quinta-feira, 27 de abril de 2017

“Ação de charme de Rui Costa antes da estreia”

Português desfaz-se em elogios a Itália, a pouco mais de uma semana do arranque no Giro

Por: Ana Paula Marques

Nada melhor que conquistar os italianos para ter deles o apoio necessário para que a estreia no Giro – começa no dia 5 de maio – decorra da melhor maneira. E nada melhor que fazer chegar a mensagem através de um dos jornais desportivos mais importantes do país, ‘La Gazzetta dello Sport’.

"Estou duplamente satisfeito pelo facto de pela primeira vez ir disputar o Giro. É uma corrida fantástica, num país muito bonito", disse Rui Costa, para depois acrescentar que é "emocionante ter a oportunidade de correr a centésima edição".

O ciclista da UAE lembra, depois, que nunca correu muitas vezes em Itália, mas quando o fez deu-se bem (foi lá que foi campeão do Mundo), para além de ter corrido vários anos numa equipa italiana, a Lampre. Há, por isso, fortes ligações aos transalpinos. "Dá-me muita satisfação correr em Itália e recebi sempre muito apoio. As recordações de Florença de 2013 permanecem e espero no Giro ter outras semelhantes."

Depois há ainda a gastronomia, a paisagem... "É um país com uma grande tradição no ciclismo e tem uma gastronomia excecional, apesar de quando estamos em competição não a poderemos saborear muito. Nas paisagens não há corrida como esta. Há uma variedade de belezas naturais e históricas, cada etapa oferece sempre joias por descobrir." Não faltaram ainda os elogios ao povo. "Os italianos são também muito carinhosos e amáveis, sei por experiência. Ajudaram-me quando estive na equipa italiana. A cultura e a vida deles não é tão diferente da dos portugueses."

Competição

Ainda que de forma leve, Rui Costa abordou o plano desportivo da sua estreia no Giro e o que o deixaria satisfeito: "Tem uma série de etapas que se podem adaptar às minhas características. Seria muito bom conseguir uma vitória. Para mim teria sabor a dobrar, porque é a minha estreia."

Fonte: Record on-line

“Parecer do Ciclaveiro sobre alguns dos actuais projectos da Autarquia”

O Ciclaveiro - Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta comunicou à autarquia aveirense o seu parecer e propostas relativamente aos seguintes actuais projectos de intervenções com elevado potencial de impacto na qualidade de vida da cidade:

Requalificação do Largo do Rossio e Praça General Humberto Delgado (Ponte-Praça)

Para além de, pelas razões já divulgadas, se manifestar contra a possibilidade proposta pela autarquia de um parque de estacionamento subterrâneo no Rossio, o Ciclaveiro defende para esta área do coração da cidade de Aveiro a retirada do tráfego motorizado formando uma zona contínua de acesso apenas aos modos activos de deslocação (a pé e em bicicleta) integrando o Rossio, a Praça do Peixe, a Praça Melo Freitas e as várias artérias que os interligam, devolvendo esta área às pessoas e potenciando o seu usufruto como espaço de vivência, com as vantagens óbvias para todos os habitantes da cidade e aqueles que a visitam assim como para o comércio local e para a própria imagem da cidade.

O Ciclaveiro defende, ainda, que a intervenção na Ponte-Praça garanta, de forma coordenada com a intervenção na Av. Dr. Lourenço Peixinho, também no âmbito do PEDUCA, a hierarquia de prioridades em que assenta a mobilidade urbana sustentável: peões - velocípedes - transportes colectivos - e, por último, veículos motorizados particulares. Deve ser privilegiada, face ao tráfego motorizado, a continuidade de percursos pedonais seguros e cómodos entre as várias ruas que confluem na Ponte-Praça, sendo sempre acauteladas as condições especiais de mobilidade de utentes como crianças, idosos e pessoas de mobilidade reduzida, e assegurada a continuidade de percursos seguros para ciclistas.

Qualificação da Rua da Pêga

A ciclovia da Rua da Pêga tem sido descurada pela autarquia e é há vários anos diariamente ocupada por automóveis estacionados em incumprimento da lei, inutilizando a sua finalidade de percurso ciclável para a qual foi projectada e construída. A Rua da Pêga é o acesso usado por um quinto dos utilizadores de bicicleta da Universidade que se prevê dupliquem com o início do projecto U-Bike já este ano.

O Ciclaveiro congratula uma intervenção de qualificação da Rua da Pêga que a dote de percursos pedonal e ciclável efectivamente apelativos, cómodos e seguros, integrados e coerentes com os restantes percursos para modos activos existentes e planeados para a cidade, fomentando dessa forma a mobilidade a pé e em bicicleta nas deslocações em Aveiro e entre o seu centro e a Universidade. Alertamos, assim, para a importância da continuidade cómoda e segura destes percursos no cruzamento do antigo pavilhão do Beira-Mar em direcção ao Alboi e à rotunda do Hospital, do tratamento adequado das intersecções da ciclovia com as vias rodoviárias (pois são estes os pontos mais perigosos para os ciclistas) tendo em atenção ambos os sentidos de tráfego de velocípedes, de que dimensões da ciclovia, distâncias a obstáculos e outras características cumpram as normas e boas práticas internacionais, e da requalificação do espaço rodoviário para velocidades ajustadas a meio urbano.

Centro Coordenador de Transportes

O Centro Coordenador de Transportes (CCT) deve ter em conta todos os modos de transporte e seus utilizadores, privilegiando a intermodalidade entre modos activos de deslocação (a pé e em bicicleta) e os transportes públicos, como é reconhecido ser uma das melhores soluções de mobilidade sustentável e há várias décadas prática comum nos países europeus mais desenvolvidos. Deve nesse sentido incluir estacionamentos para bicicleta de média e longa duração em quantidade apropriada e cumprindo os requisitos de comodidade, segurança e protecção às condições meteorológicas. Devem ser assegurados acessos fáceis a estes modos ao CCT, nomeadamente através da Av. Dr. Lourenço Peixinho, em coordenação com a intervenção planeada no âmbito do PEDUCA, e do centro da cidade.

Requalificação e construção de escolas

Relativamente às intervenção da autarquia em escolas do concelho, nomeadamente a construção da nova Escola Básica de 1º Ciclo de São Bernardo e as requalificações da Escola Básica João Afonso de Aveiro e da Escola Secundária Jaime Magalhães Lima (Esgueira), é importante que estas contribuam também para a adopção de hábitos mais saudáveis e sustentáveis pelos futuros cidadãos adultos, garantindo para isso a criação e melhoria de condições que permitam e incentivem a comunidade escolar a um maior recurso às deslocações a pé em bicicletas nas viagens diárias para a escola.

É, assim, essencial que os referidos estabelecimentos de ensino sejam dotados de estacionamentos para bicicletas protegidos das condições meteorológicas, que sejam asseguradas condições de efectiva segurança rodoviária na envolvente dos estabelecimentos, em especial junto das entradas onde deve ser dissuadido o tráfego de atravessamento e existir medidas de acalmia efectiva de velocidade. É importante que outras intervenções nas proximidades de escolas privilegiam e garantam a continuidade de percursos seguros e cómodos para as deslocações a pé e em bicicleta para as escolas.

Fonte: Ciclaveiro - Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta

“Berço Urban Race (3 horas de resistência BTT)”

Está agendada para o dia 27 de maio a realização da primeira edição da Berço Urban Race, uma resistência de 3 horas que será disputada no Centro Histórico de Guimarães. A iniciativa é promovida pela Urban Race e tem o apoio da Associação de Ciclismo do Minho.

Aberta à participação de todos os interessados (maiores de 16 anos), a iniciativa tem previstos prémios para as categorias solo, duplas e triplas, estando em disputa um "prize money" de 2500 euros.

Com início às 20h30 e duração de três horas, a Berço Urban Race decorrerá num circuito fechado em pleno Centro Histórico de Guimarães, declarado pela Unesco Património Mundial.

A inscrição tem o custo de 12,50€ por atleta e inclui a participação no evento, dorsal, reforço alimentar (líquido e sólido), seguro de acidentes pessoais, banho e lembranças. As inscrições devem ser formalizadas em www.classificacoes.net, podendo ser obtidas informações complementares em facebook.com/btturbanrace ou através do endereço de email btturbanrace@gmail.com.

A Berço Urban Race tem o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, Vitrus e Associação de Ciclismo do Minho, sendo "main sponsor" Filinto Mota e patrocinadores a Conceitos & Ambientes, Real Step, Grupo Skillmind, Drafil, Solinca, Ozone, Box PT e OpenVision.

Fonte: ACM

“Bridgestone desenvolve a próxima geração de pneus para bicicleta “Air Free”

A Bridgestone Corporation, em parceria com a Bridgestone Cycle Co., Ltd., anunciou no passado dia 17 de abril o desenvolvimento da próxima geração de pneus para bicicletas aplicando o “Air Free Concept[1]”, uma tecnologia de desenvolvimento de pneus que não precisam de ser cheios. As empresas irão financiar estudos de viabilidade de forma a disponibilizar o pneu no mercado em 2019.

O “Air Free Concept” é uma tecnologia que elimina a necessidade de enchimento dos pneus para suportar o seu peso, utilizado uma estrutura de raios que se expandem na parte interna do pneu. Além disso, as resinas utilizadas nos raios e nas borrachas permitem uma utilização mais eficiente dos recursos.

A Bridgestone Corporation e a Bridgestone Cycle adaptaram o “Air Free Concept” ao desenvolvimento de pneus de bicicleta sem furos. A resina permitiu também uma flexibilidade do design, originando ideias únicas para a próxima geração de bicicletas

A Bridgestone Group tem o objetivo de apresentar novas formas de andar de bicicleta utilizando o “Air Free Concept” ao mesmo tempo que adapta esta tecnologia para outros tipos de pneus. A empresa está comprometida em criar formas de mobilidade universais e sustentáveis.

Sobre a Bridgestone EMEA (Europe, Middle East e Africa)

A Bridgestone EMEA, com sede europeia em Bruxelas, Bélgica, é uma subsidiária regional da Bridgestone Corporation, baseada em Tóquio, líder mundial na produção de pneus e produtos de borracha. A Bridgestone EMEA opera em mais de 60 países e conta com mais de 18200 colaboradores. Na região europeia tem 14 fábricas de pneus, um centro de I & D e uma pista de testes. Os pneus premium da Bridgestone EMEA são vendidos na Europa, Médio-Oriente, Africa e em todo o mundo.

Para mais informação sobre a Bridgestone visite-nos em www.bridgestone.pt, www.bridgestonenewsroom.eu ou encontre-nos no Facebook em www.facebook.com/Bridgestone.Portugal

Fonte: Bridgestone



 

“Curso de Condução Bicicleta em Meio Urbano”

Estão abertas as inscrições para o próximo curso, a decorrer nos próximos dias 6, 13 e 20 de Maio.

A Câmara Municipal de Lisboa e a FPCUB promovem, nos próximos dias 6, 13 e 20 de Maio (sábados), mais um curso destinado a quem quer aprender a andar de bicicleta.

A ação decorre nas instalações da Escola de São Vicente de Telheiras (Rua Fernando Namora) e tem a colaboração da FPCUB – Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta.

Ensinar a andar de bicicleta é o objetivo principal desta iniciativa, levada a efeito em três sessões de duas horas e que habilita os participantes para a utilização da bicicleta em segurança. Caso os participantes não disponham de equipamento, a organização disponibiliza bicicleta e capacete, mediante indicação prévia e limitada ao stock existente.

O curso tem um custo total de €19,70, devendo para o efeito ser preenchida a ficha de inscrição a enviar para o e-mail dmevae.dsea@cm-lisboa.pt até ao próximo dia 3 de Maio, acompanhada do comprovativo de pagamento.

A idade mínima para frequentar o curso é 14 anos, sendo necessário ter altura superior a 1,55 m. Os menores de 18 anos deverão entregar documento comprovativo, assinado pelos pais ou encarregado de educação, com a autorização expressa para a frequência do curso.

Para mais informações é favor contactar a organização, através do telefone 218 172 758 ou pelo e-mail dmevae.dsea@cm-lisboa.pt

Antes de efetuar o pagamento deve confirmar a existência de vaga, ligando para o número de telefone 218 172 758.
Fonte: FPCUB

“Rui Costa lidera UAE Team Emirates na Volta a Itália”

Prova decorre de 5 a 28 de maio

Por: Rui

Foto: DR Record

Rui Costa será o líder da UAE Team Emirates na Volta a Itália, que decorre de 5 a 28 de maio, anunciou esta quinta-feira a equipa.
O português, que se transferiu no início do ano da Lampre-Mérida, chega à primeira das três grandes voltas em boa forma, evidenciada no início da época ao vencer a geral da Volta a Abu Dhabi e ao acabar em segundo a Volta a Omã.

Em declarações ao sítio oficial da prova na Internet, o povoense, de 30 anos, disse estar "duplamente feliz por participar" numa corrida que caracteriza como "fantástica e num país lindo".
"É muito entusiasmante ter a oportunidade de correr na centésima edição", acrescentou Rui Costa, que se vai estrear no 'Giro' depois de vários anos a correr a Volta a França.
Dos nove ciclistas inscritos da UAE Emirates, seis são italianos, com o 'sprinter' Sacha Modolo como maior destaque, num elenco cujo objetivo será procurar somar várias vitórias em etapa, com Rui Costa nas etapas mais exigentes e de montanha e Modolo, que venceu duas etapas da prova em 2015, para 'atacar' as chegadas ao 'sprint'.
Entre as ausências na formação dos Emirados Árabes Unidos, destaque para o italiano Diego Ulissi, que assim deverá preparar-se para liderar a equipa na Volta a França.
Rui Costa, campeão do mundo de estrada em 2013, fará a estreia na Volta a Itália e terá no pelotão, cuja lista completa de inscritos ainda não foi confirmada, a presença de José Mendes, igualmente confirmado pela Bora-Hansgrohe para a prova italiana, onde o vimaranense, de 32 anos, também participa pela primeira vez.

Fonte: Record on-line

“Volta à Romandia: Geral individual em alterações apesar da neve”

Stefan Kung, da BMC, foi o mais rápido no final da tirada, ganhando 20 segundos ao pelotão

Por: Lusa

Foto: Getty Images Sport

O suíço Stefan Kung, da BMC, ganhou esta quinta-feira a 2.ª etapa da Volta a Romandia em bicicleta, com a classificação geral individual a manter-se inalterada nos lugares cimeiros.
Numa etapa marcada pela queda de neve, Kung conseguiu chegar à meta de Bulle a par do ucraniano Andrey Grivko (Astana) e com 20 segundos de avanço sobre o pelotão, para ser o mais rápido no sprint a dois. Kung gastou 3h33m15s na ligação de 136,5 quilómetros, entre Champéry e Bulle.

O italiano Fabio Felline, da Trek-Segafredo, entrou no pelotão e mantém a camisola amarela, símbolo de líder da prova, com 8 segundos de avanço sobre espanhol Jesus Herrada, da Movistar, e o alemão Maximilian Schachmann, da Quick-Step.
Quem também entrou no pelotão foi o português José Gonçalves, da Katusha, mantendo assim o 7.º lugar, a 13 segundos do primeiro.
André Cardoso (Trek) também chegou no grupo principal, pelo que mantém o atraso de 2m21s para Felline. Beneficiando de alguns adversários terem descolado, sobiu seis lugares na geral, para 73.º.
Sexta-feira, a terceira etapa é, em princípio, pouco intensa, com quatro contagens de montanha de terceira categoria (hoje foram três) nos 187 quilómetros, com partida e chegada a Payerne.
As maiores dificuldades ficam reservadas para a tirada de sábado e para o 'crono' final, de domingo.

Fonte: Record on-line

“Volta à Romandia: Segunda etapa reduzida devido à neve”

Distância passou de 160 quilómetros para 136,5

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

A segunda etapa da Volta à Romandia, que devia começar esta quinta-feira em Champéry, Suíça, foi reduzida por causa da neve e terá partida em Aigle, anunciou a organização.
Desta forma, a segunda tirada, que teria 160 quilómetros, entre Champéry e Bulle, terá apenas 136,5 quilómetros, mantendo-se o local da meta.
Esta quarta-feira, o suíço Michael Albasini, da Orica, venceu a primeira etapa, que ligou Aigle a Champéry, na distância de 173,3 quilómetros.
O britânico Christopher Froome (Sky), o mais cotado ciclista do pelotão, mostrou estar em boa forma e cortou em quinto, na escalada de primeira categoria, com o mesmo tempo de Albasini.
O italiano Fabio Felline, da Trek-Segafredo, o mais rápido do prólogo da véspera, mantém a camisola amarela, enquanto que o português José Gonçalves (Katusha) ascendeu a sétimo da geral.
José Gonçalves, 16.º no crono da véspera, conseguiu assim entrar no top-10 da competição, sendo mesmo o mais bem posicionado da Katusha.
André Cardoso (Trek) entrou esta quinta-feira no 74.º lugar, atrasado 1.31 minutos. Na geral, está em 79.º, a 2.21.

Fonte: Record on-line