quinta-feira, 21 de julho de 2016

“2.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road”

Chaves – Fundão – Évora – Faro

14 a 17 de setembro 2016

 Reconhecimento em condições reais mostra atractivos do belo trajecto do 2.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road

Percurso promete aventura de sonho

De beleza ímpar com passagem por locais marcantes e um percurso divertido mas acessível, o 2.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road ganha forma após a realização do reconhecimento para a grande aventura, agendada de 14 a 17 de Setembro. As inscrições, limitadas a 250 participantes, estão abertas até final do mês de agosto mas poderão esgotar antes do dia 31!

Cerca de 1000 quilómetros de evasão e aventura, de descoberta e condução, sempre através de percursos em todo-o-terreno é a proposta da Comissão de Mototurismo da Federação de Motociclismo de Portugal na ligação de Chaves a Faro. Serão três etapas, a rondar os 300 quilómetros diários, com paragem no Fundão e em Évora, através dos melhores e mais bonitos estradões e trilhos de Portugal Continental, na descoberta do enorme potencial cultural e paisagístico do nosso País.

Evento turístico, sem qualquer finalidade competitiva ou dificuldade bastante acessível, pensado para todos os utilizadores das maxi-trail como as BMW R 1200 GS e GSA ou GS 800, Honda Africa Twin, das modernas às mais antigas, Varaderos ou Transalp, Yamaha Super-Ténéré, XT 600 ou Ténéré, Ducati Multistrada ou Scrambler, Kawasaki Versys, Suzuki V-Strom 650 ou 1000, KTM 1190 ou 1290 Adventure, Moto Guzzi Stelvio ou NTX, Aprilia Caponord, ou mesmo as Pegaso, Triumph Tiger 800 ou 1200 Explorer, e muitas outras aventureiras. Mas também para as mais pequenas enduristas Honda CRF, Yamaha YZF, KTM EXC, Suzuki RMX, Beta RR, Sherco SE ou SE-F, Husqvarna TE e FE, AJP PR5 ou Kawasaki KXF.

Percurso fortemente vincado à orografia nacional, variando das vinhedos durienses, ou das planícies alentejanas, sempre com uma facilidade que permite desfrutar da melhor forma da travessia continental. Trajecto muito diversificado, tal como os pisos, e oferecedor de paisagens sublimes, com possibilidade única de apreciar locais inesquecíveis, da majestosa imponência das serras à serena tranquilidade das amplas planícies.

As inscrições custam 250 euros na versão mais simples, que incluindo os jantares dos 4 dias (de boas-vindas e no final das três etapas), road-book e os tracks das etapas descarregado no GPS dos participantes, a T-shirt alusiva ao evento e o dorsal. Inscrições online que podem ser efectuadas através do site www.les-a-les.pt (http://les-a-les.pt/Welcome.aspx?name=2-les-a-les-offroadestando toda a informação bem como os regulamentos disponíveis emwww.fmp-live.pt ou http://les-a-les.pt/App_Upload/2016-04-13-REGULAMENTO-2%C2%BA-L%C3%A9s-a-L%C3%A9s-Off-Road.pdf.


Para facilitar a logística a todos os participantes, a FMP disponibiliza, lavagem e da interessante campanha de pneus Dunlop a preços especiais, interessantes soluções para transportar as motos desde Porto, Lisboa ou Faro até ao local de partida e o regresso ao mesmo local (160 €). Além da possibilidade de marcar a estadia para o evento em diversas unidades hoteleiras a preços mais competitivos, com dormidas em quarto duplo a custarem 145 € enquanto para a opção de quarto single o custo será de 225 €.

Abertas estão também as inscrições para o 1.º Portugal de Lés-a-Lés Quad com passagem por Castelo Branco e Reguengos de Monsaraz, em 1000 quilómetros divididos por três etapas. O preço de inscrição é idêntico ao do Lés-a-Lés Off-Road, sendo iguais os valores para as dormidas ao longo do evento, enquanto o custo acrescido para o transporte, apenas para os Moto4, será de 185 €.

Fonte: O Gabinete de Imprensa 2.º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road/Parceria Notícias do Pedal

“Bruno de Carvalho: «O meu desejo é voltar a ver o país pintado de verde e branco»”

Por: Sérgio Krithinas

Foto: Paulo Calado

Presidente leonino espera grande espetáculo nas estradas.

O Sporting vai voltar às estradas da Volta a Portugal já na próxima quarta-feira, dia do arranque da 78.ª edição da prova. Bruno de Carvalho antecipou este regresso com um artigo no jornal do clube onde manifesta as suas expectativas.

"Teremos de novo a oportunidade de apoiarmos os nossos nas estradas rumo aos sucessos que continuem a afirmar o Sporting CP como a maior potência desportiva. É também esse o meu grande desejo voltar a ver o país pintado verde e branco, como nos tempos de Trindade, de Roque, de Agostinho ou de Chagas", escreveu.

Para Bruno de Carvalho, "o regresso do ciclismo ao clube e às grandes competições nacionais deve ser um orgulho para todos os sportinguistas", pois "vai ser o reencontro com uma história de sucesso". 

Além da Volta, o líder dos leões espera um "verão cheio de emoções, até porque, depois da conquista do Campeonato da Europa de futebol e de hóquei em patins e das medalhas nos Europeus de atletismo, 30 leões partem para o Rio de Janeiro naquela que será a maior comitiva de sempre do clube com ambição de honrarem a história centenária do Sporting"

Fonte: Record on-line

“Tour/Froome: "Não esperava bater o Tom Dumoulin hoje"”

Foto: AFP or licensors

Chris Froome (Sky) escolheu hoje a cadência ideal para vencer a cronoescalada da 18.ª etapa da Volta a França em bicicleta e deixar o interesse da prova francesa reduzido à luta pelos lugares inferiores do pódio.

No regresso das cronoescaladas ao Tour, depois de 12 anos de ausência, o ciclista britânico ignorou os 600 metros de desnível, acumulados nos 17 quilómetros entre Sallanches e Mègeve, assim como os 2,5 quilómetros da subida Domancy, escolhendo o ‘equipamento’ certo – uma ‘cabra’ de contrarrelógio equipada com uma roda lenticular na traseira – para derrotar o holandês Tom Dumoulin (Giant-Alpecin) no último momento.

“Honestamente, não esperava bater o Tom Dumoulin hoje. Penso que a chave para este desfecho esteve na cadência [de pedalada]. Na primeira parte, controlei-me e na segunda limitei-me a dar tudo o que tinha”, disse o cada vez mais certo tricampeão da ‘Grande Boucle’.

A performance de Froome, que parou o cronómetro nos 30.43 minutos, deixou o ciclista da Giant-Alpecin, que passou grande parte da jornada confortavelmente instalado no primeiro lugar, visivelmente desapontado.

“Penso que hoje não fiz o meu melhor contrarrelógio e ele mostrou-me que é simplesmente o melhor”, reconheceu Dumoulin, que viu o seu terceiro triunfo neste Tour escapar-lhe por 21 segundos.

Num traçado não tão difícil quanto o esperado, os homens da geral responderam presente ao desafio de lutar pelo pódio e conseguiram transformar o novo exercício de domínio de Chris Froome num momento emocionante, com as diferenças a encurtarem consideravelmente.

Em crescendo na última semana da Volta a França, Fabio Aru (Astana) e Richie Porte (BMC) mostraram estar em franca recuperação, ‘empatando’ em tempo – ficaram ambos a 33 segundos do britânico da Sky -, para ocuparem, respetivamente, os terceiro e quartos lugares na tirada, e intrometeram-se numa ‘guerra’ que até ao segundo dia de descanso parecia confinada a Bauke Mollema (Trek-Segafredo), Adam Yates (Orica-BikeExchange) e Nairo Quintana (Movistar).

Principais derrotados da jornada, os três homens que sucedem ao camisola amarela na geral demonstraram estar em pronunciada quebra física, cedendo demasiado tempo para Froome, com Quintana, ainda assim, a ser aquele que menos perdeu (01.10 minutos).

"As sensações continuam a não ser boas. Está a passar-se algo comigo, isto não é normal no meu rendimento. Não esperava estar desta maneira. Não é fadiga o que sinto, mas o corpo não responde. Talvez seja alguma alergia”, justificou-se o líder da Movistar, que está na quarta posição, a uns inalcançáveis 04.37 minutos do britânico da Sky.

Mas o segundo classificado de 2013 e 2015 ainda pode sonhar com o pódio, porque os seus mais diretos rivais nessa contenda estiveram ainda pior: Yates perdeu 01.23 minutos e Mollema dois segundos mais, estando agora a 03.52 de Froome.

“Depois da primeira subida, fiquei ‘vazio’. Ainda bem que acabei por não ceder muito tempo no final”, resumiu o jovem britânico, terceiro na geral a 04.16 minutos.

Cinco lugares atrás de Yates, na 21.ª posição, a 01.46 do vencedor, ficou Nelson Oliveira, que foi penalizado por ter preferido a bicicleta de estrada à de contrarrelógio, num percurso que não se adaptava às suas características.

O português da Movistar, que é 82.º na geral, a 02:25.57 horas de Froome, voltou a ser o melhor representante nacional, já que Rui Costa (Lampre-Merida) se ficou pela 136.ª posição, a 04.57 minutos do primeiro, um resultado que lhe permitiu manter o 70.º posto na classificação global.

Na sexta-feira, os candidatos ao pódio terão mais uma oportunidade para um frente a frente alpino, nos 146 quilómetros entre Albertville e a contagem de primeira categoria de Saint-Gervais Mont Blanc.

Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Tour/Chris Froome impõem-se na cronoescalada da 18.ª etapa”

Foto: EPA/KIM LUDBROOK

Moto da organização provoca queda de Froome, De Gendt ganha no Mont Ventoux.

O ciclista britânico Chris Froome (Sky) distanciou-se ainda mais dos seus rivais na luta pela geral da Volta a França, ao ser o melhor na cronoescalada da 18.ª etapa.

O camisola amarela bateu o registo do holandês Tom Dumoulin (Giant-Alpecin) por 21 segundos, cumprindo os 17 quilómetros entre Sallanches e Mègeve em 30.43 minutos. Em terceiro, a 33 segundos, ficou o italiano Fabio Aru (Astana).

Na sexta-feira, Froome vai partir para a 19.ª etapa, uma complicada ligação de 146 quilómetros entre Albertville e Saint-Gervais Mont Blanc, com uma vantagem de 03.52 minutos sobre o holandês Bauke Mollema (Trek-Segafredo) e 04.16 sobre o compatriota Adam Yates (Orica-BikeExchange).

Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo do Passeio do CCL-Clube de Campismo de Lisboa.2016”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo do Passeio do CCL-Clube de Campismo de Lisboa.2016”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.

“Inauguração da Pista de XCO do Jamor”

Dia maravilhoso em ano histórico

A pista permanente de cross country olímpico (XCO), instalada no Centro Desportivo Nacional, no Jamor, foi inaugurada na manhã desta quinta-feira, pelo secretário de Estado da Juvendude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

O governante foi acompanhado na cerimónia, entre outras individualidades, pelo presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude, Augusto Baganha, pelo presidente do Comité Olímpico de Portugal, José Manuel Constantino, e pelo presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.

“Hoje é um dia maravilhoso para o ciclismo português, que acontece num ano que está a ser histórico para o BTT nacional. Pela primeira vez conseguimos apurar dois corredores para a prova de BTT dos Jogos Olímpicos e, também de forma inédita, temos um campeão mundial de maratona”, afirmou Delmino Pereira, instantes depois do descerrar da placa.

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto considerou que hoje “é um dia importante, porque, com a abertura desta pista, há mais uma modalidade que entra no Jamor”. João Paulo Rebelo destacou o facto de a nova infraestrutura “permitir conciliar o treino e a competição de atletas de alto rendimento com a prática recreativa, sendo um incentivo para atrair mais pessoas ao Jamor”.

A estreia competitiva da pista de XCO do Jamor vai acontecer no próximo domingo, com a disputa do Campeonato Nacional de XCO, no qual vão participar os dois corredores que irão representar Portugal na prova de BTT dos Jogos Olímpicos, no dia 21 de agosto, David Rosa e Tiago Ferreira. Estiveram ambos presentes na cerimónia de inauguração.

O atual campeão de XCO, David Rosa, já experimentou os novos trilhos. “É uma pista ‘rompe-pernas’, em que o terreno ainda está um pouco solto. É um circuito de desgaste, mais físico do que técnico, embora a subida mais longa se faça em cerca de dois minutos”, diz David Rosa sobre a pista de competição, que tem um perímetro de 4,2 quilómetros e um acumulado de subida de 230 metros.

O campeão mundial e vice-campeão europeu de maratona, Tiago Ferreira, ainda não experimentara a pista, aquando da cerimónia desta manhã, mas prometeu pedalar no terreno ainda hoje. Respondendo à pergunta sobre se o Campeonato Nacional seria um bom treino para os Jogos Olímpico, o viseense foi taxativo: “Os treinos faço-os à semana, o Campeonato Nacional é uma competição importante, que permitirá fazer um teste sério à minha condição”.

Dezenas de praticantes de BTT, de diferentes clubes, juntaram-se a David Rosa e a Tiago Ferreira na cerimónia de inauguração, aproveitando para experimentar a pista onde, no domingo, serão disputados os títulos nacionais de XCO.

Além da pista de competição, o complexo hoje inaugurado tem uma pista com 3,4 quilómetros e 183 metros de acumulado e outra com 2,1 quilómetros e 95 metros de acumulado.

Fonte: FPC

“Ciclista José Mendes, Campeão Nacional e Atleta Olímpico, homenageado em Guimarães”

A Câmara Municipal de Guimarães vai homenagear no próximo sábado o ciclista vimaranense José Mendes, Campeão Nacional de Elites que participará nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

A sessão - à qual se junta também a Associação de Ciclismo do Minho – está marcada para as 19 horas do próximo sábado (23 de julho) e decorrerá no Salão Nobre dos Paços de Concelho (entrada livre).

Recorde-se que a Câmara Municipal de Guimarães homenageou vimaranenses que participarão nos Jogos Olímpicos de 2016 na Gala do Desporto realizada no início do mês de julho, tendo a convocatória da Federação Portuguesa de Ciclismo para os jogos das olimpíadas sido divulgada em data posterior.

José Mendes foi o primeiro vimaranense a participar na Volta a França (2014) e será também o primeiro ciclista de Guimarães a participar nos Jogos Olímpicos, integrando o restrito grupo de quatro ciclistas que representará Portugal no Rio de Janeiro.

Vencedor da Volta a Portugal do Futuro em 2007 e atualmente a representar a equipa alemã Bora-Argon18, José Mendes sagrou-se campeão nacional de contrarrelógio de juniores e cadetes e campeão nacional de estrada nos escalões de cadetes e elites, este último título conquistado no passado mês de junho.

Natural de São Jorge de Selho (Pevidém) e formado em clubes da Associação de Ciclismo do Minho, José Mendes iniciou-se na modalidade no Centro Ciclista de Pevidém e conquistou, desde os escalões de formação, resultados de destaque, tanto ao serviço da Seleção Nacional como de clubes, vencendo diversas provas em Portugal e no estrangeiro.

Na história da modalidade José Mendes ficará também conhecido como o primeiro português a participar no Campeonato do Mundo de Ciclismo Universitário, em 2006, no qual ficou em 14º lugar no contrarrelógio individual e 17º na prova em linha.

Fonte: ACM