domingo, 14 de julho de 2019

“Ricardo Batista e Vera Vilaça disputam final da Taça do Mundo de triatlo”

Miguel Arraiolos, Alexandre Nobre e Tiago Fonseca não foram além das meias-finais

Por: Lusa

Os triatletas portugueses Ricardo Batista e Vera Vilaça vão disputar a final da Taça do Mundo, na Hungria, depois deste sábado terem terminado as meias-finais em oitavo e sétimo, respetivamente.

Ricardo Batista foi o único dos atletas masculinos a assegurar a passagem à final de domingo, com um tempo de 33.21 minutos na primeira meia-final, que teve também Miguel Arraiolos (34.57), na 20.ª posição.

Na segunda meia-final, Alexandre Nobre não conseguiu terminar a prova, enquanto Tiago Fonseca concluiu a prestação no 19.º posto, com 35.11 minutos.

Com 37.22 minutos, correspondente ao sétimo lugar na segunda meia-final, Vera Vilaça assegurou uma vaga para lutar pelas medalhas, ao contrário de Madalena Amaral Almeida (38.22), que não foi além da 20.ª posição na primeira meia-final.

Fonte: Record on-line

“PRATICANTE DE BTT MORRE EM MARATONA EM AGUADA DE CIMA”

O atleta, não federado, sofreu uma paragem cardio-respiratória cerca de 30 quilómetros após o início da prova.

Um praticante de BTT morreu hoje quando disputava uma das provas de lazer integradas na 13.ª maratona de Aguada de Cima, em Águeda, informou a organização da quinta e última etapa da Taça de Portugal de Maratonas XCM.

O vice-presidente da Liga dos Amigos de Aguada de Cima (LAAC), Ruben Ferreira, disse à agência Lusa que o atleta, não federado, sofreu uma paragem cardio-respiratória cerca de 30 quilómetros após o início da prova, perto de Belazaima-a-velha, tendo sido assistido e transportado para o hospital.

A 13ª maratona de BTT LAAC-LAACAR, que é organizada em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo e a Associação Ciclismo da Beira Litoral, entre outros organismos, integra o calendário da Taça de Portugal de Maratonas XCM, mas também tem uma vertente não competitiva, aberta a atletas não federados.

Fonte: Sapo on-line

“W52-FC Porto em 10.º lugar na primeira etapa da Volta ao Lago Qinghai”

Equipa portuense completou os 40 quilómetros do percurso entre Hehuang e Xining em 52.26 minutos

Por: Lusa

A formação portuguesa do W-52-FC Porto foi este domingo 10.º classificada na primeira etapa da Volta ao Lago Qinghai em bicicleta, na China, um contrarrelógio por equipas que foi vencido pelos colombianos do Medellin.

A equipa portuense completou os 40 quilómetros do percurso entre Hehuang e Xining em 52.26 minutos, mais 2.49 do que os ciclistas colombianos, que se impuseram com o tempo de 49.37 minutos.

Como consequência do triunfo do Medellin na tirada inaugural, o colombiano Róbigzon Leandro Oyola tornou-se o primeiro líder da prova, enquanto na equipa portuguesa Campos Francisco foi o primeiro a cortar a meta e é 48.º da classificação geral individual.

Na segunda-feira realiza-se a segunda etapa da Volta ao Lago Qinghai, com partida e chegada em Xining, na extensão de 119 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“Daryl Impey vence nona etapa do Tour”

Julian Alaphilippe segura liderança

Por: Lusa

Foto: Reuters

O sul-africano Daryl Impey (Mitchelton-Scott) venceu este domingo a nona etapa da Volta a França em bicicleta, em Brioude, enquanto Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step) segurou a liderança da classificação geral individual.

Impey, campeão sul-africano de fundo e contrarrelógio, cumpriu os 170,5 quilómetros entre Saint-Étienne e Brioude em 4:03.12 horas, batendo ao 'sprint' o companheiro de fuga, o belga Tiesj Benoot (Lotto Soudal), segundo colocado, com o mesmo tempo, enquanto o esloveno Jan Tratnik (Bahrain Merida) foi terceiro, a 10 segundos.

Na classificação geral, os favoritos chegaram juntos, a mais de 16 minutos do vencedor, com Alaphilippe a segurar a camisola amarela no Dia da Bastilha, feriado nacional em França, com 23 segundos de vantagem sobre o italiano Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), segundo posicionado, e 53 para o francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), terceiro.

Na segunda-feira, a 10.ª etapa liga Saint-Flour a Albi, ao longo de 217,5 quilómetros, com três contagens de montanha de terceira categoria e uma de quarta.

Fonte: Record on-line

“Bragança Granfondo by Trek 2019”

Vitória de João Moreira e uma enorme adesão de participantes

João Moreira foi o grande vencedor da terceira edição do Bragança Granfondo by Trek, que ficou marcado pelo espectáculo proporcionado pela equipa Love Tiles, que colocou três ciclistas no pódio da distância mais longa, mas também pela massiva adesão de participantes.

Este ano, o evento que põe o nordeste transmontano no centro do mundo velocipédico contou com um impressionante número de 1650 participantes, tendo estado representadas 13 diferentes nacionalidades além da portuguesa – a prova atraiu inscritos de África do Sul, Bélgica, Brasil, Canadá, França, Itália, Luxemburgo, Noruega, Suécia, Suíça, EUA, Venezuela e, claro, Espanha, com um contingente cada vez mais numeroso, de 350 elementos!

O Bragança Granfondo by Trek 2019 homenageou Álvaro Pino, espanhol de 62 anos que venceu a Vuelta de 1986. E em termos competitivos, o evento fez jus à grande qualidade deste antigo profissional, com vários dos escalões a serem decididos por escassos segundos ou mesmo ao sprint.

E não foi só a prova principal que comprovou a enorme popularidade e implantação do Bragança Granfondo by Trek, uma vez que também o Granfondo Kids teve uma elevada participação, 100 crianças, tal como a Caminhada Solidária – aqui, os cerca de 150 participantes permitiram angariar 945 euros quer vão reverter para a Liga Portuguesa contra o Cancro.

Como nota final, merece destaque o excelente ambiente vivido ao longo de todo o fim-de-semana e os muitos elogios que o percurso mereceu por parte de quem teve a oportunidade de conhecer as impressionantes e acolhedoras paisagens atravessadas pelos três percursos do Bragança Granfondo by Trek 2019.


Classificações

Granfondo (137 km)

Masculinos

1º João Moreira (Love Tiles), 3h45m37s

2º Gonçalo Freitas (Love Tiles), mt

3º Rafael Ferreira (Love Tiles), a 3s


Femininos

1ª Fátima Melo (Love Tiles), 4h38m16s

2ª Rosa Rorigues (CC Monção), a 6m40s

3ª Isabel López (Mondoñedo), a 20m49s


Mediofondo (98 km)

Masculinos

1º José Oliveira (Lipor Bike Team), 2h36m21s

2º João Ferreira (Peruf Racing Team), a 2s

3º Carlos Aguiar (Love Tiles), a 9s


Femininos

1ª Anabela Foneca (Unique Bike Team), 3h15m14s

2ª Ana Valido (Individual), a 5m49s

3ª Maria Silva (Brigada do pedal), a 15m37s


Minifondo (60 km)

Masculinos

1º Marco Correia (Bolflex BTTeam), 1h32m58s

2º Miguel Ribeiro (BMC/Navais), mt

3º André Sousa (Love Tiles), a 4s


Femininos

1ª Marisa Ferreira (Efapel), 1h54m57s

2ª Ana Moreira (Magriços de Ermesinde), a 42s

3ª Liliana Silva (Balantuna), a 58s

Fonte: Bikeservice

“Taça de Portugal de Maratona (XCM)”

Renato Ferreira e Flávia Lopes conquistam Taça de Maratona

Por: José Carlos Gomes

Renato Ferreira e Flávia Lopes, ambos da equipa Vasconha BTT Vouzela, foram hoje coroados, em Águeda, vencedores da Taça de Portugal de Maratona BTT (XCM), na categoria de elite. Andrew Henriques e Celina Carpinteiro, do BTT Loulé/Elevis, impuseram-se na última prova pontuável.

A corrida masculina de elite, com 85 quilómetros, decidiu-se entre os dois melhores da geral. A vitória pertenceu a Andrew Henriques, ao fim de 3h37m59s, com Renato Ferreira a gastar mais 2 segundos. No terceiro lugar colocou-se Davide Machado (BTT Seia), a 1m03s.

A Taça de Portugal foi para a vitrina de troféus de Renato Ferreira, que fechou a competição de regularidade com 1150 pontos, mais 50 do que Andrew Henriques. David Vaz fechou o pódio da geral, com 910 pontos.

As femininas pedalaram ao longo de 70 quilómetros, durante os quais a mais rápida foi Celina Carpinteiro, gastando 3h30m42s, menos 11m40s do que Liliana Jesus (BTT Seia) e menos 15m34s do que Flávia Lopes.

A geral fechou com triunfo de Flávia Lopes, que somou 1080 pontos, mais 100 do que Celina Carpinteiro e mais 240 do que Liliana Jesus.

Os vencedores da Taça em nasters 30 foram Michel Machado (Vasconha BTT Vouzela) e Raquel Marques (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde). Carlos Rocha (Saertex Portugal/Edaetech) leva a Taça em masters 35, enquanto os vencedores em master 40 foram Nuno Inácio (Trilho Perdido Eventos Cycling) e Ana Gonzalez (Mitto X-Sauce Berria).

António Marques (BTT Seia) impôs-se na geral de masters 45, em igualdade pontual com João Gomes (BTT Gardunha/Fundão/Create). Carlos Soares (Saertex Portugal/Edaetech) venceu a geral de master 50, Fernando Gonçalves (CTM Vila Pouca/Cepsa Casa Lima Chaves) foi o mais regular em masters 55 e Benjamim Silva imitou-o em masters 60.

Em paraciclismo saíram vitoriosos Gil Pereira (Batotas/Ponte de Lima), na classe C, e Tiago Craveiro, na classe D.

Fonte: FPC

“GP Internacional Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho”

Henrique Casimiro conquista o Troféu e José Neves vence etapa final

Por: José Carlos Gomes

Henrique Casimiro (Efapel) é o vencedor do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho, depois de disputada a última etapa, com final no alto de Montejunto, ganha por José Neves (Burgos BH).

A viagem de 179,3 quilómetros, iniciada na Foz do Arelho, decidiu-se na dupla subida final, com 7,3 quilómetros, até ao Avenal e depois para o Montejunto. O pelotão iniciou compacto a escalada, mas rapidamente Henrique Casimiro e Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira) atacaram, deixando o grupo feito em pedaços.

José Neves não foi ao choque, mas conseguiu fazer a ponte para a frente da corrida. Com o passar dos quilómetros em subida, só Casimiro e Neves se aguentaram na frente da corrida. Na chegada, inverteram as posições da edição transata da prova. José Neves cortou a meta em primeiro, deixando Henrique Casimiro a 1 segundo. Frederico Figueiredo foi terceiro, a 27 segundos.

“Hoje estava nos planos fazer tudo para vencer a etapa. Disse logo de início que iria atacar no Montejunto, como sempre faço. Comecei a corrida com azar, tendo de mudar de bicicleta no prólogo, mas hoje queria dar uma vitória à equipa. Na fase mais inclinada da subida não fui ao choque, porque sei que não consigo. Fui no meu ritmo até encontrar a frente da corrida e vencer a etapa”, conta José Neves.

Gustavo César Veloso (W52-FC Porto) perdeu a camisola amarela ao ser o 12.º na tirada, a 1m11s do vencedor. Henrique Casimiro conquistou, assim, o Troféu Joaquim Agostinho, depois de, no ano passado, ter perdido a corrida por apenas 4 segundos. Desta feita, impôs-se por 30 segundos face a José Neves. O terceiro foi Sérgio Paulinho (Efapel), a 1m02s.

“Esta é a prova mais importante para mim, muito emotiva. É uma vitória que dedico à família. Há seis anos, quando fiz terceiro, a minha esposa, que estava grávida, perdeu a nossa filha. Ficou prometido que venceria o Troféu Joaquim Agostinho para lhe dedicar. Mais do que um objetivo desportivo, este era um compromisso pessoal”, revela, emocionado, Henrique Casimiro.

O alentejano valeu-se do conhecimento da subida e dos adversários para rematar, com chave de ouro, a corrida. “Hoje foi a continuação da edição passada da corrida. Não queria perder o prémio por 4 segundos, podia perder um minuto ou dois, mas iria arriscar tudo. Daí ter atacado tão cedo, até porque sabia que os adversários se defenderiam melhor na fase menos inclinada. Tive de atacar muito cedo, depois do trabalho extraordinário da equipa. Depois foi gerir o esforço”, explica o vencedor da classificação geral individual.

A etapa começou movimentada por múltiplas tentativas de fuga que não vingaram. Foi preciso esperar pelo quilómetro 60 para que David de la Fuente (Aviludo-Louletano), Dzmityr Zhyhunou (Equipo Euskadi), Urko Berrade (Euskadi Basque Country-Murias), Afonso Silva (Rádio Popular-Boavista), Miguel Salgueiro (Sicasal/Constantinos), Josu Zabala (UD Oliveirense/InOutBuild), Patrick Videira (Fortunna/Maia) formassem a fuga do dia.

A iniciativa durou menos de 100 quilómetros, sendo neutralizada a 25 quilómetros da meta, com o pelotão a rolar compacto até ao sopé da serra de Montejunto.

Henrique Casimiro conquistou três classificações: geral individual, pontos e montanha. A Efapel impôs-se por equipas. José Neves foi o melhor jovem, depois de, há um ano, ganhar a geral individual. O holandês René Hooghiemster (Alecto Cyclingteam) venceu a classificação das metas volantes.

Fonte: FPC

“Pedro Leme venceu o Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe”

Pedro Leme (Fortunna/Maia Formação) foi o grande vencedor do Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe, prova pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã e integrada no programa das Festas em honra de Nossa Senhora de Antime / Festas do Concelho de Fafe. Maria de Jesus Barros (Concelho de Porino/Abanca) venceu a classificação feminina.

Com o apoio da Câmara Municipal de Fafe, o Prémio Festas do Concelho de Fafe teve a Praça 25 de Abril como local de partida e de chegada da corrida de juniores, assim como do Passeio de Cicloturismo e Roda Livre da União Desportiva Amigos da Roda de Quinchães.

Com uma excelente moldura humana ao longo de todo o percurso, o Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe, que contou com 77 ciclistas à partida, decorreu sempre de uma forma animada com várias tentativas de fuga e a pronta resposta do pelotão. André Fonseca, da EC Bruno Neves, foi dos primeiros a tentar a sorte, mas sem êxito, pois na primeira volta ao circuito de 21,8 quilómetros o pelotão entrou compacto na cidade de Fafe.

Daniel Fortes (Academia Joaquim Agostinho/UDO) também tentou destacar-se do pelotão pelo quilómetro 38, assim como Pedro Leme (Fortunna/Maia Formação).

À passagem pelos 45 quilómetros, Flávio Fernandes (Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact) distanciou-se do grupo principal de ciclistas e chegou a ter 16 segundos de vantagem mas à passagem por Fareja um grupo, liderado por ciclistas da Academia Joaquim Agostinho/UDO, encetou a perseguição e anulou a fuga.

Em Infantas, Gonçalo Fonte (Tensai/Sambiental/Santa Marta) assumiu as rédeas da corrida e encetou uma fuga, com Bernardo Jorge (AJAgostinho/UDO) e Vinicius Melo (Fortunna/Maia Fornação) a perseguirem o ciclista vianense até anularem a iniciativa em Paçô Vieirae.

É então que um trio de ciclistas - Daniel Gonçalves (Academia Joquim Agostinho), Diogo Almeida (EFAPEL-Escola Ovar) e Gabriel Fonseca (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi) – lançou um novo ataque que resultou numa fuga que chegou a ter uma vantagem de cerca de um minuto em relação ao pelotão. Flávio Fernandes (Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulactt), Tiago Sousa (UC Trofa) e André Silva (Academia Joaquim Agostinho) juntaram-se ao grupo de fugitivos mas em Vila Nova de Infantas a fuga foi anulada. As mexidas no pelotão continuam, mas sem grande êxito.

Pedro Leme (Fortunna/Maia Formação), aproveitando a aproximação à reta da meta, destacou-se do pelotão que tentou reagir e levar a decisão da corrida para um sprint espetacular. Pedro Leme não deu hipóteses e venceu o Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe percorrendo os 85.2 quilómetros em 2:09:51h.

Tomás Bauwens (Mato-Cheirinhos/Vila Galé/Etopi) foi segundo e Marco Marques, da (Tensai/Sambiental /Santa Marta) ficou na terceira posição, com o mesmo tempo do vencedor.

Por equipas venceu a EFAPEL-Escola de Ovar, que fez o tempo de 6:29:33, menos 10s que Mato-Cheirinhos/Vila Galé/Etopi e Academia Joaquim Agostinho / UDO, equipas que ficaram nos lugares imediatos. A Tensai / Sambiental / Santa Marta, com mais 26s, foi quarta classificada e o C.C.Barcelos/A.F.F./Flynx/H.M. Motor, que gastou mais 43s, terminou no quinto lugar.

No Passeio de Cicloturismo e Roda Livre da União Desportiva Amigos da Roda de Quinchães o grande vencedor de Elites foi Rafael Martins (CC José Martins) que deixou nos lugares imediatos Bruno Sousa (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e Luís Costa (UDAR Quinchães).

Em Master 30 venceu Carlos Ferreira (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), enquanto Óscar Castro (UDAR Quinchães) ganhou em Master 40 e Albino Silva foi o vencedor em Master 50.


Pompeu Martins (Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Fafe): “uma excelente prova”

Pompeu Martins, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Fafe, estava satisfeito com a forma como decorreu o Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe e realçou que o concelho minhoto já tem uma tradição no ciclismo.

“Nós, Câmara Municipal, há vários anos que investimos no ciclismo, não só no apoio aos atletas locais, que praticam o ciclismo e o cicloturismo associativo, mas também nestas provas tendo como parceiros a Associação de Ciclismo do Minho e a FPC”, afirmou Pompeu Martins lembrando que Fafe recebe também a Volta a Portugal e que a parceria com a ACM “existe há longos anos e que tem sido muito positiva”.

Quanto ao Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe, o vereador do Desporto da CM Fafe referiu que “esta prova em concreto já faz parte das Festas em honra da Nossa Senhora de Antime. É já uma tradição ter uma corrida de ciclismo nas festas de Fafe e nós aproveitamos para juntar o desporto e a tradição”.

Afirmando que “esta é uma modalidade que traz sempre muita gente a Fafe”, Pompeu Martins explicou que “nós também investimos nestes eventos como uma forma de incentivar o turismo. Hoje tivemos aqui imensa gente, tal como acontece na Volta a Portugal e, por isso, pretendemos continuar a investir no ciclismo, em receber bem esta gente e a manter a parceria que temos com a ACM”.
 

Albino Costa (Câmara Municipal de Fafe): “Provas Importantes”

Albino Costa, secretário do Gabinete de apoio à Vereação da Câmara Municipal de Fafe, assistiu ao Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe e ao Passeio de Cicloturismo e Roda Livre da União Desportiva Amigos da Roda de Quinchães.

“Esta prova em concreto é muito importante. Está associada à história das festas da cidade de Fafe. Há uma união muito grande entre as festas em honra da Nossa Senhora de Antime e o ciclismo. As pessoas já estão habituadas e aderem muito a este evento”, afirmou ao salientar que “em Fafe há uma grande cultura e afeição pelo ciclismo, há muitos aficionados e, por isso, podemos ver sempre muita gente a assistir quer a estas provas organizadas pela ACM, quer a etapas da Volta a Portugal”. De resto, referiu ainda, “hoje podemos juntar os dois ‘mundos’, muitos adeptos do ciclismo que o praticam de forma mais amadora. Este passeio é prova disso mesmo, são adeptos da modalidade que gostam de praticar o ciclismo e fazem-no de uma forma apaixonada”.

O Prémio Festas do Concelho de Fafe foi organizado pela Associação de Ciclismo do Minho com o apoio da Câmara Municipal de Fafe, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Score Tech, Guimarpeixe, Jopedois, Auto Terror, Polícia Municipal de Fafe, Bombeiros Voluntários de Fafe e Infraestruturas de Portugal.

Fonte: ACM

“8.º Circuito Jorge Nunes”

A equipa de ciclismo ASFIC – Grupo Parapedra/Dinazoo/Riomagic, participou hoje, 13 de julho, no 8.º Circuito Jorge Nunes, que se realizou na vila alentejana de Grândola.

A prova teve duas corridas distintas, categorias Masters 40/ 50 e Elites/Masters 30.

 ASFIC deslocou-se para esta prova com 8 atletas: João Portela, Jorge Letras, João Letras, Diogo Sampaio, Edgar Oliveira, Carlos Ochoa, Mario Ferreira e Alexandre Mota, e apenas participou na categoria de Elites/Masters 30, onde alinharam varias equipas e alguns ciclistas individuais, para percorrer um total de 12 voltas ao circuito.

A prova arrancou com um andamento forte, e com a ASFIC sempre ao ataque, com varias tentativas de fuga.

 Quando decorria a terceira volta, Jorge letras conseguiu atacar forte e isolar-se do pelotão.

Com o pelotão agitado e a tentar anular a fuga, um adversário conseguiu sair do pelotão, levando consigo 2 atletas da ASFIC ( Mario Ferreira e Diogo Sampaio ).

A faltar 2 voltas para o fim, João Portela atacou no pelotão e também conseguiu ganhar alguma vantagem.

O grupo perseguidor, não conseguiu alcançar Jorge Letras, que venceu isolado a prova.

No grupo perseguidor, os dois atletas da ASFIC conseguiram ser mais fortes, cortando em 2º lugar Mario ferreira e 3º Lugar Diogo Sampaio.

João Portela cortou a meta em 5º Lugar, ainda com vantagem sobre o pelotão.

No pelotão, João Letras foi o mais forte.

A ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo/Riomagic conquistou o 1º e 2º Lugar nos escalões Elites (Mário ferreira e João Letras), no escalão M30 conquistou também o 1º e 2º lugar (Jorge Letras e Diogo Sampaio), e venceu também nos sub 23 com Alexandre Mota.

Coletivamente a ASFIC foi a equipa mais forte, vencendo coletivamente

A equipa continua com a mesma RAÇA, AMBIÇÃO, QUERER, DETERMINAÇÃO E ACREDITAR, mas sobretudo muita união e, mais do que uma equipa, continuaremos a ser uma família, e a procurar o destaque em todas as competições, para dar a maior visibilidade possível aos nossos patrocinadores, que acreditam na equipa e nos proporcionam as melhores condições.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC