segunda-feira, 25 de março de 2019

“Federação de triatlo diz que "não houve justiça" com desclassificação do Benfica”

João Pereira cruzou a meta sem o dorsal de identificação

Por: Lusa

Foto: David Martins

A Federação de Triatlo de Portugal (FTP) assumiu esta segunda-feira que "não houve justiça" no campeonato nacional de estafetas mistas com a desclassificação do Benfica, na prova disputada no domingo, em Portimão.

Os encarnados foram os mais rápidos entre as 22 equipas, mas foram penalizados com desclassificação de João Pereira, o último dos elementos da formação lisboeta, que bateu ao 'sprint' Alexandre Nobre (Portugal Talentus), por ter cruzado a meta sem o dorsal de identificação.


Benfica 'tramado' por dorsal: encarnados ganham prova em Portimão e são desclassificados

Com a desclassificação do Benfica, a Portugal Talentus conquistou o título nacional, à frente do CN Torres Novas, segundo classificado, ambos com lugar assegurado na Taça dos Clubes Campeões Europeus de estafetas mistas, a disputar em outubro, em Lisboa, prova em que 'encarnados' conquistaram em 2017 e foram terceiros no ano passado. Em terceiro lugar terminou o Olímpico de Oeiras.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da FTP reconheceu que a inexistência de dorsal pode motivar desclassificação, segundo o regulamento técnico de janeiro de 2016, mas admitiu que o resultado da prova "não espelhou o que se passou em Portimão, no dia 24 de março".

"A equipa do Sport Lisboa e Benfica realizou uma prova notável, com uma recuperação extraordinária do João Pereira, o último elemento em prova. Desta forma, a FTP considera que não houve justiça no resultado, pelo que a mesma entidade procurará soluções para que a realidade desportiva prevaleça", acrescentou.

No Facebook, a Portugal Talentus elogiou a sua equipa mista, considerando que se sagrou campeã "com todo o mérito", após "uma disputa direta entre a Portugal Talentus, o Benfica e o CN Torres Novas".

"Emocionante competição, onde os primeiros clubes e os seus atletas honraram o triatlo e o desporto. A qualquer deles se ajustava perfeita e justamente o título de campeão. Infelizmente, para o João Pereira e para o Benfica, a equipa de arbitragem terá detetado uma infração, por ausência de dorsal, e o Benfica foi desclassificado, acabando o título por ser entregue à Portugal Talentus (...) Parabéns João Pereira. Parabéns Benfica. Parabéns CN Torres Novas", refere o clube campeão.

No domingo, João Pereira, na mesma rede social, lamentou a primeira desclassificação da carreira, considerando-a injusta e assumindo-se prejudicado.

"Hoje [no domingo], senti que os meus adversários me deram os parabéns pela excelente prova que realizei, os diretores dos clubes adversários, até os próprios árbitros defenderam a minha posição. É por causa da fraca Direção da Arbitragem em Portugal que já há alguns anos evito competir em Portugal pois sinto uma perseguição aos atletas que dão o seu melhor", escreveu o quinto classificado nos Jogos Olímpicos Rio2016.

Fonte: Record on-line

“Benfica 'tramado' por dorsal: encarnados ganham prova em Portimão e são desclassificados”

João Pereira deixou duras críticas à arbitragem da modalidade num longo post no Facebook

 Por: Ana Paula Marques

Foto: Luís Manuel Neves 1/4

O Benfica foi ontem desclassificado do campeonato nacional de equipas mistas, em Portimão, devido ao facto de João Pereira não ter levado dorsal. Os encarnados até venceram, tendo Pereira sido o último a percorrer a prova. Sem dar detalhes do que realmente aconteceu, o olímpico deixou duras críticas à arbitragem da modalidade num longo ‘post’ no Facebook.

"Sou um atleta com mais de 100 provas internacionais feitas, nunca fui desclassificado, nunca fui penalizado por um comportamento desviante do Espírito Olímpico. Para mim mais importante que o resultado é sentir que o jogo foi limpo. É verdade que sonho com a vitória mas acima de tudo respeito os meus adversários.

Muitos de vocês sabem que no mundo do triatlo sou conhecido como o Puras mas poucos sabem porquê… pois eu digo-vos: foi uma alcunha que me colocaram por nunca ter más intenções nos meus movimentos. Assim "Puras" vem do facto de ser "puro". Eu, se não estou de acordo com algo, resolvo abertamente com os outros e não tenho segredos.

Vivo do triatlo e para o triatlo, faço o que gosto e isso para mim é o mais importante. Hoje senti que os meus adversários me deram os parabéns pela excelente prova que realizei, os diretores dos clubes adversários, até os prórios árbitros defenderam a minha posição. É por causa da fraca Direção da Arbitragem em Portugal que já há alguns anos evito competir em Portugal pois sinto uma perseguição aos ateltas que dão o seu melhor! Sinto que somos penalizados por ser a cara da modalidade.. e isso deixa-me bastante triste e desmotivado…

Peço desculpa aos adeptos, às pessoas que me acompanham e ao Sport Lisboa e Benfica por uma coisa que não depende de mim… ser penalizado tão injustamente. E por outro lado peço, com toda a força que é possível, que o IPDJ - Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. e o Comité Olímpico de Portugal assuma uma posição e retirem do desporto quem faz com que não andemos no rumo certo nesta modalidade que tanto amo! Modalidade pelo qual dou tudo!", pode ler-se na página do triatleta.


Federação de triatlo diz que "não houve justiça" com desclassificação do Benfica

O título nacional foi atribuído à equipa do Portugal Talentus, com o CN Torres Novas em 2º e o OutSystems Olímpico de Oeiras em 3º. As duas primeiras vão à Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Fonte: Record on-line

“Pedro Silva foi terceiro em prova francesa de juniores”

Campeão nacional de cadetes em 2017

Por: Lusa

Foto: @ACRRorizCyclingTeam

O ciclista português Pedro Silva (Seissa) foi esta segunda-feira terceiro classificado na 26.ª edição da corrida francesa Bernardeau Junior, destinada ao pelotão internacional do escalão de juniores.

Campeão nacional de cadetes em 2017, Silva integrou a luta pela vitória final, disputada ao 'sprint', terminando com as mesmas 3:05.33 horas do vencedor, o francês Loris Trasour, e do segundo classificado, o belga Jago Willems.

Na prova participaram quatro outros ciclistas portugueses: Daniel Dias terminou em 32.º lugar e João Silva em 74.º, ambos a 20 segundos do vencedor, enquanto Flávio Fernandes e Manuel Barbosa não terminaram a prova.

Fonte: Record on-line

“Estafeta mista vai estrear-se nos Europeus de ciclismo de 2019”

Campeonatos europeus decorrem na cidade holandesa de Alkmaar, entre 07 e 11 de agosto.

A União Europeia de Ciclismo anunciou hoje a inclusão inédita de uma estafeta mista nos campeonatos europeus de estrada de 2019, que decorrem na cidade holandesa de Alkmaar, entre 07 e 11 de agosto.

Esta variante fará parte de um programa que integra ainda seis provas de fundo e outros tantos eventos de contrarrelógio, destinados às categorias de juniores, sub-23 e seniores masculinos e femininos, num total de 13 títulos que serão discutidos por 800 atletas de 50 países.

Inspirada no biatlo, a estafeta mista tem sido adotada em modalidades como o atletismo, natação e ciclismo de montanha, sendo que em setembro fará a sua estreia nos campeonatos do mundo de estrada, em Yorkshire, na Grã-Bretanha.

Constituindo um passo para uma maior igualdade de género, a União Ciclista Internacional irá organizar um contrarrelógio misto por equipas, sob a forma de estafeta com três elementos masculinos e três femininos, em substituição do clássico contrarrelógio por equipas.

Os três homens cumprem a primeira parte do percurso e as mulheres concluem a prova, tomando-se o tempo da segunda corredora a cortar a meta para efeitos de classificação.

Fonte: Sapo on-line

“Thomas de Gendt vence isolado primeira etapa da Volta à Catalunha”

Ricardo Vilela (Burgos-BH) foi o melhor português

Por: LUsa

Foto: EPA

O ciclista belga Thomas de Gendt (Lotto Soudal) venceu esta segunda-feira isolado a etapa inaugural da 99.ª edição da Volta à Catalunha, assumindo a liderança da classificação geral, ao conseguir 'fugir' ao pelotão.

O belga de 32 anos, conhecido pela sua capacidade de fazer vingar as fugas, voltou hoje a mostrar o seu ponto mais forte, para concluir os 163,7 quilómetros do primeiro dia, em Calella, em 4:14.16 horas.

Atrás, no 'sprint' pelo segundo lugar, o alemão Maximilian Schachmann (BORA-hansgrohe) foi o melhor, a 2.38 minutos, enquanto o esloveno Grega Bole (Bahrain Mérida) foi terceiro.

Campeão em 2009, 2017 e 2018, o espanhol Alejandro Valverde (Movistar) 'atirou-se' às bonificações de tempo das metas volantes, depois de toda a fuga de seis elementos, com a exceção de De Gendt, ser apanhada, e é quarto classificado, a 2.56 do camisola amarela.

O campeão português de fundo e de contrarrelógio, Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA), abandonou a tirada, que teve em Ricardo Vilela (Burgos-BH) o melhor luso, em 83.º.

O colega de equipa José Neves foi 111.º, chegando ambos a 2.42 minutos, enquanto Rui Oliveira (UAE Emirates) foi 160.º, a mais de 17 minutos do vencedor.

Na terça-feira, a segunda etapa liga Mataró a Sant Feliu de Guixols ao longo de 166,7 quilómetros, pontuados por três contagens de montanha de terceira categoria e duas metas volantes, ambas no último terço do percurso ondulante.

Fonte: Record on-line

“Domingos Gonçalves fratura clavícula e omoplata”

Ciclista português caiu na primeira etapa da Volta à Catalunha

Por: Pedro Filipe Pinto

O azar voltou a bater à porta de Domingos Gonçalves. O campeão nacional de fundo e contrarrelógio caiu na primeira etapa da Volta à Catalunha, queda que lhe provocou a fratura de uma clavícula e uma omoplata.

O regresso à Caja Rural não está a ser nada feliz, visto que no início da temporada já tinha fraturado um rádio. Esta lesão vai afastá-lo das estradas por uns tempos.

Fonte: Record on-line

“1ª Taça de Portugal Zona B – Palmela”

Diogo Pinto foi GALO e conquista 3º lugar depois de fuga épica e 4º lugar coletivo 79 km, e 72 em fuga com mais 6 jovens ciclistas, foi assim a jornada épica de Diogo Pinto, para a conquista do 3º lugar na 1ª Taça de Portugal Zona B – Palmela, no final o desgaste do muito trabalho não permitiu mais.

Afonso Gaspar, Filipe Tomé e Diogo dias trabalharam no controle do pelotão e pontuaram para estarem presentes na final da Taça, em Anadia, objectivo cumprido.


Os estreantes na Taça, Gonçalo Branco, António Mateus tiveram um desempenho muito positivo, integrados muitos km dentro do pelotão, contudo não resistiram até ao fim. O também estreante Martin Pereira concluiu a sua prova, embora fora do tempo de controle, contudo muito positiva a sua corrida. Agora é continuar a trabalhar para amealhar pontos já na próxima prova da Taça Zona B.
 

Estiveram na estrada:

Cadetes masculinos, 4º lugar coletivo
Diogo Pinto 3° a 15 s

Afonso Gaspar 29° a 4 m:01s

Filipe Tomé 35° a 4 m:10s

Diogo Dias 41º a 4 m:20s

Martin Pereira  DSQ

Gonçalo Branco DNF

António Mateus DNF

Fonte: Escola de Ciclismo de Matos-Cheirinhos

“UMA ETAPA GANHA E VÁRIOS PÓDIOS NA VOLTA A ALMODOVAR”

Decorreu no último fim-de-semana (23 e 24 de Março), a 12.ª Volta ao Concelho de Almodôvar em Ciclismo, prova em que alinharam 168 ciclistas em representação de 20 equipas nacionais.

A formação riomaiorense ASFIC Grupo Parapedra/Dinazoo / Riomagic participou nesta prova com apenas 8 unidade, João Portela, João Letras, Jorge Letras, Humberto Careca, Edgar Oliveira, ricardo Gonçalves, Mario Ferreira e Alexandre Mota, foram os ciclistas da equipa do concelho de Rio Maior que participaram nesta prova por terras alentejanas.

A primeira etapa e início da 11.ª volta ao Concelho de Almodôvar, decorreu na tarde dia 23, com partida em Almodôvar e chegada ao Alto de Santa Clara, etapa composta por 110 km. Os atletas da ASFIC estiveram sempre na discussão da etapa, com algumas tentativas de fuga, tendo o Humberto Careca da ASFIC andado fugido aproximadamente entre o km 50 e km 70 de corrida percorrida, com cerca de 1 minuto de vantagem sobre o pelotão.

Sensivelmente ao Km 70, João Letras da ASFIC e um adversário conseguiram escapar ao pelotão e isolarem-se. A faltar cerca de 5km para a meta, João Letras não conseguiu acompanhar o seu colega de fuga, que chegou isolado a meta. João Portela cortou cortou a meta em 4 lugar, com o pelotão a chegar fraccionado.

Nesta primeira etapa a equipa do concelho de Rio Maior mostrou-se bastante combativa desempenhando um excelente trabalho, obtendo o 3º lugar coletivamente.

No dia seguinte, da parte da manhã, decorreu a 2.ª etapa composta por 64 km, com partida em Rosário e chegada a Almodôvar, tendo alinhado apenas 144 ciclistas, devido às desistências do dia anterior.

A etapa iniciou em bom ritmo, com grande atividade no pelotão que anulou sempre as tentativas de fuga. A faltar cerca de 5km para a meta, a ASFIC pegou na corrida, imprimindo um ritmo forte, que permitiu lançar o Sprint de João Letras para a vitória da etapa.

A ASFIC mais uma vez destacou-se na etapa, ao vencer a mesma através de João Letras  e João Portela a cortar a meta mais uma vez em quarto lugar, mas que lhe permitiu subir ao 3 lugar da geral individual. Coletivamente a equipa manteve o 3º lugar.

Para a última etapa, que decorreu da parte da tarde, composta por um circuito fechado de 10 voltas que perfazia um total de 45 km, já só alinharam 95 atletas. A etapa decorreu a um ritmo elevado, com varias tentativas de fuga, o que levou ao fracionamento do pelotão, ficando um grupo de cerca de 25 atletas, que vieram a discutir a etapa ao sprint, tendo o João Portela cortado a meta em 3º Lugar. Coletivamente, a equipa conseguia subir ao 2 lugar.

A ASFIC Grupo Parapedra /Dinazoo /Riomagic obteve um resultado bastante positivo nesta 11.ª Volta ao Concelho de Almodôvar, Alcançando o 2 lugar coletivamente entre as 20 equipas presentes,  na geral individual conquistou o 3º lugar por João Portela e João Letras conquistou a camisola verde, Lider das metas volantes.

Contas feitas, no final da 12.ª Volta ao concelho de Almodôvar: 2º lugar geral final equipa; 3º lugar à geral individual; 1º lugar geral Classificação por Pontos; 3º lugar geral Classificação Master 30; 3º lugar geral Classificação Master 40 e vencedores da segunda etapa.

De realçar que na geral individual, que resulta do trabalho de toda a equipa durante as três etapas, a equipa mesmo reduzida, demonstrou não só a excelente qualidade, entrega, dedicação, espirito de sacrifício e entreajuda dos atletas da ASFIC, mas também a união, amizade e harmonia da equipa

Podemos não ganhar, mas seremos sempre combativos e estaremos sempre na luta.

Fonte: ASFIC Clube de Ciclismo

 

 

 

“I TRIATLO DE PORTIMÃO TRIATLO DE TORRES NOVAS VENCE 1ªETAPA NACIONAL CLUBES

Por: Paulo Vieira”

O TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS VENCEU categoricamente a 1ªetapa da Campeonato Nacional de Triatlo por Clubes, realizada em Portimão, no sábado, dia 23 de março.

Foi uma prova disputada em distância olímpica (1500m/natação, 40kms/ciclismo e 10kms/corrida), e a equipa torrejana (a mais jovem participante) constituída por RICARDO BATISTA (18 anos), JOSÉ PEDRO VIEIRA e AFONSO DO CANTO (ambos com 17 anos), e LUIS VELASQUEZ (24 anos) foi a grande vencedora desta competição.

RICARDO BATISTA completou o segmento de natação em 1ºlugar, e juntamente com JOSÉ PEDRO VIEIRA que saiu da água na 4ªposição, integraram um grupo de 5 atletas no segmento de ciclismo que se manteve sempre na frente até à corrida, com uma vantagem de cerca de 1m30s para o grupo perseguidor.

No segmento de corrida, e numa grande luta até final, entre um atleta do Alhandra, De La Peña, e de Alexandre Nobre, do Portugal Talentus, RICARDO BATISTA alcançou um brilhante 3ºlugar à geral (1ºjunior). LUIS VELASQUEZ, que conseguiu recuperar o contacto com os atletas da frente no segmento de corrida, terminou na 8ªposição (3ºsenior), logo seguido pelo colega de equipa JOSÉ PEDRO VIEIRA, que na sua estreia numa prova olímpica, alcançou um excelente 9ºlugar (2ºjunior). AFONSO DO CANTO, outro jovem atleta também estreante neste tipo de distância, concluiu no 24ºlugar.

No setor feminino, MADALENA ALMEIDA, a única atleta da equipa torrejana, participante nesta competição, demonstrou que se encontra a subir de rendimento, ficando apenas a um lugar do pódio, em 4ºlugar à geral, sendo 3ªclassificada no seu escalão de 20-24 anos.
 
 

CAMPEONATO NACIONAL DE TRIATLO DE ESTAFETAS

C.N.TORRES NOVAS é Vice-Campeão Nacional em Estafetas Mistas

 

No domingo de manhã, teve lugar outra competição no mesmo local, uma prova única de estafetas mistas, com as equipas constituídas por 4 elementos a disputarem a prova única desta competição nacional, em distância super-sprint (300m/natação, 8kms/ciclismo e 2kms/corrida.

A equipa do Clube de Natação torrejana formada por MADALENA ALMEIDA, RICARDO BATISTA, JOANA MIRANDA e JOSÉ PEDRO VIEIRA, realizaram uma excelente prova sempre na frente com os seus principais adversários e concluíram esta estafeta no 2ºlugar, sagrando-se VICE-CAMPEÃ NACIONAL DE TRIATLO EM ESTAFETAS MISTAS.

No próximo fim-de-semana, realiza-se no domingo de manhã, dia 31 de março, a partir das 10h30, o 2ºAQUATLO JOVEM DE TORRES NOVAS, nas Piscina Municipais Fernando Cunha e Jardim das Rosas.

Fonte: TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS

“José Simões e Daniela Pereira vencem 8.º BTT Paredes de Coura XCO”

José Simões (Tomatubikers/Toyota-Macedo&Macedo) e Daniela Pereira (Saertex Portugal/Edaetech) foram os grandes vencedores da corrida de elites do 8.º BTT XCO Paredes de Coura. A primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO – SCORE TECH for organizada conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Câmara Municipal de Paredes de Coura.

José Simões, Tomatubikers/Toyota-Macedo&Macedo, gastou o tempo de 01:29:54.057 para fazer o percurso da prova, na segunda posição,a mais de 55 s, ficou Tiago Alves (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde), enquanto José Ribeiro, do Joane BTT/Trilhos Bike fechou o pódio de elites.

Na prova de Elites femininas, Daniela Pereira, da Saertex Portugal/Edaetech, gastou 01:13:09h para percorrer o percurso, deixando na segunda posição, a 16s23, outra minhota Leandra Gomes (Batotas/Ponte de Lima). Celina Faria (Saertex Portugal/Edaetech, foi terceira.

Na prova de Juniores, Tiago Sousa, AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, foi o vencedor, deixando Lucas Braga (Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact) na segunda posição e Rúben Queirós (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde) na terceira.

Joana Santos e Rute Silva, ambas do Tomatubikers/Toyota-Macedo&Macedo, foram e primeira e segunda classificada, respetivamente, da prova feminina de Juniores.

Em Cadetes os vencedores foram João Cruz (AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde) e Catarina Lopes (Batotas/Ponte de Lima).

Ruben Cajide, Grupeta Pan de Zariko C., vence em Masters 30, deixando nos lugares imediatos Hernâni Gouveia e Cláudio Veloso, ambos do BTT Braguinhas/Padim da Graça.

Em Masters 40 venceu António Viana, do Bombos S. Sebastião/MonçãoBike/Lusomotor. Constantino Muñoz (Grupeta Pan de Zariko C.,) foi segundo e António Rocha (Saertex Portugal/Edaetech) terceiro.

António Sousa, individual, venceu a prova de Masters 50, enquanto Rodolfo Lopes, AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, foi segundo e João Amaro (Batotas/Ponte de Lima) terceiro.

Na classificação por equipas, a AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde foi o grande vencedor, ao conquistar dois primeiros lugares e um segundo nas provas de competição. Saertex Portugal/Edaetech ficou com a segunda posição e o Batotas/Ponte de Lima em terceiro.

Uma palavra ainda para a participação de Eduardo Sá, atleta que marcou presença como individual na prova de Promoção.


Tiago Cunha (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Paredes de Coura) faz balanço positivo

Tiago Cunha, vice-presidente da Câmara Municipal de Paredes de Couro, fez no final da prova um balanço positivo deste 8.º BTT XCO Paredes de Coura, primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO – SCORE TECH.

“O balanço é positivo, houve uma evolução positiva em relação ao ano passado. Houve um maior cuidado da organização e mais participantes. Este ano tivemos uma maior participação de clubes da Galiza, essencialmente, nos escalões de formação. A aposta da Associação de Ciclismo do Minho, em fazer esta colaboração com a federação galega, é muito positiva e beneficia a todos: ao desporto, porque traz mais competição; economicamente, porque os comerciantes acabam por ter aqui muito mais gente que vieram participar ou assistir à prova; e ao concelho porque acaba por atrair a Paredes de Coura todos estes amantes do desporto, neste caso, do BTT”.

 

Seissa / KTM – Bikeseven / Matias&Araújo / Frulact vence em escolas

O Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact foi o grande vencedor da prova de Escolas do 8.º BTT XCO Paredes de Coura - 1.º Campeonato do Minho de BTT XCO – SCORE TECH.

A equipa de Roriz, Barcelos ficou à frente da equipa de Gondomar, Domarsa/Code/Santa Cruz/Bicicastro e dos espanhóis da Club Ciclista Ponteareas. A equipa bracarense do BTT Braguinhas/Padim da Graça terminou na quinta posição.

Em temos individuais, Afonso Pereira, da Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact, venceu a prova de Escolas/Pupilo-Benjamins, deixando Tomás Vigário (Domarsa/Code/Santa Cruz/Bicicastro) na segunda posição. Matilde Fernandes (Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact) foi terceira classificada.

Afonso Silva, do BTT Braguinhas/Padim da Graça, foi o grande vencedor da prova de Iniciados, ao terminar em primeiro com o tempo total de 00:04:39.330, enquanto Lara Azevedo (Escolas BTT Matosinhos) foi segunda a mais de um minuto de diferença e Aron Porto (Club Ciclista Ponteareas) foi terceiro.

Na prova de Infantis, a vitória foi para Marcos Rodriguez, do Carballiño, João Vigário (Domarsa/Code/Santa Cruz/Bicicastro) terminou na segunda posição e Xian Alvariño (Club Ciclista Ponteareas) foi terceiro.

Em Juvenis a vitória sorriu a João Martins, da Seissa/KTM -Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact, que realizou o tempo de 00:21:52, deixando nas posições imediatas Gonçalo Silva, da Domarsa /Code/Santa Cruz/Bicicastro, e Gabriel Baptista (Seissa/KTM -Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact.


José Carlos Rodrigues satisfeito

No final da prova de Escola, José Carlos Rodrigues, dirigente do conjunto barcelense Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact, mostrava-se bastante satisfeito com o empenho e entrega dos seus atletas.

“A vitória sabe bem, é o fruto de muitos anos de trabalho… mas é secundária. O importante é que eles gostem do que estão a fazer, que se divirtam e que aprendam e criem hábitos de competição, de saber estar nas provas, a ultrapassar os obstáculos”.

O 8º BTT XCO de Paredes de Coura teve o apoio da Câmara Municipal de Paredes de Coura, Federação Portuguesa de Ciclismo, Score Tech, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Cision, Arrecadações da Quintã e POPP Design.

Fonte: ACM