quarta-feira, 28 de setembro de 2016

“Gustavo Veloso renova com a W52-FC Porto”

Ciclista espanhol diz sentir-se valorizado nos dragões

Por: Lusa

Foto: Epa

O ciclista espanhol Gustavo Veloso renovou por uma temporada com a W52-FC Porto, confirmou esta quarta-feira à agência Lusa o vencedor das edições de 2014 e 2015 da Volta a Portugal. Apesar do interesse manifestado por outras equipas, nomeadamente o Sporting-Tavira, o galego, de 36 anos, preferiu manter-se nos dragões.
"Só sairia por um contrato muito mais apetecível, porque aqui sinto-me valorizado e respeitado não só como ciclista, mas a todos os níveis", explicou à agência Lusa.
Veloso destacou que na W52-FC Porto se sente em casa. "Aqui tenho amigos, não apenas colegas. Estou mesmo à vontade. Sei com o que posso contar, sei a equipa que tenho. Há uma relação de cumplicidade com o diretor desportivo [Nuno Ribeiro], uma excelente comunicação e, além disso, estou perto de casa", enumerou o corredor de Vilagarcía de Arousa, confessando que "todos os pequenos detalhes contam".
Profissional desde 2001, quando deu as primeiras pedaladas na portuguesa Carvalhelhos-Boavista (2001-2003), Veloso passou pelas formações espanholas Relax-Bodysol (2004), Kaiku (2005-2006), Xacobeo-Galicia (2007-2010) e Andalucía (2012), antes do seu bem-sucedido regresso ao pelotão nacional para representar as diferentes versões da W52-FC Porto.
Vencedor da Volta à Catalunha de 2008 e de uma etapa na Vuelta2009, foi em Portugal que o galego alcançou maior notoriedade. Nos seus quatro anos na formação de Valongo, venceu duas Voltas a Portugal (2014 e 2015) e foi segundo nas outras duas edições (2013 e 2016), tendo sido também o ciclista do ano em Portugal, em 2015.

Fonte: Record on-line

“Rafal Majka e Michal Kwiatkowski falham Mundiais de estrada de Doha



 
Federação polaca confirmou ausências

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

Rafal Majka (Tinkoff), bronze olímpico no Rio2016, e Michal Kwiatkowski (Sky), campeão do Mundo em 2014, não vão estar nos Mundiais de ciclismo de estrada de Doha (Qatar), anunciou esta quarta-feira a Federação polaca.
"Os dois ciclistas não se sentem em forma para enfrentar os melhores", declarou o diretor desportivo da federação polaca à AFP.
Andrzej Piatek recordou que o objetivo de Majka, que, antes do bronze olímpico, se sagrou, pela segunda vez na carreira, como o melhor trepador da Volta a França (2014 e 2016), e de Kwiatkowski era o Rio2016.
Os Mundiais de estrada de Doha decorrem entre 09 e 16 de outubro.

Fonte: Record on-line

“Rui Costa desiste e Miguel Ángel López vence Milão-Turim”

Colombiano impôs-se em solitário na prova mais antiga do calendário internacional

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista colombiano Miguel Ángel López (Astana) venceu esta quarta-feira a Milão-Turim, com o português Rui Costa (Lampre-Merida) a ser um dos desistentes da clássica italiana.
'Supermán' López impôs-se em solitário na prova mais antiga do calendário internacional, ao cumprir os 186 quilómetros entre Milão e Turim em 4:13.36 horas.
O colombiano, de 22 anos, demonstrou os seus dotes de trepador nos últimos cinco quilómetros, na subida à Basílica de Superga, destacando-se do grupo de favoritos para alcançar Michael Woods (Cannondale) e, posteriormente, a apenas 450 metros da meta, bater o canadiano, que foi segundo na meta, a nove segundos.
Em terceiro, a 14 segundos, ficou outro colombiano, o ciclista da Cannondale Rigoberto Uran, com os portugueses a terem uma prestação discreta: André Cardoso, também da Cannondale, e Sérgio Paulinho (Tinkoff) chegaram a 8.14 minutos do vencedor e Tiago Machado (Katusha), que caiu, foi 93.º a 11.56.
Rui Costa (Lampre-Merida), campeão mundial em 2013, desistiu, tal como Ricardo Vilela (Caja Rural).

Fonte: Record on-line

“Sandro Branco vence Circuito Jovem das Vindimas”

O nosso ciclista júnior Sandro Branco, Jorbi -Team José Maria Nicolau, foi o grande vencedor do Circuito Jovem das Vindimas, realizado no passado Domingo na Vila de Alenquer.O nosso ciclista impos-se ao sprint, num reduzido grupo que se conseguiu adiantar ao pelotão já nas últimas voltas do circuito.

Para a história da corrida fica tambem a fuga do nosso ciclista André Cunha, que rolou na frente durantealgumas das 10 voltas que compunham o circuito, quebrando um pouco já nas últimas voltas, mas que lhe valeu ainda a 13ª posição.

Com este desempenho dos nossos ciclistas além da vitória individual, por Sandro Branco, também por equipas a Jorbi –Team José Maria Nicolau,  foi a primeira classificada.

Também em cadetes e nas escolinhas a Jorbi –Team José Maria Nicolau marcou presença, sendo que nos primeiros Duarte Bento classificou-se na 44ª posição, enquanto nas escolinhas Francisco Brilha foi terceiro em iniciados.

Classificação Geral:

1º Sandro Branco

7º Bernardo Gonçalves

13º Andrá Cunha

14º Bernardo Norte

21º Rafael Espadinha

31º Duarte Areias

Equipa:

1º Lugar

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/ Campeonato do Mundo de Estrada”

Portugal no Catar com espírito batalhador

A Seleção Nacional/Liberty Seguros estará representada por nove corredores no Campeonato do Mundo de Estrada, entre 10 e 16 de outubro, em Doha, Catar. Num Mundial em que os percursos são adversos para as caraterísticas dos ciclistas portugueses, a equipa nacional não baixará os braços e tentará conquistar bons resultados.

O selecionador nacional de estrada, José Poeira, convocou três corredores de elite, três sub-23 e três juniores, respetivamente: José Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA), Nelson Oliveira (Movistar) e Sérgio Paulinho (Tinkoff), César Martingil (Liberty Seguros/Carglass), Ivo Oliveira (Liberty Seguros/Carglass) e Nuno Bico (Klein Constantia), Daniel Viegas (Bairrada), João Almeida (Bairrada) e Pedro Teixeira (ACDC Trofa).

Todos participam nas provas de fundo, mas o elite Nelson Oliveira, o sub-23 Ivo Oliveira e os juniores Daniel Viegas e João Almeida acumulam com os contrarrelógios.

As provas ficarão marcadas pelo terreno plano e pelo calor intenso, esperando-se temperaturas entre os 30 ºC e os 40 ºC. O vento, a aparecer, pode ser um adversário de peso, especialmente na prova de fundo para elite.

“É normal haver ventos fortes na região. A prova de fundo para elite sai da cidade e vai para o deserto. Se estiver vento de frente num sentido, estará de costas no outro. Mas se os ventos forem laterais os ciclistas irão sofrer em todo o percurso fora do circuito citadino – mais de 150 quilómetros -, sendo provável que o pelotão se desfaça. Os corredores com mais técnica e com capacidade física para o ritmo forte que se adivinha ficarão na frente”, antevê José Poeira.

O Mundial do Catar é o primeiro desde o de Copenhaga, em 2011, teoricamente favorável aos velocistas. “Apesar de o percurso não ser aquele que mais gostaríamos, temos de nos adaptar o melhor possível. Uma Seleção que venceu em 2013 e que tem estado permanentemente nos 20 primeiros lugares tem obrigação de dar luta. Queremos ter uma boa prestação”, declara o selecionador nacional, sobre a prova rainha, marcada para dia 16.

Sobre os mais jovens, o selecionador nacional lembra que “este tipo de percurso a este nível competitivo será uma novidade para a maior parte dos juniores e sub-23, mas é importante para o seu desenvolvimento que passem por esta experiência, tentando estar o mais próximo possível da frente”.

Os contrarrelógios também irão disputar-se em terreno pouco ou nada ondulado. “Sendo um contrarrelógio plano, o leque de candidatos é maior. Ou seja, a nossa concorrência é mais vasta. No entanto, o Nelson Oliveira é um dos melhores especialistas mundiais e acreditamos que conseguirá um desempenho prestigiante para o país”, adianta José Poeira sobre os 40 quilómetros de exercício individual que Nelson Oliveira irá enfrentar, no dia 12.

Calendário de provas com participação da Seleção Nacional/Liberty Seguros

10 de outubro, 9h30: Contrarrelógio Sub-23, 28,9 km

11 de outubro, 7h00: Contrarrelógio Juniores, 28,9 km

12 de outubro, 11h45: Contrarrelógio Elite, 40 km

13 de outubro, 10h00: Prova de Fundo Sub-23, 166 km

14 de outubro, 11h15: Prova de Fundo Juniores, 135,5 km

16 de outubro, 8h30: Prova de Fundo Elite, 257,5 km

(Horas de Portugal Continental, menos duas do que no horário local)

Fonte: FPC