sábado, 6 de agosto de 2016

“Ruben Guerreiro confirma presença no World Tour”

Campeão português de ciclismo de fundo em sub-23 vai representar a Trek-Segafredo

Por: Lusa

Foto: Nuno Veiga

Ruben Guerreiro, campeão português de ciclismo de fundo em sub-23, assumiu este sábado que gostaria que a sua experiência na sua próxima equipa, a Trek-Segafredo, do WorldTour, se prolongue até ao fim da carreira.

Na partida para a nona e penúltima etapa da Volta a Portugal, em Alcácer do Sal, o ainda corredor da norte-americana Axeon-Hagens Berman confirmou a transferência e o seu entusiasmo com a partilha da equipa com, por exemplo, o espanhol Alberto Contador e o alemão John Degenkolb.

"Já tive a experiência de correr com eles na Volta à Califórnia, contactei pouco com eles, mas, a partir de 2017, espero que seja uma boa experiência, uma experiência para a vida", frisou o ciclista natural de Pegões, no concelho do Montijo, de 22 anos.
Aproveitando a proximidade da partida da sua terra natal, Ruben Guerreiro visitou o pelotão, admitindo que gostaria de correr uma vez a prova.
"Penso corrida a corrida, passo a passo, trabalho sempre para fazer o melhor, com muita humildade. Já tive um convite há dois anos para fazer esta prova, acabei por não a fazer, mas espero corrê-la alguma vez e, se possível, lutar pela vitória", rematou.

Fonte: Record on-line

“Volta Portugal/Rui Sousa vai continuar mais uma época"

Ciclista da Rádio Popular-Boavista tem 40 anos

Por: Ana Paula Marques

Foto: Manuel Azevedo

Rui Sousa anunciou este sábado de manhã, em Alcácer do Sal, partida da nona etapa da Volta a Portugal, que vai continuar mais uma temporada no pelotão nacional.
Aos 40 anos, o ciclista da Rádio Popular-Boavista prepara-se para conseguir mais um top dez na corrida nacional, onde já alcançou cinco pódios, o últimos dos quais em 2014 quando foi segundo, atrás de Gustavo Veloso.

“Volta a Portugal/PSP substitui GNR no contrarrelógio final”

Joaquim Gomes assumiu que a troca é "inédita", mas recusou riscos para a prova.

O diretor da Volta a Portugal em bicicleta, Joaquim Gomes, confirmou hoje a substituição “inédita” da Guarda Nacional Repúblicana pela Polícia de Segurança Pública no contrarrelógio da 10.ª e última etapa, por decisão do Governo.

“Os 32 quilómetros da etapa de amanhã [domingo] decorrem na íntegra na área de jurisdição do comando metropolitano da PSP de Lisboa, com os comandos de Vila Franca de Xira, Loures e Lisboa. A PSP entendeu que podia assegurar o policiamento na totalidade, isto é algo inédito, e só a particularidade do percurso decorrer na área da PSP pode ajudar a entender”, afirmou Joaquim Gomes à agência Lusa.

Na partida para a nona e penúltima etapa, em Alcácer do Sal, Joaquim Gomes procedeu a uma homenagem aos militares da GNR, que acompanharam a caravana desde 27 de julho, quando foi disputado o prólogo, em Oliveira de Azeméis. “Fiz questão de distinguir o capitão Lobo Moita, o comandante do destacamento de trânsito eventual, com o relógio oficial da Volta, numa ação simbólica para reconhecer o excelente serviço no acompanhamento desde Oliveira de Azeméis até ao final da etapa de hoje, em Setúbal, nos quase 1.600 quilómetros da Volta a Portugal”, frisou.

Joaquim Gomes recusou que esta mudança seja um risco para a corrida, realçando a dimensão do dispositivo policial alocado à operação de segurança, por se tratar de um contrarrelógio individual, que leva ao corte dos 32 quilómetros da estrada, entre Vila Franca de Xira e a Praça do Comércio, em Lisboa.

“O policiamento estático vai cortar o percurso durante mais de duas horas e meia e vai ser complementado ainda com um número considerável de motas, que, numa regularidade de, pelo menos cinco em cinco minutos, vão salvaguardar possíveis travessias de espetadores”, referiu.

Além disso, os últimos 10 corredores a iniciarem o ‘crono’, que vão partir de dois em dois minutos, ao contrário dos anteriores, que arrancam de minuto a minuto, também vão estar acompanhados por motas da PSP. “No fundo, era o dispositivo dinâmico que a GNR estava preparada para fazer, que criou algumas dúvidas, relativamente aos procedimentos finais a adotar desta etapa, mas uma decisão superior, do Ministério da Administração Interna, acabou por atribuir o policiamento à PSP”, rematou.

Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Volta Portugal/EFAPEL ganha última etapa em linha da Volta a Portugal”

Daniel Mestre foi o mais forte em Setúbal

Mais um grande espectáculo protagonizado pela EFAPEL. Na longa etapa que marcou o regresso da Volta a Portugal ao Alentejo, Daniel Mestre foi uma das estrelas do dia. Integrou a fuga que marcou a jornada, foi dos que mais trabalhou para que esta singrasse na chegada e ainda teve forças para bater Alejandro Marque e Alessio Taliani no sprint a três em Setúbal! A EFAPEL consegue o segundo triunfo em etapas e continua na luta pelo pódio final com Jóni Brandão.

No dia em que o pelotão pedalou 187,5 quilómetros entre Alcácer do Sal e Setúbal a uma média de quase 45 quilómetros por hora, a EFAPEL voltou a estar em destaque. Com um percurso maioritariamente plano mas com uma final bastante selectiva por força da passagem na Serra da Arrábida, os ciclistas rodaram depressa sob intenso calor. Daniel Mestre esteve entre o grupo que escapou ao pelotão e andou sempre bastante activo na tentativa de manter a distância para o pelotão.

Este encurtou a diferença à medida que se aproximava da meta, mas depois da última dificuldade em subida, os corredores fizeram uma descida alucinante até Setúbal. Daniel Mestre e Alessio Taliani, os únicos resistentes da fuga inicial, receberam a companhia de Alejandro Marque que atacou o grupo dos que lutam pela geral já a descer. Com o trio formado, foram para a meta em plena baixa setubalense. No sprint, Daniel Mestre voltou a mostrar que é um dos mais fortes a finalizar e bateu os dois adversários para levantar os braços bem alto, naquela que é a segunda vez que o faz nesta Volta. Além disso, foi ainda escolhido como o combativo do dia.

“É um sonho. Foi um dia bastante duro, sempre na fuga. Nunca tinha ganho na Volta a Portugal e nesta edição consegui dois triunfos. Quero dedicar esta vitória à minha família, a todos os que me vieram apoiar e à equipa. Todos sabem que o nosso objectivo era lutar pela camisola amarela. Conseguimos dois triunfos em etapas, andámos de amarelo e estamos na discussão pelo pódio. Diz bem do valor e da qualidade deste grupo”, afirmou Daniel Mestre minutos depois de cruzar a linha de meta.

Para o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva, esta foi mais uma forma da equipa mostrar que é uma das principais animadoras da Volta a Portugal com espectáculo e vitórias. “Acabamos por ganhar a primeira e a última etapas em linha. Penso que demonstra bem o colectivo, independentemente de serem duas etapas ganhas pelo Daniel. Demonstra a grande equipa que é a EFAPEL. É o coroar de todo o trabalho que fizemos na Volta a Portugal.”

Neste momento, a EFAPEL concentra-se em lutar por um lugar no pódio final. Jóni Brandão está em quarto e a formação sabe que o contra-relógio é a última oportunidade para subir na classificação. “Tudo depende das capacidades do Jóni. Ele está motivado e vamos acreditar que é possível”, afirmou Américo Silva.

A 78ª Volta a Portugal em Bicicleta está quase a terminar mas ainda muito se pode discutir no derradeiro dia de prova. A etapa que fecha a competição na edição de 2016 é um longo contra-elogio individual entre Vila Franca de Xira e Lisboa. São 32 quilómetros praticamente planos com o primeiro corredor a sair para a estrada às 14 horas. A classificação final da Grandíssima será conhecida às 17h30.

Classificação na 9ª etapa da Volta a Portugal

    Daniel Mestre            EFAPEL        4h12m50s

    Alejandro Marque        LA Alumínios        mt

    Alessio Taliani            Androni Giocattoli    a 3s


25º    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 5s

26º    Jóni Brandão            EFAPEL        mt

43º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 51s

78º    Rafael Silva            EFAPEL        a 7m41s

84º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 10m09s

112º    António Barbio        EFAPEL        a 18m13s

 

Classificação individual após a 9ª etapa da Volta a Portugal

    Rui Vinhas            W52/FC Porto        36h03m21s

    Gustavo Veloso        W52/FC Porto        a 2m25s

    Daniel Silva            RP/Boavista        a 2m53s


    Jóni Brandão            EFAPEL        a 3m11s

    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 4m17s

20º    Daniel Mestre            EFAPEL        a 22m30s

55º    Rafael Silva            EFAPEL        a 1h30m55s

78º    António Barbio        EFAPEL        a 2h10m27s

88º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 2h26m11s

103º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 2h46m58s

Fonte: Efapel

“Volta Portugal/Bis de Mestre no duelo luso espanhol”

É uma enorme Volta que estou a fazer”

No dia em que a Volta a Portugal regressou ao Alentejo a vitória foi… de um alentejano. Daniel Mestre (Efapel), natural de Almodôvar, venceu este sábado pela segunda vez, na 78ª Volta a Portugal Santander Totta ao bater ao sprint Alejandro Marque (LA Alumínios-Antarte).

A 400 metros da chegada, em Setúbal, o galego atacou mas teve resposta imediata de Mestre que, pouco antes do risco de meta, tirou todas as dúvidas sobre a vitória da penúltima etapa da Volta. Para o alentejano foi o segundo triunfo depois de um êxito inicial, em Braga, na primeira etapa em linha. “É sem dúvida uma enorme volta que estou a fazer. É o realizar de um sonho grande. Consegui andar de amarelo, mas a equipa não resistiu para vencer esta Volta. Para o ano voltaremos mais fortes”, disse, já em jeito de balanço, Daniel Mestre que também conquistou este sábado o Prémio da Combatividade Conselheiros da Visão.

O líder da prova, Rui Vinhas, chegou à cidade sadina cinco segundos depois do vencedor, mas o homem da W52-FC Porto não perdeu tempo para os mais diretos adversários. Para o contrarrelógio final, Vinhas leva 2’25’’de vantagem sobre o companheiro de equipa e especialista em cronos, Gustavo Veloso, e 2’53’’ para Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista). Confrontado com o que pode acontecer este domingo, Vinhas voltou a assumir o favoritismo e a liderança de Veloso. “Tenho de ter respeito pelo líder, sou apenas um outsider. O respeito é muito bonito. O que é certo é que amanhã vou dar o meu melhor.”

A última etapa em linha

Antes de chegar a Setúbal, a Volta regressou, uns anos depois, às estradas do Alentejo. As gentes de Alcácer do Sal receberam em festa um pelotão de 117 resistentes que tinham pela frente 176,1km até à Cidade Europeia do Desporto 2016. Após mais um início de etapa muito rápido, deu-se a fuga de 16 corredores que passaram isolados em Montemor-o-Novo e em Vendas Novas.

Nas dificuldades da Serra da Arrábida, indiferentes aos quase 40 graus de temperatura, verdadeiros fãs do ciclismo apoiaram a corrida e viam o grupo da frente perder unidades. Na descida para Setúbal começou a definir-se a corrida restando na frente Daniel Mestre (Efapel) e o italiano Alessio Taliani (Androni Giocattoli).

A menos de 10km para a chegada, com os fugitivos quase alcançados, Alejandro Marque (LA Alumínios-Antarte) imprimiu um ritmo mais forte à bicicleta e foi ao encontro dos dois da frente. Já em plena Avenida Luísa Todi, em Setúbal, com uma multidão entusiasmada que não via uma chegada da Volta na cidade há 45 anos, aconteceu o sprint de onde saiu vitorioso Daniel Mestre.

De Vila Franca de Xira a Lisboa ao ritmo do relógio

A grande festa do final da 78ª Volta a Portugal Santander Totta está marcada, este domingo, para a capital portuguesa. Antes a 10ª etapa, um contrarrelógio individual de 32Km com saída de Vila Franca de Xira, vai definir e confirmar o vencedor da Volta.

O primeiro homem a fazer-se à estrada será o último da classificação cabendo ao espanhol Pablo Urtasun (Funvic/Soul Cycles) abrir a etapa às 14h41. De minuto a minuto haverá corredores a partirem de Vila Franca de Xira. As saídas passam a ser de dois em dois minutos apenas para os últimos dez. Rui Vinhas, o homem que enverga o sonho de uma vida, a Camisola Amarela, será o último a partir às 16h45. 

Os sobreviventes da Volta, uma das mais difíceis dos últimos anos, segundo várias opiniões, vão terminar a competição na Praça do Comércio, uma das mais majestosas praças portuguesas e do mundo. Imediatamente antes de terminarem o crono, os corredores passam, antes de cortar a meta, no triunfal Arco da Rua Augusta. Com a chegada a Lisboa estarão concluídos os 1608,7Km da 78ª Volta a Portugal Santander Totta.

7 agosto | 10ª Etapa

Vila Franca de Xira – Lisboa | 32 km

Hora da Partida do 1º corredor – 14h41

Fonte: Podium

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo do 8º Passeio Mafra/Gare.2016”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo do 8º Passeio Mafra/Gare.2016”


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.