domingo, 19 de maio de 2019

“Primoz Roglic vence contrarrelógio e Conti mantém camisola rosa no Giro”

Só Vicenzo Nibali respondeu no lote dos favoritos

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista esloveno Primoz Roglic (Jumbo) venceu este domingo a nona etapa da Volta a Itália, um contrarrelógio individual de 34,8 quilómetros, tendo o italiano Valerio Conti (EAU Emirates) mantido a liderança.

Roglic cumpriu a etapa, que ligou Ricione a São Marino, em 51.52 minutos, tendo, do lote dos principais favoritos, apenas Vicenzo Nibali respondido, ao ser quarto a 1.05 minutos.

Na classificação geral, Conti conseguiu defender a camisola rosa, símbolo do líder, com um total de 36:08.32 horas, 1.50 minutos de vantagem para Roglic, agora segundo e que liderou a prova nas cinco primeiras etapas.

Fonte: Record on-line

“Rui Dolores vence XTERRA Malta 2019”

Realizou-se no dia 18 de maio o Xterra Malta 2019 onde Rui Dolores conquistou um excelente primeiro lugar.

Rui Dolores participou no Xterra Malta, uma prova do terra European Tour, competição que se disputou na distância 1500 metros a nadar, 30km de bicicleta de montanha e 10km de corrida em trail.

Foi a segunda vez que o atleta competiu em Malta, uma prova com um percurso muito desafiante, com um segmento de BTT’com muito rochoso,descidas longas e subidas muito técnicas‘. A prova no Chipre não tinha corrido bem a Rui Dolores, que se sentiu muito longe da sua melhor forma «tendo treinado bastante nas últimas semanas, sentindo já uma evolução».

Apesar de ter começado a treinar tarde este ano na perspetiva de Rui, e do Xterra Malta ser uma prova técnica, o triatleta do Amiciclo de Grândola saiu-se muito bem nesta competição, sendo o primeiro a cortar a meta. Rui Dolores conseguiu sair em 5º no primeiro segmento de natação, seguindo-se depois o trajeto da bicicleta de montanha onde subiu algumas posições, saindo do parque de transição já na segunda posição. A seguir, foi ‘dar o litro’ para ganhar vantagem para conquistar a primeira posição.

«Havia um triatleta que seguia na frente isolado, mas eu consegui alcançá-lo para o ultrapassar e chegar à meta em primeiro», explica Rui Dolores, que no ano passado tinha ficado no 9º lugar em Malta. «No ano anterior eu não tinha uma bicicleta adequada a este tipo de terreno pois tinha apenas suspensão à frente, hoje competi com uma bicicleta com suspensão dianteira e traseira, o que fez muita diferença no segmento técnico do ciclismo.»

Esta vitória em Malta comprova que o triatleta está a evoluir muito bem na sua preparação, sendo um bom prenúncio para a próxima etapa do XTerra European Tour 2019. O Xterra em Itália realiza-se no próximo fim de semana e a competição passará por Portugal, na Golegã, no dia 1 de junho realizando-se na Golegã, contando com a participação de vários triatletas nacionais. Veja a start list aqui

Rui Dolores, que também é Campeão Nacional de Triatlo Cross 2018 e ficou em 6º no ranking europeu no ano passado e 5º em 2017, luta este ano pelo ranking em 2019, tendo esta vitória sido muito positiva para a carreira do triatleta.

 

XTERRA European Tour 2019

7 de abril Xterra Chipre

21 de abril Xterra Grécia

18 de maio Xterra Malta

26 de maio Xterra Itália

1 de junho Xterra Portugal – Golegã (veja aqui regulamento e percursos)

8 de junho Xterra Bélgica

16 de junho Xterra Dinamarca

29 de junho Xterra Suíça

7 de julho Xterra França

21 de julho Xterra Itália

3 de agosto Xterra Campeonato da Europa República Checa

17 de agosto Xterra Alemanha

1 de setembro Xterra Luxemburgo

14 de setembro Xterra Holanda

Fonte: FTP

“Volta à Califórnia: Tadej Pogacar é o mais jovem de sempre a vencer a prova”

Atleta esloveno terminou a competição com uma vantagem de 16 segundos sobre Sergio Higuita

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista esloveno Tadej Pogacar (UAE-Emirates) venceu no sábado a Volta à Califórnia, após a sétima e última etapa que foi vencida ao sprint pelo holandês Cees Bol (Sunweb), tornando-se o mais jovem de sempre a conquistar a prova.

Tadej Pogacar, de 20 anos, é o mais jovem vencedor da história da principal prova do calendário norte-americano, terminando a competição com uma vantagem de 16 segundos para Sergio Higuita (Education First) e de 17 segundos para Kasper Asgreen (Deceuninck-QuickStep), segundo e terceiro da geral, respetivamente.

Depois de vencer a Volta ao Algarve, Pogacar aproveitou a etapa de sexta-feira para subir à liderança da competição e sábado confirmou o triunfo.

A etapa de sábado, que ligou Santa Clarita a Pasadena, numa distância de 141 quilómetros, foi vencida ao sprint pelo holandês Cees Bol (Sunweb), que se superiorizou a Peter Sagan (BORA-hansgrohe).

João Almeida (Hagens Berman Axeon) foi o melhor português, ao terminar a etapa de hoje no 58.º posto, a cinco segundos, enquanto José Gonçalves (Katusha-Alpecin) foi o 73.º a cruzar a meta, também a cinco segundos, enquanto Rui Oliveira (UAE-Emirates) chegou no 90.º lugar, a 4.09 minutos.

Na geral, Almeida terminou em 33.º, a 12.33 do camisola amarela, ao passo que Oliveira foi 57.º, a 40.18, e Gonçalves ficou em 66.º, a 47.08.

Fonte: Record on-line

“Taça de Portugal de Enduro/António José Oliveira e Ana Costa vencem em Murça”

Taça de Portugal de Enduro regressou a Trás-os-Montes para consagrar, nas principais categorias, José Oliveira e Ana Costa.

José Oliveira deu uma pedalada importante na discussão da Taça de Portugal de Enduro ao triunfar na etapa transmontana do troféu. Em Murça, as cinco provas especiais cronometradas consagraram o mais regular com o triunfo ainda que a conquista se tenha dado por escassa margem: menos de dois segundos. O rival batido foi João Rodrigues, da Casa do Povo da Abrunheira. O vencedor da prova inaugural do troféu, no Cadafaz, em Celorico da Beira, esgrimiu uma forte competição com José Oliveira batendo os tempos do primeiro classificado em duas das três PEC's. A terceira posição entre o escalão Elite foi pertença de João Reis, que percorreu a distância com mais 20 segundos do que o vencedor.

Com este resultado mantém-se inalterado o topo do ranking da Taça de Portugal de Enduro. João Rodrigues soma 350 pontos, José Oliveira, 320. Com 200 pontos, na terceira posição, surge Sauro Agostinho (Casa do Povo da Abrunheira).

A corrida feminina, na Elite, foi mais folgada. Ana Costa (Ciclo Madeira Desportivo) começou atraso na primeira "PEC" mas um atraso de Maaris Meier (Maiatos) na segunda prova cronometrada prejudicou a recuperação da corredora natural da Estónia. Fruto da vitória em Celorico da Beira, Meier permanece no comando do troféu mas em igualdade de pontos (350) com Ana Costa. Na terceira posição segue Ana Leite (AXPO / FirstBike Team / Vila do Conde) com 240 pontos.

Na categoria de Juniores, Tiago Silva (Tomatubikers / Toyota - Macedo) superou-se a Rui Tapada (CAJ Raposa). No entanto, a regularidade premeia Tapada - venceu no Cadafaz - e, como tal, mantém-se no topo da tabela do seu escalão. O júnior de primeiro ano soma  350 pontos mais 30 pontos do que Tiago Silva. O terceiro lugar é de Rodrigo Fonseca (BTT Seia), com 250 ponto.

Nos Cadetes, com apenas três PEC's a contabilizar, Nuno Reis obteve o primeiro triunfo do ano na Taça de Portugal impondo-se de forma avantajada sobre André Fernandes (Caniço Riders) que conservou a liderança do troféu. Na corrida feminina de Cadetes a vitória pertenceu a Mariana Líbano (Maiatos) que se impôs diante da colega de equipa Sara Ferreira.

Nas categorias de Master's sagraram-se vencedores: José Vieira (Vasconha BTT/Vouzela) em Master 30; David Guerra (Rodinhas/Santos Silva) em Master 40; Amândio Pereira ((BTT Enduro Terras de Bouro) em Master 50 e Ana Luz (BTT Enduro Terras de Bouro) em Master Femininas.

Por equipas, o ranking da Taça de Portugal de Enduro, após duas de cinco provas disputadas, é encimado pela equipa Maiatos - vencedora em Murça - diante da Casa do Povo da Abrunheira e do clube BTT Enduro Terras de Bouro. A terceira prova da Taça de Portugal de Enduro disputa-se em Setembro, nos Açores.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Mário Costa 56.º em Albstadt”

Resultado aquém do esperado de Mário Costa contrabalançado pela estreia em destaque de Raquel Queirós. Taça do Mundo prossegue no próximo fim-de-semana na República Checa

Mário Costa foi 56.º classificado na corrida de Elite da Taça do Mundo de Cross-Country Olímpico (XCO) disputada no circuito de Albstadt, na Alemanha. O palco do campeonato do mundo da disciplina em 2020 assistiu, no último dia, às principais provas do programa, com destaque para a corrida masculina de Elite.

Num circuito naturalmente duro e ainda mais exigente com a lama formada após as chuvas noturnas, o suíço Mathias Flueckiger impôs-se com autoridade suplantando, em 32 segundos, o holandês Mathieu Van Der Poel, o profissional da estrada e do ciclocrosse e que, na sexta-feira, venceu a prova de "aquecimento", XC "Short Track". O suíço Nino Schurter, atual líder do ranking mundial, e aqui vencedor em 2018, terminou a corrida na sexta posição.

Mário Costa, em representação da Seleção Nacional, terminou a sua corrida na 56.ª posição, a 7m58s do vencedor, melhorando o seu registo do ano passado (68.º). O resultado foi o melhor entre os portugueses - David Rosa, a correr pela sua equipa, foi 77.º e o campeão nacional Ricardo Marinheiro não terminou a prova - mas, ainda assim, aquém do esperado para o selecionador nacional Pedro Vigário.

"O Mário Costa andou muito tempo nos cinquenta primeiros mas quebrou na parte final. Fez alguns pontos UCI mas não aqueles que estaríamos à espera" reconheceu Pedro Vigário.

Na corrida dos sub-23 femininos, Raquel Queirós, em estreia na Taça do Mundo, saldou-se com um honroso 17.º posto, resultado penalizado com a saída da corrente da sua bicicleta na fase decisiva da prova e que a distanciou do grupo das 15 primeiras corredoras.

Marta Branco, por sua vez, a competir na mesma corrida, foi 51.ª classificada. A Seleção Nacional de XCO prossegue a sua campanha internacional já no próximo fim-de-semana, na República Checa. A localidade de Nove Mesto na Morave acolhe a segunda ronda da Taça do Mundo de XCO.

Fonte: FPC

“Grande Prémio Azores/António Ferreira coroado na Lagoa do Fogo”

Corredor da Vito/Feirense/PNB venceu na Lagoa do Fogo e sentenciou triunfo no Grande Prémio Azores 2019 - Volta à Ilha de São Miguel, competição destinada ao pelotão Sub-23. Javier Jorda e Pedro Andrade fecharam o pódio.

António Ferreira foi um vencedor surpresa do Grande Prémio dos Azores - Volta à Ilha de São Miguel ao superiorizar-se aos demais rivais, na terceira e derradeira etapa da competição, uma seletiva ligação de 99 quilómetros, entre a Lagoa e a Lagoa do Fogo, num final coincidente com uma contagem de montanha de 1.ª categoria.

A decisão quanto ao vencedor da recém reformulada competição açoriana, dedicada em exclusivo ao pelotão sub-23, acabou por premiar um dos mais jovens corredores em prova - é sub-23 de primeiro ano - que, aos 19 anos, inscreveu o seu o nome no palmarés da competição.

Após  disputadas uma etapa de média montanha e uma outra com final conveniente a velocistas, as contas finais acertavam-se na escalada da Lagoa de Fogo, com cerca de 10 quilómetros de extensão. Numa tirada para trepadores, que apresentava 2400 metros de acumulado de subida, repartidos em cinco contagens de montanha, a inclinação média da Lagoa do Fogo passou a fatura ao anterior líder, o polaco Pawel Szotska, apenas oitavo classificado do dia.

Ferreira, que já havia estado entre os primeiros nas contagens de montanha anteriores, assumiu desde a base a sua ofensiva impondo um ritmo em solitário que, no final, lhe rendeu 57 segundos de avanço sobre o segundo classificado, Gonçalo Leaça (LA Alumínios/LA Sport). Ferreira, ciclista profissional de primeiro ano da Vito/Feirense/PNB, gastou 2h57m20s na etapa assinalada pela média registada - 33,4 km/h – por sua vez reveladora de uma jornada difícil em cima da bicicleta.

Na classificação geral individual, António Ferreira superiorizou em 49 segundos ao espanhol Javier Jorda (Ginestar). O terceiro lugar pertenceu ao colega de equipa do vencedor, Pedro Andrade, também a 49 segundos.

A Vito/Feirense/PNB conquistou ainda a classificação geral por equipas e a classificação geral da Juventude por intermédio de António Ferreira. A classificação da montanha ficou entregue a Javier Jorda, igualmente laureado da classificação por pontos.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Novo Pódio na despedida de Minsk”

Daniela Maria Marins foi terceira classificada na prova de Scratch do último dia do Grande Prémio de Minsk. Em quatro dias de competição, Seleção Nacional somou uma vitória e quatro terceiros lugares.

O cair do pano do Grande Prémio de Minsk voltou a ser favorável à Seleção Nacional de Pista que se despediu do velódromo no qual, no próximo mês, disputará os Jogos Europeus, com mais um lugar no pódio. Maria Martins, vencedora no dia anterior do concurso de Omnium, voltou a brilhar no Velódromo Minsk Arena para conquistar o terceiro lugar na prova de Scratch.

Além da atleta portuguesa, no último dia do Grande Prémio de Minsk também João Matias visou as medalhas, mas o terceiro classificado das provas de perseguição individual, corrida por pontos e de Omnium foi, desta vez, quinto classificado no Scratch masculino. Nesta competição, cumprida na distância de 15 quilómetros, o triunfo sorriu ao russo Andrei Sazanov. Miguel do Rego, igualmente em representação da Seleção Nacional e o principal apoio na obtenção de resultados de João Matias foi 14.º classificado.

A dupla portuguesa João Matias e Miguel do Rego competiu ainda na prova de Madison, uma das especialidades da Equipa Portugal, tendo conquistado o sétimo lugar final.

As corridas do Grande Prémio de Minsk inseriram-se na planificação do selecionador Gabriel Mendes com um duplo propósito: amealhar pontos para a qualificação de Portugal na próxima Taça do Mundo de Pista - que se inicia em Novembro em Minsk - e preparar a presença nacional nos Jogos Europeus que, dentro de pouco mais de um mês, também se disputam na Bielorrússia.

No cômputo final, Portugal trouxe de Minsk cinco medalhas. Ao triunfo de Maria Martins no Omnium (disciplina olímpica) seguiu-se o bronze da mesma atleta no Scratch. Já João Matias foi "bronze" em quase todas as finais disputadas (Perseguição Individual, Corrida por Pontos e Omnium).

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Júnior Daniela Campos vence em Burgos”

Daniela Campos venceu segunda etapa da Volta a Burgos Feminina no escalão de juniores. Na Elite, Daniela Reis foi 10.ª classificada

Daniela Campos venceu a segunda e última etapa da Volta a Burgos Feminina no escalão júnior. A competir com as cores da seleção Nacional, Daniela Campos foi a mais forte no sprint entre Pedrosa de Valdeporres e Villarcayo. Campos gastou 1h13m54s a percorrer os 45 quilómetros do percurso e esta vitória deu-se depois de, na véspera, ter sido uma das protagonistas da etapa anterior ao andar isolada na parte final da prova, sendo alcançada a pouco mais de três mil metros do risco.

Na classificação geral, Campos, atual líder da Taça de Portugal, concluiu a corrida espanhola na quarta posição, a 35 segundos da espanhola Eva Anguela. Por sua vez, na derradeira etapa, Rafaela Ramalho e Beatriz Martins terminaram a ligação na 20.ª e 21.ª posições, respetivamente.

Entre as corredoras cadetes escolhidas pela Selecionadora Nacional Ana Rita Vigário, a melhor classificada da Volta a Burgos, neste escalão, foi Sofia Roxo na sétima posição da classificação geral. Já Beatriz Pereira concluiu a corrida de cadetes na nona posição final.

Na corrida de Elite, sem representantes da Seleção Nacional, Daniela Reis (Doltcini-Van Eyck Sport) concluiu a competição de quatro etapas na 10.ª posição da geral individual encimada pela norueguesa Stine Borgli.

Fonte: FPC

“JOÃO LETRAS DA ASFIC VENCE O 1 CIRCUITO AMARO ANTUNES”

Decorreu no dia 18 de Maio, em Vila Nova de Cancela, concelho de Vila Real de Santo António o 1º Troféu Clube de Ciclismo Amaro Antunes, Um circuito rápido, composto por 40 voltas e com a extensão de pouco mais de 1 km cada volta.

O troféu CC Amaro Antunes, premia a homenagem ao ciclista Amaro Antunes, ciclista da equipa CCT TEAM WorldTour, que neste momento encontra-se a competir no giro de Italia, ocupando o 6 lugar da geral individual.

A prova foi limitada pela organização a 50 participantes e ao máximo de 6 atletas por equipa.

A ASFIC participou nesta prova, representado a equipa os irmãos Letras, (Jorge e João).

A prova teve início cerca das 15h30 e cedo João Letras atacou no pelotão. O ciclista da ASFIC isolou-se e andou a solo algumas voltas, até conseguir chegar ao pelotão, dobrando os atletas em prova.

Na última volta cortou a meta sozinho e Jorge Letras conseguiu alcançar o 4 lugar.

Mais uma vitória alcançada para a ASFIC, que demonstra a grande entrega e sacrifício dos atletas, na representação da equipa em todas as provas.

ASFIC - Clube de Ciclismo

“Equipa Portugal/Maria Martins vence no GP de Minsk"

Penúltimo dia do Grande Prémio de Minsk, na Bielorrússia, assinalado pela primeira vitória da Seleção Nacional na competição. Maria Martins venceu no Omnium, competição na qual João Matias, na prova masculina, foi terceiro

A regularidade entre os lugares primeiros é a nota dominante da presença da Seleção Nacional de Pist no Grande Prémio de Minsk. Depois dos pódios conquistados por João Matias nos dois primeiros dias – o corredor minhoto foi terceiro classificado na Perseguição Individual e na Corrida por Pon- a vitória sorriu às cores nacionais por intermédio de Maria Martins.

A competir no Omnium, uma das corridas tidas como prioritárias pelo selecionador nacional Gabriel Mendes nesta competição, Maria Martins levou a melhor no Velódromo de Minsk, alcançando o mais elevado lugar do pódio graças à sua regularidade nas distintas provas do concurso. Maria Martins totalizou 115 pontos no concurso, mais sete do que a bielorrussa Hanna Tserakh e do que a polaca Nikol Plosaj.

Por sua vez, João Matias voltou a pautar-se pela regularidade no terceiro lugar somando, no Omnium, o terceiro pódio em Minsk. Os seus companheiros de pódio foram os mais regulares nas corridas anteriores na qual o português tomou parte. A vitória no Omnium foi pertença do grego Christos Volikakis com 127 pontos, contra 116 pontos somados pelo bielorrusso Raman Ramanau, terceiro classificado. Nesta mesma competição,  Miguel do Rego foi 15.º classificado, com 62 pontos.

O quarto e último dia de competição em Minsk surge como potencialmente proveitoso para as cores nacionais com as provas de Madison e de Scratch, nas quais se tem alcançado promissores resultados internacionais.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Luís Costa sexto na prova de fundo"

Terceiro dia da Taça do Mundo de Paraciclismo assinalada pelo sexto lugar de Luís Costa na corrida de fundo da Classe H5.

Luís Costa voltou a classificar-se nos primeiros classificados de uma prova da Taça do Mundo de Paraciclismo ao alcançar o sexto lugar na corrida de fundo da Classe H5. O atleta da Seleção Nacional cumpriu as oito voltas (64 km) ao percurso de Ostende, na Bélgica, em 1m55m23s, gastando mais 8m02s do que o primeiro classificado, o campeão mundial e líder do Ranking UCI, Tim de Vries (Holanda). A corrida de Luís Costa em Ostende ficou dentro das expetativas de José Marques, selecionador nacional – ao posicionar-se nos dez primeiros, o atleta soma pontos para o ranking UCI – mas, ainda assim, ficou abaixo do quinto lugar na etapa inaugural da Taça do Mundo, conquistado na passada semana em Corridonia, Itália.

Flávio Pacheco, que voltou a representar as cores nacionais, foi 20.º classificado na corrida H4. O atleta da Equipa Portugal não melhorou o seu resultado face ao 14.º lugar conquistado em Corridonia. Na corrida belga, com um perfil mais plano, Pacheco cedeu 12m55s ao vencedor o holandês Jetze Plat.

O terceiro dia de provas contou com mais portugueses em liça. Ainda na Classe H4, Carlos Neves foi 29.º classificado, logo seguido por André Sobreiro, tendo perdido um e duas voltas, respetivamente, para o vencedor. Na corrida H3, conquistada pelo francês Riadh Tarsim, João Pinto, a competir a título individual, foi 28.º enquanto que Diogo Oliveira, igualmente individual, classificou-se no 48.º lugar.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal de Cadetes

António Morgado toma a dianteira na Fase Final da Taça

É na Anadia que se disputa a Fase Final da Taça de Portugal de Cadetes. No sábado correu-se a prova de contrarrelógio e, domingo, é a vez da prova em linha. António Morgado (Anipura-GDM-Escola Alexandre Ruas) é o líder

António Morgado é o líder da Taça de Portugal de Cadetes ao assumir essa condição após o triunfo de hoje na primeira etapa da Fase Final, um contrarrelógio individual de 14 quilómetros disputado em Anadia. A localidade bairradense é o epicentro do pelotão de Cadetes (15 e 16 anos) que aqui disputam a final do troféu de regularidade da Federação Portuguesa de Ciclismo.

No contrarrelógio, Morgado (Anipura-GDM-Escola Alexandre Ruas) gastou 20m03s para percorrer a distância - média de 41,8 km/h - impondo-se com 17 segundos de folga para o segundo classificado. Rodrigo Paiva (Grupo Desportiva de Lousa). Tomás Mineiro (Efapel-Escola Ovar) foi o terceiro classificado do dia, com mais 33 segundos do que o vencedor.

A primeira das duas corridas da Fase Final da Taça de Portugal de Cadetes juntou 111 corredores classificados sendo este o pelotão que alinha este domingo nos 80 quilómetros entre as localidades de Fogueira e Monte Crasto.

No ranking da Taça de Portugal de Cadetes, António Morgado lidera com 110 pontos, sendo seguido por João Gomes (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel), com 96 pontos e por Rodrigo Paiva, com 93 pontos. Apesar da vantagem de Morgado, ainda 14 corredores podem matematicamente aspirar ao triunfo no troféu.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Arranque a meio da tabela na Taça do Mundo de XCO”

Seleção Nacional iniciou campanha da Taça do Mundo de Cross-County Olímpico (XCO) em Albstadt, na Alemanha. Na prova de sub-23 masculinos, João Rocha foi 44.º enquanto que o estreante Rafael Rita foi  59.º classificado.

A Seleção Nacional deu este sábado as primeiras pedaladas na Taça do Mundo de Cross-County Olímpico (XCO) 2019, cuja primeira das sete rondas da época, decorre até amanhã, em Albstadt, na Alemanha. No programa competitivo da etapa germânica da Taça do Mundo de XCO, os Sub-23 masculinos foram os primeiros a entrar em pista alcançando, no final da corrida de sábado à tarde, um resultado na primeira metade da tabela. João Rocha, sub-23 de terceiro ano, foi 44.º e Rafael Rita, na estreia na categoria, alcançou o 59.º posto. A corrida, com condições meteorológicas favoráveis, foi conquistada pelo suíço Filippo Colombo, mais hábil nas partes de descida do circuito e que se impôs com dois segundos sobre os rivais, o romeno Vlad Dascalu e o francês Antoine Philipp.

À sua terceira participação em Albstadt, com o 44.º posto (a 5m27s), João Rocha melhorou o seu desempenho - em 2017 foi 59.º, em 2018 foi 74.º classificado - numa corrida na qual recuperou algumas posições desde a grelha de partida com 144 corredores. Já o ex-campeão nacional júnior Rafael Rita - em 2018 foi oitavo classificado em Albstadt, numa prova paralela à Taça do Mundo - recuperou mais posições do que o compatriota face à grelha de partida mas acabou mais atraso, no 59.º posto, a 6m29s do vencedor.

"O João Rocha teve uma prestação melhor do que no ano passado e obteve um resultado na primeira metade da tabela. O circuito de Abstadt conta muitas zonas de difícil ultrapassagem pelo que o posicionamento na linha de partida (atribuído pelo ranking UCI) é determinante para o desempenho final. Trata-se já de um corredor de terceiro ano e com bastante experiência pelo que veremos o que consegue alcançar na próxima etapa da Taça do Mundo, na República Checa. O Rafael Rita fez uma corrida de recuperação de lugares e conseguiu um resultado dentro do esperado apesar de ser um estreante na Taça do Mundo", avaliou Pedro Vigário, Selecionador Nacional.

A Seleção Nacional de XCO compete este domingo com os restantes selecionados. Pela manhã, Marta Branco e Raquel Queirós competem na prova de Elites e Sub-23 feminina e, pela tarde, é a vez dos Elites masculinos entrarem em ação. Um trio de portugueses está entre os inscritos da principal corrida do programa de Albstadt. Mário Costa representará a Seleção Nacional enquanto que David Rosa e Ricardo Marinheiro estarão a competir com as cores das respetivas equipas.

Fonte: FPC

“Grande Prémio Azores”

Espanhol Josue Gómez vence ao sprint na Lagoa

Etapa mais longa do Grande Prémio Azores - Volta a São Miguel assinalada com triunfo de Josue Gómez, da Ginestar ULB. Polaco Pawel Szotska é o novo líder

O espanhol Josue Gómez Barrachina (Ginestar ULB) venceu a segunda etapa do Grande Prémio Azores - Volta a São Miguel, competição destinada ao pelotão sub-23 que amanhã termina na Lagoa do Fogo. A segunda etapa da recém reformulada competição apresentava a mais extensa quilometragem das três tiradas, mas, igualmente, era a que dispunha de menor grau de dificuldade, com um acumulado de subida em redor dos 1600 metros.

Apesar do terreno naturalmente ondulado da Ilha de S.Miguel, a corrida acabou com desfecho tradicionalmente associado ao terreno plano, com Gómez superiorizar-se no sprint ao colega de equipa Javier Jorda, terceiro classificado no dia anterior. O polaco Pawel Szotska (Kuota-C.Paulinho-Oviedo) foi terceiro na linha de meta e, graças aos pontos conquistados pelo seu posicionamento, destronou o anterior líder, Miguel Salgueiro (Sicasal/Constantinos), quinto classificado do dia.

A corrida consolidou a sua principal escapada a meio do percurso com uma fuga de seis elementos. Do sexteto foram três corredores que se revelaram mais resilientes - Damien Marques (ACDC Trofa/Trofense), Marvin Scheulen (LA Aluminios/LA Sport) e José Dias (Fortunna/Maia). A proximidade da linha de chegada, no entanto, espevitou o pelotão que alcançou os fugitivos e permitiu uma chegada conjunta. Na classificação geral individual, o polaco Pawel Szotska leva vantagem, mas encontra-se em igualdade de tempo com Miguel Salgueiro, líder da classificação da juventude. Na terceira posição da geral individual surge o espanhol Javier Jorda, comandante da classificação por pontos, a dois segundos.

Nas restantes classificações, Daniel Silva (Sicasal/Constantinos) lidera a tabela da montanha. A Vito/Feirense/PNB conserva a liderança da geral por equipas.

No último dia, uma etapa de 99 kms surge no cardápio e promete figurar como decisiva no alinhamento da classificação geral final dada a contagem de montanha coincidente com a chegada à Lagoa do Fogo. Com 2426 metros de acumulado a terceira e derradeira etapa do Grande Prémio Azores parte de Lagoa e apresenta passagem por Ponta Delgada, Ginetes, Várzea, Sete Cidades, Arribanas, São Vicente, Fenais da Luz, Pico da Pedra e Ribeira Grande antes da escalada final. Os últimos dez quilómetros da etapa serão, por isso, feitos em subida, com uma pendente média de 7,6 por cento, prometendo alterações importantes nos lugares cimeiros da classificação.

Fonte: FPC