segunda-feira, 2 de outubro de 2017

“Novo projeto já mexe…”

Vem ai o filme “Cicloturismo”

Texto e Imagem: José Morais

Em 1999 iniciei um projeto, a criação de uma revista sobre cicloturismo, a qual demos o nome de “Notícias do Pedal”, a primeira revista on-line sobre a modalidade, e que ao longo destes “18 anos” temos mantido com altos e baixos, como em tudo, isso acontece, mas vamos continuando.

O cicloturismo, apesar de ser uma modalidade amadora, possui um número imenso de participantes, muitos eventos são realizados, mas “nunca ninguém” apostou forte na sua divulgação, ao contrário de outros países, “nunca ninguém” fez uma revista em papel sobre a modalidade, apenas alguma comunicação social foi divulgando alguns eventos.

Há 25 anos, iniciei-me na comunicação social fazendo artigos sobre o “Cicloturismo”, começaram então a sair as minhas primeiras reportagem sobre a modalidade, colaborando a partir dai com diversos órgãos de comunicação social, em papel, on-line, e até em rádio, mas sempre com algumas condicionantes, já que temos de respeitar as linhas editoriais de cada órgão de comunicação social.

Em 1996 saia a primeira edição “do Notícias do Pedal” em papel, com um número restrito de exemplares, mas como era insuportável manter a revista em papel, e quando a internet começava a entrar porta dentro da casa das pessoas, nada melhor do que ser os primeiros, e assim nasceu a edição on-line, começando por ser semanal, passou a quinzenal, e mais tarde a mensal, como se tem mantido até hoje, porem como a informação agora tem de ser quase instantânea na casa de cada um, passamos a ter um espaço diário, com ligação direta às redes sociais.

Mas quisemos ir mais longe, e lançamos o nosso canal de televisão, tanto no MEO, como no YouTube, mas gostávamos de fazer mais e melhor.

 

São:

. 30 Anos ligados ao cicloturismo.

. 25 Anos de jornalismo.

. 18 Anos com uma revista (notícias do Pedal) edições mensais.

. 4 Anos com o nosso blogue de atualizações diárias, com ligação direta às redes sociais.

. 5 Anos de televisão, no MEO e no YouTube.

. Tudo isto, já deu milhares e milhares de linhas escritas, milhares e milhares de fotografias tiradas, mais de 200 filmes publicados, e milhares de quilómetros percorridos com a máquina às costas, tanto a pedalar, como de carro, e ultimamente de moto (esta última com mais de 120 mil kms, percorridos, um pouco por este país.

. Já pensei algumas vezes desistir, porque não sou de ferro, temos às vezes de ter limites, tenho família ficando em casa, e às vezes não dou tanto apoio como deveria de dar, sendo assim sacrificados.

. Diariamente são várias horas que ocupo à modalidade, apesar de ter a minha outra atividade profissional.

. Resumindo, ao fim destes anos, o cansaço começa a ser muito, e é tempo de pensar em reforma.

. Mas… existe algo que também me diz que ainda não deverá acontecer.

. 1º A modalidade.

. 2º Um projeto iniciado há muitos anos que não pode morrer.

. 3º A amizade que me prende a muitos de vós, ao longo destes anos muitas amizades fiz, e mais de gostava de fazer e manter.

E, um novo projeto vai sair em 2018, o projeto já mexe, e em breve começaremos a trabalhar nele. O novo projeto será o filme “Cicloturismo”, onde uma das perguntas que se coloca, é a seguinte, “O que leva a ser cicloturista”, vamos querer saber o que faz, que semanalmente se levante cedo, se façam muitas vezes muitos quilómetros, se deixe a família em casa, para se ir andar de bicicleta, esta é uma das perguntas que faço a mim mesmo, mesmo hoje que não pedalo nos passeios, apenas faço as reportagens dos mesmos, muitas vezes me pergunto, o porquê?

Possuo muito material ao longo dos anos, fotos, vídeos, e alguns relatos, agora é pegar nele, selecionar, organizar, e começar a montar, mas… não só do material que possuo irá constituir o filme, alguns dos cicloturistas com que costumo conviver semanalmente, irão fazer parte do elenco, irei selecionar e convidar alguns deles, para saber o seu testemunho, sendo de diversas idades, e ambos os sexos, e fazer assim o filme/documentário o “Cicloturista”, é certo de que gostaria de convidar todos, mas como sabem é impossível.

Está será a novidade para 2018, foi feita a presentação publicamente em 1ª mão, ontem no passeio do “Cantinho do Avô”, agora, vamos ao trabalho, que será longo, mas onde espero deixar um belo testemunho de uma modalidade que muitos acreditam.

“Bergamont Bicycles no Jasma”

Por: ANDRÉ FREDERICO

É com orgulho que anunciamos a junção da Bergamont Bicycles ao nosso portefólio de marcas.

Nascida em Hamburgo, no irreverente bairro de St. Pauli, a Bergamont reflecte o espírito daquela região da Alemanha. Onde os opostos se atraem, a rebelião se encontra com a tradição, a perfeição contesta a improvisação, a individualidade enriquece o desejo coletivo e a lógica. Tudo isto se reflete na BERGAMONT: “Simply Clear Cut Bikes”.

Fonte. SCOTT PORTUGAL | STAND JASMA

“Alhandra Sporting Club e Portugal Talentus sagram-se Campeões Nacionais de Clubes de Triatlo 2017”

Com os resultados obtidos na última etapa do Campeonato Nacional de Clubes de Triatlo 2017 o Alhandra Sporting Club e o Portugal Talentus conquistam o maior título coletivo do nosso país. O CN de Clubes de Triatlo ficou marcado pela competitividade das várias formações ao longo das quatro etapas que compuseram a competição, traduzindo-se numa grande proximidade na pontuação final.

Na Figueira da Foz a disputa pelo título nacional fez-se sentir ao longo de toda a prova. O Alhandra Sporting Club apresentava vontade de vencer sobretudo na frente feminina e, com aspirações em subir ao mais alto lugar do pódio final do campeonato, derrotou toda a concorrência. Foi pela curta margem de 15 segundos que a formação do Outsystems Olímpico de Oeiras, até então líder do campeonato, foi derrotada e conquistou o título de vice-campeã nacional de clubes de triatlo. Ambas com duas vitórias acumuladas ao longo da temporada e com o mesmo número de pontos no campeonato desempenharam uma das mais concorridas lutas pelo título de que há memória. Ainda na frente feminina o Sporting Clube de Portugal mostrou enorme consistência durante as quatro etapas e subiu ao terceiro lugar do pódio do CN de Clubes de Triatlo.

Em masculinos o Portugal Talentus sagrou-se Campeão Nacional de Clubes de Triatlo pelo segundo ano consecutivo. Com duas vitórias no Sabugal e um segundo lugar na etapa inaugural de Vila Real de Santo António, a formação cimentou a vantagem que lhe permitiu gerir da melhor forma as contas do campeonato. Dessa forma, a conquista do terceiro lugar na última etapa, Figueira da Foz, foi suficiente para o Portugal Talentus vencer o maior título coletivo da modalidade no nosso país. O segundo lugar no campeonato foi conquistado pelo BH Porto Triatlo e o Alhandra Sporting Club, com uma vitória na Figueira da Foz, ascendeu ao terceiro lugar do pódio masculino.

O CN de Clubes de Triatlo 2017 voltou a marcar o calendário competitivo através da oferta dinâmica que levou clubes e atletas a competir ao longo de quatro etapas e três diferentes formatos competitivos. No final, o Alhandra Sporting Club e o Portugal Talentus apresentaram-se como as formações mais afinadas e mais consistentes, sagrando-se Campeãs Nacionais de Clubes de Triatlo de 2017. Congratulamos os vencedores pela conquista do campeonato e todos os participantes por fazerem parte desta enorme família que é o Triatlo em Portugal.

Fonte: FTP

“Falta de novos talentos preocupa federações”

Ciclismo e atletismo procuram há muito reforçar as comitivas com jovens atletas

Por: Fábio Lima

Modalidades de grande tradição no nosso país, o atletismo e o ciclismo vivem, pelo menos até agora, bons momentos e possuem historial totalmente distinto no que a desporto adaptado diz respeito. O atletismo é, a par do boccia, a única modalidade que saiu sempre com medalhas dos Jogos Paralímpicos, ao passo que o ciclismo é uma especialidade em franco crescimento nos últimos anos, tendo em 2016 colocado pela primeira vez dois atletas nos Jogos Paralímpicos. Ainda assim, pese embora a distância que as separa a nível de historial, ambas partilham uma das grandes dores de cabeça do desporto para pessoas com deficiência: a falta de jovens talentos a surgir.

Record esteve à conversa com os líderes de ambas as federações e o problema é reconhecido por ambos. "Precisamos de aumentar a percentagem de jovens com deficiência que praticam desporto", defende Delmino Pereira. Algo que também Jorge Vieira advoga, ainda que admita que essa mesma ambição esbarra em algumas variáveis, como "questões financeiras, de recursos humanos – ter a especialização e a quantidade necessárias para desenvolver e operacionalizar estes projetos".

Ora, se há consenso no problema, também no campo das soluções há igualmente opinião similar. Ambos defendem que a realização de uma "grande ação de sensibilização", tanto junto de instituições como de escolas, seria um passo importante para dar um novo impulso. Contudo, para tal suceder, há um longo caminho pela frente. "Ainda estamos muito dependentes dos jovens e das famílias, que desbravam terreno e vão à procura de soluções para uma prática desportiva e depois até verificam que têm condições para ir mais além e vão. Mas ainda é muito incerto este processo", lamenta o líder da FPA.

Experimentar antes de decidir

Na ótica de Jorge Vieira, ainda antes de escolher uma modalidade para seguir uma eventual carreira, o jovem deve primeiro de tudo fazer experiências, de modo a perceber onde está efetivamente o seu talento no que à atividade física diz respeito. "Os jovens não deviam ser, muito menos as crianças, propriedade de uma só modalidade. Deveriam ser praticantes desportivos, experimentar várias modalidades, ensaiar, ver onde têm jeito, onde está o seu gosto, onde sentem mais prazer e, a partir daí, especializarem-se numa determinada modalidade. Esse seria o caminho mais correto, mas na realidade tarda em haver planos transversais nesta área", admite, considerando que qualquer plano definido neste âmbito deve passar por um entendimento prévio entre as mais variadas federações. "Não deve ser cada uma por si", defende ainda o presidente da FPA.

Há condições para fazer melhor?

"Temos de apaixoná-los. Fazer-lhes ver que podem ter sucesso noutras áreas." A receita é da autoria de Delmino Pereira e é vista pelo líder da FPC como sendo a solução para chamar os jovens ao desporto, o ciclismo em particular. Contudo, sendo o ciclismo dependente das bicicletas (que neste caso são – ainda mais – especiais), admite que a questão financeira complica: "Estamos a falar de um desporto caro". Mesmo assim, garante que a FPC tem "tentado acompanhar a evolução" da modalidade e realça o papel de "patrocinadores e organizadores", assim como "uma abertura muito grande por parte do CPP, do IPDJ e do IPR, que têm sido muito cooperantes e que têm permitido fazer um bom trabalho".

No aspeto financeiro, Jorge Vieira vai mais longe e aponta o dedo à forma como o desporto é encarado por quem governa o país. "Vejo o financiamento do desporto nacional em números absurdos, de dois dígitos, de 85 a 86 milhões de euros, quando a cultura tem 400 milhões. É impensável falar em desenvolvimento desportivo quando o orçamento do desporto e da juventude está nos dois dígitos. É impensável! Quem disser que vai desenvolver com estes números está a mentir! Não é possível com estes números criar um desenvolvimento para além daquilo que vamos conseguindo fazer", garante o líder federativo do atletismo.

Fonte: Record on-line

Reportagem no “O Praticante” do evento: “2º Passeio o Cantinho do Avô.2017”

O “O Praticante” publicou a reportagem do evento: “2º Passeio o Cantinho do Avô.2017” realizado este domingo em Alcanhões/Santarém, a mesma pode ser visualizada em: http://www.opraticante.pt/passeio-cantinho-do-avo-alcanhoes/ ou em: http://www.opraticante.pt/  onde pode ainda visualizar outras notícias.

“Reportagem no “Jornal de Ciclismo” do evento: “2º Passeio o Cantinho do Avô.2017”

OJornal de Ciclismo”, publicou a reportagem do evento: “2º Passeio o Cantinho do Avô.2017” realizado este domingo em Alcanhões/Santarém, a mesma pode ser visualizada em: http://jornalciclismo.com/?p=46440 ou em: http://jornalciclismo.com  onde pode ainda visualizar outras notícias.