domingo, 15 de março de 2020

“Porque toda mulher deveria pedalar?”

Não faltam razões para você adotar o ciclismo como atividade fitness, lazer ou competição

Por: André Piva

“Porque faz bem para a alma, para o corpo, para a cabeça e nos faz descobrir que somos capazes de coisas que não imaginamos. A bicicleta mostra como podemos ser fortes e superar tudo!” – responde Renata Mesquita, idealizadora do grupo Pelotão das Minas que leva garotas para pedalar quase que diariamente por São Paulo.Siga a Red Bull nas redes sociais Instagram | Twitter | Facebook “Uso a bicicleta para ser feliz,” resume Carol Rombauer que adotou o desporto como mobilidade urbana na capital paulista há mais de 30 anos, quando pedalar na rua era considerado “coisa de maluco”.

Todo homem que pedala também deveria incentivar sua parceira, como explica Vivi Favery, que conheceu seu marido Loris Verona Jr. no ambiente desportivo, demonstrando que a bicicleta pode ajudar até casamento. “Pedalar para se conhecer melhor e ao lado do companheiro redefine o significado de uma parceria; afinal pedalar é muito mais do que pedalar” explica a campeã brasileira de MTB Maratona. ”Pedalar faz bem para o corpo e para alma, você faz novas amizades, é divertido, e quanto mais você pedala, mais desejar o prazer de pedalar. Eu aconselho a mulher a começar a pedalar!” dispara Patrícia Loureiro, bicampeã mundial de downhill que pedala desde sua infância.

Existem inúmeros motivos para que toda a mulher adote uma bicicleta, principalmente pelo fato de quanto maior o número de mulheres pedalando, naturalmente maior o número de homens e a influência direta sobre as crianças na adoção de um estilo de vida ao ar livre. A bicicleta é um veículo que promove a saúde e a felicidade, democraticamente, sem distinção de idade e gênero. Se você ainda tem dúvida disso, mostramos alguns benefícios:


1.         Motivação. Existem vários tipos de mulheres: as que já praticam atividades físicas, as que gostariam de praticar e as que têm verdadeiro horror a atividades físicas. Você primeiro precisa entender qual é a motivação e usar toda criatividade para sair do sedentarismo.


2.         Bicicletas são feitas para diversão. Muitas vezes você pode esquecer que a essência de pedalar é curtir o movimento, a paisagem ao redor, o vento no rosto e o prazer da jornada. Não transforme sua bicicleta numa máquina de tortura ou uma ferramenta apenas para acelerar seu batimento cardíaco ou testar sua capacidade pulmonar. Pedalar na sua bicicleta em alta velocidade é divertido, mas procure sempre o prazer mesmo que para isso você precisa superar um pouco do sofrimento.


3.         Bem-Estar e queima de gorduras. O exercício físico libera endorfinas. Endorfinas têm um efeito quase viciante que faz você se sentir muito bem. Além disso, pedalar queima gordura e ajuda seu organismo a funcionar melhor. Enfim, pedalar faz você se sentir bem em diversos aspetos, portanto não parece um mau negócio, não é mesmo?


4.         Superar obstáculos. A sensação de evolução e superação é sentida a cada pedalada. Manter uma frequência saudável no uso da bicicleta vai manter a sua confiança para pilotar com mais segurança. Opte por iniciar em parques e ruas com pouco movimento. É importante evitar trilhos muito técnicos e estradas muito movimentadas no início. Nada de subidas muito íngremes e longas. Também existem muitos grupos de pedaladas formados somente por mulheres, procure um que esteja próximo de você e faça novas amizades.


5.         Mais agilidade. Fazer pequenos deslocamentos e compras com sua bicicleta é muito mais ágil. De acordo com estatísticas, é possível colocar pelo menos 10 bicicletas no mesmo espaço na rua ou vaga de estacionamento, ocupada por um carro. Opte pelo uso da bicicleta para ir até a padaria ou supermercado para pequenas compras, a vantagem é estacionar praticamente à porta e não perder tempo procurando lugar para estacionar caso esteja conduzindo um automóvel.

Portanto, independente do seu grau atlético, a premissa do uso da bicicleta é: fazer você sorrir, simples assim.

Fonte: Revista Bicicleta

“Coronavírus: UCI toma medidas para preservar atletas e equidade desportiva”

Decretada a suspensão de todas as classificações para todos os eventos do seu calendário internacional

Por: Lusa

A União Ciclista Internacional (UCI) divulgou este domingo medidas que visam "garantir a máxima proteção da saúde de todos os envolvidos em eventos de ciclismo, bem como a equidade desportiva entre os participantes" em tempos de Covid-19.

No que diz respeito ao procedimento de qualificação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio2020, a UCI vai "pedir, respetivamente, ao Comité Olímpico Internacional (COI) e ao Comité Paralímpico Internacional (IPC) que o período de qualificação seja interrompido retroativamente a partir de 3 de março de 2020.

"Com essa forte decisão, a UCI garante a equidade desportiva quando se trata da concessão de cotas olímpicas", lembra a instituição.

O apuramento já está concluído para as provas de estrada, pista e para-ciclismo, mas ainda está em curso para o BTT, BMX Racing, BMX Freestyle e para-ciclismo de estrada.

Em consonância, decretou a suspensão de todas as classificações para todos os eventos do seu calendário internacional, em todas as disciplinas, de 15 de março e até novo aviso, mas pelo menos até 03 de abril de 2020.

"Ao congelar os pontos durante o período indicado, a UCI preserva a equidade desportiva para os atletas", esclarece.

Para garantir a segurança dos ciclistas, "missão prioritária para a UCI", esta solicita aos diferentes organizadores que cancelem qualquer evento de ciclismo do calendário internacional do organismo em "territórios identificados como sendo de risco".

A UCI tomou todas estas decisões "com base na avaliação feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) da situação atual relacionada à epidemia Covid-19 e pelas medidas restritivas adotadas por vários países da Europa que proíbem, em particular, reuniões e movimentação de pessoas".

O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 154 mil pessoas, com casos registados em 139 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 245 casos confirmados.

Fonte: Record on-line