domingo, 8 de julho de 2018

“Obrigado…”

Hoje foi dia de mais uma reportagem, um grande passeio, desta vez Mafra Gare.

Hoje fui surpreendido por muitas fotos que me tiraram ao longo do passeio, o qual quero agradecer a todos as mesmas, porém, também quero agradecer a todos que mais uma vez me facilitaram o meu trabalho, afim de poder me deslocar no pelotão para tentar recolher os melhores momentos, um muito obrigado.

A finalizar, não poderia deixar de agradecer “Ao Núcleo dos Amigos do Cicloturismo de Mafra Gare” pela forma como me receberam, e a lembrança oferecida, o meu muito obrigado, e foi sem dúvida um grande prazer, mais um ano marcar presença na divulgação do vosso grande passeio.

Obrigado a todos, e boa semana.

“João Macedo conquistou o 30º Grande Prémio do Minho”

Vieira do Minho consagrou hoje João Macedo como o grande vencedor da 30ª edição do Grande Prémio do Minho.

O jovem corredor da Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense aproveitou a descida após a única contagem de montanha da terceira etapa para se isolar e rumar em solitário para a vitória da competição apadrinhada pelos internacionais portugueses Tiago Machado, José Mendes, Domingos e José Gonçalves.

Apesar de estar a 38 segundos do líder da classificação geral no arranque da tirada final, João Macedo saltou para forçar o andamento do grupo do camisola amarela, tentando desgastar o líder, uma vez que o seu colega de equipa estava com o mesmo tempo do homem do Seissa.

A fuga esteve perto de terminar quando o grupo do líder encurtou a diferença para apenas cinco segundos, só que João Macedo continuou a acreditar que conseguia vingar a escapada e levou o seu barco a bom porto, atracando a bicicleta bem no centro de Vieira do Minho, carregando consigo o tempo necessário para se guindar ao lugar mais alto da classificação geral.

As dificuldades da etapa, após aquela que foi considerara a mais dura, ocorrida no dia anterior em Melgaço, foram várias, em especial, os pequenos topos que se iam ultrapassando nos sss do Minho. As primeiras movimentações fortes ocorreram para a meta volante Controlsafe colocada na 1ª passagem pela linha de meta ao cabo de 22,2 quilómetros de corrida.

O pelotão preparou-se então para a subida ao alto de Serradela, contagem de 2ª categoria, que consagrou o campeão nacional Pedro Andrade, Vito-Feirense/Blackjack, com o pelotão a fracionar-se em dois grupos, ficando no grupo da frente os portadores das camisolas amarela CJR, verde Controlsafe, azul Arrecadações da Quintã, laranja Cision e branca Universidade do Minho.

A ascensão assumiu-se determinante com o desgaste sofrido pelos principais candidatos a notar-se na fuga que veio a coroar João Macedo.

O jovem corredor do Bombarral relegou para o segundo lugar Diogo Cardoso da Vito-Feirense/Blackjack e  Francisco Pereira do Maia Formação para o terceiro lugar da etapa.

O pódio final do 30º Grande Prémio do Minho ficou composto da seguinte forma: primeiro João Macedo, na segunda posição Pedro Pinto (Silva e Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e Diogo Barbosa (Vito-Feirense/Blackjack) ocupou o último degrau.

As camisolas em disputa foram envergadas no pódio de consagração por João Macedo, camisola amarela CJR e laranja Cision, João Afonso, camisola verde Controlsafe, Pedro Andrade, camisola azul Arrecadações da Quintã, e Pedro Silva, camisola branca Universidade do Minho.

Por equipas venceu a formação da Vila da Feira, Vito-Feirense/Blackjack, que na última etapa destronou a formação minhota do Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact, ficando o pódio completo com as formações da Sicasal/Liberty Seguros/Bombarralense e da Tensai/Sambiental/Santa Marta.

A apreciação global de todos os participantes nesta edição da “Volta ao Minho” foi unânime ao considerar uma prova dura mas bem estruturada, que permite aos jovens adquirir novas experiências em estradas exigentes como as minhotas.

O balanço da Associação de Ciclismo do Minho no final de mais uma edição não deixa margens para dúvidas de que pela frente virá mais e melhor. José Luís Ribeiro, presidente da ACM, deixou bem clara a satisfação de toda a organização.

“O 30º Grande Prémio foi um enorme êxito desportivo e organizativo, provavelmente das melhores provas nacionais e internacionais de ciclismo organizadas para o escalão de juniores. Não somos nós, Associação de Ciclismo do Minho, que o dizemos.

São as equipas, os patrocinadores e os atletas, aqueles que são a essência e o foco principal do desporto. Tivemos um pelotão de grande qualidade que proporcionou um excelente espetáculo desportivo com emoção e competitividade até ao último instante da prova. Os ciclistas são uns verdadeiros heróis que dignificaram o Grande Prémio do Minho e conferiram um brilho especial à prova e às estradas da região.

Depois da etapa de Guimarães, Melgaço e Vieira do Minho assistiram a duas etapas de elevado nível em que a beleza das paisagens também contribuiu para grandes momentos de ciclismo. Este é o momento de destacar o êxito da prova e de enaltecer, a par das equipas e atletas, todos aqueles que contribuíram para o sucesso do Grande Prémio do Minho, desde as localidades que nos acolheram (Melgaço, Vieira do Minho e União de Freguesias da Cidade – Guimarães), passando pelos patrocinadores, dirigentes e colaboradores voluntários que foram determinantes no sucesso.

É fundamental lembrar também que o desporto português é alicerçado no trabalho de dirigentes e colaboradores voluntários cujo desempenho continua a ser subestimado, persistindo as entidades governamentais, os deputados e as entidades com responsabilidades na matéria a não reconhecer esta importante função social.

O 30º Grande Prémio do Minho, organizado pela Associação de Ciclismo do Minho em parceria com a Federação Portuguesa de Ciclismo, contou com o apoio da União de Freguesias da Cidade (Guimarães), Câmara Municipal de Vieira do Minho, Câmara Municipal de Melgaço, CJR - Candido José Rodrigues (Camisola Amarela), Controlsafe(Camisola Verde), Arrecadações da Quintã (Camisola Azul), Cision (Camisola Laranja), Universidade do Minho (Camisola Branca), Centro de Estágios de Melgaço, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade , POPP Design, AFAcycles, Costa & Guerreiro – Erre Labels, Jopedois, Auto Terror, Guimarpeixe, Saúde Constante, Salvaggio, RS Bikes, Roda na Frente e  Correio do Minho.

Fonte: ACM

“TOUR/LUIS LEÓN SÁNCHEZ FRATUROU COTOVELO ESQUERDO E QUATRO COSTELAS”

Espanhol caiu a cerca de 40 quilómetros da meta

Por: Lusa

Foto: Reuters

O espanhol Luis León Sánchez (Astana) fraturou este domingo o cotovelo esquerdo e quatro costelas, numa queda durante a segunda etapa da Volta a França em bicicleta, disse o próprio à estação televisiva TVE.

A oitava participação de Sánchez no Tour terminou com uma queda, a cerca de 40 quilómetros da meta, instalada em La Roche-Sur-Yon.

O quatro vezes campeão espanhol de contrarrelógio, vencedor de quatro etapas na corrida francesa, foi transportado para um hospital, onde foram confirmadas as fraturas.

Fonte: Record on-line

“JOÃO PEREIRA SATISFEITO COM O QUE TEM”

Não acusa a pressão

Por: D.M.

Foto: Filipe Farinha

João Pereira, medalha de ouro nos recentes Jogos do Mediterrâneo, confessou estar "bastante contente" com o resultado alcançado em Tarragona (Espanha) no passado mês de junho, e demonstra ter já a cabeça no futuro... nomeadamente no ano de 2020.

Para o português, os bons resultados que tem conseguido não lhe acrescentam pressão para os Jogos Olímpicos de Tóquio. "Quando entrei para o triatlo, nunca pensei vir a ser campeão da Europa, nunca pensei que ia a uns Jogos Olímpicos (foi 5º no Rio de Janeiro), ou seja, já estou muito satisfeito com os meus resultados e consigo viver com eles. Estou a dar tudo de mim para conseguir melhores resultados, mas o que tenho já é suficiente. O que eu quero é surpreender-me mais uma vez", afirmou o triatleta do Benfica, de 30 anos, ao site do clube, referindo esperar conseguir "bastantes pontos olímpicos" na etapa do Campeonato do Mundo, que se realiza em Hamburgo (Alemanha), no próximo fim-de-semana.

Fonte:

“Tour/Peter Sagan ganha segunda etapa ao sprint e é o novo camisola amarela”

Eslovaco fica seis segundos à frente de Fernando Gaviria

Foto: Reuters

O eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe), tricampeão do mundo de ciclismo de fundo, venceu este domingo ao sprint a segunda etapa da Volta a França em bicicleta e assumiu a liderança da corrida.

Sagan somou o seu nono triunfo em etapas do Tour, impondo-se no final dos 182,5 quilómetros entre Mouilleron-Saint-Germain e La Roche-sur-Yon, ao italiano Sonny Colbrelli (Bahrain-Merida) e ao francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

O eslovaco assumiu o primeiro lugar da corrida francesa, graças às bonificações, e beneficiou da queda nos quilómetros finais do anterior líder, o colombiano Fernando Gaviria (QuickStep-Floors), que foi relegado para o segundo posto, a seis segundos de Sagan. Colbrelli segue no terceiro lugar, a 10 segundos do líder.
Na segunda-feira, o pelotão da Grande Boucle vai disputar um contrarrelógio por equipas, em Cholet, num percurso com 36,5 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“AMARO ANTUNES SOBE AO QUARTO LUGAR NA VOLTA A SIBIU”

Vitória da sua equipa no contrarrelógio

Por: Lusa

O português Amaro Antunes subiu este domingo ao quarto lugar da Volta a Sibiu, após a vitória da sua equipa, a CCC Sprandi Polkowice, no contrarrelógio por equipas da terceira etapa da corrida romena.

O corredor luso vai enfrentar este domingo os 152,8 quilómetros da quarta e última tirada, com partida e chegada em Sibiu, a 1.14 minutos do primeiro classificado, o colombiano Ivan Ramiro Sosa (Androni Giocattoli-Sidermec), que venceu a primeira etapa.

A CCC Sprandi Polkowice foi a mais rápida a concluir os 9,6 quilómetros do crono por equipas, em 11.26 minutos, menos nove segundos do que a Gazprom-Rusvelo e menos 11 do que a Elkov Author, segunda e terceiras classificadas, respetivamente.

No sábado, as condições meteorológicas adversas levaram ao cancelamento da segunda tirada da prova.

Fonte: Record on-line

“Campeonato Nacional de BMX Race/Hugo Martins campeão nacional de BMX”


Por: José Carlos Gomes

Hugo Martins (Team BMX Quarteira) venceu hoje, na pista de Vila Verde, Figueira da Foz, o Campeonato Nacional de BMX Race, na categoria masculina + de 19 anos.

Apesar de ser um corredor com idade master 40, Hugo Martins foi o mais forte na principal corrida do programa, relegando Carlos Rosado (Clube Bicross de Portimão) e André Martins (Team BMX Quarteira) para as restantes posições do pódio.

Carolina Claro (Casa do Povo de Abrunheira) foi a melhor feminina com mais de 15 anos, batendo Áurea Agostinho (Casa do Povo de Abrunheira) e Mónica Gaboleiro, segunda e terceira, respetivamente.

Gonçalo Rodrigues (Club Bicross Geneve) chegou da Bélgica, viu e venceu em juniores, conquistando o título nesta categoria, diante de Marco Albano (Clube Bicross de Portimão) e de Rafael Silva (Team BMX Quarteira).

André Ribeiro (Núcleo Bicross de Setúbal/Knowledge Inside/Niodo) ganhou a competição em cadetes, João Fidalgo (Algés BMX Race) impôs-se em masters e também na prova de cruisers.

O Team BMX de Quarteira venceu coletivamente.

Fonte: FPC

“32.º Circuito ciclista Maceirinha”

A equipa de ciclismo riomaiorense ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic deslocou-se hoje, 7 de Julho, à localidade de Maceirinha, onde participou no 32.º circuito ciclista daquela freguesia do concelho de Leiria.

O circuito foi composto por 40 voltas de 1,5km, perfazendo um total de 60 km e no qual participaram cerca de 80 atleta, de diversas equipas e ciclistas individuais,

A ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic participou nesta competição com 10 atletas (Luís Vicente, Rui Rodrigues, Humberto Careca, Jorge Letras, João Portela, João Letras, Claudio Paulinho, Anibal Santo, Hugo Feijão e Carlos Ochoa).

A Corrida iniciou em ritmo elevado e com várias tentativas de fuga, tendo à passagem da 10ª volta vingado uma fuga de 6 atletas, onde entretanto se viriam a juntar mais 5 atletas.

Esta fuga interessava a ASFIC, pois era composta com 4 atletas da equipa (João Letras, Rui Rodrigues, João Portela e Hugo Feijão e por isso assumiram a maior parte das despesas da fuga, a qual ganhou uma vantagem de enorme sob o pelotão, e onde estavam os restantes atletas da equipa a tentar controlar o mesmo.

A 15 voltas do final a ASFIC decidiu mexer na corrida. João letras atacou no grupo de fugitivos, onde levou consigo outro atleta, mas só o João Letras assumiu as despesas dessa fuga, o outro atleta apenas o controlava.

João Letras e o seu colega de fuga, foram alcançados pelos restantes 9 colegas de fuga, na última volta, altura em que dobravam o pelotão.

A chegada viria a ser ao sprint entre os 11 atletas, tendo João Letras conseguido impor-se aos seus adversários, cortando a meta em 1º Lugar. Logo atrás, em 3º e 4º lugar, chegou Rui Rodrigues e João Portela.

A ASFIC ganhou também coletivamente a corrida, e o prémio do ciclista que com o maior número de voltas a passar a meta na frente.

Hoje a ASFIC conseguiu impor-se perante os seus adversários, tendo toda a equipa desempenhado o seu papel eximiamente e contribuído de forma altiva para a vitória final da equipa, individualmente e coletivamente.

A ASFIC agradece a todos os patrocinadores em geral

Fonte: ASFIC - GRUPO PARAPEDRA /DINAZOO / RIOMAGIC

“Equipa Portugal/Ricardo Marinheiro 58.º em Val di Sole”

Por: José Carlos Gomes

O português Ricardo Marinheiro foi o 58.º classificado na etapa da Taça do Mundo de Cross Country Olímpico (XCO), hoje realizada em Val di Sole, Itália.

Ricardo Marinheiro, único representante da Equipa Portugal na prova de elite masculina, ganhou mais de vinte posições face ao lugar em que partiu, sendo o 58.º a cortar a meta, com mais 8m16s do que o suíço Nino Schurter, vencedor da corrida. O segundo foi o italiano Gerhard Kerschbaumer, a 6 segundos, e o holandês Mathieu van der Poel foi o terceiro, a 1m09s. Mário Costa competiu pela Brujula Bike Racing Team, acabando em 85.º, a uma volta do primeiro.

O melhor corredor nacional entre os sub-23 foi João Rocha, 67.º classificado, a 8m29s do vencedor, o norueguês Petter Fagerhaug. O pódio completou-se com o francês Joshua Dubau, segundo, a 18 segundos, e com o romeno Vlad Dascalu, terceiro, a 20 segundos. Bruno Silva também competiu nesta corrida, sendo o 88.º classificado, a uma volta do primeiro.

Marta Branco representou a Equipa Portugal na prova feminina de sub-23, acabando a corrida na 41.ª posição, a 11m54s da suíça Sina Frei, que triunfou isolada, com 26 segundos de vantagem sobre a britânica Evie Richards e com 1m47s sobre a dinamarquesa Malene Degn, que ocuparam os postos imediatos.

“O Ricardo Marinheiro fez o melhor resultado pessoal de sempre em Taças do Mundo de elite. Os sub-23 masculinos não mostraram grande evolução face às corridas anteriores. A Marta Branco esteve muito bem, conseguindo já um objetivo que só se esperava no final da temporada, ou seja, terminou na volta da vencedora”, explica o selecionar nacional de BTT, Pedro Vigário.

Joana Monteiro, com as cores da Brujula Bike Racing Team, participou na prova de elite feminina. Terminou na 61.ª posição, a duas voltas da vencedora, a polaca Maja Wloszczowska. A segunda classificada foi a canadense Emily Batty, a 9 segundos, e a terceira foi a helvética Jolanda Neff, a 30 segundos.

Marta Branco, Bruno Silva, João Rocha e Ricardo Marinheiro vão passar a próxima semana ao serviço da Equipa Portugal, competindo, no domingo, na etapa da Taça do Mundo de XCO que vai realizar-se em Vallnord, Andorra.

Fonte: FPC

“Galeria Multimédia” divulgação das Fotos do “10º Passeio Mafra Gare.2018”

Já estão on-line na “Galeria Multimédia”, “10º Passeio Mafra Gare.2018” realizado este domingo em Mafra Gare, as mesmas podem ser visualizadas em: https://photos.google.com/share/AF1QipMr3O9mpD62NnV6SMqjfipZqu05Qwim70DxCO5T5p8X_XDFX7LL82xoQhgQKbnDFg?key=RktqS1dVTXB2eURMM2NfZ0dXRDNjYUZsdnFaY0hn

“10º Passeio Mafra Gare”

Um passeio cheio de muita animação e convívio

Texto e fotos: José Morais

Quem já não ouviu já falar de Mafra, e o seu tão afamado pão, ou o seu Palácio Nacional, é um concelho onde se podem encontrar sem dúvida várias belezas, as suas praias, a célebre Tapada Nacional, o Jardim do Cerco, a Reserva Mundial do Surf, entre muitas outras belezas, que se podem encontrar por este belo concelho.

E foi por Mafra que se realizou o passeio deste domingo 8 de julho, mais propriamente em Mafra Gare, onde o Núcleo Amigos do Cicloturismo Mafra Gare, levou para a estrada o seu 10 passeio, um evento do calendário da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicletas (FPCUB).

Bem cedo começaram a chegar os participantes ao local da concentração, depois de confirmadas as inscrições, ter sido servido pão de Mafra com chouriço aos participantes, dois dedos de conversa, pelas 9 horas tudo estava a postos para dar início ao evento, sendo dada a partida aos cerca de 170 amantes da bicicleta que marcaram presença.

Cerca de 50 quilómetros esperavam os participantes, num trajeto de média dificuldade, com altos e baixo, propicio da zona acidentada onde o concelho de Mafra se localiza, mas sendo superado por todos aos participantes, com a equipa da casa a manter a velocidade, conseguindo assim, que o pelotão estivesse sempre praticamente compacto.

O postal ilustrado:

O Núcleo Amigos do Cicloturismo Mafra Gare, é um dos grupos regulares nos eventos, apesar de ainda não ter um grande historial de muitos anos, as dez organizações realizadas, tem de ano para ano vindo a melhorar, e ter de ano para ano, cada vez mais participantes, este ano superou as edições anteriores, e muitos dos cicloturistas e grupos presentes, tem marcado presença desde a primeira edição, o que vem assim valorizar mais e melhor o passeio com novos participantes.

Temos de reconhecer, a forma como conduzem o passeio ao longo do trajeto, num sobe e desce, onde conseguem manter praticamente o pelotão completo, algo muitas vezes difícil de conseguir em alguns passeios.

Sabem receber, tanto antes, durante, como após o passeio, o que é sempre um excelente cartão-de-visita, e que as pessoas muito apreciam, não esquecendo que no final, tem existido sempre um excelente almoço convívio, que tarde dentro, cicloturistas e acompanhantes, se divertem, e relembram os bons momentos passados, saboreando o tradicional porco no espeto, e o suculento arroz de feijão que faz a delícia de todos, não esquecendo a muitas sobremesas, feitas por um longo staff que apoia o evento anualmente.

Para Vítor Amado, responsável pelo Núcleo Amigos do Cicloturismo Mafra Gare, dizia no final há nossa reportagem; “ O balanço deste evento foi sem dúvida muito positivo, cerca de 170 participantes, um staff de 40 pessoas que trabalharam para este passeio, para que o mesmo se pudesse realizar, e que nós agradecemos bastante, são incansáveis, e que ano a pós anos são as mesmas caras, e a mesma vontade de colaborar connosco.

Agradecemos os apoios dados, pela União de Freguesias de Igreja Noca e Cheleiros, a qual não se poupou ao esforço de que este evento estivesse na estrada, e o comércio local que é sempre muito importante e apoia bastante, em espacial o Café Fernando que nos últimos anos tem sido um apoio fundamental, e desde o primeiro passeio, anualmente oferece o pão para o passeio.

Como sempre isto é uma luta, da sempre muito trabalho, mas fica-nos a satisfação do dever cumprido. Quero deixar como mensagem a todos os que aqui marcaram presença, o nosso muito obrigado por marcarem presença, que proporcionaram este belíssimo convívio, que é o cicloturismo, que é o diálogo, a brincadeira, o respeito, o lazer, tudo isto é muito bom, é ótimo para o cicloturismo”

E estas as palavras da organização, a qual está de parabéns pela excelente organização que proporcionou a todos, num evento que teve o apoio fundamental da União de Freguesias de Igreja Noca e Cheleiros, comércio local, e muitos anónimos que apoiaram e colaboraram com este evento, não podemos deixar de referenciar ainda do apoio do Grupo de Motares de Mafra, o excelente trabalho feito pelos batedores da Brigada de Trânsito da GNR, e dos bombeiros voluntários de Mafra, não podemos ainda de referenciar a boa colaboração de todos os que pedalaram nesta 10ª edição de Mafra Gare.

Da nossa parte ficam os parabéns á organização, um agradecimento ainda pela forma como nos receberam, esperando podermos marcar presença em 2019 na 11ª edição, até lá ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas.

E para finalizar, aqui fica um pouco da bela história da estação de Mafra Gare, com uns azulejos sem dúvida maravilhosos.

A estação de Mafra Gare é um interface, situa-se no troço entre Agualva - Cacém e Torres Vedras, sendo aberto à exploração em 21 de Maio de 1887, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses, é uma bonita estação ferroviária, e o edifício da mesma, está revestido de lindos azulejos, produzidos pela Fábrica de Loiça de Sacavém, em 1934.

O apeadeiro é servido por todos os comboios do tramo sul da Linha do Oeste, todos eles de tipologia regional. É servida por oito comboios diários por sentido, três dos quais com início em Lisboa-Santa Apolónia e término em Leiria (vice-versa), o primeiro comboio em sentido Lisboa inicia em Torres Vedras, bem como aí termina o último no sentido Figueira da Foz.