quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

“Volta a Itália convida três equipas italianas do segundo escalão”

Ao todo, o ‘Giro’ terá, de 09 a 31 de maio, 22 equipas de oito corredores cada.

O pelotão passa por San Mauricio, em Pinerolo, durante a 12.ª etapa da Volta a Itália (Créditos: Luk Benies/AFP) AFP or licensors

A organização da Volta a Itália em bicicleta anunciou hoje ter atribuído três convites a outras tantas equipas italianas, a Androni Giocattoli-Sidermec, a Bardiani-CSF Faizanè e a Vini Zabù-KTM, que se juntam às 19 equipas do WorldTour.

Ao todo, o ‘Giro’ terá, de 09 a 31 de maio, 22 equipas de oito corredores cada, partindo de Budapeste, capital da Hungria, para a primeira das três ‘grandes Voltas’ do calendário.

A RCS Sport, que organiza a ‘corsa rosa’, anunciou ainda convites para outras provas que organiza, com a Arkéa-Samsic a ser chamada para as clássicas Strade Bianche, Tirreno-Adriatico e Milão-Sanremo, enquanto a Corendon-Circus, do holandês Mathieu van der Poel, participa em duas delas, mas fica de fora no Tirreno-Adriatico.

Fonte: Sapo on-line

“Ciclista Rui Oliveira falha provas da equipa e da seleção após operação”

O ‘sprinter’ de 23 anos sofreu uma fratura na clavícula esquerda devido a uma queda e foi operado na segunda-feira.

O ciclista português Rui Oliveira vai falhar a prova de início de época na UAE Emirates, bem como a Taça do Mundo do Canadá de pista, pela seleção nacional, depois de uma operação, disse hoje à Lusa.

O ‘sprinter’ de 23 anos sofreu uma fratura na clavícula esquerda devido a uma queda e foi operado na segunda-feira, por um dos médicos da equipa, Dirk Tenner, que teve como principal ação “meter uma placa” na zona afetada.

“O médico, ao operar, viu que era algo mais complicado do que parecia, porque tinha um pouco de fragmentos [de osso], o que não é muito normal neste tipo de fraturas. Mas conseguiu colocar a placa no sítio correto, e agora passa, principalmente, por repousar”, conta à Agência Lusa o ciclista, natural de Vila Nova de Gaia.

Este contratempo altera os planos para o início da época 2020 do velocista, que tinha como plano arrancar a época na Volta à Arábia Saudita, em 04 de fevereiro, já descartada, antes de participar, depois, na Volta ao Algarve, que é agora “uma incógnita”.

Garantidas estão três semanas fora da estrada, mesmo que possa fazer algum tipo de treino leve daqui a uma semana, e “um dos principais objetivos” fica já anulado, a participação na Taça do Mundo do Canadá, em ciclismo de pista, em que Rui Oliveira queria continuar o trabalho de pontuar no ‘ranking’ de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio2020.

Ainda assim, o ciclista deixa a garantia de que a confiança em bons resultados fica com o irmão, Ivo Oliveira, e com João Matias, com quem se pode contar, diz, e por isso está “tranquilo”.

A visão positiva guia a recuperação de Rui Oliveira, que diz que “há coisas piores” e que “não será por isto que a época vai correr menos bem”, ainda que a lesão possa mudar os planos que tinha para tentar participar na Volta a Itália, para a qual está de reserva, porque queria estar “em grande forma” nas primeiras pedaladas em competição.

“Só tenho é que estar focado quando voltar a treinar e delinear novos objetivos”, atira.

Para os Mundiais de ciclismo de pista, “é difícil dizer” se poderá participar. “Tudo depende da minha recuperação. Terei as disciplinas olímpicas como objetivo [em caso de participação]. [Mas] ao chegar a essa altura, de certeza que não serei aquele que, na seleção, estará em melhor condição física”, admite.

A UAE Emirates, de resto, foi “a primeira a apoiar”, com a formação por que corre também Rui Costa e Ivo Oliveira a dar “bastante confiança” ao gaiense, que espera agora por recuperar para poder redefinir objetivos.

Fonte: Sapo on-line

“Lotto Soudal proíbe todos os elementos de ingerir álcool em 2020”

Medida aplica-se tanto a corredores como a mecânicos ou diretores

Por: Fábio Lima

Foto: Getty Images

A nova temporada de ciclismo está quase a arrancar a todo o gás e aos poucos começam a ser conhecidos alguns detalhes daquilo que as equipas de topo têm pensado para 2020. De elencos para as principais provas e apostas para cada fase da temporada, grande partes das formações já foram revelando os seus planos, mas houve uma que chamou à atenção por aquilo que decidiu comunicar como novidade para a época.

Falamos da Lotto Soudal, que decidiu instituir uma 'lei seca' a todos os elementos da equipa, proibindo que ao longo de toda a temporada sejam consumidas bebidas alcoólicas durante estágios ou provas. As únicas exceções, segundo comunicou o CEO da equipa à imprensa belga, serão mesmo os aniversários e as vitórias, que poderão ser celebradas com um (pequeno) copo de champanhe.

"Esta medida já é aplicada por muitas empresas. É uma forma de estar conjunta. Aliás, grande parte do staff considerou esta como uma boa ideia. Vamos continuar a ser uma equipa amigável, mas agora sem álcool. Beber café juntos também pode ser divertido", atirou John Lelangue, em declarações ao jornal 'Het Nieuwsblad', nas quais se escusou a revelar qual a sanção para quem for apanhado a transgredir o regulamento: "O castigo está colocado de forma clara no código de conduta, um documento que todos assinaram, mas que permanecerá para 'consumo' interno".

Fonte: Record on-line

“12ª edição do Raid BTT Lagoas de Mira”

Por: Nuno Almeida

O atleta Intercaimabike Paulo Almeida, participou no passado domingo, dia 12/01/2020, na 12ª edição do Raid BTT Lagoas de Mira, realizada em Mira, Coimbra, onde participaram cerca de 700 atletas.

O evento contou com 2 percursos, um de 35Kms e outro com 55Kms, onde a areia e a lama fizeram parte dos pisos encontrados. Os participantes também puderam contar com muitos estradões rolantes e com alguns singletracks em passadiço construídos sobre lagoas, sendo as zonas "espetáculo" da prova.

Percurso bem marcado e com o pessoal da organização nos cruzamentos, certificando-se assim da passagem dos atletas em segurança, reforços líquidos/sólidos bem distribuídos aos longo do percurso. 


Resultado do atleta INTERCAIMABIKE no final do percurso 55Kms:

Paulo Almeida - 96º lugar à geral e 31º Master 40, com 2:23h de pedalada.

Parabéns à organização Associação Cicloturista do Cabeço-Mira, agradecimentos aos apoios e patrocínios:

Fonte: Intercaimabike