domingo, 5 de fevereiro de 2017

“13º Passeio do Penteado”

Dia 2 de Abril de 2017

Texto: José Morais

Cartaz: N C Penteado

Vai para a estrada no próximo dia 2 de abril, mais um passeio de bicicleta a 13ª edição, organizado pelo Núcleo de Cicloturismo do Penteado/Moita.

O evento que terá concentração pelas 8 horas na sede no Núcleo, e a partida marcada para as 9 horas, o passeio terá uma extensão de 65 quilómetros, e promete muita animação e umas animadas pedaladas, num trajeto propício para pedalar, com uma organização a esmerar-se por dar o seu melhor na maneira de receber, e onde no final haverá um grande almoço convivo.

Com doze passeios organizados, o N. C. Penteado, bem cedo se destacou na modalidade, cativando os amantes das bicicletas nos seus passeios, chegando em algumas edições a ter mais de meio milhar a pedalar, passeios levados para a estrada pelo saudoso José Manuel, que nos deixou presencialmente em 2015, mas que se mantem sempre na nossa memória, e no nosso coração, e esta edição, a 13ª, irá sem dúvida continuar a ser muito positiva.

Para informações e inscrições, as podem ser feitas para:


Telefones: 968 693 7840 – 962 885 721 – 965 346 554

Fax: 212 362 352

Marque já na sua agenda, e participe neste grande passeio.

Com o apoio da Revista Notícias do Pedal

“Pedalar em segurança…”

Texto e foto: José Morais

Pedalar em segurança, é o que queremos relembrar hoje para todos os que pedalam, gostam de andar de bicicleta, ou pensam começar a pedalar. Andar de bicicleta é sem dúvida um prazer, digam aqueles que pedalam por estradas, montes, nas deslocações para a escola, para o emprego, nas deslocações citadinas, ou em qualquer lugar, é sem dúvida um grande prazer pedalar, mas acima de tudo terá de haver segurança, e terá de se prevenir os acidentes, já que qualquer um está sujeito a ter ao menor deslise um.

Não sendo obrigatório o seguro para as bicicletas, nem para os ciclistas, o mesmo deve fazer parte de quem pedala, seja como forma de lazer, sem ser competição, como quem utiliza a bicicleta como meio de deslocação, ou transporte alternativo, assim, possuir um seguro de acidentes pessoais, e um seguro de responsabilidade civil, é o mínimo que um utilizador de bicicleta deve de ter.

Mas quando se fala de seguros, todos pensam os valores elevados dos mesmos, o que para muitos, muitas vezes é desmotivante, e muitos dos seguros apesar de caros, as regalias são poucos, mas… e se tiver um seguro bom, a um preço tentador, um seguro que lhe segure a sua vida, um seguro de responsabilidade civil que o livre daquela dor de cabeça, quando acidentalmente provocou danos a terceiros, e a despesa vai pesar no seu orçamento, um seguro a um preço acessível, sem franquias, que lhe fica por dia a cerca de “Oito (8) Cêntimos”, ou seja, pouco mais de “ Dois Euros e Quarenta (2,40€) por mês, ou seja, apenas por “Vinte e Nove Euros e Cinquenta Centavos (29,50 €) por ano, um valor de um mera almoço.

Fazer um seguro numa companhia, sem as condições necessárias, e com algumas restrições, é um valor sem dúvida grande, mas a Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), possui um seguro sem dúvida muito interessante, com um preço, e condições, sem dúvida das melhores do mercado, por apenas “29,50 €” anualmente, o associado da FPCUB terá á sua disposição um Seguro de Responsabilidade Civil com capital de 6.000.000.00 Euros, e um Seguro de Acidentes Pessoais Morte ou Invalidez Permanente 30.000.00, Despesas de Funeral 2.575,00 €uros, Despesas de Tratamento e Repatriamento 5.000.00 €uros, Serviço Hospitalar público ou rede Médica convencionada da Companhia de Seguros Tranquilidade S.A., tudo isto sem franquia, válido em Portugal/Espanha, e Todo o Mundo, 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Para beneficiar deste seguro sem dúvida o melhor do mercado, basta apenas fazer-se associado da FPCUB, o valor será os 29,50 Euros anuais, estando incluído a quota de associado, o seguro, para além de ser sócio, ao participar nos eventos organizados pela FPCUB a sua inscrição será gratuita, receber informações das suas atividades, ainda o calendário nacional das atividades e eventos dos seus associados, dos passeios de estrada, btt, cidade, e lazer, ainda se o desejar aconselhamento técnico, e ainda, descontos e condições especiais em Lojas de Bicicletas, Restauração e Hotelaria, Parques de Campismo, Pousadas, Aluguer de viaturas, etc.

Estas as vantagens de ser associado da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), porque o acidente espreita sempre a qualquer esquina, e estar prevenido, em nada vai pesar depois no seu orçamento, saiba assim como se inscrever, e poder começar a beneficiar já deste seguro, e de outras regalias que a FPCUB possui para si.

Para saber mais informações e ser sócio, pode consultar o site em: www.fpcub.pt

E-mail: fpcub@fpcub.pt

Telefones: 213 159 648 ou 912 504 851 - Fax: 213 561 253

Ou ainda na: Rua Bernardo Lima 35, 2º B  1150-075 Lisboa

Horário de atendimento:

Segundas, Terças, Quartas e Quintas das 10h30 às 13h30 e das 14h às 19h

Sextas: 14h – 22h

Podendo ainda seguir no: www.facebook.com/fpcub

Pedale em segurança...

“Volta à Comunidade Valenciana: Quintana vence com Amaro Antunes em 20.º”

Coquard venceu ao 'sprint' a quinta e última etapa

Por: Lusa

Foto: EPA

O colombiano Nairo Quintana (Movistar) venceu este domingo a 68.? Volta à Comunidade Valenciana em bicicleta, na qual Amaro Antunes (W52-FC Porto) foi o português mais bem classificado ao terminar a prova em 20.°.
O francês Bryan Coquard (Direct Energie) venceu ao 'sprint' a quinta e última etapa da prova, impondo-se ao compatriota Nacer Bouhanni (Cofidis) e ao holandês Coen Vermeltfoort (Roompot), após a anulação de duas voltas à localidade de Paterna, que levaram à redução do percurso face ao mau tempo.

Na etapa entre Paterna e Valência, Samuel Caldeira esteve em destaque na W52-FC Porto, tendo terminado em 20.°, num pelotão em que seguiam Amaro Antunes (61.°), Gustavo Veloso (73.°) e Rui Vinhas (80.°).
Mais atrás, António Carvalho foi 98.°, Raul Alarcon 102.° e Joaquim Silva 132.°, todos a 01.45 minutos do líder.
Na classificação geral, Amaro Antunes foi o portista mais bem classificado, com o 20.º posto, a 04.17 minutos do vencedor, seguido de Rui Vinhas, que terminou no 71.° lugar, a 27.37.
No final da prova, Nairo Quintana, que deixou o belga Bem Hermans (BMC) na segunda posição, a 13 segundos, destacou a preparação, a clareza de objetivos e o trabalho de equipa como as chaves para averbar a primeira vitória da temporada.
"A chave está em acertar numa boa preparação, bastante meticulosa, para poder chegar bem às grandes provas", disse o ciclista colombiano, que tem agora como objetivos da temporada a Volta a Itália e a Volta à França.

Fonte: Record on-line

“Rafael Silva abre temporada no “top-ten”

Equipa EFAPEL responsável pela chegada ao sprint em Ovar

A equipa EFAPEL teve o primeiro teste competitivo na Prova de Abertura Região de Aveiro e teve em Rafael Silva o seu melhor representante. Num final de corrida discutido ao sprint, o corredor foi o oitavo a cortar a linha de meta instalada em Ovar, terra onde é a sede da formação liderada pelo director desportivo, Américo Silva.

Ao longo de mais de 160 quilómetros, o pelotão nacional, que contou ainda com a participação de algumas formações estrangeiras, esteve, pela primeira vez, em confronto na longa época que se perspectiva. Com uma fuga de três corredores que marcou os primeiros dois terços da prova de abertura, a EFAPEL assumiu as despesas no pelotão e fechou o espaço para que houvesse uma chegada ao sprint. Nesse momento, Rafael Silva acabou por ser quem melhor conseguiu colocar-se para a discussão final e ficou em oitavo.

“Foi um teste individual e colectivo em termos físicos. Nesta primeira corrida, ou interessava ganhar ou então apenas estávamos preocupados em saber como estamos e como estão os nossos adversários. Nesse aspecto saímos satisfeitos da Prova de Abertura e optimistas para as próximas corridas do calendário”, afirmou Américo Silva.

Cumprido o primeiro compromisso competitivo de 2017, a EFAPEL prepara, a partir de agora, duas voltas por etapas. Com o cancelamento do Troféu Alpendre, que estava previsto para o próximo fim-de-semana, os corredores da equipa voltam à estrada para correr na Volta ao Algarve, que se realiza entre os dias 15 e 19 e, logo de seguida, estão na Volta ao Alentejo, de 22 a 26.
 

Classificação final

    Francisco Campos        Miranda-Mortágua            3h53m25s

    César Martingil        Liberty Seguros-Carglass        mt

    Fábio Silvestre        Sporting-Tavira            mt


    Rafael Silva            EFAPEL                mt

19º    Daniel Mestre            EFAPEL                mt

46º    Álvaro Trueba            EFAPEL                mt

47º    António Pereira Barbio    EFAPEL                mt

50º    Mateo Garcia            EFAPEL                mt

53º    Sérgio Paulinho        EFAPEL                mt

58º    Jesús del Pino            EFAPEL                mt

74º    Henrique Casimiro        EFAPEL                a 53s

119º    Bruno Silva            EFAPEL                a 28m46s

 

Fonte: Efapel

“Prova de Abertura – Região de Aveiro”

Francisco Campos é o primeiro vencedor do ano

O sub-23 Francisco Campos (Miranda-Mortágua) ganhou hoje, em Ovar, a Prova de Abertura – Região de Aveiro, uma corrida de 160,8 quilómetros, que se iniciou em Anadia.

As primeiras pedaladas da época foram dadas a alta velocidade, terminando com um empolgante sprint, numa reta de meta com quase dois quilómetros. Francisco Campos foi o primeiro classificado, ao fim de 3h53m25s de corrida (média de 41,334 km/h). O segundo classificado foi outro sub-23, César Martingil (Liberty Seguros/Carglass). O primeiro elite foi Fábio Silvestre (Sporting-Tavira), na terceira posição.

“Esta chegada a Ovar é um sprint muito longo, que acaba por tornar-se uma espécie de lotaria. É preciso estar bem, ter força, mas também encontrar a roda certa. Os principais adversários expuseram-se ao vento muito cedo e eu aproveitei, arrancando a 150 metros”, explica Francisco Campos.

O corredor penafidelense, que completou 19 anos há menos de quatro meses, afirmou ter no diretor desportivo o mestre ideal para as funções de velocista. “O Pedro Silva é um grande treinador, ele também foi sprinter. Tem-me ajudado muito e eu tenho aprendido imenso com ele”, confessa Francisco Campos.

Antes da previsível chegada em pelotão compacto, a corrida teve três animadores. Mario González (Sporting-Tavira), Xuban Errazkin (RP-Boavista) e Tiago Ferreira (Seleção Nacional/Liberty Seguros). O trio abalou do pelotão com cerca de 20 quilómetros percorridos, chegou a ter 2m50s de vantagem sobre o pelotão, mas acabou por ceder à perseguição movida pela Equipa Bolivia, durante a fase inicial, e pela Efapel, a partir das duas montanhas.

Mario González aproveitou para conquistar a camisola de melhor trepador e, na companhia de Tiago Ferreira, acabou absorvido pelo pelotão, após a descida da montanha de Sever do Vouga, a pouco mais de 50 quilómetros da meta. O basco Xuban Errazkin foi mais persistente e apenas terminou o esforço solitário a 10 quilómetros do final.

Uma das surpresas da competição foi a presença, ao serviço da Seleção Nacional/Liberty Seguros, do campeão mundial de maratona BTT, Tiago Ferreira, que já não competia em estrada desde o Campeonato Nacional de fundo de 2013. “Em breve serei pai e não me convém ir competir para o estrangeiro, mas preciso de correr para ganhar ritmo. Surgiu esta oportunidade e aproveitei. Entrar na fuga acabou por ser uma questão de defesa. Se fizesse as descidas no meio do pelotão, o mais certo era ficar pregado”, admite o viseense.

Além dos três primeiros da corrida, subiram ao pódio o melhor trepador, Mário González, e a RP-Boavista, vencedora da classificação coletiva.

A Prova de Abertura – Região de Aveiro foi a primeira das três competições pontuáveis para o Troféu Liberty Seguros. Seguem-se a Clássica da Arrábida, 5 de março, e a Clássica Aldeias do Xisto, 12 de março.

Classificação

Anadia – Ovar, 160,8 km

1.º Francisco Campos (Miranda-Mortágua), 3h53m25s (Média: 42,334 km/h)

2.º César Martingil (Liberty Seguros/Carglass), mt

3.º Fábio Silvestre (Sporting-Tavira), mt

4.º Egoitz García (Equipo Bolivia), mt

5.º Ivo Oliveira (Seleção Nacional/Liberty Seguros), mt

6.º Luís Mendonça (Louletano-Hospital de Loulé), mt

7.º Daniel Sánchez (RP-Boavista), mt

8.º Rafael Silva (Efapel), mt

9.º Luís Gomes (RP-Boavista), mt

10.º André Crispim (Liberty Seguros/Carglass), mt

Fonte: FPC

“Nova época e a mesma ambição”

Pelotão nacional deu este domingo as primeiras pedaladas em 2017, com a Prova de Abertura em Ovar

Por: Ana Paula Marques

Anadia e Ovar teve a honra de receber hoje a prova inaugural do calendário nacional. Uma ligação de 160,8 km para coroar então o primeiro vencedor de 2017.

Uma época em que não há novidades no número de equipas, pois mantêm-se as seis de anos anteriores, sendo que uma delas, no entanto, mudou de designação. Passou de LA-Antarte para LA-Metalusa BlackJack, depois da saída da empresa de Paredes. A ‘nova’ equipa tem agora sede em Albergaria-a-Velha e permitiu o regresso ao nosso país de um filho da terra, Edgar Pinto, para liderar as ambições na Volta a Portugal.

Do World Tour...

De volta ao nosso país estão ainda outros ciclistas, um deles diretamente do World Tour. Falamos de Sérgio Paulinho que, aos 36 anos, quer mostrar ter ainda capacidades para chegar à vitória na corrida rainha portuguesa, em agosto. Os 12 anos de experiência no pelotão mundial poderão ser a mais-valia, para ele, e para a equipa que agora representa, a Efapel.

Foi também com os olhos postos essencialmente na Volta a Portugal que o Sporting-Tavira se reforçou. E bastante. Foi mesmo a equipa que mais investiu para 2017. Os leões contrataram Alejandro Marque, Joni Brandão e ainda Fábio Silvestre, este vindo lá de fora. Mantiveram, por outro lado, o italiano Rinaldo Nocentini, a estrela que o ano passado deu uma das poucas vitórias à formação leonina, o GP de Torres Vedras, mas que esteve discreto o resto da temporada.

Espinha dorsal

Na equipa que dominou quase todo o ano de 2016 não há grandes alterações. A W52-FC Porto manteve a espinha dorsal (Gustavo Veloso, Rui Vinhas, Raul Alarcon, entre outros), viu sair Rafael Reis para a Caja Rural, mas contratou outro grande valor, Amaro Antunes (LA-Antarte), que vai ser para já o líder na Volta ao Algarve.

Já Domingos Gonçalves, Filipe Cardoso e João Benta são as principais caras novas na RP-Boavista, que volta a ter em Rui Sousa (40 anos) a sua principal referência. O Louletano-Hospital de Loulé reforçou-se com sete ciclistas, mantendo Sandro Pinto e Vicente de Mateos como as armas.
Fonte: Record on-line