quarta-feira, 3 de agosto de 2016

“Volta Portugal/Filipe Cardoso abandona a corrida na sequência de várias quedas sofridas”

Foto: Lusa
O português Filipe Cardoso (Efapel) vai falhar esta quarta-feira a partida para a sexta etapa da 78.ª Volta a Portugal, em Belmonte, desistindo da corrida, na sequência das quedas sofridas.
"Para mim acabou, é completamente impossível seguir na corrida, preciso de ajuda para as coisas básicas do dia-a-dia, portanto montar na bicicleta é impossível", escreveu nas redes sociais.
O corredor da Efapel sofreu uma queda na quarta etapa, que terminou na Senhora da Graça, e continuou em prova, mas voltou a cair no dia seguinte e apesar do hematoma na coxa e de uma fissura numa costela concluiu a etapa.
O diretor desportivo da Efapel, Américo Silva, já tinha admitido a retirada de Filipe Cardoso, deixando a decisão final para o ligeiro treino no dia de descanso, depois de o corredor ter passado grande parte da noite no hospital, mas a confirmação surgiu esta quarta-feira no seu Facebook pessoal, no qual partilhou uma fotografia dos danos sofridos no sapato de corrida.
"O meu equipamento é o reflexo do meu estado. Para mim acabou! Deixo a Volta precisamente na montanha onde a preparei, na Serra da Estrela. A Volta a Portugal, a 'Grandíssima' como carinhosamente lhe chamamos, não é apenas uma corrida é para a maior parte dos ciclistas uma paixão, a realidade é que aqui se corre com amor. Aos meus colegas de equipa quero desejar a máxima sorte e aos adversários também", rematou Filipe Cardoso, que seguia no 48.º lugar da geral, a 42.32 minutos do camisola amarela, Rui Vinhas (W52-FC Porto).
Após o dia de descanso, o pelotão vai enfrentar esta quarta-feira a etapa rainha da prova, com duas subidas à Torre, na Serra da Estrela, nos 173,7 quilómetros da ligação entre Belmonte e Guarda.
Meu equipamento é o reflexo do meu estado. Para mim acabou! Deixo a volta precisamente na montanha onde a preparei, Serra da Estrela.
A Volta a Portugal, a Grandíssima como carinhosamente lhe chamamos não é apenas uma corrida é para a maior parte dos ciclistas uma paixão, a realidade é que aqui se corre com amor.
Para mim acabou, é completamente impossível seguir na corrida, preciso de ajuda para as coisas básicas do dia-a-dia, portanto montar na bicicleta é impossível.
Aos meus colegas de equipa quero desejar a máxima sorte, e aos adversários também. Um sentido obrigado muito especial aos fãs desta corrida e aos meus amigos mais próximos.
Vou subir de carro até ao túnel ver a malta passar. Depois talvez beba uma cerveja no Varandas da Estrela
Fonte: Record on-line

Sem comentários:

Publicar um comentário