terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

“BTT Cross Country Olímpico”

Fragoso (Barcelos) no arranque do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros

No próximo domingo, 26 de fevereiro, será disputada em Fragoso (Barcelos) a primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros. O 5º BTT XCO de Fragoso integrará provas para todas as categorias de competição (incluindo escolas e paraciclismo) e para não federados (promoção).

Promovida em conjunto pela Associação de Ciclismo do Minho e Lamaceiros TT, a primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO - MAPFRE | Seguros será aberta à participação (além das categorias de competição) de todos os interessados que poderão participar integrados na categoria de promoção.

O programa do 5º BTT XCO de Fragoso começará com um período para treinos entre as 10 e as 12h00, realizando-se a partir dessa hora as atividades para pupilos, benjamins e iniciados. Pelas 14 horas começará a prova para infantis, juvenis, cadetes, femininos (sub 23/elites e master), paraciclismo e promoção e às 15h30 a corrida de juniores, elites/sub 23 e masters. A cerimónia protocolar está prevista para as 17h30. A participação na prova é gratuita para atletas federados sendo também aberta à participação na vertente de promoção (custo de inscrição inclui seguro de acidentes pessoais). O secretariado para confirmação de inscrições abrirá às 10 horas e as inscrições devem ser efetuadas através do email geral@acm.pt.

O 5º BTT XCO de Fragoso tem o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, Juntas de Freguesia de Fragoso e Aldreu, Federação Portuguesa de Ciclismo, MAPFRE | Seguros, Cision, Raiz Carisma - Soluções de Publicidade, Arrecadações da Quintã, POPP Design, Salvaggio, Bike Magazine (revista oficial) e do comércio e industria local.

Fragoso estreou-se no Campeonato do Minho de BTT XCO em 2013 apresentando uma pista que, desde então, chama à freguesia barcelense muito público e muitos atletas. Na última edição da prova, mais de duas centenas e meia de betetistas participaram no 4º BTT XCO de Fragoso. Luís Pereira e Joana Monteiro foram os vencedores em elites enquanto António Azevedo ganhou em juniores, Rúben Nunes em masters 30, Monserrat Martinez em masters femininas, Abel Machado em masters 40, João Araújo em masters 50, Hélder Gonçalves e Raquel Queirós em cadetes, Ana Santos e Gonçalo Magalhães em juvenis, Rafael Sousa e Mariana Libano em infantis, David Ferreira e Mariana Magalhães em iniciados, Rui Sabino em pupilos-benjamins e Vítor Lima em promoção. Coletivamente triunfaram a ASC / Focus Team / Vila do Conde (competição) e a BMC / SRAM / Póvoa de Varzim (escolas).

Fonte: ACM

“IV DUATLO DE RIO MAIOR”

Disputou-se em Rio Maior, no passado sábado, dia 18 de Fevereiro, a 3ªetapa do Campeonato Nacional de Clubes de Duatlo, um evento de grande importância no calendário Nacional, aonde estiveram presentes mais de duas centenas de atletas oriundos de todos os pontos do país, entre os quais os atletas olímpicos João Pereira (5ºlugar no Rio de Janeiro) e Miguel Arraiolos.

Uma etapa disputada de forma intensa e dinâmica, tendo em conta os andamentos altos praticados pelos atletas nos percursos rápidos da cidade de Rio Maior.

Pelo TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS, estiveram presentes 4 atletas, Ricardo Batista e Miguel Moreira (cadetes), Rafael Marques (junior) e Rodrigo Carvalho (sub-23).

O melhor torrejano foi Ricardo Batista, que ainda a recuperar de uma gripe, alcançou o 8ºlugar em Cadetes, enquanto Miguel Moreira terminou no 18ºlugar. Em Juniores, Rafael Marques foi 13ºclassificado, e o 4ºelemento da equipa torrejana, Rodrigo Carvalho em Sub-23, concluiu a sua prova na 26ªposição.

 
DUATLO DO SEMIDEIRO (CHAMUSCA)

 
3ºLUGAR PARA A ESCOLA DE TRIATLO DE TORRES NOVAS na 2ªetapa do CAMPEONATO NACIONAL JOVEM

 
Mais de 500 atletas participaram no domingo, dia 19 de Fevereiro, no Semideiro, localidade do concelho da Chamusca, na 2ªetapa do Campeonato Nacional Jovem de Triatlo, uma organização conjunta da Câmara Municipal da Chamusca e da Federação de Triatlo de Portugal, com a parceria do Centro Cultural do Semideiro e Núcleo do Sporting da Golegã.

Divididos por 4 escalões etários, desde Benjamins a Juvenis, os jovens atletas percorreram diferentes distâncias ajustadas à sua idade e que variaram entre 400m de corrida, 1km de ciclismo, 200m de corrida e 2km de corrida, 8km de ciclismo, 2km de corrida.

A ESCOLA DE TRIATLO DO CLUBE DE NATAÇÃO DE TORRES NOVAS voltou a conquistar o 3ºlugar por equipas, um excelente prémio para os 33 atletas torrejanos que participaram neste Duatlo do Semideiro, enquanto o Sport Lisboa e Benfica somou a segunda vitória consecutiva no Campeonato Nacional Jovem, e o Alhandra Sporting Clube alcançou o 2ºlugar.

Individualmente, todos os atletas torrejanos cumpriram o seu papel, mas foi em Iniciados que a Escola Triatlo de Torres Novas esteve em maior destaque com a subida de GUSTAVO DO CANTO ao 3ºlugar do pódio, logo seguido pelo seu colega de equipa JOÃO NUNO BATISTA no 4ºlugar, Pedro Afonso Silva no , José Tadeia no 14º e Martim Salvador no 17ºlugar.

Também os Juvenis estiveram em bom plano, com uma excelente prestação de Duarte Santos ao terminar na 7ªposição, e de Tiago Lopes na 13ªposição, enquanto em femininos, Ana Margarida Silva foi 16ªclassificada.

Mas começando pelos primeiros atletas a entrar em acção no Semideiro, ou seja pelos Benjamins, Rodrigo Vicente esteve ao seu nível, ao concluir a sua 3ª participação em prova, num excelente 7ºlugar, enquanto Miguel Gameiro foi 14ºclassificado e Diogo Viegas 41º.

Em Infantis femininos, Matilde Moita foi a melhor torrejana no 14ºlugar, seguida pelas colegas de equipa, Ana Júlia Marques na 25ªposição, Margarida Inácio na 32ª e Bruna Barros na 39ª. Neste escalão mas em masculinos, Francisco Carvalho concluiu no 20ºlugar, Guilherme Neves no 26º, David Sá Marques no 39º e Rodrigo Viegas no 66ºlugar.

Voltando aos Iniciados, aonde estiveram mais atletas torrejanos em acção, em masculinos Vasco Santos terminou na 28ªposição e André Neves na 46ª, e em femininos, Inês Domingues e Joana Silva foram 23ª e 24ªclassificadas, Maria Pedrogão 28ª e Natércia Carvalho 36ª.

Para terminar esta etapa do Campeonato Nacional Jovem, falta mencionar ainda as classificações dos restantes atletas Juvenis torrejanos, mais concretamente em masculinos, as prestações de Guilherme Marques que terminou no 36ºlugar, Francisco Gonçalves no 63º e Bruno Proença no 66ºlugar, e em femininos, de Beatriz Neves na 26ªposição, Matilde Ferreira na 35ª, Joana Alves e Carlota Martins na 37 e 38ªposições.

Participaram ainda na Prova Aberta do Semideiro, uma competição aberta a atletas federados e não federados, 3 atletas torrejanos que voltaram a reunir-se numa prova de Duatlo passados mais de 20 anos sobre o início do triatlo em Torres Novas, os Veteranos Marco Sousa que foi 4ºclassificado, Alberto Tadeia 20º e Vitor Santos 44º.

No próximo fim-de-semana não haverá competição, mas 5 atletas da Escola Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas foram convocados para o Controlo de Treino da Selecção Nacional de Triatlo. Os Cadetes Ricardo Batista, José Pedro Vieira, Afonso do Canto e Joana Miranda, e a Junior Carolina Serra, estarão presentes no Centro de Alto Rendimento do Jamor, nos dias 25 e 26 de Fevereiro para participar neste Controlo de Treino.

Fonte: Escola Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas
 











 

“Jorbi – Team José Maria Nicolau apresentada”

Foi no Centro Cultural do cartaxo, no passado sábado dia 18, que decorreu a apresentação oficial das equipas de formação Jorbi-Team José Maria Nicolau, pertencentes ao Clube de Ciclismo José Maria Nicolau. 

Atletas, família e amigos encheram o auditório do cinema do Centro Cultural para conhecer os 28 atletas que compõem as quatro equipas do Clube José Maria Nicolau para a época de 2017, nos escalões de Escolas, Cadetes, Juniores e Sub-23/Elites. Todos os escalões passam a ter a designação de Jorbi Team José Maria Nicolau, destacando-se a marca de bicicletas portuguesa, Jorbi, que apoia o Clube vai para sete épocas. Também foram alterados os equipamentos, embora mantenham a cor laranja que caracteriza o clube, mas que lhe confere notável visibilidade no pelotão, dando ainda mais visibilidade aos parceiros do clube. 

Durante a apresentação, José Nicolau agradeceu aos pais pela forma como têm ajudado o Clube, pois tem sido, nas palavras do responsável, com muita dedicação de todos que “temos conseguido contornar as dificuldades, como a crise económica, a falta de apoios e patrocinadores, e porque o ciclismo é uma modalidade cara, mas a teimosia é mais forte que a razão”, diz, acrescentando que “o esforço compensa” e “estamos cá para continuar”. Para o comprovar, o Clube homenageou Rui Alexandre, um jovem atleta que nas duas últimas décadas se destacou como “um elemento facilitador do espírito de equipa, empenhado e disponível a ajudar os seus colegas”, demonstrando que “não é preciso ser campeão, basta ser uma pessoa humilde, para ser reconhecido por nós”, referiu José Nicolau.   


Tal como foi referido em entrevista à Helena Dias do Cycling & Thoughts, a equipa sub-23 é bastante jovem, mas José Nicolau vê nos seus pupilos vontade de batalhar na estrada. “Dos onze ciclistas sub-23, seis ou sete são de 1º e de 2º ano e na Prova de Abertura tiveram um comportamento muito bom, embora com muitos azares em termos de furos e uma queda que limitou um ou dois atletas. Vai ser uma época tranquila. Tudo o que eles fizerem é bem-vindo, mas tenho noção que quando os outros se descuidarem um pouco, nós podemos dizer alguma coisa, porque temos três ou quatro miúdos com muito valor. Claro que este ano vai ser um pouco complicado demonstrarem esse valor, excepto os dois mais velhos, que têm de se reafirmar, tanto o Jorge Marques como o André Ramalho.”  

Para 2017, o Clube de Ciclismo José Maria Nicolau irá apresententar os seguintes ciclistas: 

Sub-23/Elites: Fábio Leaça, André Ramalho, Jorge Marques, Nuno Marques, Germano Arroyo,João Ribeiro, Bernardo Gonçalves, Sandro Branco, André Cunha, Cláudio Sousa, Micael Vitorino Juniores: Guilherme Oliveira, Rafael Espadinha, Duarte Areias, João Silva, Bernardo Norte, Tomás Sequeira, Luis Oliveira e Telmo Costa. Cadetes: Duarte Bento, Pedro Rocha e Miguel Carvalho Escolas: Simão Salvaterra, Francisco Brilha, Gulherme Cunha, Daniel Estevão, Leonor Estevão e Jasmin Valada.

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau


 

“Companhia aérea Emirates patrocina equipa de Rui Costa”

Conjunto onde o português é figura de destaque passa a chamar-se UAE Team Emirates

Por: Lusa

A UAE Abu Dhabi, equipa pela qual corre o ciclista português Rui Costa, anunciou esta terça-feira o patrocínio da companhia aérea Emirates, passando a designar-se daqui para a frente como UAE Team Emirates.
O conjunto sedeado nos Emirados Árabes Unidos, herdeira da estrutura da italiana Lampre-Merida, vai estrear as novas camisolas na Volta ao Abu Dhabi, prova do WorldTour que se inicia na quinta-feira e na qual vai estar presente Rui Costa, campeão do mundo de 2013.

O português congratulou-se com o anúncio do acordo através de uma mensagem no Facebook. "Obrigado ao nosso novo grande patrocinador por confiar em nós e no nosso trabalho", escreveu Rui Costa na sua página naquela rede social, publicando algumas fotos com a nova camisola.
"Queremos estar no 'top-10' e ir passo a passo. No próximo ano, queremos andar no 'top-5'. Temos o objetivo de, calmamente, mas com certeza, estar no 'top-3' dentro de três anos. Tenho confiança na direção e nos corredores para atingir isso em três anos", afirmou, por seu lado, o presidente da equipa, Matar Suhail Al Yabhouni Al Dhaheri.
Já o italiano Giuseppe Saronni, diretor-geral da UAE Team Emirates, manifestou também o desejo de conseguir vitórias em qualquer prova em que participem e terminar o ano entre as 10 primeiras equipas do 'ranking' mundial.
"Espero que com esforço possamos terminar o ano entre os 10 primeiros do WorldTour. Na Volta ao Abu Dhabi, vamos tentar mostrar da melhor maneira possível a camisola dos EAU. Vamos esforçar-nos por ser protagonistas nas fugas ou nas chegadas ao 'sprint' e, inclusivamente, tentar a vitória na montanha", afirmou Saronni.

Fonte: Record on-line

“Lisboa é finalista do Prémio da Semana Europeia da Mobilidade de 2016”

Lisboa é uma das três cidades finalistas do Prémio da Semana Europeia da Mobilidade de 2016, juntamente com Malmo, na Suécia, e Skopje, na República da Macedónia, revelou hoje a Comissão Europeia.

A cidade vencedora do Prémio da Semana Europeia da Mobilidade de 2016 será revelada pela comissária europeia responsável pelos Transportes, Violeta Bulc, durante uma cerimónia a realizar em Bruxelas a 20 de março, altura em que também será anunciada a cidade vencedora do 5.º Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável.

Lisboa é candidata ao Prémio da Semana Europeia da Mobilidade por transformar os seus espaços públicos disponíveis a peões, enquanto Malmo se distingue por apostar em bicicletas como meio de transporte sustentável e Skopje por ter um sistema de partilha de viaturas que ajuda os residentes a poupar dinheiro e a proteger o ambiente, destacou a Comissão Europeia.

Entre as 10 cidades selecionadas por um júri independente como candidatas a este prémio estavam ainda as cidades de Bialystok (Polónia), Krusevac (Sérvia), Palma (Espanha), Praga (República Checa), Samos (Grécia), Sofia (Bulgária) e Valência (Espanha).

O prémio pretende “destacar as autoridades locais que demonstram ter empreendido esforços significativos na promoção da mobilidade urbana sustentável” e teve este ano 63 candidaturas de 23 países.

A 15.ª edição da Semana Europeia da Mobilidade ocorreu de 16 a 22 de setembro de 2016 num total de 2.427 vilas e cidades, a maior de participação de sempre.

Já para a 5.ª edição do Prémio do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável foram nomeadas como finalistas as cidades de Bruxelas (Bélgica), “pelos seus sistemas logísticos e inovadores”, Budapeste (Hungria), pela “integração do frete na estratégia global de mobilidade”, e Estocolmo (Suécia), pela sua “estratégia de estímulo da economia local, limitando o impacto adverso do frete urbano”.

Este prémio pretende recompensar as autoridades locais bem-sucedidas no planeamento da mobilidade que dê resposta às necessidades de transporte de pessoas e empresas, melhorando a qualidade de vida.

Foram ainda reconhecidas pelo júri as cidades de Berlim (Alemanha), Nápoles (Itália), Piatra Neamt (Roménia) e Roterdão (Países Baixos) pela qualidade das suas candidaturas.

No ano passado a vencedora do Prémio da Semana Europeia da Mobilidade foi Múrcia (Espanha) “pelo seu sucesso em termos de multimodalidade e intermodalidade do transporte”, enquanto Malmo (Suécia) venceu a 4.ª edição do Prémio SUMP “pelos seus esforços em termos de multimodalidade e intermodalidade no planeamento da mobilidade urbana sustentável”.

Fonte: Sapo on-line

“Agenda de Ciclismo”

Volta ao Alentejo é a corrida que se segue

A 35.ª Volta ao Alentejo, antecipada face às datas tradicionais, disputa-se entre 22 e 26 de fevereiro. Além da mudança de calendário, a corrida também subiu de escalão, sendo agora de classe 2.1 internacional.

A maior parte do percurso adequa-se aos roladores, como é natural na região, mas a primeira etapa, no norte do Alentejo, poderá deixar marcas. A tirada inicial encaminha a caravana de Portalegre, de onde sai às 12h00, até Castelo de Vide, através de um trajeto de 158 quilómetros, que levará cerca de quatro horas a percorrer. É a viagem mais curta da corrida, mas também a mais acidentada, incluindo quatro prémios de montanha – um de segunda, dois de terceira e um de quarta categoria -, mais do que no somatório das restantes jornadas.

A segunda etapa tem 171,3 quilómetros, a percorrer entre Monforte e Portel, apenas com uma subida de quarta categoria como obstáculo para os velocistas. A terceira jornada é a mais extensa, 208 quilómetros sem qualquer subida pontuável, entre Mourão (10h50) e Mértola (16h00).

O pelotão da Volta ao Alentejo deixa Odemira às 11h45 de dia 21 de fevereiro para pedalar ao longo de 175,2 quilómetros, temperados por uma subida de quarta categoria, que não será suficiente para partir o pelotão antes da chegada a Alcácer do Sal, prevista para as 16h00.

A competição encerra com uma tirada de 168,9 quilómetros, desde Ferreira do Alentejo (11h50) até à Praça do Giraldo, no coração de Évora, onde os primeiros são esperados em redor das 16h00, depois de mais uma viagem em que a história montanhosa se resume a uma escalada de quarta categoria.

A caravana será formada por uma equipa WorldTour, a espanhola Movistar Team, por cinco continentais profissionais, a espanhola Caja Rural-Seguros RGA, a israelita Israel Cycling Academy, a colombiana Manzana Postobón, a russa Gazprom-RusVelo, e a polaca CCC Sprandi Polkowice, e por 13 continentais: as seis portuguesas – Efapel, LA Alumínios-Metalusa BlackJack, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto -, duas oriundas dos Estados Unidos da América, Axeon Hagens Berman e Rally Cycling, duas da Noruega, Team Coop e Team Sparenbanken Sor, a basca Euskadi Basque Country-Murias, a irlandesa An Post Chain Reaction e a holandesa Metec-TKH Mantel.

Mais eventos oficiais

26 de fevereiro, 9h00: Raid BTT de Miratejo, Freguesia S. João dos Montes

26 de fevereiro, 9h30: BTT Trilhos dos Moinhos, Barcelos

26 de fevereiro, 9h30: 7.ª Resistência BTT do Juncal

26 de fevereiro, 9h30: Maratona BTT Na Rota do Casqueiro, St.º André, Sines

26 de fevereiro, 9h30: Taça do Algarve de XCO

26 de fevereiro, 14h00: 5.º XCO de Fragoso, Barcelos

Fonte: FPC

“Barbero espreita oportunidade no Alentejo”

Espanhol é o único que pode quebrar a tradição

No pelotão de 150 homens que começa esta quarta-feira, em Portalegre, a 35ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola apenas um, Carlos Barbero, pode vencer a “teimosia” da “Alentejana”. O espanhol da equipa Pro Tour Movistar é, entre os participantes da edição deste ano, o único corredor que já venceu a corrida e, portanto, o único que poderá quebrar a tradição, uma vez que até agora a prova nunca foi ganha duas vezes pelo mesmo homem.

Espetáculo itinerante já enraizado na cultura desportiva da região e uma das maiores referências do ciclismo português, desde 1983, a Volta ao Alentejo Crédito Agrícola vai terminar no domingo, em Évora, após cinco etapas e quase 900 quilómetros de competição.

Esta terça-feira, a movimentação típica do início das grandes provas agitou o Centro de Artes e Espetáculo de Portalegre onde decorreu o secretariado e a reunião dos diretores desportivos que confirmaram a lista de participantes. A logística da Podium Events, que organiza a competição com a CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e está habituada à responder às necessidades de grandes eventos como a Volta a Portugal, envolve quase 400 pessoas num rodopio diário que por estes dias anima os locais por onde a prova vai passando. São 19 equipas com um pelotão de 150 homens aos quais se junta todo o pessoal técnico entre elementos de montagem de estruturas, secretariado e comissários, além da imprensa. 

Realizada, este ano, mais cedo e com algumas novidades destacando-se o regresso ao escalão 2.1 da UCI - União Ciclista Internacional, a Volta ao Alentejo abriu as portas à participação de mais e melhores equipas do ciclismo mundial.

Marcas que marcam no Alentejo

Até domingo, estão em discussão 15 Metas Volantes e 7 Prémios de Montanha, além da vitória em cada uma das 5 etapas. O pelotão lutará diariamente por uma das quatro “Camisolas” símbolos de liderança. A maior distinção de todas, a Camisola Amarela Crédito Agrícola para o líder da classificação geral, a Camisola Castanha Delta Cafés vai premiar o melhor trepador, a “novíssima” Camisola Preta Kia dos pontos vai distinguir o homem mais regular e, por fim, a Camisola Branca RTP será envergada pelo jovem melhor classificado.

Na etapa inaugural, esta quarta-feira, o pelotão sai de Portalegre pelas 12 horas e após 158 quilómetros irá chegar à pitoresca e medieval vila de Castelo de Vide onde será conhecida a primeira Camisola Amarela Crédito Agrícola. A tirada inaugural é a mais curta, mas também das mais duras com a travessia do Parque Natural da Serra de São Mamede onde estão quatro contagens para o Prémio de Montanha: a subida de 2ª categoria em Cabeço do Mouro (km 102,2), uma contagem de 3ª categoria em Monte Paleiros (km 107,3), uma rampa de 4ª categoria em Marvão (km 118) e a derradeira inclinação na Sra. da Penha, de 3ª categoria (km 138,6). As Metas Volantes estarão instaladas no Crato (km 17), Monforte (km 57,4) e Portalegre (km 99). A chegada a Castelo de Vide está prevista para as 16 horas, horário previsível para todos os finais de etapa.

Fonte: Podium