segunda-feira, 4 de setembro de 2017

“Chris Froome pré-selecionado para os Mundiais”

Mark Cavendish está incluído na lista e de regresso à competição

Por: Lusa

Foto: EPA

Chris Froome foi esta segunda-feira incluído na lista dos pré-selecionados britânicos para participar nos Campeonatos do Mundo de ciclismo de estrada, que se vão realizar na Noruega entre 17 a 24 de setembro.

O atual líder da Volta a Espanha está designado para o contrarrelógio individual e deve abdicar da corrida de fundo, que se vai desenrolar num percurso que não lhe convém.

A lista da Grã-Bretanha, composta por 13 ciclistas, inclui o ex-campeão mundial Mark Cavendish, que acabou de regressar à competição após a queda na Volta a França de que resultou uma fratura na clavícula direita.

"Reunimos uma longa lista de ciclistas talentosos a partir dos quais selecionaremos a equipa final para os campeonatos do mundo", disse o treinador britânico, Iain Dyer.

Fonte: Record on-line

“ASFIC apática, teve um dia não em Avelar”

A equipa de ciclismo ASFIC – Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic, deslocou-se ontem, 3 de Setembro, à localidade de Avelar, Concelho de Ansião, para participar no circuito de ciclismo daquela localidade, a antepenúltima prova oficial do calendário da Federação de Ciclismo de Santarém.

A ASFIC Grupo Parapedra / Dinazoo / Riomagic apresentou-se neste circuito com apenas 6 dos seus ciclistas, Rui Rodrigues, João Portela, Luis Vicente, Humberto Careca, Hugo Feijão e Aníbal Santo.

O circuito foi composto por 30 voltas de 1,3km, perfazendo um total de 40 km.

Sensivelmente à 15.ª volta, deu-se uma fuga de 6 ciclistas, onde estava 1 atleta da ASFIC (Humberto Careca).

No pelotão, Rui Rodrigues furou a 4 voltas do fim, o que fez com que perdesse o contato com o pelotão, não vindo a recuperar até ao fim.

A fuga veria a chegar ao fim, tendo os 6 atletas discutido a vitória ao sprint, onde Humberto Careca obteve o 6º lugar e na chegada do pelotão, João Portela cortou a meta em 9º Lugar.

Humberto Careca, obteve o 2º lugar no seu escalão.

A Asfic-Grupo Parapedra/Dinazoo/Riomagic, conseguiu o 3º lugar por equipas.

Decididamente, hoje não era um dia da ASFIC, pois além de ter em falta 3 atletas, Rui Rodrigues furou já perto do fim, e a própria equipa não conseguiu estar na corrida da maneira como queria.

Por ultimo, queremos agradecer aos nossos patrocinadores, que sem eles, não seria possível olhar o futuro com ambição e determinação, tendo neste momento garantidos 3 novos reforços para 2018, estando a uma semana do final da época 2017, época esta, que decorreu com muitos sobressaltos e imprevistos, o que levou a não poder conquistar todos os objetivos, mas pretendemos lutar e propor os mesmos objetivos para 2018.

Fonte: ASFIC

“Taça de Portugal de Enduro”

Maia fechou a Taça em festa

Vencedores da Taça de Portugal de Enduro encerraram contas. Madeirense Emanuel Pombo venceu na categoria de Elite

 A Taça de Portugal de Enduro finalizou, este domingo, na Maia, na disputa da quinta e última prova pontuável para o troféu. José Borges, do Enduro BTT Braga, voltou uma vez a mais a demonstrar-se superior aos adversários batendo o madeirense Emanuel Pombo, do Ciclo Madeira Clube Desportivo após cumprir as cinco provas especiais classificativas com menos de 36 segundos no somatório dos tempos parciais. A terceira posição da Elite ficou entregue a José Oliveira, do Enduro BTT de Braga.

O triunfo do campeão nacional na categoria em três provas das cinco pontuáveis - sempre que esteve classificado, José Borges foi o primeiro - não serviu, no entanto, para conquistar a Taça de Portugal de Enduro dado que o madeirense Emanuel Pombo, com duas vitórias e pontos somados em todas as corridas foi o mais regular.

No ranking final da Taça de Portugal de Enduro, na categoria de Elites, Emanuel Pombo somou 850 pontos, contra 600 de José Borges. João Rodrigues, da Casa do Povo da Abrunheira, foi o terceiro classificado, com 575 pontos.

Nas restantes categorias, grande parte dos vencedores da Maia celebraram igualmente a conquista da Taça de Portugal. Nos cadetes, João Ferreira, do Penacova DH / U.D. Lorvanense, somou na Maia a terceira vitória em sucessão, garantindo o troféu da Taça na sua categoria. Nos cadetes femininos, Rafaela Ramalho foi a mais rápida na Maia. Nos juniores, Nuno Silvestre, do BTT Team S.U.Colarense/CSTreino/Loja Poupe, venceu a prova maiata e somou os pontos necessários para vencer a Taça de Portugal. Na categoria feminina de Mais de 17 anos, Ana Leite, do Enduro BTT de Braga, surge como a grande dominadora do Troféu somando 920 pontos mas, na Maia, foi Leandra Gomes (Batotas/Ponte de Lima) quem venceu a quinta e última prova.

Entre os Masters das respetivas categorias etárias sagraram-se vencedores na Maia e, por acréscimo, vencedores da Taça de Portugal de Enduro da respetiva categoria os seguintes atletas: Vasco Correia (Penacova DH / U.D. Lorvanense) em Masters 40; José Salgueiro (MCF / Xdream / Município de São Brás) em Masters 50. Nos Masters 30, Lino Correia (Vasconha BTT Vouzela) venceu o troféu mas não somou qualquer ponto na Maia, cabendo a vitória parcial na etapa nortenha a João Gomes.

Fonte: FPC

“Vuelta/Serra Nevada confirma trepador Ángel López, Froome e Sky controlam a Vuelta”

Segunda-feira não há etapa, já que se cumpre o segundo e último dia de descanso.

A 15.º etapa da 'Vuelta', em plena Serra Nevada, foi para o jovem colombiano Miguel Ángel López (Astana), já vencedor de uma tirada nesta edição, mostrar que é um dos homens do futuro do ciclismo.

Quanto ao presente, é seguramente do britânico Chris Froome (Sky), que mesmo a fazer uma etapa 'à defesa', muito bem defendido pelos colegas Mikel Nieve e Wout Poels, acabou por aumentar um pouco mais a vantagem da camisola vermelha para o segundo, o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain).

A etapa, entre Alcalà La Real e a Serra Nevada, era longa de 129,4 quilómetros e tinha muitos quilómetros de montanha, ainda que sem rampas acentuadas, representando um desafio à resistência, de que se saíram bem quase todos os melhores do pelotão.

O inglês Adam Yates (Orica-Scott) andou muito tempo isolado, em fuga, e só perdeu o destaque a seis quilómetros da meta com o contra-ataque de Miguel Ángel López, na escalada para o topo do Alto de Hoya de La Mora.

Quando foi apanhado, Yates 'estoirou' por completo, enquanto López manteve um ritmo certo, sem perder tempo para o grupo de Froome, vencendo em 3:34.51 horas.

Aos 23 anos, López confirma ser um excelente trepador e todos lhe auguram um futuro excecional no ciclismo. Na 'Vuelta', lidera a classificação da juventude e segue em sexto na geral, a menos de um minuto do pódio.

A terceiro subiu o russo Ilnur Zakarin (Katusha), que hoje fez segundo na etapa, depois de um ataque bem sucedido nos dois últimos quilómetros. Zakarin chegou 36 segundos depois do trepador da Astana, mas nove à frente do holandês Wilco Keldermans, da Sunwebb, com quem mantém uma luta direta pelo último lugar do pódio.

Na geral, Froome aumenta para 1.01 minutos a vantagem sobre Nibali, ciclista que hoje tentou, sem sucesso, fugir ao grupo. A reação de Nieve e Poels tirou-lhe todas as ideias.

Zakarin sobe a terceiro, a 2.08 minutos, e Kelderman desce a quarto, a 2.11. Não muito distantes, estão Johan Esteban Chaves (Orica), a 2.39, e López, a 2.51, dois colombianos que poderão reaparecer na montanha que ainda falta, nomeadamente na escalada do Angliru, no sábado.

Quando Yates ia em fuga, no grupo perseguidor em que estava López encontravam-se também o francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale), o holandês Steven Kruijswijk (LottoNL-Jumbo) e o espanhol Alberto Contador (Trek-Segafredo).

Naquela que é a sua última 'Vuelta', Contador voltou a estar combativo, atacou e fez por ganhar tempo. Não o conseguiu e acabou por ceder mais alguns segundos a Froome, permanecendo em nono da geral, a quase quatro minutos.

O português Nélson Oliveira (Movistar) andou em fuga, na parte inicial da etapa, após o que foi descendo bastante na classificação, para ser 78.º, a 21.46 minutos.

Na luta pelo estatuto de melhor luso - menos de um minuto os separavam -, ganhou tempo a Rui Costa (UAE), 85.º a 26.09 minutos.

Oliveira é agora o melhor português, em 38.º (a 1:16.09 horas), enquanto Rui Costa está em 40.º (a 1:19.49).

O melhor ciclista nacional na etapa, no entanto, foi Ricardo Vilela (Manzana Postobon), que acabou em 28.º, a 15,21 minutos. Subiu na geral a 47.º, a 1:40.20 horas.

Também em prova, continua Rafael Reis (Caja Rural) - 147.º no dia, a 30.38 minutos, e 137.º na geral, a 3:15.36 horas.

Segunda-feira não há etapa, já que se cumpre o segundo e último dia de descanso.

Fonte: Sapo on-line