quinta-feira, 3 de agosto de 2017

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo do 9º Passeio Mafra/Gare.2017”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo do 9º Passeio Mafra/Gare.2017”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.

“Campeonato da Europa de Estrada/Femininos”

Portugal com corredoras em todas as categorias

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal estará representada nas provas de fundo de elite, sub-23 e juniores femininas no Campeonato da Europa de Estrada, que decorre em Herning, Dinamarca. É a primeira vez que Portugal tem corredoras em todas as categorias etárias de uma competição com a dimensão do Campeonato da Europa.

Daniela Reis, a mais experiente, vai competir nos 120,6 quilómetros da corrida de elite, que se disputa a partir das 13h00 de sábado. Soraia Silva, que esteve presente na edição anterior, ainda enquanto júnior, compete em 2017 na categoria de sub-23. Terá de completar 100,5 quilómetros, a partir das 11h00 de sexta-feira.

A benjamim da comitiva feminina é a júnior Maria Martins, já duas vezes medalhada em Europeus de pista, que se estreia neste nível competitivo em estrada. Também compete na manhã de sexta-feira, a partir das 8h00, tendo por diante 60,3 quilómetros.

“Era melhor se corrêssemos todas na mesma categoria, porque poderíamos fazer equipa, mas é muito bom que estejam presentes três femininas neste Campeonato da Europa. É muito importante para o ciclismo português. Finalmente, estamos a ver alguma evolução e miúdas a chegar mais longe. Fico muito satisfeita”, diz Daniela Reis, 24 anos, com presenças em Europeus e/ou Mundiais todos os anos desde 2014.

“Estou mais bem preparada e sinto-me mais à vontade do que em anos anteriores, porque as atletas que vão correr contra mim no sábado são as mesmas que defronto ao longo de todo o ano. Mesmo sabendo que ainda não tenho nível para discutir as primeiras posições com as melhores, não tenho o receio de descolar à partida. Já sei que entrei naquele nível”, adianta Daniela Reis, que em 2017 tem feito as principais corridas do calendário internacional feminino ao serviço da equipa Lares-Waowdeals.

A corredora de elite deixa um conselho às companheiras mais jovens: “Boa colocação, muita cabeça e acreditar que são capazes”. Soraia Silva e Maria Martins sabem as dificuldades que vão encontrar, mas estão motivadas para um bom desempenho.

“Estou consciente de que vai ser mais competitivo do que na pista, mas estou tranquila porque o trabalho está feito e foi bem feito. Resta-me dar o meu melhor e depois logo se vê o resultado. O percurso, plano, enquadra-se nas minhas caraterísticas”, frisa Maria Martins.

Soraia Silva admite que a mudança de júnior para sub-23 “é a alteração de escalão mais significativa. Estou no meu primeiro ano e tenho noção de que o caminho faz-se com calma. Também fiz o trabalho de preparação, embora com alguma dificuldade para poder conciliar o ciclismo e a universidade. Vou desfrutar e dar o meu melhor”, garante Soraia Silva.

A júnior e a sub-23 também valorizam o facto de haver três representantes femininas portuguesas neste Europeu. “O ambiente é sempre diferente, há partilha e união”, revela Maria Martins. “Damos confiança umas às outras e isso ajuda a não ‘stressar’”, acrescenta Soraia Silva.

(Horários de Portugal Continental)

Fonte: FPC

“Campeonato da Europa de Estrada”

Tiago Machado 11.º no Europeu de contrarrelógio

Por: José Carlos Gomes

Tiago Machado foi hoje o melhor elemento da Equipa Portugal no contrarrelógio de elite do Campeonato da Europa de Estrada, em Herning, Dinamarca, terminando na 11.ª posição.

O corredor famalicense fez uma prova consistente ao longo dos 46 quilómetros do percurso, terminando com 55m09s, apenas a dois segundos do objetivo de entrar no top 10. Depois de uma manhã chuvosa, o sol abriu e os corredores de elite correram com piso praticamente seco, mas o vento não cessou.

“Foi um contrarrelógio muito duro, devido ao vento. Quando não és um corredor alto e pesado, estas condições acabam por tornar-se adversas. Tendo em conta estas condicionantes, estou satisfeito com a minha prestação. Acho que defendi bem as cores nacionais”, conclui Tiago Machado.

Rafael Reis foi o outro representante nacional na corrida de elite, acabando no 24.º lugar, com um registo de 57m09s, aquém do que o ciclista pretendia fazer. “Não correu como eu esperava e a única explicação possível é que não tive força. Hoje não foi o meu dia”, reconhece o palmelense.

O primeiro português a correr hoje foi o sub-23 Gaspar Gonçalves, 37.º classificado no exercício individual de 31,5 quilómetros, disputado sob vento forte, em grande parte do percurso de frente, e debaixo de alguma chuva.

Gaspar Gonçalves precisou de 41m05s para completar o percurso, gastando mais 3m35s do que o vencedor, o dinamarquês Kasper Asgreen, que fez 37m33s. No segundo lugar colocou-se outro corredor da seleção da casa, Mikkel Bjer, a 2 segundos. O terceiro foi francês Corentin Ermenault, a 23 segundos.

"Não me senti muito solto, talvez por não gostar de correr com chuva. No entanto, os valores de potência indicam que tive um desempenho semelhante aos meus melhores. A diferença para os primeiros é muito grande, há que reconhecer", admite Gaspar Gonçalves.

As provas de fundo do Campeonato da Europa começam nesta sexta-feira. Às 8h00 Maria Martins parte para os 60,3 quilómetros destinados às juniores femininas. Às 11h00 Soraia Silva começa os 100,5 quilómetros da corrida feminina de sub-23. Os juniores masculinos competem a partir das 15h00, tendo por diante 120,6 quilómetros. Portugal estará representado nesta prova por João Dinis, Pedro José Lopes, Pedro Miguel Lopes e Pedro Teixeira.

Fonte: FPC

“Mikel Nieve troca Sky pela Orica-Scott”

Espanhol ganhou várias etapas nas Voltas a Espanha e Itália

Por: Lusa

Foto: Reuters

Mikel Nieve (ex-Sky) vai representar a australiana Orica-Scott nas duas próximas temporadas, anunciou esta quinta-feira a futura equipa do trepador espanhol.

Nieve, de 33 anos, vencedor de várias etapas nas Voltas a Espanha e Itália, foi um dos apoios do britânico Chris Froome nos triunfos de 2016 e 2017 na Volta à França.

"A vinda de Nieve vem reforçar o grupo que estamos a construir e ajudar a consolidar os nossos ciclistas nas tabelas classificativas", disse o diretor desportivo da equipa australiana, Matt White.

A equipa australiana Orica-Scott apresenta como chefes de fila o colombiano Esteban Chaves e os gémeos britânicos Adam e Simon Yates.

Fonte: Record on-line

“Romain Bardet vai participar na Volta a Espanha”

Será a primeira participação numa grande volta além da Volta a França

Por: Lusa

Foto: Reuters

A equipa AG2R La Mondiale tornou esta quinta-feira oficial a participação do francês Romain Bardet na Volta a Espanha, que partirá de Nîmes, em França, a 19 de agosto.

Para o trepador francês será a primeira participação numa grande volta além da Volta a França, no qual foi segundo em 2016 e terceiro em 2017.

O corredor de 26 anos vai assim voltar a competir com o britânico Chris Froome, da equipa Sky, vencedor de quatro das últimas cinco edições do Tour, e com o campeão italiano Fabio Aru, da Astana, vencedor da Vuelta em 2015.

Fonte: Record on-line

“Portugueses conquistam bronze nos Mundiais de deficiência intelectual”

Carlos Carvalho e André Penedo concluíram os 13 km da prova de contrarrelógio em 22:28 minutos

Por: Lusa

Foto: DR Record

Os portugueses Carlos Carvalho e André Penedo conquistaram esta quinta-feira a medalha de bronze no contrarrelógio por equipas do campeonato do mundo da Federação Internacional de Desporto para a Deficiência Intelectual (INAS), em Assen, na Holanda.

Os dois representantes portugueses concluíram os 13 quilómetros em 22.28 minutos, atrás da França (19.40) e da Holanda (20,21), medalhas de ouro e prata, respetivamente.

Na terça-feira, Carlos Carvalho e André Penedo terminaram nas sexta e nona posições, respetivamente, a prova de contrarrelógio individual.

Os dois representantes portugueses nos Mundiais da INAS, que decorrem até 5 de agosto, vão ainda participar na prova de estrada, agendada para sexta-feira.

Fonte: Record on-line

“Kristoff troca Katuscha Alpecin pela UAE Team Emirates de Rui Costa”

Contrato será assinado nas próximas semanas

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista norueguês Alexander Kristoff, que representava a Katusha Alpecin, dirigida pelo português José Azevedo, vai correr na UAE Team Emirates, que integra nas suas fileiras Rui Costa, anunciou esta quinta-feira a sua futura equipa.

O 'sprinter' de 30 anos teve como pontos altos na sua carreira, com as cores da Katusha Alpecin, de Tiago Machado e José Gonçalves, os triunfos na Milão-São Remo, em 2014, e na Volta a Flanders, em 2015.

Na presente temporada, Kristoff esteve em evidência ao vencer duas das corridas de um dia do World Tour, em Frankfurt, na Alemanha, a 1 de maio, e em Londres, em Inglaterra, no último domingo.

"O contrato será assinado nas próximas semanas, depois de realizados os exames médicos de rotina", refere em comunicado o diretor da UAE Team Emirates, o italiano Giuseppe Saronni.

Fonte: Record on-line

“Nove portugueses competem no Campeonato da Europa de Triatlo Sub23”

Velence será palco de dois dias de competições que trarão à cidade húngara os melhores triatletas sub23 a competir em solo europeu. A cidade receberá os Campeonatos da Europa de Triatlo Sub23, nos dias 5 e 6 de Agosto, e assistirá à disputa de provas que testarão a capacidade de uma centena de atletas. Entre as nações em competição, Portugal apresentará uma das maiores comitivas e marcará a sua presença com três triatletas femininas e seis triatletas masculinos.

Nas senhoras, Ana Ramos, Andreia Ferrum e Helena Carvalho defenderão as cores nacionais ao longo de 1,5km de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida. O trio luso enfrentará um pelotão composto por algumas das melhores atletas da modalidade que terá como referência, por exemplo, a inglesa vencedora da etapa deste ano da Taça do Mundo de Triatlo de Madrid, Georgia Taylor Brown. Ana, Andreia e Helena têm apresentado bons indicadores ao longo da época em provas nacionais e internacionais e, confiando na sua qualidade e vontade de representar Portugal, acreditamos que disputarão este europeu da melhor forma.

Na frente masculina serão Alexandre Nobre, André Dias, David Luís, Nuno Ribeiro, Pedro Gaspar e Rafael Domingos os triatletas a enveredar o equipamento da Seleção Nacional. A mancha portuguesa será a maior entre a competição masculina e seremos representados por valores que contam com algumas presenças internacionais interessantes registadas esta época. Entre os nossos triatletas encontramos resultados como pódios em etapas de taças continentais de triatlo, presenças em europeus de triatlo elite e, até, em etapas do circuito mundial WTS. Para os portugueses em competição os maiores desafios serão encontrados nos percursos de Velence, caracterizados por algumas subidas no ciclismo e corrida, e pelo forte contingente internacional que estará em disputa do título europeu. Ameaças como o espanhol Antonio Serrat Seoane, duas vezes Top10 nos CE Elite Santdard e Sprint 2017, o húngaro Bence Bicsák, mais recente vencedor da etapa da Taça do Mundo de Triatlo Tiszaujvaros e pódio no mundial Sub23 do ano passado, ou o austríaco Lukas Pertl, Top10 em várias etapas da Taça do Mundo de Triatlo e que soma três presenças em WTS este ano.

No mesmo fim-de-semana os triatletas da Seleção Nacional serão desafiados a competir na prova de estafetas mistas. Um formato cada vez mais habitual em competições internacionais que une o espírito competitivo ao esforço e união colectiva.

Acreditamos nas capacidades e determinação de todos os nossos atletas e estamos confiantes nesta representação nacional.

Fonte: FTP

“Volta Portugal/Rui Vinhas gostava de defender o título, mas veio para "trabalhar"”

Competição começa esta sexta-feira com um prólogo em Lisboa

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

O ciclista português Rui Vinhas (W52-FC Porto) confessou esta quinta-feira à agência Lusa que ainda não se acostumou ao estatuto de campeão em título da Volta a Portugal, salientando, no entanto, que está na 79.ª edição para trabalhar.

"É um bocado estranho estar aqui como vencedor. Ainda não estou habituado a tudo isto, a todo este mediatismo, mas é muito bom sentir o carinho das pessoas. E partir com o dorsal número um também é muito especial", foi dizendo enquanto caminhava a passo apressado para o palanque instalado na Praça do Império, em Lisboa, onde durante esta tarde decorreu a apresentação das 18 equipas que, na sexta-feira, estarão na partida para a 79.ª edição da prova rainha do calendário nacional.

Um ano depois de ter agarrado a oportunidade de uma vida, ao integrar a fuga certa à terceira etapa, Rui Vinhas desceu novamente à terra e, embora vá admitindo que até gostava de defender o título, está nesta Volta a Portugal para trabalhar para Gustavo Veloso ou outro qualquer líder que possa aparecer na constelação de estrelas da equipa portista.

"O líder é o Gustavo e eu vou estar limitado, porque tenho de trabalhar para ele ou até para outro, caso aconteça algo parecido ao que aconteceu comigo no ano passado", esclareceu o corredor de Sobrado.

Contudo, o dorsal número um não nega que, caso lhe seja dada uma hipótese de lutar pelo 'bis', irá agarrá-la. "Sei que é difícil, mas nunca se sabe", concluiu o ciclista, que na sexta-feira será o último a partir para o prólogo de 5,4 quilómetros, percorridos junto ao Rio Tejo, entre a Avenida da Índia e a Praça do Império, em Lisboa.

A 79.ª Volta a Portugal disputa-se entre 4 e 15 de agosto, num total de 1.626,9 quilómetros, de Lisboa a Viseu.

Fonte: Record on-line

“Volta Portugal/Não há volta a dar no favoritismo azul”

W52-FC Porto parte para a 90.ª edição de novo como a grande favorita e com mais de um candidato

Por: Ana Paula Marques

Foto: Podium

A 90.ª edição da Volta a Portugal arranca sexta-feira com o prólogo na Praça do Império, em Belém, mas já haverá agitação esta quinta-feira nesta zona da capital com a cerimónia de apresentação das equipas. A última a dar-se a conhecer será a W52-FC Porto, por força de ter o dorsal número 1, Rui Vinhas, que causou surpresa em 2016 ao ser coroado vencedor, relegando para ‘segundo’ plano aquele que iniciou a prova como chefe-de-fila e que procurava o tri.

O galego Gustavo Veloso, 2º em 2016, mantém-se, no entanto, como líder da formação azul e branca, mas, depois do estatuto que Vinhas conquistou e dos resultados alcançados este ano por outros corredores da equipa, terá de ter de novo jogo de cintura para aceitar que um colega volte a ser melhor...

Para além de Rui Vinhas e Veloso, a equipa comandada por Nuno Ribeiro tem outras armas capazes de vestirem no dia 15 a camisola amarela: Amaro Antunes, Raúl Alárcon ou mesmo Ricardo Mestre, vencedor da prova em 2011.

Que adversários?

Desconhecendo-se ainda um pouco do que podem valer as equipas estrangeiras, onde se nota a ausência da espanhola Caja Rural, será das restantes formações portuguesas que virá a oposição à W52-FC Porto.

A Efapel apresenta-se com Sérgio Paulinho, 37 anos, que fará valer a experiência de mais de uma década no pelotão mundial para vencer uma corrida onde o seu melhor resultado é o 6º posto, conseguido em 2004, precisamente no último ano em Portugal antes de rumar às equipas do World Tour.

Já o Sporting-Tavira surge sem aquele que foi definido como líder, Joni Brandão, ausente devido a problemas de saúde. Manteve o italiano Rinaldo Nocentini, 39 anos, e foi buscar Alejandro Marque, 35, este também já com uma Volta ganha (2013).

Vindo ainda do Algarve, o Louletano-Hospital de Loulé quer colocar o espanhol Vicente de Mateos no mais alto lugar do pódio, enquanto a Rádio Popular-Boavista volta a ter no veterano Rui Sousa, 41 anos, a sua maior expressão. Finalmente Edgar Pinto, de regresso a Portugal, comanda a LA Alumínios-Metalusa.

Montanha sem chegada à Torre

Há montanha nesta edição da Volta a Portugal, o que não há de novo é a mítica chegada à Torre. A 9.ª e penúltima etapa, da Lousã à Guarda, passará pelo ponto mais alto de Portugal continental, mas para terminar na cidade mais alta. Os finais em montanha acontecem na Sr.ª da Graça (4.ª), Santa Luzia (5.ª), Nossa Senhora da Assunção (7.ª) e na Guarda (9.ª). A prova termina, como tem acontecidos nos últimos anos, com um contrarrelógio individual, sendo que haverá, no arranque, um de 5,4 km em Lisboa.

Fonte: Record on-line

“Volta Portugal/Partida para o Prólogo”

Aqui fica a ordem de partida para o prólogo que se realiza amanhã sexta-feira em Lisboa, no início da 79ª Volta a Portugal em Bicicleta.

Fonte: Podium
Clicar na imagem para aumentar.




 

“Volta Portugal/79ª Volta a Portugal em Bicicleta/A Volta dia a dia pelo diretor Joaquim Gomes/Prólogo”

Prólogo – Lisboa – 5,4KM - 4 agosto, 6ª feira

Os 90 anos da “Volta” apadrinhados pela Cidade de Lisboa

Os 5,4 km do Prólogo, com a Av. da Índia perfeitamente alinhada com o Rio Tejo, será terreno fértil para os grandes roladores que, a grande velocidade, discutirão o mais alto lugar do pódio no fantástico cenário da Praça do Império.

Fonte: Podium

"Volta Portugal/Etapa_0_Prólogo"

A Volta a Portugal vai começar, ao longo da sua realização vamos publicar o vídeo da etapa, aqui fica o primeiro, "O Prólogo" a realizar em Lisboa esta sexta-feira.

“Volta Portugal/79ª Volta a Portugal em Bicicleta/A palavra do diretor de prova”

Por: Joaquim Gomes

“Com uma primeira fase maioritariamente plana, cuja aparente facilidade será contrariada pela grande extensão das etapas e pelo, mais que certo, calor será, depois de Castelo Branco, que a “Volta” verdadeiramente fica mais dura orograficamente. Com a Beira Alta e Trás-os-Montes a massacrar a “Caravana” será em “Terras de Basto” que vai terminar esta fase na mítica Sr.ª da Graça. A segunda metade da prova é composta por etapas de Média/Alta dificuldade que vão exigir o máximo empenho físico e anímico dos protagonistas. Os finais em Viana do Castelo, Fafe e Santo Tirso podem proporcionar autênticas reviravoltas na classificação. A última fase, com início em Gondomar e ligação a Oliveira de Azeméis, num dia de média dificuldade que vai trazer oportunidades a muitos e, talvez, merecidas tréguas aos poucos eleitos que terão de se enfrentar na etapa Rainha, na Guarda, e, finalmente, na prova da verdade em Viseu. Em suma, a 79ª Volta a Portugal Santander Totta apresenta um percurso que permitindo o êxito parcial a ciclistas de distintas características se impõe pelas sucessivas dificuldades que, claramente, farão particular apelo a ciclistas completos com uma enorme capacidade de recuperação.”

Fonte: Podium

"Volta Portugal/Os Cinco Continentes cabem na Volta a Portugal"

24 Nacionalidades presentes na Grande Partida em Lisboa

Começa esta sexta-feira, 4 de agosto, o grande festival do verão, a Volta a Portugal em Bicicleta, que durante duas semanas vai animar as estradas portuguesas num inimitável e extenso evento social que atravessa gerações e percorre várias regiões do país.

Será um contrarrelógio individual curto, não chega aoscinco quilómetros e meio com partida e chegada à Praça do Império, em Lisboa, que fará o Prólogo desta edição ajudando, desde logo, a definir o título de “Rei da Volta 2017”, Camisola Amarela Santander Totta. O percurso está delineado na zona nobre e ribeirinha da Capital.

O francês Kevin Lebreton (Armée de Terre) será o primeiro a desfilar quando passarem seis minutos das 15 horas. O vencedor da Volta do ano passado, Rui Vinhas (W52-FC Porto), será o último a entrar em competição às 17h25.

140 homens integram o pelotão da 79ª Volta a Portugal Santander Totta onde estão representadas 24 nacionalidades com os portugueses, naturalmente, mais destacados no top dos países onde lideram os latinos. Entre as 18 equipas participantes há 33 portugueses, 22 espanhóis e 13 italianos.

Entre as formações mais multiculturais destacam-se as equipas Israel Cycling Team e Kuwait – Cartucho.es com seis nacionalidades representadas em cada conjunto. A equipa de Israel, apenas com dois corredores nacionais, tem elementos com origens tão distintas como Espanha, Austrália, Letónia, Canadá, e Nova Zelândia. A formação do Kuwait sem qualquer representante do país árabe tem corredores de Itália, Espanha, Alemanha, Eritreia e Marrocos.

É o mundo que está na Volta com os cinco continentes representados.

A apresentação das equipas decorreu esta quinta-feira numa emissão da RTP, a Televisão Oficial da Volta, transmitida em direto da Praça do Império junto ao Mosteiro dos Jerónimos onde esta sexta-feira começa a prova.

9ª etapa tem alteração de percurso

A penúltima etapa que vai começar na Lousã e terminar na Guarda vai sofrer uma alteração entre os quilómetros 32,3 e 51,5. Apesar das mudanças a quilometragem não será alterada mas será suprimida a subida após a ponte sobre o rio Alva e consequentemente o Prémio de Montanha de 4ª categoria, em Mouronho, introduzindo-se a passagem por Côja e Barril de Alva.

Fonte: Podium