domingo, 19 de fevereiro de 2017

“11º BTT Rota da Água”

O 11º BTT Rota da Água de Ferreira do Alentejo já tem data marcada.

Este ano dia 11 de Junho de 2017, e a 6ª prova a contar para a taça de maratonas CPC Beja.

Com passeio guiado de 25km e duas provas cronometradas ( 45km e 70 km respetivamente).

Não irá faltar a animação musical durante todo o dia e o respetivo almoço ao ar livre onde irá ser feita a entrega dos respetivos troféus aos vencedores.

Os vencedores serão classificados por escalões e geral, havendo ainda prémios para a equipa mais numerosa, atleta mais novo e menos novo.

Boas pedaladas.

Informações e inscrições: Tel. 965 008 825 - 964 482 641 – 967 – 967 527 596

“Sporting Clube de Portugal e Sport Lisboa e Benfica triunfantes em Rio Maior"

Mais de duas centenas de atletas de todos os pontos do país reuniram-se ontem, 18 de Fevereiro, em Rio Maior, para a disputa da terceira etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Duatlo e do Campeonato Nacional Universitário de Duatlo.

O evento de grande relevo no calendário competitivo Nacional ficou marcado pela presença dos Olímpicos João Pereira e Miguel Arraiolos e apresentou-se uma grande oportunidade competitiva para todos os presentes. Os percursos rápidos da cidade de Rio Maior permitiram andamentos altos durante toda a prova e beneficiaram aqueles que procuraram disputar uma prova intensa e dinâmica.

O favoritismo à vitória final coube desde início a João Pereira, quinto classificado nos Jogos Olímpicos de Rio de Janeiro. O triatleta do Sport Lisboa e Benfica apresentou-se como a principal figura desta prova e não defraudou as expectativas. Manteve-se sempre perto da liderança da competição e uniu esforços com o seu colega de equipa, Miguel Arraiolos, e com David Luís, Portugal Talentus. O trio chegou isolado ao segmento de corrida final e João Pereira confirmou o porquê de ser um dos melhores triatletas do mundo, somando a vitória para o Sport Lisboa e Benfica. Miguel Arraiolos foi segundo classificado e David Luis completou o pódio masculino na terceira posição.

A competição feminina ficou marcada pela presença da internacional portuguesa Melanie Santos. A atleta que corre com as cores do Sport Lisboa e Benfica somou a vitória para o seu clube e confirmou a qualidade que faz de si a atleta feminina de referência Nacional. Registou o melhor parcial nos três segmentos da prova e cortou a meta com uma vantagem superior a um minuto sobre Ana Filipa Santos. A atleta da casa, Rio Maior Triatlo, foi segunda e a jovem Mariana Vargem, Ludens Machico/Máxima Dinâmica, terminou a prova num excelente terceiro lugar.

Simultaneamente foi disputado o Campeonato Nacional Universitário de Duatlo. Uma prova destinada a reconhecer o mérito de jovens estudantes e atletas e que procurou apurar um dos primeiros títulos nacionais da época. Ana Filipa Santos, IPSantarém, e João Ferreira, AEISEG, foram os grandes vencedores da prova e sagraram-se campeões nacionais do desporto universitário. Na competição feminina Alexandra Domingues, U.Porto, foi segunda e Inês Lopes, AAUAv, terceira. Luis Lopes, AEISEL, foi segundo classificado na prova masculina e Diogo Silva, NOVA, encerrou o pódio na terceira posição.

Em termos colectivos Rio Maior observou a verdadeira disputa nas duas frentes. Sporting Clube de Portugal e Sport Lisboa e Benfica foram os grandes vencedores da terceira etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Duatlo e dominaram a classificação feminina e masculina, respectivamente. Em femininos o Alhandra Sporting Club foi segundo e o Outsystems Olímpico de Oeiras terminou na terceira posição. Nos homens o segundo lugar foi ocupado pelo Outsystems Olímpico de Oeiras e o Teleperformance – Os Belenenses foi terceiro.

A cidade de Rio Maior recebeu um grande evento envergadura Nacional organizado conjuntamente pela Câmara Municipal de Rio Maior, Desmor, EM, SA e pela Federação de Triatlo de Portugal e marcou mais um grande dia de competições.

Fonte: FTP

“Sport Lisboa e Benfica soma segunda vitória consecutiva no CN Jovem”

Hoje, 19 de Fevereiro, o Semideiro recebeu centenas de jovens talentos para a disputa da segunda etapa do Campeonato Nacional Jovem. Pela segunda vez consecutiva o Sport Lisboa e Benfica alcançou a vitória coletiva na competição e provou ser, neste momento, a principal formação do campeonato.

A zona ribatejana foi palco de mais um grande dia de competições e permitiu a realização do Duatlo do Semideiro. Numa organização conjunta da Câmara Municipal da Chamusca e da Federação de Triatlo de Portugal, com a parceria do Centro Cultural do Semideiro e Núcleo do Sporting da Golegã, as provas foram disputadas em distâncias alinhas com os diferentes escalões etários e reuniram clubes, atletas e espectadores para mais uma manhã de competições.

Em termos individuais observamos a qualidade de oito pequenos vencedores. Diana Marcelino e David Teló, Sport Lisboa e Benfica, venceram a prova na categoria de Benjamins. Cassilda Carvalho, Sport Lisboa e Benfica, e Duarte Moreira, Fátima Escola de Triatlo, conquistaram o escalão de infantis. Beatriz Boal, Clube Natação do Cartaxo, e Francisco Protásio, Sport Lisboa e Benfica, foram os vencedores em Iniciados. Inês Rico, Alhandra Sporting Club, e Alexandre Silva, Sport Lisboa e Benfica, foram os melhores entre os Juvenis.

Mais uma vez o Sport Lisboa e Benfica foi a formação mais forte em competição e repetiu a vitória alcançada nas Lezírias, distanciando-se da concorrência a reafirmando a sua posição de liderança no campeonato. O Alhandra Sporting Club terminou o dia no segundo lugar e o Clube de Natação de Torres Novas encerrou o pódio coletivo na terceira posição.

O Semideiro também recebeu a realização de uma Prova Aberta, destinada a todos os interessados em participar. Disputada ao longo de 2km de corrida, 8km de ciclismo e 1 km de corrida a prova foi vencida por Beatriz Ferreira, Núcleo do Sporting da Golegã, e por João Protásio, Sport Lisboa e Benfica.

O Campeonato Nacional Jovem terá a sua próxima etapa disputada no formato de Triatlo. Em Vila Real de Santo António, no próximo dia 12 de Março, os jovens atletas serão colocados à prova nas águas algarvias e disputarão a terceira etapa do campeonato.

Fonte: FTP

“Valverde vence Volta a Andaluzia pela quinta vez”

Ciclista da Movistar terminou a Volta a Andaluzia com o tempo total de 17:12.23 horas

Foto: JAVIER LIZON / EPA
O espanhol Alejandro Valverde (Movistar) venceu hoje pela quinta vez a Volta a Andaluzia em bicicleta, conseguindo manter o segundo de vantagem sobre o seu compatriota Alberto Contador (Trek-Segafredo), com que partiu para a última etapa.
A tirada de hoje, quinta e última, disputada numa distância de 151,5 quilómetros, entre Setenil de las Bodegas e Coín, foi ganha ao ‘sprint’ pelo belga Tim Wellens (Lotto-Soudal), em 03:58.31 horas.
Valverde, que já tinha conquistado a prova em 2012, 2013, 2014 e 2016, terminou a Volta a Andaluzia com o tempo total de 17:12.23 horas, menos um segundo do que Contador e menos seis do que o francês Thibaut Pinot (FDJ), terceiro.
O português André Cardoso (Trek-Segafredo) terminou a etapa na 36.ª posição, integrado no pelotão, e foi 26.º da classificação geral, a 5.29 minutos de Valverde.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Rui Costa satisfeito com o segundo lugar, mas gostava de ter vencido a etapa”

O ciclista português esteve a competir na Volta a Omã

Por: Lusa

Foto: EPA

Rui Costa (UAE Abu Dhabi) ficou satisfeito com o segundo lugar conseguido na Volta a Omã em bicicleta, mas admitiu que ficaria ainda mais contente se tivesse vencido uma etapa.
"É uma grande sensação estar no pódio final desta competição emocionante", disse o corredor, em declarações à assessoria de imprensa da equipa, acrescentando: "Claro que teria sido ainda melhor se tivesse ganhado uma das duas etapas nas quais fui segundo".

Rui Costa, que terminou a prova no segundo lugar, a 22 segundos do belga Ben Hermans (BMC), referiu ainda que o seu desempenho na Volta a Omã é "uma motivação adicional para continuar com o atual desempenho".
Rui Costa foi o 59.º a cruzar a meta, em Muttrah, após os 130,5 quilómetros da sexta etapa com o mesmo registo do vencedor, 02:57.03 horas, o norueguês Alexander Kristoff (Katusha-Alpecin).

Fonte: Record on-line

“Volta a Omã: Rui Costa termina no 2.º lugar atrás de Ben Hermans”

Português a 22 segundos do vencedor

Por: Lusa

O português Rui Costa (UAE Abu Dhabi) terminou este domingo no segundo lugar a Volta a Omã, a 22 segundos do belga Ben Hermans, após a sexta e última etapa, vencida pelo norueguês Alexander Kristoff (Katusha-Alpecin).
Kristoff impôs-se pela terceira vez ao 'sprint' na corrida, após os triunfos nas primeira e quarta tiradas, deixando o romeno Eduard Grosu (Nippo-Vini Fantini) e o italiano Sacha Modolo (UAE Abu Dhabi) na segunda e terceira posições, respetivamente.

Rui Costa foi o 59.º a cruzar a meta, em Muttrah, após os 130,5 quilómetros desde The Wave, em Mascate, com o mesmo registo do vencedor, 02:57.03 horas, e dos concorrentes na geral, caso de Hermans e do italiano Fabio Aru (Astana).
Desta forma a classificação não sofreu alterações, com Hermans a arrebatar o triunfo final, sucedendo ao italiano Vincenzo Nibali, com 22 segundos de vantagem sobre o português Rui Costa e 35 sobre Aru.

Fonte: Record on-line

“Pinto da Costa diz que FC Porto "está à altura do passado"”

Presidente dos dragões na partida para a última etapa da Volta ao Algarve, Pinto da Costa já havia estado na Volta ao Algarve ontem.

Por: Lusa

Foto: Lusa

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, atestou este domingo a qualidade da equipa de ciclismo W52-FC Porto, considerando que a mesma está à altura da tradição azul e branca na modalidade.

"Acompanho qualquer modalidade do FC Porto, neste caso é o ciclismo. O FC Porto tem muita tradição no ciclismo e o presente está à altura desse passado", afirmou o líder portista, em Loulé, à partida para a quinta e última etapa da Volta ao Algarve, que termina no alto do Malhão.

O FC Porto regressou ao pelotão velocipédico em 2016, do qual fez parte entre 1945 e 1984, através de uma parceria com a W52, tendo, no ano de estreia conquistado a Volta a Portugal, por Rui Vinhas, naquele que foi o 14.º triunfo individual dos 'dragões'.
Questionado sobre as ambições azuis e brancas para a prova 'rainha' do calendário nacional, Pinto da Costa foi perentório: "Ainda falta muito [para a Volta a Portugal], estamos em treinos".

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve: Amaro Antunes feliz com a vitória na última etapa”

"Mostrei que posso estar com os melhores", disse, no final, o ciclista da W52-FC Porto-Mestre da Cor

Por: Ana Paula Marques

Foto: João Fonseca

Amaro Antunes, vencedor da última etapa da Volta ao Algarve, explicou a estratégia utilizada este domingo e não resistiu a agradecer o apoio que sentiu por parte dos seus conterrâneos algarvios.
"Depois da etapa da Fóia não ter corrido bem, delineámos outra estratégia para o Malhão. Sabia onde tinha de atacar e ao longo da subida foi impressionante ouvir o meu nome. Mostrei que posso estar com os melhores", constatou o ciclista da W52–FC Porto–Mestre da Cor.

Com a vitória na etapa final, Amaro Antunes, de 26 anos, subiu do 9.º para o 5.º lugar da geral individual, terminando a 1 minuto e 29 segundos do vencedor da prova, o esloveno Primoz Roglic.

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve: Rafael Reis assume que é difícil ser um mero espectador”

Ciclista português sofreu uma lesão e deve regressar dentro de cinco semanas

Por: LUsa

O português Rafael Reis (Caja Rural) não escondeu este domingo a sua frustração por não estar a participar na 43.ª Volta ao Algarve em bicicleta, mas mostrou-se otimista quanto ao resto da temporada, a sua primeira no estrangeiro.
"É difícil estar aqui como espetador. Estava à espera de fazer a Volta ao Algarve. Mas não foi possível, tenho uma lesão no rádio e agora tenho de esperar umas cinco semaninhas. Vou tentando fazer rolos e, se calhar, daqui a duas semanas já posso ir para a estrada", explicou à agência Lusa, ao ser apanhado como 'turista' no topo da emblemática subida.

No final de dezembro, Rafael Reis e o amigo Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo) vieram reconhecer a escalada ao Malhão (Loulé), onde este domingo termina a 'Algarvia'.
"Era para ver [ri-se]. Viemos estudar bem os buracos para ver se não batíamos em nenhum", respondeu, quando questionado sobre se o reconhecimento da subida fazia parte de alguma ambição pessoal.
No seu papel de espetador, o jovem de Palmela atreveu-se a prognosticar quem será o vencedor da 43.ª edição da principal prova internacional disputada em Portugal.
"Acho que o [Michal] Kwiatkowski vai ser um osso duro de roer para o [Primoz] Roglic. O Amaro [Antunes] acho que também tem uma grande claque subida acima. Vamos ver o que sai", arriscou.
O vencedor do 'Ranking' ciclista de 2016, que premeia o corredor mais regular do pelotão português, lamentou ainda o azar que sofreu na sua segunda prova pela Caja Rural -- caiu na quarta etapa da Volta a Valência.
"As coisas estavam a correr até bastante bem, mas vamos ver como vai a recuperação disto. É melhor agora do que no meio ou no fim da época. Estou muito contente e bastante motivado na Caja Rural. Vamos ver como as coisas vão correndo. Há aí umas clássicas engraçadas, umas corridas de uma semana em que me posso sair bem", assumiu.
A viver a sua época de estreia no pelotão internacional, o ciclista de 24 anos não ocultou o desejo de se estrear numa das grandes Voltas do ciclismo, nem que para isso tenha de abdicar da Volta a Portugal.
"Ou uma ou outra vou fazer, espero eu. Prefiro fazer a Vuelta do que a Volta a Portugal, mas só o tempo o dirá", concluiu o corredor que na época passada representou a W52-FC Porto.

Fonte: Record on-line

“43.ª Volta ao Algarve”

Amaro mostra-se na consagração de Primoz Roglic

O esloveno Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo) venceu hoje a 43.ª Volta ao Algarve, depois de disputada a quinta etapa, com final no alto do Malhão, ganha pelo algarvio Amaro Antunes (W52-FC Porto).

A tirada de 179,2 quilómetros, entre o centro de Loulé e o alto do Malhão, começou muito veloz, com mais de 50 quilómetros percorridos na primeira hora. Mas os candidatos acabaram por ficar na expectativa, não se movendo na derradeira ascensão.

A apatia dos principais nomes internacionais foi aproveitada por Amaro Antunes, que deu o melhor seguimento ao trabalho da W52-FC Porto, que trabalhou para anular a fuga de 21 homens que apenas foi definitivamente dada por extinta no sopé do Malhão.

Perante a postura defensiva das estrelas internacionais, Amaro Antunes arrancou a quilómetro e meio do final e não mais foi alcançado. Cortou a meta ao fim de 4h29m28s de corrida, deixando a 12 segundos o espanhol Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e o belga Tiesj Benoot (Lotto Soudal), segundo e terceiro, respetivamente.

"Ganhar é a algo que a W52-FCPorto já habitou os adeptos. Este é um lugar habitual de treinos, conheço esta subida de olhos fechados. Sabia onde tinha de arrancar. Inicialmente, hesitei um pouco, contive-me e finalmente arranquei no momento certo. É especial ganhar em casa, é muito emotivo e algo que hoje, no hotel, sonhava. Amigos e familiares vieram para aqui às cinco da madrugada para pintar a estrada e a única resposta que lhes tinha de dar, o único agradecimento possível, era chegar aqui em primeiro lugar. Para dizer a verdade, na primeira passagem fiz toda a subida em pele de galinha e quando a equipa começou a tirar só tinha em mente a vitória. Queria retribuir o apoio de quem acreditou em mim, em especial o meu diretor-desportivo Nuno Ribeiro. Acreditou desde o início que a vitória seria possível. Foi muito bom chegar aqui com os aplausos do público. É algo que não vou esquecer tão cedo. Não é por acaso que temos aqui alguns dos melhores ciclistas do mundo, um pelotão de luxo e isso ainda mais valor dá à minha vitória", frisou Amaro Antunes.

O polaco MIchal Kwiatkowski foi o único dos pretendentes à geral a mover-se, mas não foi além de uma movimentação tímida, à qual Primoz Roglic respondeu com facilidade. O esloveno, antigo campeão de saltos de esqui, conquistou, assim, a principal vitória na carreira de ciclista.

Primoz Roglic conquistou a 43.ª Volta ao Algarve, acabando com 22 segundos de vantagem sobre Michal Kwiatkowski. O terceiro, a 55 segundos, foi o francês Tony Gallopin. "Fizemos um grande trabalho e controlamos a corrida até onde seria possível. Na subida final seria a minha vez. Consegui ficar com o Kwiatkowski e agora é tempo de celebrar. Foi duro para todos, mas felizmente conseguir levar esta camisola até ao final. Veremos o que o futuro me traz. Sei que combino a montanha e o contrarrelógio com certa facilidade e espero estar forte nas próximas corridas. Mas agora vou festejar. Quando comecei a competir não imaginava chegar a este nível. É um sonho estar aqui de amarelo", admitiu Roglic.

O campeão da Alemanha de fundo, André Greipel (Lotto Soudal), empenhou-se a fundo na luta pela Camisola Vermelha Cofidis, participando na fuga do dia com esse objetivo. Foi uma iniciativa de sucesso, pois conseguiu a vitória por pontos.

A fuga deste domingo também deu resultados positivos ao colombiano Juan Osorio (Manzana Postobón) que, com a aventura deste domingo, ganhou a Camisola Azul Liberty Seguros, de melhor trepador. O melhor jovem foi, pelo segundo ano consecutivo, o belga Tiesj Benoot, que leva para casa a Camisola Branca Sicasal. Por equipas impôs-se a Astana.

Classificações/Results

5.ª Etapa/Stage 5: Loulé - Malhão, 179,2 km

1.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), 4h29m28s (39,901 km/h)

2.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 12s

3.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), mt

4.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 15s

5.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), mt

6.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), mt

7.º Jaime Rosón (Caja Rural-Seguros RGA), mt

8.º Luis León Sánchez (Astana), mt

9.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), mt

10.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), mt

Geral/Overall

1.º Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), 19h04m03s

2.º Michal Kwiatkowski (Team Sky), a 22s

3.º Tony Gallopin (Lotto Soudal), a 55s

4.º Luis León Sánchez (Astana), a 59s

5.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), a 1m29s

6.º Daniel Martin (Quick-Step Floors), a 1m36s

7.º Jonathan Castroviejo (Movistar Team), a 1m40s

8.º Tiesj Benoot (Lotto Soudal), a 1m42s

9.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 1m56s

10.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), a 2m19s

Fonte: FPC