sexta-feira, 29 de junho de 2018

“FROOME: «NÃO FIZ NADA DE ILEGAL POR ISSO POSSO COMPETIR»”

Britânico responde aos críticos que o consideram ‘persona non grata’ para o Tour

Por: Ana Paula Marques

Foto: EPA

Chris Froome sempre se mostrou tranquilo quanto à sua situação, o de estar sob investigação por causa do controlo positivo que teve na Vuelta de 2017. O britânico nunca foi muito de reagir a quem o tem criticado por competir sem ainda haver uma decisão sobre o caso, mas, a uma semana do arranque do Tour , o líder da Sky esgotou a paciência e respondeu a quem o considera ‘persona non grata’.

"Para mim seria muito difícil se não corresse, sabendo que não fiz nada de ilegal. Por isso tenho todo o direito a competir e é isso que vou continuar a fazer", disse em entrevista à Sky Sports.

Ainda assim, Froome mostra-se sensível com quem pensa o contrário. "Até posso perceber o ponto de vista de quem está preocupado com a imagem do desporto, mas não fiz nada de errado, foi sempre o meu ponto de partida."

O caso de doping por salbutamol está em investigação na Comissão de Doping da UCI. "Estou à espera de ser ilibado. É obviamente o meu foco", frisou ainda o britânico, que inicia no dia 7 de julho a defesa da camisola amarela, com os olhos postos na 5ª vitória.

Um dos mais críticos à sua presença nas provas e, em especial, agora no Tour, tem sido o francês Bernard Hinault, vencedor de cinco edições.

O antigo ciclista, que até pertence à organização da prova – faz parte da cerimónia protocolar –, lançou mesmo um desafio ao pelotão, o de fazer greve para impedir a presença do britânico.

Fonte: Record on-line

Sem comentários:

Publicar um comentário