terça-feira, 9 de agosto de 2016

“10 ANOS DO CARAMULO MOTORFESTIVAL COMEMORADO COM MUITAS NOVIDADES”

Por: Patrícia Henriques

Glamping regressa ao Caramulo Motorfestival – campismo com glamour

Confirmados mais dois nomes do automobilismo: Nicha Cabral e Rafael Lobato

Drift Show e Monster Truck Show em mostra de perícia na Rampa do Caramulo

Concurso de Fotografia – 10 Anos do Caramulo Motorfestival

Nova exposição “BMW – 100 Anos em Movimento” aberta em horário alargado no Museu do Caramulo durante os dias do festival

Com o Caramulo Motorfestival cada vez mais próximo, a organização do evento preparou um conjunto de novidades que ninguém vai querer perder!

O Glamping estará de regresso, uma alternativa de alojamento temporário caracterizado pelo glamour e sustentabilidade. Presente pela primeira vez na edição do ano passado, o acampamento foi um sucesso e este ano não podia deixar de marcar presença. A Sleep’Em’All, empresa responsável pelo glamping do Caramulo Motorfestival, coloca ao dispor as mais variadas tipologias de alojamento, como as tendas Teepees, as Quibi’s, as Bell Tent, as Lotus Tent e as Yurt. Em todas elas, o conforto e originalidade são garantidos. Para saber mais informações e fazer a sua reserva pode consultar a área Visite, no site oficial do evento em www.caramulo-motorfestvial.com ou directamente no link http://www.sleep-em-all.com/pt/eventos/caramulo-motorfestival.

De regresso aos palcos do Caramulo Motorfestival estará o veterano “Nicha” Cabral. Aquele que ficou para história como o primeiro piloto português a participar em corridas de F1 e o mais internacional dos pilotos portugueses, subirá a rampa do Caramulo em Porsche 356. Também

Rafael Lobato, o jovem piloto português que tem dado que falar no desporto automóvel, marcará presença no evento. Tendo feito a sua estreia em karting, em 2006, com apenas 8 anos de idade, encontra-se actualmente a competir na equipa de Pedro Salvador, a Speedy Motorsport, no Campeonato Nacional de Velocidade, sagrando-se vice-campeão nacional na última temporada.

Para apimentar a festa, e fazendo as delícias dos amantes da velocidade e perícia, o Caramulo Motorfestival receberá, pela primeira vez, o Monster Truck Show. O público poderá desfrutar da exibição do gigante pela rampa acima, colocando à prova a destreza no mítico traçado do Caramulo. Em estreia absoluta no festival, estará o Drift Show, pelas mãos de Carlos Pacheco, especialista da modalidade e que tem levado ao rubro os espectadores do automobilismo.

Fazendo o convite aos visitantes do Caramulo Motorfestival para que participem activamente no evento, o Museu do Caramulo lançou o Concurso de Fotografia – 10 Anos do Caramulo Motorfestival, desafiando todos os visitantes das edições anteriores a participarem no concurso partilhando as suas fotografias, tiradas nos 10 anos passados do festival. As melhores fotos terão lugar de destaque no site oficial do evento, no Facebook do Museu do Caramulo e no próprio Museu do Caramulo, podendo ser vistas em exposição durante o fim-de-semana do evento. As normas de participação no concurso de fotografia podem ser consultadas online no link https://www.facebook.com/events/856253401146684/.

Também em exposição no Museu do Caramulo, os visitantes terão ao seu dispor a exposição temporária “BMW – 100 Anos em Movimento”, comemorativa dos 100 anos da marca alemã, que pretende dar a conhecer os principais marcos da sua história. A exposição pode ser visitada em horário alargado nos três dias do evento. No exterior, destaque para os passeios dos clubes oficiais da marca – BMW Auto Clube de Portugal e BMW M Clube de Portugal – que marcarão presença no domingo, último dia do evento.

Ao longo de todo o fim-de-semana, a programação será variada e dirigida tanto ao aficionados como ao público generalista, colocando o dispor dos visitantes um conjunto de actividades que vão desde a visita às colecções do Museu do Caramulo, às actividades radicais no recinto do evento, passando pela Rampa Histórica do Caramulo, a Feira de Automobilia, Concentrações de clubes, Passeios e Ralis Históricos, o parque infantil, entre outros atractivos.

Este evento conta com o apoio do Museu do Caramulo, Câmara Municipal de Tondela, rádio M80, RTP, Jornal dos Clássicos e Banco BPI.

Fonte: Museu Caramulo/Parceria Notícias do Pedal

“Angola/Paulo Silva vence GP Congele”

Foto: PEDRO PARENTE

O atleta da Jair Transportes venceu a prova na classe de Master 30, participaram na corrida 30 atletas.

O atleta Paulo Silva, da equipa Jair Transportes, venceu domingo, em Benguela, o grande prémio Congele em ciclismo, na classe de Master 30, com o tempo de 1.11.57 segundos.

Nos lugares imediatos seguiram-se Elutério Cardoso (Jair transportes) com o tempo de 1.12.43 segundos, e Edilson Castro (Hotel Luso), na terceira posição com o tempo 1.15.23, respetivamente.

Na categoria de Master 40, Olegário Correia (Jair transportes) foi o grande vencedor ao cronometrar 1.11.57, enquanto José Borges e Claudio Manso (ambos da Jair transportes) ocuparam o segundo e terceiro lugares, respetivamente.
Na ocasião, o vencedor Paulo Silva adiantou ter sido uma prova bastante difícil, e que foi possível vencer devido o trabalho realizado durante a semana.

O realizador do evento, Miguel Paim, considerou a prova bastante competitiva, uma vez que os atletas estiveram ao mais alto nível, na qual venceu quem foi mais estratega.

Miguel Paim anunciou que o grupo Congele vai continuar a promover a modalidade, no sentido de incentivar os jovens e não só às boas práticas desportivas.

O presidente da associação de ciclismo em Benguela, Fernando Furtado, enalteceu a iniciativa da organização, defendendo que eventos de género devem continuar para consagrar cada vez mais o ciclismo nas terras de Ombaka.

Participaram na corrida 30 atletas de várias equipas da província de Benguela, dos 50 previstos.

Fonte: SAPO Desporto c/ Angop

“Rui Vinhas não acreditava na vitória na Volta”

Ciclista da W52-FC Porto admitiu que só durante a prova é que começou a pensar em ganhar, mas que faria tudo pelos colegas.

Foto: NUNO VEIGA / LUSA

Rui Vinhas ganhou a 76ª edição da Volta a Portugal e afirmou que não esperava conseguir o sucesso na prova. Em entrevista ao jornal ‘Record’, o ciclista da equipa do W52-FC Porto revelou que ficou surpreendido com a prova que fez e realçou que ainda não está ciente da vitória a 100%.

"Isto é uma questão de acreditar. Se o meu diretor me dissesse antes que eu ia disputar a Volta, eu respondia-lhe que não era capaz. Começo a assimilar que ganhei. O Ricardo Mestre já me tinha dito que só três ou quatro dias depois é que se dá conta do que isso significava".

No rescaldo da festa em sua honra no Porto, o ciclista da W52-FC Porto adiantou ainda que mais do que um vencedor é um jogador de equipa. Apesar de ter estado durante muito tempo com a camisola amarela, Rui Vinhas garante que, se lhe tivesse pedido, ele teria esperado por qualquer colega, mesmo se colocasse em risco a camisola amarela.

"Nunca me passou pela ideia. Mas se tivesse ordens para puxar ou esperar por alguém mesmo estando de amarelo iria fazê-lo. Sou respeitador e cumpro com aquilo que me pedem. Dou o melhor por qualquer colega. Respeitei o Gustavo, mas a opção de ter os dois até ao final pareceu me ser uma boa tática".

Depois de se ter sagrado campeão da 76ª edição da Volta a Portugal, Rui Vinhas foi recebido em festa por centenas de pessoas. O ciclista da W52-FC Porto deu o título aos ‘dragões’ em ano de regresso à competição portuguesa.

Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“W52-FC Porto aponta à 2.ª divisão”

Vencedores da Volta a Portugal querem subir de escalão

Foto: LUSA

Depois de mais uma Volta a Portugal, a quarta, conquistada pela equipa sediada no Sobrado, Nuno Ribeiro admite que há desejo de voos mais altos, nomeadamente a subida de escalão. "Com o FC Porto [o acordo prevê uma ligação por mais quatro anos], esta época, demos mais um passo e, se calhar, no fim do ano, podemos dar mais um passo", referiu à Lusa o diretor-desportivo da W52-FC Porto.

Atualmente, as seis equipas portuguesas estão no mais baixo patamar da UCI, o continental, sendo que a 2ª divisão é o Continental Profissional, que pode abrir portas à participação em corridas do World Tour e até as de três semanas, como a Vuelta. "Há abertura de toda a gente. É preciso orçamento", sublinhou o antigo ciclista, também ele um vencedor da corrida rainha, em 2003, e tal como Rui Vinhas, igualmente natural do Sobrado, onde há muitos apaixonados pela bicicleta. "É uma terra pequena, mas as pessoas têm muita paixão pelo ciclismo e são muito unidas. Estas vitórias ajudam a manter essa paixão junto dos mais novos." Mas enquanto o sonho de uma escola de ciclismo na sua terra não é uma realidade, Nuno Ribeiro já pensa em 2017, afirmando que "o objetivo é continuar com a equipa toda".

Fonte: Record on-line

“Rui Vinhas desperta para uma nova vida”

O 'day after' após a vitória na Volta ficou marcado pelas emoções

Por: José Santos

Foto: Simão Freitas

O primeiro dia da nova vida de Rui Vinhas ainda estava marcado pelas emoções. O vencedor da 78ª edição da Volta a Portugal partilhou os momentos vividos no dia seguinte à festa que só acabou de madrugada em Sobrado, Valongo, a sua terra natal. A manhã de ontem acabou por ser partilhada com um familiar muito especial, o avô. "Quando cortei a meta em Lisboa ele desfez-se em lágrimas e hoje [ontem] foi a primeira pessoa que visitei, pelo sentimento que nos une. O meu avô tem uma saúde debilitada, já está com uma idade avançada e, por isso, quis partilhar a alegria com ele", referiu o campeão, que está a viver o ano dos seus sonhos.

Um acaba de ser concretizado, outro já quase. "Esta vitória é muito importante para mim, mas em setembro vou ser pai e essa será, sem dúvida, uma ainda mais especial", disse emocionado o ciclista da W52-FC Porto. "Se o Pedro terá à espera uma minicamisola amarela? As minhas camisolas são todas minis porque sou magro e pequeno", frisou, por entre sorrisos, o novo herói de Sobrado.

Rui Vinhas falou com os jornalistas após poucas horas dormidas, mas a adrenalina sentida depois de ter cortado a meta em Lisboa ainda se mantém no discurso. "Sinceramente só acreditei que seria campeão depois de ter terminado o contrarrelógio. Quando faltavam 4 km para o final disseram-me que estava ganho, mas, ao mesmo tempo, pediram-me para dar o máximo e confiei na informação, desconfiando. Sabia que tinha 1.40 minutos para gerir, mas quando passei a linha da meta não festejei. Só o fiz depois de perceber o estado em que estava o Gustavo Veloso e de o massagista da equipa me endereçar os parabéns. Aí, caí na realidade e acreditei que tinha sido o vencedor. Depois emocionei-me e acabei por chorar."


NA PRIMEIRA PESSOA

"O Gustavo é um pai para nós"

"Vi o Gustavo naquela situação e custou-me. Se fosse ao contrário também poderia ter reagido assim. Foi doloroso para ele por ser o meu chefe de fila e é como se fosse um pai para nós. Nunca houve stress e sempre me apoiou. Nas piores etapas, esteve preocupado com a minha posição e, por isso, também tenho que lhe agradecer esta vitória."

"Não esquecerei a Srª da Graça"

"As estradas no norte estavam mais vivas este ano, com muita gente a gritar pelo FC Porto. Mas subir a Senhora da Graça foi especial, porque nunca vi tantas pessoas como este ano a gritarem pelo clube e pelo meu nome por estar de amarelo. Foi uma imagem que nunca irei esquecer."

"Pinto da Costa incentivou-nos"

"Agradeci ao presidente ter feito regressar o ciclismo ao clube. É uma pessoa respeitada, incentivou-nos bastante e as palavras dele deram-me ainda mais responsabilidade na Volta. Foi excelente o regresso do FC Porto à modalidade, como também foi importante a presença do Sporting. Agora só falta mesmo o Benfica regressar ao ciclismo."

 

Fonte: Record On-line

“LA quer ficar e tem vários cenários”

Saída de Mário Rocha não muda vontade

Foto: epa

Luís Almeida, patrão da empresa LA Alumínios, copatrocinador da equipa de Paredes, disse compreender a decisão de Mário Rocha, esclarecendo no entanto que é sua intenção continuar no ciclismo onde está há vários anos. "A nossa vida [LA e Antarte] é independente. Queremos continuar. Estamos a estudar como", frisou.

E há vários cenários em cima da mesa. Mas será que um deles passa pela ligação ao Benfica? "Fala-se de muita coisa. Não há nada em concreto", frisou Luís Almeida. A junção com um dos grandes clubes pode, contudo, não ser a escolha do LA, pois há o receio de que o nome do Benfica possa ofuscar o de uma empresa com história na modalidade.

Mas há outras vias. "Tenho já várias abordagens no pelotão", frisou o empresário. A solução pode passar por ‘promover’ uma equipa sub-23 a profissional e aqui há as hipóteses da Sicasal e Bike Clube de Portugal (Liberty) ou quem sabe juntar-se a José Santos, atual diretor-desportivo da Rádio Popular-Boavista.

Fonte: Record on-line

“SHIMANO CICLISMO DE 24 HORAS DE LE MANS”

2141 pilotos vão começar a corrida: quebrado recorde!

O registro 2012 atendimento é partido por esta Shimano Ciclismo 24 Horas de edição 8º Le Mans! 2141 pilotos vão correr no circuito de Le Mans, ao lado de 20 e 21 de agosto, divididos em 475 equipes de 16 nacionalidades. Registrado em equipes de 2 a 8 membros e têm-mesmo único rider, todos podem esforços algo TIC para enfrentar a noite Le Mans nesta pista lendária.

Michel Drucker vai começar a corrida no sábado às 15:00 Esta figura emblemática do szene Francês transmissão est aussi um viciado em ciclismo de estrada. Ele respondeu presente ao convite Roger Legeay, padrinho da corrida. O "Le Mans do tipo" começar cada vez que é um momento muito emocional. Criado em 1925 Durante a 3ª edição das famosas bicicletas de corrida epônimo são Situado em um lado da pista e os pilotos devem correr a partir do outro lado para bicicletas.

Outras personalidades estarão presentes. Para sua segunda participação, famoso ski e treinar pro racing motorista Luc Alphand vai correr com --outros campeões como Cyril Despres, cinco vezes vencedor do Paris-Dakar Pierre Vaultier ouro, campeão olímpico Snowboardcross em Sochi.

vai participantes andar ao lado Vários campeões do ciclismo no plantel: Eric Leblacher, Eric Berthou, Anthony Geslin (medalha de bronze nos campeonatos do ciclismo mundial na estrada em 2005), Kilian Patour (2015 vencedor com o S1NEO EQUIPA CONNECT) ou ainda Roger Legeay e Thierry Mary, fiel desde a primeira hora.

duelo ANNONCE na cabeça da corrida! Vencedor no ranking geral 2014 e segundo em 2015 em apenas 1'48 '', a equipe liderada por Max MANHÃ Massat é tão grave candidato para a vitória. Vai-tem que lutar com o vencedor em 2016, S1NEO EQUIPA CONNECT. Outras pessoas de fora, provavelmente vai animar tese de 24 horas de corrida ...

Para os não-concurrents e famílias, não perca "The Dawn Le Maine Libre". Mais de 1500 pessoas são esperadas para descobrir o circuito Bugatti Durante este passeio de uma hora. Este encontro ciclo-turista está aberta a todas as pessoas com todos os tipos de bicicletas. O acesso é gratuito para crianças com menos de 10 accompagné.

Os espectadores terão acessos gratuitos para o local e às actividades propostas no Village. áreas dedicadas será configurado para 'em cada um dos lados da Dunlop, o lugar perfeito para desfrutar da corrida. Todos os ingredientes estão reunidos para ter um grande dia com a família.

Shimano Ciclismo 2016 24 Horas de Le Mans:

- 2016: 2141 pilotos inscritos (475 Equipas)

- As equipes de categorias: 77 Solos (3 mulheres), 36 Duos (4 misturas), 130 equipes de 4 pilotos, 192, de 6 (28 Misturas e 3 mulheres) e 40 equipas de 8 (6 Mixes) Isso quer dizer 149 mulheres .

- 50 equipes estrangeiras (164 pilotos): Austrália, Bélgica, Dinamarca, Escócia, Emirados Árabes, Espanha, Estados Unidos da América, Grécia, Itália, Países Baixos, Roménia, Reino Unido, Suíça, Turquia e Ucrânia.

- Bugatti circuito: 4185 metros - subida: 600 metros de 3,5% para 7% - Downhill: 1000 metros em 2%

- Bugatti Grand Prix: Informações e inscrições é www.24heuresvelo.fr - Duração 2 horas (9:45-11:45)

- A Aurora Le Maine Libre (eventos manhã): 1 hora passeio na excursão 12:30-13:30 no sábado - Inscrição no local: 10 €

- Visitantes: Acesso ao circuito pela entrada principal "24 Horas circuito" - Entrada gratuita e estacionamento à disposição

- Informação: www.24heuresvelo.fr

“FESTIVAL BIKE PORTUGAL”

A 13ª edição do Festival Bike Festival Bike Portugal – Festival Internacional da Bicicleta, Equipamentos e Acessórios e Salão de Ciclismo Profissional, decorre de 14 a 16 de Outubro no Centro Nacional de Exposições, em Santarém, e promete ser, uma vez mais, o centro das atenções do sector.

O evento é o espaço privilegiado para conhecer as novidades do mercado e um ponto de encontro para todos aqueles que de forma profissional, desportiva ou de lazer se encontram ligados a este ramo.

O certame é a referência do mercado nacional e tem como objectivo realçar as marcas e as empresas nacionais e internacionais que operam nesta área.  Importadores, lojistas, distribuidores, organizadores de eventos, comunicação social, atletas profissionais e amadores, e muito público interessado, transformam este acontecimento num evento único e incontornável.

Por outro lado, a qualidade e a diversidade de produtos em exposição, a oportunidade de apresentação de novos modelos de bicicletas, equipamentos e acessórios, o envolvimento de empresas e entidades promotoras da Bicicleta enquanto meio saudável para a prática desportiva ou para momentos de lazer, têm contribuído para o crescimento sustentado do evento. 

Recorde-se que em 2015 o Festival Bike contou com 134 expositores, 26.300 visitantes e mais de 6.500 atletas inscritos nas várias competições.


Horário


Sexta-feira, 14/10: 10h00 às 17h (Profissionais)
Sexta-feira, 14/10: 17h às 20h (Público em Geral)
Sábado, 15/10: 10h00 às 20h (Público em Geral)
Domingo, 16/10: 10h às 20h (Público em Geral)
Entradas


1 Bilhete: 6,00 € (Válido para apenas 1 entrada)
Bilhete Feira (3 dias) : 12,00 € (O Bilhete de 3 dias permite visitar a feira a qualquer hora e várias vezes por dia)
Entrada Gratuita para Crianças até aos 11 anos (inclusive)
Parque de Estacionamento: Gratuito

“Festa do Ciclismo em Barcelos”

O 31º Prémio de Ciclismo Cidade de Barcelos, disputado por mais de duas centenas de atletas, levou a festa do ciclismo à localidade minhota no dia 7 de agosto. Na presença de muito público, João Leite e Débora Figueiredo (juniores), Enzo Andrade e Mariana Almeida (cadetes), Manuel Rodriguez e Beatriz Martins (juvenis), João Cunha e Nicole Lopes (infantis), David Ferreira e Milza Gonçalves (iniciados), Leandro Martins e Jéssica Oliveira (pupilos/benjamins) foram os grandes vencedores.

A festa do ciclismo regressou ao coração do Minho com atletas e público a corresponderem positivamente e a proporcionaram uma excelente jornada de ciclismo.

Com a participação de mais de duas centenas de jovens ciclistas, as diversas provas do 31º Prémio Cidade de Barcelos, integrado na Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã, foram realizadas nas imediações da avenida da Liberdade, numa organização da Associação de Ciclismo do Minho e do Centro Ciclista de Barcelos.

João Leite (A.C.D.C. – Trofa) venceu destacado a corrida de juniores deixando nas restantes posições do pódio Fábio Costa (C.C.Barcelos/ AFF /Orbea / Onda) e Pedro Braga (Escola de Ciclismo Carlos Carvalho). Débora Figueiredo (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) venceu a corrida feminina de juniores, terminando em segundo Ana Santos (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel). Coletivamente a vencedora da corrida de juniores foi a formação do Centro Ciclista de Barcelos / AFF / Orbea / Onda, seguindo-se o Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact e a Escola de Ciclismo Carlos Carvalho.

A corrida masculina de cadetes foi ganha ao sprint pelo francês Enzo Andrade (Union Cycliste Cholet 49), com Diogo Vieira (Tensai / Sambiental / Santa Marta) a terminar em segundo e António Ferreira (Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade) em terceiro. Mariana Almeida (Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade) venceu a corrida feminina de cadetes, enquanto Celina Faria e Beatriz Faria, ambas da equipa JUM - Sanitop – KTM ocuparam as restantes posições do pódio. As equipas Tensai - Sambiental - Santa Marta, Centro Ciclista de Barcelos / AFF / Orbea / Onda e Moreira Congelados/Feira/Bicicleta Andrade ocuparam os três lugares do pódio da prova de cadetes.

Manuel Rodriguez (Ponteareas CC) venceu em juvenis o 31º Prémio de Ciclismo Cidade de Barcelos, enquanto Lucas Braga (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) foi segundo e Sérgio Silva (A.C.D.C. - Trofa) o terceiro. Beatriz Martins (União Ciclismo da Trofa) venceu em femininos deixando Beatriz Pereira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) em segundo e Nicole Gonçalves (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) em terceiro.

Em infantis os melhores foram João Cunha (União Ciclismo da Trofa) e Nicole Lopes (Tensai / Sambiental / Santa Marta), em iniciados David Ferreira (CRC / Garbo / Vegas Cosmetics) e Milza Gonçalves (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia) e em pupilos/benjamins Leandro Martins (Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact) e Jéssica Oliveira (Escola de Ciclismo Arca de Noé - Gaia).

Coletivamente o 31º Prémio de Ciclismo Cidade de Barcelos foi ganho em escolas pela formação Seissa/MGB Bikes/Matias e Araújo/Frulact, classificando-se nas posições seguintes a Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel e o Centro Ciclista de Barcelos / AFF / Orbea / Onda.

O 31º Prémio Cidade de Barcelos organizado pela Associação de Ciclismo do Minho e pelo Centro Ciclista de Barcelos contou com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, AFF Electrodomésticos, Onda, Orbea, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

As próximas provas de ciclismo de estrada a organizar pela Associação de Ciclismo do Minho são o 15º Prémio de Ciclismo de Rendufe (13 de agosto), o 41º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo (15 de agosto) e o Prémio Fafe - Sala de Visitas do Minho (10 de setembro).

Fonte: ACM

“41º Circuito de Santa Marta Portuzêlo”

O 41º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo disputa-se no dia 15 de agosto, numa iniciativa conjunta da Associação de Ciclismo do Minho e do Grupo Desportivo do Centro Paroquial de Santa Marta de Portuzêlo. A tradicional prova destina-se aos escalões de pupilos/benjamins, iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores.

Pontuável para Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã), o 41º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo (Viana do Castelo) integrará atividades de destreza para as categorias de pupilos/benjamins e provas em linha para iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores.

As atividades terão início pelas 09h00 estando a cerimónia protocolar e de entrega de prémios prevista para as 12h30.

As provas de destreza serão realizadas na Avenida Com. Parente Ribeiro e a prova em linha de infantis no seguinte percurso: Av. Com. Parente Ribeiro, Rua Santa Martinha, Perre, Rua do Cemitério, Rua do Pisco, Estrada do Centro Paroquial, cruzamento da Igreja, Rua Santa Martinha, Avenida Com. Parente Ribeiro.

As provas em linha de juvenis e cadetes serão disputadas no seguinte percurso: Avenida Com. Parente Ribeiro, EN 202, Samonde, Perre, cruzamento da Igreja, Santa Marta (Rua Santa Martinha), Avenida Com. Parente Ribeiro (7,5 kms/volta).

O 41º Circuito de Santa Marta de Portuzêlo tem o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo, Tensai, Sambiental, Auto Rodolima, Lda., AutOliveira, ViaByke, Eugénia Lopes & Filhos, Lda - Distribuidor oficial CocaCola, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Salvaggio, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

No ano passado, cerca de duas centenas e meia de jovens atletas participaram no 40º Circuito de Ciclismo de Santa Marta de Portuzêlo, prova destinada às categorias de benjamins, iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores. A prova, que contou com a presença de muito público que se associou à festa do ciclismo jovem, teve os seguintes vendedores: José Sousa (juniores), Miguel Sousa e Jéssica Costa (cadetes), Manuel Barbosa e Beatriz Faria (juvenis), João Martins e Beatriz Pereira (infantis), Tomás Gaspar e Ana Monteiro (iniciados) e Joaquim Moreira e Ana Sá (benjamins)

Fonte: ACM

“15º Prémio de Ciclismo de Rendufe”

Disputa-se no dia 13 de agosto o 15º Prémio de Ciclismo de Rendufe, iniciativa da Associação de Ciclismo do Minho e da Secção de Ciclismo do Rendufe Futebol Clube pontuável para a Taça do Minho de Ciclismo de Estrada - Arrecadações da Quintã. A prova é destinada aos escalões de pupilos/benjamins, iniciados, infantis, juvenis, cadetes e juniores.

As diversas provas do 15º Prémio de Ciclismo de Rendufe serão realizadas em Rendufe (Amares), nas imediações da junta de freguesia local.

O arranque das diversas provas está marcado para as 15 horas, prevendo-se que a cerimónia protocolar e de entrega de prémios ocorra pelas 18h00.

As provas de destreza decorrerão na Rua Urbanização das Neves e as provas em linhas serão disputadas no seguinte percurso: Rendufe (Avenida do Monte), à drt. p/Braga EN 205, Lago, rotundo à drt. p/ Igreja de Lago, à drt. p/Rendufe, Igreja de Lago, Campo de Jogos do Rendufe FC, Entroncamento, à drt. p/Rendufe (centro), Avenida do Monte.

Organizado conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Secção de Ciclismo do Rendufe Futebol Clube, o 15º Prémio de Ciclismo de Rendufe conta com a colaboração da Câmara Municipal de Amares, Junta de Freguesia de Rendufe, Federação Portuguesa de Ciclismo, Arrecadações da Quintã, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, POPP Design, Controlsafe, Ciclismo a fundo (revista oficial) e Roda na Frente.

No ano passado, cerca de duas centenas de jovens participaram no 14º Prémio de Ciclismo de Rendufe, uma iniciativa organizada pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Secção de Ciclismo do Rendufe Futebol Clube. Na atividade integrada no Troféu Revelações de Ciclismo de Estrada - Raiz Carisma o espetáculo e a emoção marcaram as provas de todos os escalões. Na prova pontuável para o Troféu Revelações de Ciclismo de Estrada da Associação de Ciclismo do Minho venceram Pedro Preto (juniores), Diogo Vieira e Celina Faria (cadetes), Daniel Dias e Beatriz Martins (juvenis), João Martins e Beatriz Pereira (infantis), Gabriel Baptista e Milza Gonçalves (iniciados) e Alexandre Loução e Ana Sá (pupilos/Benjamins).

Fonte: ACM

“Agenda de Ciclismo”

Taça de Portugal de Elite decide-se em Mortágua e em Águeda

A Taça de Portugal de Elite termina no próximo fim-de-semana, com uma jornada dupla. No sábado corre-se a quarta e penúltima prova pontuável, o Grande Prémio de Mortágua. No dia seguinte disputa-se, em Águeda, o Grande Prémio Anicolor.

Uma semana depois da Volta a Portugal, a W52-FC Porto pode comemorar novo sucesso, pois domina hegemonicamente a Taça de Portugal. Os portistas ocupam os quatro primeiros lugares da geral, através, respetivamente, de Daniel Freitas, Juan Ignácio Pérez, Joaquim Silva e Ángel Sánchez. A vitória não é, contudo, certo, uma vez que as duas provas do próximo fim de semana valem ainda 150 pontos e as diferenças pontuais são escassas.

A prova de sábado é o já tradicional circuito de Mortágua, uma exigente prova de 144 quilómetros, com início às 12h00 e final previsto para cerca das 15h30, à terceira passagem pela meta. O circuito final é muito seletivo, podendo provocar diferenças significativas.

O Grande Prémio Anicolor tem 164,4 quilómetros e será disputado, em Águeda, a partir das 14h00 de domingo, prevendo-se que termine pouco depois das 18h00. A prova encerra à quarta passagem pela meta. Tal como na véspera, o circuito final é exigente, feito de sobe e desce.

Mais eventos oficiais

13 a 15 de agosto: Vila do Conde – Peneda Gerês Extreme

13 de agosto, 15h00: 15.º Prémio de Ciclismo de Rendufe, Amares

13 de agosto, 22h30: 1.º DHU Noturno de Monchique

14 de agosto, 9h00: Circuito de Calvos, Milharado, Mafra

14 de agosto, 9h00: Granfondo José Augusto Brito, Ourique,

14 de agosto, 14h00: 2.º Prémio de Ciclismo Guilherme Silva, Bombarral

14 de agosto, 17h30: Circuito Alves Bandeira, Ventosa do Bairro, Mealhada

15 de agosto, 9h00: 41.º Circuito de Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo

15 de agosto, 9h30: 6 Horas de Bragança

15 de agosto, 15h00: 20 Horas da Ferradura, Pousadas Vedras, Pombal

15 de agosto, 17h00: Circuito Ciclista de Manique do Intendente, Azambuja

Fonte: FPC

“Volta Portugal/ O final, triunfo de Rui Vinhas na 78ª Volta a Portugal”

Texto: Patrícia Azevedo

Fotos: José Morais, JanecaPhoto, Aldrabiscas

O ciclista português da W52-FC Porto venceu pela primeira vez, aos 29 anos, a prova rainha do ciclismo nacional e que tinha no colega de equipa Gustavo Veloso, vencedor das duas últimas edições da Volta a Portugal, o grande favorito.

Com a camisola amarela desde a terceira etapa, Rui Vinhas partia para os últimos 32 quilómetros com uma vantagem de 2,25 minutos sobre o seu “chefe de fila”, especialista em contrarrelógio e que ainda acalentava esperanças de alcançar a terceira vitória em Portugal.

Mas, o corredor de Valongo, aguentou-se e perdeu apenas 54 segundos na etapa, vencida pelo espanhol com o tempo de 40.46,73 minutos e, cinco anos depois do êxito de Ricardo Mestre, deu à Volta um novo vencedor português.

Rui Vinhas afirmou-se muito feliz pela vitória, e que “sabia que vinha a fazer um bom tempo, sofri bastante nestes 32 quilómetros, mas estou nas nuvens”, referindo que o fato de muitos portugueses pedirem uma vitória nacional lhe deu “mais confiança e hoje passei os meus limites para tentar fazer o melhor possível”.

O ciclista fez questão de agradecer ao colega de equipa, Gustavo Veloso, porque “ele trabalhou bastante comigo para esta vitória, ajudou-me bastante nesta preparação para a Volta” e, apesar de vitorioso, defendeu que “o Gustavo era o homem mais forte da prova e tive a sorte de ganhar uns minutos em Macedo de Cavaleiros, a partir daí tentei defender-me ao máximo e o Gustavo ajudou-me muito nisso”.

O espanhol, que partilhou com Vinhas um abraço emocionado no fim da meta, disse à RTP que o colega “fez o contrarrelógio da sua vida. Defendeu-se muito bem. Demonstrou que é forte. É uma mistura de sentimentos. Estou feliz por Rui Vinhas ter ganho e a vitória ter ficado na equipa, mas é difícil saber que és o mais forte da Volta e não consegues ganhar. Qualquer pessoa no meu lugar conseguia perceber o que sinto agora".

Aurora Cunha, antiga maratonista e três vezes campeã do mundo de estrada, declarou, ainda no início da etapa e sem vencedor conhecido, que “por tudo o que o Rui Vinhas fez durante esta Volta, merecia ganhar e para o ciclismo nacional acho que seria uma mais- valia ter um português no pódio. Ontem tive oportunidade de dizer ao Rui que, para tudo na vida há uma oportunidade e para ele acreditar, correr com garra e fazer história no ciclismo porque este é o ano dele.

Acima de tudo, tivemos uma grande Volta a Portugal, com melhorias de chegadas e partidas e toda a estrutura organizadora está de parabéns. Esta foi a Volta mais quente destes últimos três anos, mas o povo sai à rua e vem ver os ciclistas porque o ciclismo é uma daquelas modalidades de sofrimento e de ter uma grande capacidade de reação nos momentos menos bons”.

O espírito de equipa é também algo inerente a esta modalidade, como Pinto da Costa, presidente do F.C. Porto, referiu:

“Estou muito satisfeito pelo triunfo, mas sobretudo pela vitória do espírito de união do coletivo. Foi pelo que fizeram desde o primeiro dia, como uma equipa bem unida, que posso considerá-los a todos vencedores da Volta a Portugal” e afirmou que a parceria W52/ Porto é para manter por mais alguns anos para “continuar a ganhar Voltas e o que vier à mão”.

Para Fernando Medina, presidente da autarquia lisboeta, a Volta é “um dos grandes eventos nacionais, dos mais carismáticos e mais queridos e foi através desta iniciativa e pela RTP que muitos portugueses foram conhecendo o seu país” e, defende que “a chegada a Lisboa é sempre muito especial, desta vez em contrarrelógio e sempre na expetativa do final, que, este ano, nos trouxe uma vitória portuguesa”.

O presidente da prova, Fernando Gomes, afirmou que o regresso de um português às vitórias “nos deixa muito mais confortáveis e dá-nos mais alento para trabalhar e acreditar que, em 2017, vamos enriquecer a celebração dos 90 anos da Volta a Portugal”, revelando que, no próximo ano, o início da prova será, provavelmente em Lisboa, mas que terminará certamente em Viseu “um dos municípios mais fortes destes últimos anos na Volta”.

A 78ª edição da Volta a Portugal, a mais dura e mais longa, com 1618,7 quilómetros marcou o regresso do Sporting e do F.C. Porto ao ciclismo, com estes últimos a dominarem por completo a prova ao conseguirem também a camisola verde da classificação por pontos (Gustavo Veloso) e a liderança da classificação por equipas, com uma vantagem de 16m46s para a segunda formação, a Rádio Popular Boavista.

Parceria com: www.anoticia.pt