segunda-feira, 22 de julho de 2019

“Agradecimento”

Realizou-se este fim-de-semana dias 20 e 21 de julho em Pombal, o 18º Bodo das Bicicletas/14 Horas a Pedalar em Pombal.2019, mais um ano marcamos presença, tentando mostrar os melhores momentos do evento, tanto em fotos, vídeos e os diretos.

Foram dois dias e uma noite longa, tentando fazer o melhor possível, neste que é um evento único em Portugal. O evento correu muito bem, e mais um ano marquei presença, e quero aqui deixar o meu agradecimento ao Clube de Cicloturismo de Pombal pela maneira que mais um ano fui recebido, só tenho uma palavra, OBRIGADO, e ainda a todos que comigo colaboraram, esperando em 2020 marcar novamente presente.

Obrigado.

José Morais

“Abrantes recebeu Campeonato Nacional de Clubes de Cross”

Realizou-se dia 14 de julho o Duatlo João Campos, uma prova pontuável para o Campeonato Nacional de Clubes de Cross.

Este Duatlo Cross, disputado na distância sprint, realizou-se no parque urbano de São Lourenço, em Abrantes. Com um percurso dinâmico e com potencial de crescimento, esta prova contou com a participação de cerca de 70 atletas, incluindo os melhores atletas da modalidade, entre eles Rui Dolores, Pauline Vie, Tiago Maia e Rui Narigueta.

Foi uma competição que contou com um nível competitivo elevado, com Pauline Vie sempre a liderar a prova feminina desde a primeira corrida. Beatriz Ferreira e Filipa Gonçalves, atletas do Núcleo do Sporting da Golegã, realizaram um trabalho de equipa no segundo e terceiro lugar respetivamente, com Cristina Pereira, do GCA Donas – TRIATLO, também a disputar os primeiros lugares nos primeiros dois segmentos da competição.

A prova masculina foi muito competitiva, e contou com a presença de grandes atletas como Rui Dolores, Tiago Maia, Nelson Gomes ou Rui Narigueta. Tiago Maia começou por puxar no início da corrida com Rui Dolores a controlar o ritmo. A partir do BTT, o atleta do Amiciclo de Grândola e atual líder do XTERRA Europa, ganhou vantagem para os restantes atletas, ficando na frente durante o resto da prova.

 

Os resultados desta terceira etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Cross

O Núcleo do Sporting da Golegã foi o vencedor desta etapa do CN Clubes Cross, com Beatriz Ferreira, que fez 01:27:45 e foi segunda da geral, Filipa Gonçalves com o tempo de 01:28:54 e terceira da geral, e Ana Vintém que concluiu a prova em 01:42:16.

O clube mais forte da competição masculina foi o Amiciclo de Grândola com Rui Dolores que concluiu a prova em 01:09:06 e fez também primeiro da geral, João Jesus com 01:11:50 e Hugo Baluga com o tempo de 01:13:01.

Na segunda posição subiu ao pódio o SFRAA Triatlo com David Coelho com 01:11:45, Cláudio Paulinho com o tempo de 01:12:51 e Nuno Preciado com 01:15:17.

O OutSystems Olímpico de Oeiras alcançou a terceira posição com Rui Narigueta que fez o tempo de 01:10:39, Bernard Lehmann com 01:16:06 e Nuno Carvalho com 01:17:08.

 

Resultados absolutos:

Pauline Vie, do Alhandra Sporting Club, venceu o Duatlo João Campos, com 01:24:43, Beatriz Ferreira, do Núcleo do Sporting da Golegã ficou na segunda posição com o tempo de 01:27:45 e Filipa Gonçalves, também do Núcleo do Sporting da Golegã, ocupou o terceiro lugar do pódio com o tempo de 01:28:54.

Na prova masculina, Rui Dolores, do Amiciclo de Grândola, venceu este Duatlo Cross, com 01:09:06, Nelson Gomes, do Grupo Desportivo da Goma, ficou na segunda posição com 01:09:50 e Rui Narigueta, do OutSystems Olímpico de Oeiras, conquistou o terceiro lugar com 01:10:39.

Muitos parabéns aos atletas e clubes pelo empenho e resultados!

O Triatlo Abrantes 2019 é organizado pelo Município de Abrantes com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal e parceria com a Associação Aventurirequinte (Clube Triatlo de Abrantes).

Fonte: FTP

“ASFIC COM DIA BRILHANTE DESTRONA CONCORRÊNCIA”

A ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo/Riomagic participou ontem, 21 de julho, no 2.º Circuito Transwhite, prova disputada na localidade do Nadadouro, concelho de Calda da Rainha.

A ASFIC participo nesta prova com 8 atletas, Humberto Careca ,Jorge Letras, João letras, Edgar Oliveira, Daniel Ferreira, Diogo Sampaio, Pako Ochoa e Alexandre Mota.

O circuito foi composto por 25 voltas de 2,5 km, num percurso bastante duro e com alguma dificuldade técnica, por isso a ASFIC partia para a prova com a indicação de cedo atacar a corrida, para uma tentativa de selecionar o maior numero de adversários possíveis.

A partida para as várias equipas foi dada às 16h00, e logo no inicio o pelotão rodou num ritmo forte, tendo a ASFIC iniciado a corrida logo ao ataque, com João Letras a iniciar uma fuga a solo.

João Letras andou cerca de 5 voltas sozinho, mas foi apanhado pelo pelotão. A equipa sabia desde o inicio, que caso a fuga do João fosse anulada, haveria contra ataque, e por isso, o João não podia estar no seu limite de esforço fisico e a equipa tinha de estar atenta e responder, e assim o fez, quando um adversário atacou.

A meio da corrida, o pelotão estava reduzido a cerca de 12 unidades, e a faltar cerca de 9 voltas, Humberto careca, João Letras e um adversário, saem do pelotão e isolam-se.

A faltar cerca de 5 voltas, Jorge letras e um adversário também saem do pelotão e ficam intermédios entre o Pelotão e a fuga.

A faltar 4 voltas para o final, azar para o adversário e companheiro de fuga do João Letras e Humberto Careca, que parte o pedal e é obrigado a abandonar a prova, ficando assim os dois atletas da ASFIC sozinhos e isolados.

A faltar uma volta para o fim, Jorge Letras conseguiu isolar-se e deixar o seu companheiro de fuga, ficando isolado para cortar a meta em 3º lugar.

Na frente, cortou a meta em primeiro lugar Humberto Careca e João Letras consigo de mão dada.

Jorge Letras consegue chegar isolado e cortar a meta em 3º lugar.

Na chegada do pelotão, Daniel Ferreira consegue cortar a meta em 2º lugar e alcança o 6º lugar da geral.

A ASFIC venceu o primeiro Circuito Transwhite, e ocupou os três lugares do pódio ( 1º Humberto Careca, 2º João Letras, 3º Jorge Letras )

Coletivamente a equipa voltou a vencer.

A ASFIC venceu também o prémio de o atleta com o maior número de voltas, a passar a meta no 1º lugar e em 2º lugar ( Humberto Careca e João Letras )

Por escalões a ASFIC venceu o escalão Elite ( João Letras), venceu o escalão M30 (Jorge Letras) e o escalão M40 ( Humberto Careca ).

A equipa esteve brilhante no cumprimento da fáctica e mais uma vez competiu com uma enorme entrega e empenho em busca da vitória, realizando uma enorme corrida.

Continuamos empenhados em dar o maior destaque aos nossos patrocinadores.

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“TRIATLO DE ENTRE-OS-RIOS”

TRIATLO DE TORRES NOVAS VENCEU 3ªETAPA NACIONAL DE CLUBES

Por: Paulo Vieira

O TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS VENCEU categoricamente a 3ªetapa do Campeonato Nacional de Clubes de Tritalo, realizada no sábado, dia 20 de julho, em Entre-os-Rios, Castelo de Paiva.

Já com 2 vitórias e um 3ºlugar nas 3 etapas disputadas (Portimão, Sabugal e Entre-os Rios), o Clube de Natação de Torres Novas, lidera o Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo, faltando apenas disputar 1 etapa deste campeonato de clubes.

Esta 3ªetapa foi disputada em formato de contra-relógio, com as equipas compostas entre 3 a 6 atletas, mas aonde apenas contava a classificação dos 3 primeiros a cortarem a meta. As equipas realizaram um triatlo em distância sprint, com 750m/natação na foz do Rio Tâmega, 20kms/ciclismo com 2 voltas a cruzarem as margens do Douro através da ponte de Entre-os-Rios e a terminar no Cais da Sardoura, aonde se iniciava os 5kms/corrida com 2 voltas num circuito com bastante desnível.

A equipa de triatlo do Clube de Natação torrejana (a mais jovem participante) liderada pelo técnico PAULO ANTUNES, e composta pelos atletas RICARDO BATISTA, JOSÉ PEDRO VIEIRA, AFONSO DO CANTO (18 anos), LUIS VELASQUEZ (24 anos), GONÇALO BALBINO e ABEL AFONSO (17 anos), foi a grande vencedora desta competição, com os 3 primeiros atletas a cortarem a meta com um tempo de 01h00m30s, e uma vantagem de 1m27s da 2ªclassificada, o Alhandra Sport Clube, e de 2m07s da 3ªclassificada, a equipa do Olímpico de Oeiras.

Para PAULO ANTUNES, como já este ano tinha mencionado, um dos principais objetivos desta época enquanto equipa, passa por sermos Campeões Nacionais de Clubes em Triatlo. Foi uma vitória justa que não deixou margem para dúvidas a ninguém. Fechamos este contra-relógio por equipas em Entre-os-Rios, com 3 atletas Juniores, portugueses e todos oriundos da formação na Escola de Triatlo torrejana, o que me deixa bastante orgulhoso. O objetivo fica agora muito próximo uma vez que reforçamos a nossa liderança no campeonato.

A próxima prova a nível interno, será a penúltima etapa da Taça de Portugal de Triatlo, e realiza-se em Montemor-o-Velho, no dia 4 de Agosto, antes de um pequeno período de férias, mas a nível externo, teremos a presença de MADALENA ALMEIDA já no próximo sábado, dia 27 de julho, no Campeonato de Europa de Triatlo em Elites na distância Sprint, em Kazan na Rússia.

Fonte: TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS

“Campeonato Nacional de BTT XCO”

Ricardo Marinheiro e Raquel Queirós brilharam em Guimarães

Ricardo Marinheiro e Raquel Queirós conquistaram em Guimarães, no Centro de Ciclismo do Minho (Souto Santa Maria), os títulos de Campeões Nacionais de BTT Cross Country Olímpico (XCO) na categoria de elites.

A competição foi disputada pela fina flor do BTT nacional no Centro de Ciclismo do Minho – Guimarães (Souto Santa Maria) que integra o primeiro e único circuito permanente de BTT XCO da região norte do País, localizado no Parque Desportivo de Souto Santa Maria. Homologado pela Federação Portuguesa de Ciclismo, o circuito permanente de BTT obteve reconhecimento internacional ao acolher em 2018, com assinalável êxito, a prova de Cross Country Olímpico dos Campeonatos do Mundo de Ciclismo Universitário que decorreram no distrito de Braga.
A competitividade e desportivismo, o êxito organizativo e a presença de muito público no Parque Desportivo de Souto Santa Maria, que inclui várias valências, foram tónicas que marcaram o Campeonato Nacional de BTT XCO organizado pela Associação de Ciclismo do Minho em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo, Município de Guimarães e a União das Freguesias de Souto Santa Maria, Souto São Salvador e Gondomar.

A corrida masculina de elites foi palco de um duelo intenso entre os três principais candidatos ao título. Ricardo Marinheiro (Brújula Bike Racing Team), David Rosa (Massi) e Mário Costa (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) destacaram-se da concorrência e mantiveram um animado braço-de-ferro até aos metros finais. Ricardo Marinheiro, motivado pelo objetivo de revalidar o título, arrancou já perto do fim para erguer os braços com 7 segundos de vantagem sobre David Rosa e 9 segundos relativamente a Mário Costa.

Raquel Queirós voltou a afirmar-se num patamar superior à concorrência feminina. Apesar de ser sub-23 de primeiro ano, a corredora vila-condense dominou a prova de elite, terminando isolada, com uma vantagem de 2m32s sobre Joana Monteiro (Axpo/FirsBike Team/Vila do Conde), que se viu privada do quinto título nacional consecutivo. A terceira classificada foi Melissa Maia (Korpo Activo BTT/União Desportiva Lorvanense), a 4m09s da vencedora.

Raquel Queirós juntou assim o título de Campeã Nacional de BTT XCO ao de BTT XCM, que arrecadou no final do mês de junho.

João Rocha (Rodabike/ACRG/Gondomar) é o dono do título de sub-23, tendo triunfado diante de dois corredores empenhados na época de estrada, Miguel Salgueiro (Sicasal/Constantinos), que gastou mais 42 segundos, e Hélder Gonçalves (UD Oliveirense/InOutBuild), que ficou a 1m51s.

A corrida de juniores masculinos terminou com vitória de Diogo Neves (BTT Loulé/Elevis), que deixou o segundo classificado, Tiago Coelho (Maiatos), a 17 segundos. O terceiro, a 2m00s, foi Tiago Sousa (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde). No setor feminino de juniores, Ana Santos (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) impôs-se com autoridade, deixando Daniela Campos (BTT Loulé/Elevis), a 3m14s, e Rafaela Ramalho (Maiatos), a 13m57s, nas restantes posições do pódio.

Os campeões nacionais de cadetes são João Cruz (Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde) e Sofia Gomes (Vilanovense/Coreva/Duorep), vencendo isolados as respetivas provas.

Em veteranos impuseram-se os master 30 André Filipe (CPR A-do-Barbas/AKIplast/PVS) e Raquel Marques (Axpo/FirstBike Team), os master 40 Marco Macedo (Saertex Portugal/Edaetech) e Natália Mendes (Freebike Shop/Bike Clube S. Brás), o master 50 António Sousa e o master 60 Manuel Sousa (Saertex Portugal/Edatech), único participante nesta categoria.

Tiago Craveiro foi o melhor paraciclista e a Axpo/FirstBike Team/Vila do Conde triunfou coletivamente.

 

Ricardo Marinheiro: “Estou muito feliz”

"Estou muito satisfeito por conquistar mais este título”, afirmou Ricardo Marinheiro reconhecendo saber que não seria uma corrida fácil. “Havia um grupo de 3/4 de ciclistas que estavam em condições de disputar este título. Isso veio a confirmar -se. Fui desferindo ataques na tentativa de testar os meus adversários. O David também atacou. Deu para perceber que a corrida só se iria decidir na última volta. Fui feliz nesse aspeto. Ataquei na subida e consegui distanciar-me e depois foi controlar até ao final”, descreve Ricardo Marinheiro. “Estou muito feliz por conquistar mais este título, é fruto do trabalho que tenho desenvolvido. Trabalhei muito para chegar aqui e condições de poder disputar e revalidar o título e consegui-o”, disse ainda Marinheiro.

 

Raquel Queirós: “Vencer tem sempre um sabor especial”

Raquel Queirós mostrou-se bastante satisfeita com o triunfo em Guimarães: “Vencer tem sempre um sabor especial. Conquistar o título de campeã nacional é algo extraordinário, penso que todos os atletas deveriam passar por isto para viver este sentimento”.

 

Delmino Pereira (Presidente da FPC): “Correu muito bem”

Delmino Pereira, Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, marcou presença no Campeonato Nacional de BT XCO tendo assistido de perto à luta pelo título nas provas de Sub-23 e Elites.

O Presidente da FPC começou por referir que “O Campeonato Nacional de BTT XCO decorreu da melhor forma, neste maravilhoso Centro de Ciclismo do Minho, num dia esplêndido para a prática da modalidade. Foram uns campeonatos disputados até ao fim e que tiveram, não só, muitos participantes, mas também muitas pessoas a assistir. Foi uma boa jornada de propaganda para o BTT XCO”.

Delmino Pereira salientou “as boas condições que o Centro de Ciclismo do Minho possui para a realização destas provas, quer para os ciclistas, quer para quem vem assistir. Passou-se aqui um bom dia de convívio e de provas. Os Campeões estão de parabéns, assim, como todos os participantes”.

 

José Luís Ribeiro (Presidente da ACM): “Balanço Positivo”

José Luís Ribeiro, presidente da Associação de Ciclismo do Minho, estava bastante satisfeito com a forma como decorreu mais um evento organizado pela ACM. Depois dos Campeonatos Nacionais de Estrada, que se realizaram em Melgaço, agora foi a vez de Guimarães receber o Campeonato Nacional de BTT XCO.

“Organizar os Campeonatos Nacionais de Estrada e de BTT no momento marcante e histórico da comemoração dos 120 anos da Federação Portuguesa de Ciclismo era uma responsabilidade acrescida mas estou convicto que conseguimos promover uns Campeonatos Nacionais memoráveis”, referiu José Luís Ribeiro considerando que “o balanço é muito positivo” e que a ACM “correspondeu a todas as expectativas e a elevados padrões de exigência e qualidade”. “Estamos muito satisfeitos com o trabalho que desenvolvemos e, dos pontos de vista desportivo e organizativo, o Campeonato foi um tremendo sucesso”.

O Presidente da ACM fez, contudo, questão de partilhar o êxito do evento: "O sucesso dos Nacionais de XCO não se deve apenas à ACM, alargando-se à autarquia, à união de freguesias, voluntários, colaboradores, patrocinadores, a todos os que cooperaram mas, sobretudo, àqueles que são o centro da modalidade: os atletas. Por vezes parece que algumas pessoas se esquecem que o centro do ciclismo são os atletas mas se não fosse a prestação e a entrega com que eles participaram no Campeonato não teria sido possível alcançar o êxito”, concluiu José Luís Ribeiro.

O Centro de Ciclismo do Minho - Souto Santa Maria / Guimarães (GPS: 41.519503,-8.291169), além de ser utilizado por praticantes informais de ciclismo, é regularmente escolhido por atletas de competição para a realização de treinos. Palco do Campeonato Nacional de BTT Cross Country Olímpico de 2019, o Centro de Ciclismo do Minho foi desenvolvido em parceria pela Associação de Ciclismo do Minho, Câmara Municipal de Guimarães e a União das Freguesias de Souto Santa Maria, Souto São Salvador e Gondomar, em concertação com a Federação Portuguesa de Ciclismo, compreendo trajetos em circuito de diversas dificuldades (fácil, acessível, difícil e muito difícil), procurando-se corresponder às diferentes faixas etárias dos praticantes, características, nível de desenvolvimento técnico e físico e motivações.

Fonte: ACM

“Nélson Oliveira prolonga contrato com a Movistar até 2021”

Ciclista português encontra-se na Volta à França

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista português Nélson Oliveira renovou contrato com a Movistar até 2021, anunciou esta segunda-feira a equipa espanhola, num acordo extensível a mais seis ciclistas do seu 'pelotão'.

Nélson Oliveira, de 30 anos, prolongou o vínculo por dois anos e chegará às seis épocas em representação da Movistar, equipa a que se juntou em 2016, proveniente da Lampre Mérida.

"A equipa dirigida por Eusébio Unzué confirma hoje a continuidade na próxima época de sete dos ciclistas do seu pelotão de 2019: Andrey Amador, Jorge Arcas, Héctor Carretero, Lluís Mas, Nélson Oliveira, Antonio Pedrero e José Joaquín Rojas", refere a equipa.

Na mesma nota, a Movistar explica que a renovação contratual foi feita por duas épocas, acrescentando que Amador, que tem 11 anos de Movistar, e Nélson Oliveira estão de momento a competir na Volta a França.

"Oliveira é um dos melhores contrarrelogistas do 'World Tour', com uma década de experiência a nível profissional", refere ainda a Movistar.

O ciclista português já esteve em quatro edições da 'Vuelta' -- competição em que venceu uma etapa em 2015 -, duas do 'Giro' e cumpre agora o quarto Tour.

Na carreira, Nélson Oliveira foi recentemente medalha de prata nos Jogos Europeus em Minsk, tendo também um quarto e um quinto lugares em Mundiais de contrarrelógio, em 2017 e 2018, respetivamente, e um sétimo lugar nos Jogos Olímpicos do Rio2016.

Fonte: Record on-line

“18º Bodo da Bicicletas/14 Horas a pedalar em Pombal”

Texto e fotos: José Morais

As 14 Horas a Pedalar, é sem dúvida um evento único em Portugal, este ano realizado pela 18ª vez, é uma organização do Clube de Cicloturismo de Pombal, que conta com o apoio da Câmara Municipal e Junta de Freguesia local, este ano com a particularidade, da inauguração das bicicletas partilhadas, as quais irão estar ao dispor dos munícipes, para as suas deslocações pela cidade.

As 14 horas iniciaram-se este sábado 20 de julho pelas 15 horas com o encerramento da Av. Do Ultramar, na Rotunda do Bombeiro, com um perímetro de 400, onde durante 14 horas existiram fortes pedaladas, proporcionada por mais de duas centenas e meia de amantes das bicicletas.

Ao longo da tarde foram chegando os participantes, formado 8 equipas, algumas com mais de meia centenas de participantes, que se foram instalando, e preparando mais uma edição das 14 horas.

Pelas 20 horas eram confirmadas as inscrições, com os participantes a darem as primeiras pedaladas no circuito para aquecimentos, e pelas 22 horas era da inicio ao passeio pela cidade de Pombal, onde os participantes apresentaram o evento à cidade, regressando ao circuito, e iniciando assim a longa maratona até às 12 horas de domingo dia 21.

Nesta edição, as bicicletas partilhadas também tiveram o seu momento, onde existiu um prémio especial para a equipa que mais quilómetros conseguir-se fazer nessas bicicletas, assim à meia-noite foi distribuída uma bicicleta a cada equipa, que durante toda a noite a mesmas pedalaram, e terminaram pelas 9 horas da manhã, com uma equipa a conseguir realizar mais de 230 quilómetros.

 Existiu anda durante a noite animação musical e baile com Vânia Marisa, uma arruada com as concertinas do Marquês que percorreram todo o recinto, animando a edição, com a distribuição do tradicional caldo verde pelas 2 horas da manhã.

Pelas 8 horas o momento energético, com a distribuição de bebidas energéticas a todos os participantes, seguiu-se pelas 10 o passeio domingueiro com um passeio pela cidade, os quais regressaram cerca das 11 horas, continuando a pedalar até às 12 horas, momento do final de mais uma edição das 14 horas a pedalar.

No final, foi tempo de concentrar todas as equipas, foi tempo dos agradecimentos, palavras dos Presidentes do Município e Junta de Freguesia, os quais agradeceram a presença de todos, e relembraram o interesse deste evento para todos e em especial para Pombal, seguindo a entrega de lembranças a todos, e entrega de rosas as todos os elementos femininos presentes, as quais marcaram presença em força.

Depois do almoço, o recinto ainda ficou aberto até às 17 horas, onde foram convidados os Pombalenses a utilizar aquele espaço, que denominaram de Rodinhas, destinado as crianças e todos os que quisessem utilizar como bicicletas, patins, trotinetes, hoverboards e skates.

E foi mais uma edição de grande evento, no final à nossa reportagem Armando Vieira, presidente do Clube de Cicloturismo de Pombal dizia; “O balanço foi muito positivo, apesar de termos menos uma equipa, o número de participantes foi maior, isto é uma forma de conseguirmos pedalar, de as pessoas irem buscar as suas bicicletas à prateleira, e virem para aqui participar.

Sei que muitos apenas nesta altura é que agarram na bicicleta e veem para aqui, mas também sei que alguns até compram bicicletas novas para virem pedalar, mas sobre tudo isto é a festa da bicicleta, e uma forma de juntar as pessoas, e de as mesmas conviverem de uma forma diferente.

Tudo correu bem, sem acidente, o mais importante, tivemos muita animação, e este ano em especial, a utilização de apresentação das bicicletas partilhadas adquiridas pelo município, o que veio valorizar mais esta iniciativa.

Agora, é começar a pensar na 19ª edição, criar novos incentivos, e esperar por mais um sucesso, e é tempo de agradecer a todos que apostaram em nós, e a todos os participantes, nós vamos continuar este trabalho”.

E com estas palavras do Presidente do Clube de Cicloturismo de Pombal, temos de referir o excelente evento, da forma como o mesmo decorreu e da boa organização, ainda, um agradecimento especial, como mais um ano a nossa reportagem foi recebida, obrigado, e vamo-nos vendo por ai, com os votos de bons passeios, boas pedaladas.

Podem ser visualizadas mais fotos deste evento em: