terça-feira, 7 de novembro de 2017

“Rui Vinhas renova por uma temporada com a W52-FC Porto”

Vencedor da Volta em 2016 recebeu propostas mas preferiu ficar

Por: Lusa

Foto: Carlos Barroso

Rui Vinhas, vencedor da Volta a Portugal em 2016, renovou por uma temporada com a W52-FC Porto, anunciou esta terça-feira o clube no seu site oficial.

Depois de ter assegurado a continuidade dos espanhóis Raul Alarcón, vencedor da Volta este ano, e Gustavo Veloso, que triunfou duas vezes na principal prova velocipédica portuguesa, os dragões mantêm mais uma das referências da equipa.

"O ano passado recebi algumas propostas, este ano também, mas optei por ficar na equipa mais forte. Junto aos mais fortes estamos sempre melhor e temos mais ambição. Estou bem nesta equipa, espero continuar mais alguns anos", assumiu o ciclista português.

Apesar da saída de Amaro Antunes, segundo na Volta em 2017, para os polacos do CCC Sprandi Polkowice, Rui Vinhas acredita que o W52-FC Porto vai "manter um bloco bastante forte".

Fonte: Record on-line

“Volta a Hainan: agressões de Wang Xin levam a expulsão de equipa chinesa”

Ciclista da Keyi Look atacou membros de uma seleção suíca

Por: Lusa

O ciclista Wang Xin, bem como toda a equipa chinesa Keyi Look, foi excluído da Volta a Hainan, depois de ter agredido membros de uma seleção suíça, o que levou à intervenção da polícia.

A organização da prova, que decorre no sul da China, junto à fronteira do Vietname, indicou que o ciclista, bem como a equipa a que pertence, não voltarão a ser convidados para a competição.

Um vídeo publicado online mostra um ciclista suíço a ser atirado ao chão e depois pontapeado, e, posteriormente, o agressor a dirigir-se a um carro de apoio, do qual recolhe uma bomba de ar, com a aparente ideia de a utilizar como arma.

Os incidentes ocorreram no final da sétima etapa, entre as cidades de Sanya e Wuzhishan.

A Federação chinesa de ciclismo já disse ter aberto um inquérito ao sucedido e que não tolerará "atitudes não civilizadas e comportamentos violentos", mas ressalva que os acontecimentos foram desencadeados por um toque do suíço no corredor chinês.

"Não lhe tocámos, podem ver o vídeo da corrida", defendeu o antigo ciclista Danilo Hondo, manager da equipa suíça.

Fonte: Record on.line