quinta-feira, 15 de setembro de 2016

“Froome defende o direito à isenção de uso terapêutico”

Ciclista britânico defende uso terapêutico após ataque de 'hackers' à Agência Mundial Antidopagem.

Foto: Lusa
O ciclista britânico Chris Froome defendeu o direito à isenção de uso terapêutico (TUE), depois de os seus registos médicos na posse da Agência Mundial Antidopagem (AMA) terem sido divulgados por ‘hackers’.
Froome é um dos mais recentes atletas a ter os seus registos médicos devassados, numa lista que já engloba 25 de oito países, à semelhança da divulgação de dados confidenciais ocorrida na terça-feira, que envolvia quatro atletas que competiram nos Jogos Olímpicos Rio2016.
Para além de Froome, também os seus compatriotas Bradley Wiggins (ciclismo), Charley Hull (golfe), Sam Townsend (remo) e Heather Fischer (râguebi) viram os seus registos médicos confidenciais tornados públicos sem o seu consentimento.
A AMA informou que um grupo de piratas informáticos russo, conhecido como “Fancy Bear” ou “Tsar Team”, acedeu ilegalmente à base de dados do sistema de administração e gestão antidopagem (ADAMS) da agência, criado para seguir os controlos feitos aos atletas.
O ataque informático, que levou já o ministro russo dos Desportos, Vitaly Mutko, a negar qualquer envolvimento do seu governo, terá sido feito através de uma conta do Comité Olímpico Internacional (COI), criada a propósito dos Jogos Rio2016.
O grupo acedeu a informação de desportistas, incluindo a dados médicos confidenciais, tais como isenções por uso terapêutico de medicamentos nos Jogos do Rio2016 autorizadas por federações internacionais e organizações nacionais antidopagem, de acordo com a AMA.
"Eu tenho discutido abertamente com a comunicação social as minhas isenções de uso terapêutico e não tenho qualquer problema com a fuga de informação, que só confirma o que tenho afirmado”, referiu Chris Froome.
O ciclista, de 31 anos, acrescentou ainda que, em nove anos como profissional, recorreu apenas por duas vezes a essa prorrogativa, a última das quais em 2014, num quadro de um ataque exacerbado de asma.
Após compilar dados, e de acordo com o diretor geral da AMA, Olivier Niggli, o organismo não tem dúvidas de que os ataques em curso constituem uma forma de retaliação contra a agência e o sistema antidopagem mundial devido ao relatório McLaren, divulgado a 18 de julho, que revelou a existência de um esquema de ‘doping’ patrocinado por Moscovo.
A isenção de uso terapêutico (TUE) existe para permitir a atletas com problemas médicos reconhecidos, como a asma no caso do ciclista campeão olímpico Bradley Wiggins, e a hiperatividade no da ginasta multimedalhada no Rio2016 Simone Biles, poderem tomar substâncias proibidas para competir ao mais alto nível.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

"Volta a Itália partirá da Sardenha em 2017"

A Volta a Itália em bicicleta de 2017 assinala a 100.ª edição da prova

Foto: Lusa
A Volta a Itália em bicicleta de 2017, que assinala a 100.ª edição, partirá da Sardenha, a 05 de maio, e permanecerá na ilha, que raramente recebe a visita da ‘caravana’, durante três dias, anunciou a organização.

Revelado o local da partida do Giro de 2017, em Milão, os organizadores da festiva 100.ª edição da prova velocipédica, remetem para 25 de outubro a apresentação do percurso completo da prova.
As três primeiras etapas, disputadas em linha, terão lugar na Sardenha, que será atravessada de norte a sul e onde o Giro apenas por três vezes se deslocou, em 1961, 1991 e 2007.
A primeira etapa será disputada entre Alghero e Olbia, de onde sairá a segunda tirada em direção a Tortoli. A terceira etapa do Giro2017 terá como destino Cagliari, a capital da província italiana e a maior cidade da ilha.
"Para mim é um grande orgulho o Giro partir da minha terra. Será magnífico participar numa prova que irá começar lá [Sardenha]”, disse o ciclista italiano Fabio Aru, da Astana, natural da ilha.
Terceiro classificado no Giro de 2014 e segundo no de 2015, ano em que ganhou a Volta a Espanha, Fabio Aru, não participou este ano na Volta a Itália, mas participou pela primeira vez no Tour de França (13.º).
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Contador feliz por representar a Trek-Segafredo”

Contrato começa em 2017

Foto: EPA

O ciclista espanhol Alberto Contador, que já venceu por duas vezes a Volta a França, vai abandonar a Tinkoff e representar no próximo ano a Trek-Segafredo, anunciou a equipa norte-americana.
"Estou muito feliz por ter aparecido esta oportunidade. A Trek-Segafredo tem um projeto muito ambicioso e atrativo e que me inspira. Temos os mesmos objetivos e prioridades. O grande objetivo é vencer as mais importantes Voltas do calendário e, claro, a mais importante que é o Tour de França", afirmou o ciclista de 33 anos.
Além dos triunfos no Tour, Contador venceu a Voltas à Espanha em 2008, 2012 e 2014.
Em 2010, o espanhol perdeu o título de vencedor da Volta a França e foi suspenso por dois anos depois de ter acusado positivo num controlo antidoping.

Fonte: Record on-line

“Bernardo Gonçalves terceiro no Sobral”

Realizou-se o 1º Circuito de Ciclismo do Sobral de Monte Agraço, com mais uma boa prestação da nossa equipa de juniores, onde Bernardo Gonçalves conseguiu alcançar a terceira posição. Ainda dentro do Top-15 destaque para a décima posição de André Cunha e o 11º lugar de Rafael Espadinha, que permitiu à nossa equipa Jorbi -Team José Maria Nicolau, a segunda posição coletiva.

A corrida foi marcada pela dureza do percurso, que contemplava um percurso de 4,7 quilómetros a percorrer por dez vezes. Logo à primeira volta o pelotão fragmenta-se em vários grupos, tendo o nosso ciclista Bernardo Gonçalves conseguido seguir integrado no primeiro desses grupos, do qual sairia mais tarde o vencedor. Bernardo Gonçalves ainda tentou por diversas vezes a sua sorte, mas sempre seguido de perto pelas as equipas com mais elementos. Mesmo assim foi possível alcançar um honroso terceiro lugar. Destaque também para aa décima posição de André Cunha e o 11º lugar de Rafael Espadinha, que permitiu à nossa equipa Jorbi -Team José Maria Nicolau, a segunda posição coletiva.

Classificação Geral:

3º Bernardo Gonçalves

10º André Cunha

11º Rafael Espadinha.

Equipa

2º Lugar

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/ Campeonato da Europa de Estrada França”

Juniores tentarão melhorar resultados e ganhar experiência

As provas de fundo do Campeonato da Europa de Estrada arrancam já nesta sexta-feira, em Plumelec, França, e a Seleção Nacional/Liberty Seguros vai competir com cinco corredores nas provas de juniores.

Logo pela manhã, às 8h00 (hora portuguesa), Soraia Silva entra em acção na corrida júnior feminina. A ciclista bairradina terá pela frente 69,5 quilómetros, correspondentes a cinco voltas ao circuito de Plumelec. O traçado é exigente, física e tecnicamente, especialmente nos derradeiros 1700 metros, em subida, com uma inclinação média de 6,2 por cento.

“O meu grande objetivo é aprender o máximo possível e levar um grande ‘empeno’, que será sinal de que me esforcei. Quero levar para casa uma bagagem cheia de novas experiências”, confessa Soraia Silva.

Às 12h20 (hora portuguesa) inicia-se a prova de fundo para juniores, na qual as cores portuguesas serão defendidas pelos repetentes João Almeida e Daniel Viegas e pelos estreantes e juniores de primeiro ano Pedro Lopes e Pedro Teixeira. Vão pedalar ao longo de 125,1 quilómetros, nove voltas ao circuito de Plumelec.

Depois de já terem competido na edição transata, Almeida e Viegas têm a missão de procurar melhorar as posições de 2015, 57.ª e 113.ª, respetivamente. Os “novatos” terão de procurar adaptar-se a outro andamento, de modo a conseguirem o melhor resultado possível e a aquisição de experiência útil para o futuro.

“Estou entusiasmado por estar aqui entre os melhores, mas sinto uma grande responsabilidade. Mas é uma responsabilidade boa, de poder honrar o país e evoluir como ciclista”, afirma Pedro Teixeira.

Pedro Lopes revela uma postura semelhante. “Gostava de conseguir um bom lugar, mas o fundamental e ficar a conhecer os adversários e o andamento internacional, de maneira a estar preparado para o futuro”, diz.

Fonte: FPC

“Seleção Nacional/Liberty Seguros/ Campeonato da Europa de Estrada”

Nelson Oliveira quarto no Europeu de contrarrelógio

O português Nelson Oliveira foi hoje o quarto classificado na prova de contrarrelógio do Campeonato da Europa de Estrada, terminando em 59m09s o exercício individual de 44 quilómetros, entre Josselin e Plumelec, na Bretanha, França.

Nelson Oliveira começou forte. Conseguiu o terceiro melhor registo no primeiro ponto de cronometragem, ao quilómetro 16, e melhorou para a segunda melhor marca, ao quilómetro 34,6. Sofreu na fase final para se manter entre os melhores, mas não foi possível segurar um lugar no pódio, acabando a 17 segundos das medalhas.

O espanhol Jonathan Castroviejo fez uma corrida irrepreensível e conquistou a medalha de ouro, com um registo de 58m13s, menos 56 segundos do que o corredor luso. O pódio completou-se com dois corredores que foram melhorando ao longo da prova e que se deram bem com a fase final mais dura, o italiano Moreno Moser, segundo classificado, a 30 segundos do vencedor, e o belga Victor Campenaerts, terceiro, a 39 segundos.

“Queria, pelo menos, um lugar no pódio, mas não foi possível. Dei o máximo, mas sinto que quebrei na fase final e foi aí que perdi as opções de chegar às medalhas. Ficar em quarto lugar provoca sempre um sentimento de maior frustração. Talvez o desgaste da viagem desde o Canadá tenha passado fatura. Resta-me felicitar o meu companheiro de equipa Jonathan Castroviejo pela vitória”, afirma Nelson Oliveira.

A prova de elite, hoje disputada, marcou a melhor prestação da Seleção Nacional/Liberty Seguros nas provas de contrarrelógio do Campeonato da Europa. Nesta sexta-feira iniciam-se as corridas de fundo.

Portugal alinha com cinco corredores na primeira jornada de corridas de fundo. De manhã, a júnior Soraia Silva integra o pelotão feminino que vai percorrer 69,5 quilómetros, a partir das 8h00 (hora portuguesa). Às 12h20 de Portugal arranca a corrida de juniores masculinos, que terá 125,1 quilómetros e que contará com os lusos Daniel Viegas, João Almeida, Pedro Lopes e Pedro Teixeira.

Fonte: FPC

“Portugueses líderes na terceira etapa do Tour de Timor”

Prova difícil mas com bons resultados

Por: Lusa

Foto: Facebook Tour Timor

Os ciclistas portugueses David Vaz e Celina Carpinteiro consolidaram esta quinta-feira a liderança do Tour de Timor depois de concluída a terceira etapa da prova, entre Quelicai e Iliomar, no final da qual vários atletas tiveram de ser assistidos.
David Vaz venceu a terceira etapa, com uma distância de 83,5 quilómetros, num tempo de 3:16:15.00, à frente de Kirill Kazantsev (Cazaquistão), que ficou apenas 18 segundos atrás, e do tailandês Keerati Sukprasart (3:18:28.50).
Entre as mulheres, a britânica Catherine Williamsons foi a primeira a cortar a meta, com um tempo de 4:05:34.40, à frente de Celina Carpinteiro, que chegou 50 segundos depois, e da também portuguesa Ilda da Silva Pereira.
Celina Carpinteiro mantém-se, porém, em primeiro lugar na classificação geral.
Pelo terceiro dia consecutivo, Jacinto de Jesus da Costa foi o melhor timorense, completando a etapa em 4:16:33.20.
A etapa desta quinta-feira, a antepenúltima da prova, ficou marcada por vários ciclistas terem necessitado de assistência.
Segundo informaram os organizadores, o australiano Craig Cooke, quarto na chegada, teve de ser assistido, tendo quatro ciclistas timorenses "colapsado na linha de chegada".
Na sexta-feira, decorre a quarta etapa, entre Iliomar e Com (104 quilómetros) e no sábado a quinta e última, entre Lospalos e Baucau (87 quilómetros).

Fonte: Record on-line