quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

“Chris Froome acusou positivo em controlo antidoping durante a Volta Espanha”

Foto: EPA

O britânico Chris Froome acusou positivo no controlo antidoping realizado na 18.ª etapa da Volta a Espanha de 2017, realizada a 7 de setembro. O ciclista da Sky foi notificado pela UCI a 20 de setembro do resultado do teste que confirmou a presença de 2.000 nanogramas por mililitro de sangue (ng/ml) de salbutamol, o dobro permitido pela regulamentação da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

Froome reagiu através de comunicado emitido ainda antes da nota divulgada pela própria UCI, justificando que foi forçado a utilizado um medicamento (broncodilatador) devido a "um ataque severo de asma", sublinhando que é doente "asmático".

O corredor possue mesmo uma justificação médica para utilizar medicamentos com esta substância (salbutamol) dentro dos limites que estão estalecidos pela regulamentação da AMA, o que sucede também com outros colegas de profissão - e outros desportisas - mas que, ainda assim, acabaram sancionados por infrações menores.

São os casos de Alessandro Petacchi (1.360 ng/ml de sangue), suspenso por um ano, e Diego Ulissi  (1.900 ng/ml), nove meses. Os 2.000 ng/ml de Froome apontam para uma sanção de dois anos de suspensão, aliada a perda do título na prova em causa - Vincenzo Nibali passará a ser o vencedor da Vuelta de 2017.

Ao conquistar a 72.ª Volta a Espanha, Chris Froome tornou-se o 10.º ciclista a conseguir vencer duas grandes voltas no mesmo ano, conseguindo a dobradinha Volta a França-Volta a Espanha, que não acontecia desde 1978.

Froome, que com a prova espanhola chegou aos cinco triunfos nas três grandes, o sétimo melhor registo histórico, cumpriu a dobradinha mais rara, uma vez que, além de Hinault, apenas o também francês Jacques Anquetil, em 1963, logrou vencer as duas provas no mesmo ano.

Fonte: Record on-line

Sem comentários:

Enviar um comentário