde 28 de junho de 2019 e estará a contar a partir dessa data, pelo que a jovem triatleta terá chance de voltar a competir já dentro de três meses.

Fonte: Record on-line

”FTP com atividades suspensas até 9 de abril”

Comunicado 16 de março 2020

Federação de Triatlo de Portugal (FTP) com provas e atividades suspensas até 9 de abril

A Federação de Triatlo de Portugal (FTP) cancelou a Taça da Europa de Quarteira, prevista para os dias 4 e 5 de abril de 2020, tendo em conta as diretrizes governamentais do Estado Português, mantendo suspensas todas as atividades federativas do calendário nacional e internacional até 9 de abril.

Mais se informa que o Conselho Executivo da União Internacional de Triatlo (International Triathlon Union – ITU) decidiu suspender todas as atividades até 30 de abril, à luz da rápida disseminação mundial do COVID-19, onde se inclui a suspensão de todas as Competições do calendário mundial de triatlo, provas, estágios e outras atividades.

Por conseguinte, todo o ranking mundial, qualificação olímpica, ranking de paratriatlo e qualificação paralímpica serão suspensos com efeitos imediatos a partir de 16 de março de 2020.

Marisol Casado, presidente do International Triathlon Union e membro do International Olympic Committee (IOC), declarou: «Foi uma decisão difícil de tomar e garanto-vos que a nossa máxima prioridade é a saúde e segurança de todos os atletas, treinadores, dirigentes, intermediários, staff, voluntários e espetadores, assim como toda a família do triatlo. Avançámos com esta decisão convencidos que nos cabe a todos fazer parte da prevenção de modo a parar a disseminação do vírus. Nestes tempos desafiantes, viagens de atletas, treinadores, dirigentes e staff constituem um risco que não queremos ter.»

Todos os eventos do Calendário Mundial e Continental estão adiados até nova comunicação com efeitos imediatos. A ITU aconselhou vivamente que as federações nacionais apliquem as mesmas medidas em todo o seu território para evitar a propagação do vírus.

Todo o staff mundial e nacional do triatlo encontra-se a trabalhar a partir de casa nas próximas semanas, pelo que se solicita a compreensão de todos no sentido de utilizar preferencialmente o email como via prioritária de comunicação, ou ainda o telefone da secretaria da FTP.

O triatlo mundial continuará a trabalhar para tentar reagendar os eventos depois de 30 de abril assim que seja possível e trabalhará com as partes interessadas para desenvolver ações extra caso seja necessário de modo a alcançar os objetivos dos rankings de qualificação olímpica e paralímpica.

Da mesma forma, a Federação de Triatlo de Portugal, em colaboração com os parceiros organizadores, empreenderá um esforço para reagendar as provas adiadas assim que a situação estabilizar.

A ITU e a FTP continuarão a avaliar diariamente a situação e divulgarão qualquer alteração o mais breve possível, solicitando o esforço conjunto no combate à propagação do COVID-19.

A todos, muito obrigado pela colaboração e compreensão!

Fonte: FTP

“Setúbal Triathlon adiado para 25 de outubro devido ao coronavírus”

Prova muda de data devido ao surto da COVID-19    

Por: Fábio Lima      

Foto: HMS Sports | Paulo Lopes

Inicialmente agendado para 19 de abril, o Setúbal Triathlon foi esta segunda-feira adiado para 25 de outubro, anunciou esta segunda-feira a HMS Sports em comunicado. A decisão, segundo a organização da prova, deveu-se ao "atual panorama nacional e mundial provocado pelo coronavírus"

"Não foi uma decisão fácil de tomar, mas após a devida avaliação, achamos ser a mais assertiva face à conjuntura que vivemos neste momento. Queremos que todos desfrutem ao máximo da iniciativa e da cidade de Setúbal para que a quarta edição do Lidl Setúbal Triathlon seja uma experiência singular e memorável. O trabalho, o esforço e a dedicação da organização e dos parceiros só faz sentido se os atletas usufruírem do evento no seu esplendor! Queremos que todos se possam preparar da melhor maneira, o que neste momento não é possível, principalmente com o encerramento das piscinas", explicou Hugo Sousa, diretor-geral da HMS Sports.

Relativamente à nova data, o diretor da HMS Sports explica que foram tidos em conta vários fatores. "O mês de maio, devido à sua proximidade da situação atual, não seria o indicado para realizar a prova; de junho a setembro, decorrerá a época balnear, não sendo viável a realização de um evento desta natureza em Setúbal; o calendário desportivo nacional e os eventos desportivos previstos para Setúbal para o segundo semestre; as marés previstas para o local da natação"

Fonte: Record on-line

“Volta aos Alpes cancelada devido à pandemia”

Prevista para decorrer entre 20 a 24 de abril

Por: Lusa

A organização da Volta aos Alpes em bicicleta anunciou esta segunda-feira a "impossibilidade" de realização da 44.ª edição da prova, prevista para decorrer entre 20 a 24 de abril, devido à pandemia de Covid-19.

"É difícil para nós e para outros organizadores a enfrentar os mesmos problemas. (...) É uma situação única e muito séria, em que a saúde e a segurança pública devem estar acima de qualquer outra consideração", explicou Giacomo Santini, presidente do GS Alto Guarda, que organiza a prova.

Apesar de não encontrar, para já, quaisquer condições de realização, o grupo vai procurar oportunidades de ainda 'encaixar' a prova em 2020, até porque "a UCI poderá comunicar mais para a frente a abertura de novas datas possíveis, mas sem nenhuma garantia".

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 6.400 mortos em todo o mundo.

Fonte: Record on-line

“Coronavírus: Taça do Mundo de Downhill na Lousã foi adiada”

Deveria decorrer no fim de semana

Por: Lusa

Foto: Montanha Clube - BTT Downhill

A primeira prova da Taça do Mundo de Downhill, que deveria decorrer na Lousã no fim de semana, foi adiada como medida de prevenção da pandemia Covid-19, informou a Câmara.

A nova data para a realização da prova, na Serra da Lousã, ainda não foi marcada pela organização.

Uma fonte da autarquia confirmou hoje à agência Lusa a decisão, tomada na semana passada pelo município, no distrito de Coimbra, em articulação com a associação local Montanha Clube e a Mercedes-Benz UCI MTB World Cup 2020, responsável internacional pela organização.

Estava prevista a presença de milhares de pessoas para a prova inaugural da Taça do Mundo de Downhill, no sábado e no domingo, incluindo mais de 200 atletas de vários países, nos treinos e competições, em trilhos da Serra da Lousã.

Ao abrigo das orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS), a Câmara presidida por Luís Antunes tomou esta decisão na sequência de uma reunião com a Comissão Municipal de Proteção Civil, em cumprimento do seu plano de contingência para "prevenir a transmissão do vírus na comunidade", segundo uma nota do município.

As restantes oito etapas da Taça do Mundo da modalidade estão agendadas para o período de 2 de maio a 6 de setembro, nos seguintes países: Eslovénia, Croácia, Reino Unido, Andorra, Canadá, Itália, França e Áustria.

Em Portugal, 331 pessoas foram infetadas até hoje, mas sem registo de mortes, segundo o boletim diário da DGS.

Dos casos confirmados, 192 estão a recuperar em casa e 139 estão internados, 18 dos quais em unidades de cuidados intensivos (UCI).

Fonte: Record on-line

“Volta ao País Basco junta-se ao rol de adiamentos no ciclismo devido ao coronavírus”

Agendada inicialmente entre 6 a 11 de abril

Por: Lusa

A Volta ao País Basco em bicicleta juntou-se esta segunda-feira ao rol de adiamentos no calendário velocipédico internacional, com a prova, agendada inicialmente entre 6 a 11 de abril, à procura de nova data em 2020.

Com a semana competitiva para 2021 já 'marcada', de 6 a 11 de abril, a organização da 'Itzulia' anunciou hoje que já contactou a União Ciclista Internacional para reagendar a prova WorldTour ainda este ano.

A corrida no País Basco junta-se a outras do principal escalão de estrada do ciclismo no rol de adiamentos ou cancelamentos, com as clássicas de preparação para a ainda 'sobrevivente' Volta a Flandres - De Panne, E3, Gent-Wevelgem, Dwars door Vlanderen -- já adiadas.

O Paris-Nice acabou um dia mais cedo, depois de protestos, ameaças de boicote e desistências de ciclistas, mas conseguiu sair para a estrada, ao contrário da Strade Bianche e de outras provas em Itália, como o Tirreno Adriático ou a Milão-Sanremo -- cancelada apenas pela quarta vez na sua longa história (os outros três cancelamentos aconteceram no período das Grandes Guerras), mas também da Volta à Catalunha.

A estas junta-se a suíça Volta à Romandia, que deveria decorrer entre 28 de abril e 03 de maio e foi hoje cancelada, enquanto a Volta a Itália, primeira das três grandes Voltas, já não vai começar em 09 de maio, depois de ter sido adiada, com outras provas ainda em dúvida e vários ciclistas infetados, entre eles o colombiano Fernando Gaviria (UAE Emirates).

Em Portugal, a Volta ao Alentejo, que deveria ter ido para a estrada entre 18 e 22 de março, foi a principal 'vítima' da Covid-19.

Fonte: Record on-line

“Volta à Romandia cancelada devido ao coronavírus”

Estava agendada de 28 de abril a 3 de maio

Por: Lusa

A Volta à Romandia em bicicleta, que estava agendada de 28 de abril a 3 de maio, foi cancelada devido à pandemia de Covid-19, anunciaram esta segunda-feira os organizadores da competição que iria decorrer na Suíça.

"O cancelamento da prova está de acordo com as medidas tomadas devido ao novo coronavírus pelo Conselho Federal da Suíça e a suspensão de todos os eventos por parte da União Ciclista Internacional nos territórios identificados em risco pela Organização Mundial da Saúde", referem os organizadores, em comunicado.

Várias outras competições de ciclismo, entre as quais a Tirreno-Adriático e a Milão-Sanremo, já tinham sido canceladas devido à pandemia.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou cerca de 170 mil pessoas, das quais 6.500 morreram. Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 140 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, 331 pessoas foram infetadas até hoje, mas sem registo de mortes, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde.

Fonte: Record on-line

“A brutal ideia de ciclista espanhol: juntar as três grandes voltas numa só”

Iván García Cortina lançou a possibilidade que está a deixar os adeptos do ciclismo 'loucos'

Por: Fábio Lima

Foto: EPA

E se a situação em torno do coronavírus, com o mais que provável cancelamento das provas dos próximos meses, incluíndo Giro e Tour, acabasse por resultar em algo bom (muito bom, até!) no Mundo do ciclismo? Tudo não passa de uma simples proposta lançada para o ar, mas a verdade é que a julgar pela reação geral... seria um sucesso garantido.

A ideia foi 'atirada' no Twitter por Iván García Cortina, ciclista da Bahrain–McLaren. "Já imaginaram se o Giro, Tour e Vuelta chegassem a acordo e fizessem uma grande volta que comece em Itália, passe por França e termine em Espanha? Voto a favor!", escreveu o ciclista da Bahrain, provocando de imediato reações de aprovação por parte de aficionados e também de outros ciclistas.

No meio disto tudo houve até várias propostas para o formato da prova, como um seguidor que lançou como ideia esta mega volta ter 30 etapas, 4 dias de descanso, 7 corredores por equipa com a possibilidade de haver três substituições ao longo da prova...

Lembre-se que o Giro de Itália foi já adiado (estava marcado para o período entre 9 e 31 de maio) e o Tour de França (marcado entre 27 de junho e 19 de julho) corre o sério risco de seguir pelo mesmo caminho. No meio disto tudo a Vuelta acaba por estar algo salvaguardada, já que decorre entre 14 de agosto e 6 de setembro, mas tudo dependerá da forma como a situação em torno do coronavírus evoluir.

Fonte: Record on-line

“24ª Passeio de Pombal adiado”

Face à situação de alerta em que o País se encontra, devido à Pandemia do COVID - 19, vulgo Corona Vírus, também as bicicletas têm de ficar nas garagens e os seus utilizadores em casa, para todos juntos sairmos vitoriosos e mais fortes com a expetativa de um futuro risonho e duradouro.

De momento, não é possível adiantar uma data para o nosso Passeio que estava marcado para o dia 29 de março, mas tudo faremos para que, ainda em 2020, as bicicletas e os ciclistas possam alegremente e saudavelmente desfrutar o que a natureza tem de melhor para nos oferecer num passeio por Pombal.

Até lá fiquem em casa (quem puder), protejam-se e sejam responsáveis.

Vamos vencer!

Fonte: Clube Cicloturismo de Pombal

“Última hora…transcrevemos comunicado da EMEL que acabamos de receber”

COVID-19: Suspensão do pagamento de estacionamento na via pública e estacionamento gratuito para residentes em parques da EMEL

 

Por: MARIA TERESA LOUREIRO
 

Considerando que:

 

- Perante o cenário de pandemia COVID 19, é recomendado limitar quaisquer deslocações ao essencial e que são aconselhadas medidas especiais de limitação de deslocações dos cidadãos com vista ao controlo da propagação do vírus;

- Uma maior imobilização dos cidadãos na cidade de Lisboa, conduz a um maior número de veículos estacionados, que em condições normais sairiam do local de residência, junto a casa dos residentes, e que muitos destes veículos de residentes não terão dístico;

- Se regista uma quebra de procura o transporte público, não existindo, portanto, pressões significativas de estacionamento na envolvente do transporte público pesado em zonas residenciais;

- Existem um conjunto de trabalhadores afetos a serviços essenciais cuja rotina está alterada em função dos planos de resposta à pandemia COVID 19, e cujo acesso ao local de trabalho é nesta altura facilitado se feito em viatura de transporte individual.

 

 

A Câmara Municipal de Lisboa toma as seguintes medidas com vista à gestão do estacionamento na cidade de Lisboa:

- Suspensão do pagamento na via pública nas Zonas de Estacionamento de Duração Limitada, nos locais delimitados para o efeito, suspendendo a fiscalização dos mesmos;

- A permissão de estacionamento gratuito nos parques de estacionamento da EMEL dos veículos com dístico de residente válido para a área de implantação de cada parque (mediante informação da matrícula pelo intercomunicador no acesso), salvaguardando a capacidade para as avenças pré-existentes;

– Todos os veículos com dísticos emitidos ao abrigo do Regulamento Geral de Estacionamento e Paragem na Via Pública, que se encontrassem válidos a 1 de fevereiro de 2020, e que entretanto atinjam a data de validade, poderão continuar a aceder aos lugares exclusivos a residentes nas zonas indicadas no dístico até 30 de junho de 2020, eliminando assim a necessidade de qualquer tramitação administrativa neste período, com a correspondente redução de deslocações;

- Alargamento de todas as avenças noturnas de residente existentes nas concessões Empark para avenças 24h, ou seja, passa a ser possível ao titular dessa avença o estacionamento 24h sem custo acrescido;

- A revisão, em estreita parceria com as juntas de freguesia, de lugares reservados na via pública, que em função do estado de funcionamento das entidades a que estão adstritos possam vir a ser libertos neste período contingente para estacionamento livre.

Adicionalmente a EMEL irá proceder às seguintes ações:

- O encerramento dos elevadores públicos (que não acesso único) a cargo da EMEL.

- A adoção de medidas de desinfeção das bicicletas do sistema partilhado GIRA, permitindo manter, para já, o sistema em funcionamento, recomendando-se o estrito cumprimento das regras de higiene individual.

A adoção destas medidas implica um esforço adicional por parte dos cidadãos no cumprimento dos seus deveres cívicos, que devem evitar deslocações não essenciais. A ocupação de forma abusiva do espaço público, pondo em causa o acesso de veículos de emergência, e a segurança e livre circulação de peões ou veículos continuará a ser fiscalizada.

 

O manifesto incumprimento deste pressuposto poderá conduzir à revisão da medida.

As equipas de fiscalização da EMEL e a divisão de trânsito da Polícia Municipal continuarão, assim, a assegurar a fiscalização do estacionamento da cidade. Os meios serão reforçados e alocados na manutenção de canais de circulação livres, incluindo veículos que limitem a circulação de outros veículos, em particular de emergência, acessos a propriedades incluindo garagens, ou qualquer infração que ponha em causa a segurança ou a livre circulação de pessoas e veículos, e zonas de estacionamento especial, como sejam locais de carga e descarga, paragens de autocarros, zonas de residentes, ou qualquer local de estacionamento privativo necessário para o normal funcionamento da entidade a que está atribuído. O bloqueamento de veículos está suspenso, mas será reforçada a fiscalização e remoção de veículos em infração, com especial enfoque nas situações atrás referidas.

Estas medidas serão monitorizadas e avaliadas em função da situação da cidade, podendo ser alteradas ou revogadas a qualquer momento, estimando-se, porém, a sua manutenção, em condições normais, até pelo menos dia 9 de abril.

Estas medidas visam reduzir as dificuldades de estacionamento para residentes em especial em zonas de maior pressão, e sobretudo melhorar a condição de quem cumpre situações de quarentena ou isolamento social, como recomendado, e de quem contribui com o seu trabalho para funções essenciais.

Contamos com o apoio de todos os cidadãos.

Fonte: EMEL