segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

"Boas Festas"

O Natal é quando o homem quer, infelizmente muitos apenas nesta época pensam um pouco nos outros, aqueles que ao longo do ano pouco ou nada se fala, esta é uma época sem dúvida de reflexão, de amor, de carinho, que sensibiliza o mais rijo dos corações, onde todos gostavam de poder ter alguém para lhes fazer companhia, de compartilhar uma noite de Natal, mas que num mundo muitas vezes de cão, isso não pode acontecer.

Na impossibilidade de enviar individualmente a todos meus familiares, amigos, e leitores, fica aqui para todos vós, os votos de um Feliz Natal, com muita paz, amor, saúde e prosperidade, com o Ano Novo cheio de muitas felicidades e muitas realizações.

José Morais

“Nibali não quer vitória na Volta a Espanha”

Foi segundo e pode passar a primeiro após doping de Chris Froome

Foto: DR Record

O italiano Vincenzo Nibali não está interessado em ser coroado vencedor da Volta a Espanha deste ano se o britânico Chris Froome perder o título depois de ter sido apanhado nas malhas do doping.

"Isto nunca me aconteceu antes. Tudo o que sei é que dei tudo para ganhar. Estive no segundo degrau do pódio e se me derem a vitória as emoções nunca serão as mesmas. Não estou interessado neste tipo de vitória", contou o corredor transalpino de 33 anos ao site 'cyclingnews'. "Acredito nas regras e nos regulamentos e confio que as autoridades vão fazer o que tem de ser feito. Mas seja o que for que resulte daí, as emoções nunca serão as mesmas."

Na semana passada foi revelado que o quatro vezes vencedor do Tour acusou elevados níveis de salbutamol (um medicamento para a asma) numa análise realizada após a 18ª etapa da Vuelta. O ciclista insiste não ter feito nada de mal e que apenas usou mais vezes o inalador devido ao facto de os sintomas da asma terem piorado durante a corrida.

Em 2007 o sprinter italiano Alessandro Petacchi foi suspenso depois de exceder os limites de salbutamol no Giro desse ano e foi destituído da vitória em cinco etapas da prova.

Fonte: Record on-line

“Movimento por um ciclismo credível pede à Sky que suspenda Froome”

Em causa controlo antidoping positivo do britânico na Volta a Espanha deste ano

O movimento por um ciclismo credível (MPCC) pediu esta segunda-feira à equipa Sky para suspender voluntariamente Chris Froome, até ao final do processo de inquérito ao controlo antidoping positivo do britânico na Volta a Espanha.

A Sky não é membro do MPCC, um movimento que representa 43 equipas do pelotão profissional da WorldTour e do Continental Profissional (1.ª e 2.ª divisão), que, segundo as suas regras, criadas em 2007, são obrigadas a suspender "imediatamente" um ciclista após a primeira comunicação de um controlo positivo.

"Essas disposições impostas pelas equipas membros da MPCC foram tomadas com o objetivo claro de transparência no interesse de todos e do ciclismo", sublinha o movimento presidido por Roger Legeay.

Em julho, o britânico dominou o Tour, vestiu pela quarta vez a amarela no pódio final - e isolou-se no segundo lugar da lista de maiores vencedores da prova francesa, a apenas um triunfo dos recordistas -, e, menos de dois meses depois, festejou a vitória na Vuelta, tornando-se o primeiro ciclista, desde o francês Bernard Hinault, em 1978, a alcançar a dobradinha naquelas duas grandes voltas.

O ano mais memorável do líder da Sky converteu-se em pesadelo: Froome acusou níveis proibitivos do broncodilatador salbutamol, um medicamento usado para asma, numa análise à urina feita em 07 de setembro, durante a Vuelta, e encontra-se agora sob investigação, podendo vir a perder o título da corrida espanhola.

"É por isso que o MPCC e seu conselho de administração estão a pedir à Sky, sem prejuízo da decisão final, para suspender voluntariamente o seu ciclista até o final do processo. Assim pode prosseguir com a sua defesa em paz e evitar as tensões entre dirigentes e corredores", acrescenta o movimento que pretende estar na vanguarda da luta contra o doping.

A União Internacional de Ciclismo (UCI) instituiu processos contra o britânico, sem que, por causa da natureza da substância, o quatro vezes vencedor do Tour tenha sido suspenso preventivamente.

A MPCC também pediu à Sky que abra uma investigação após as revelações do ex-treinador Shane Sutton, que admitiu recentemente que "alguns medicamentos que exigem uma autorização de uso terapêutico (TUE) podem ter sido usados para melhorar o desempenho".

Fonte: Record on-line

“Froome tranquilo mantém rotinas”

Nada parece perturbar o estágio da Sky, em Maiorca, nem os valores do salbutamol do corredor

Por: Ana Paula Marques

Foto: Reuters

Nada parece perturbar o estágio que a Sky faz por estes dias em Maiorca, no país vizinho. Nem mesmo o caso Chris Froome, ciclista que está a ser investigado por ter acusado o dobro do permitido de salbutamol na Volta a Espanha, incorrendo num suspensão e na perda de todos os resultados desde essa prova, incluindo naturalmente o triunfo na corrida espanhola.

A equipa britânica tem dado conta de alguns pormenores da concentração, como reuniões e treinos, tendo ontem mesmo publicado nas redes sociais uma galeria de fotos, onde se vê Chris Froome bem-disposto e a treinar-se normalmente pelas estradas daquela ilha das Baleares, que serve de quartel-general também a muitas outras equipas do World Tour que estagiam nesta altura.

Desde a primeira hora que a Sky manifestou o seu apoio ao vencedor do Tour e Vuelta de 2017 e por agora optou por não suspender o ciclista, como muitos defendem, entre eles o manager da Bahrain-Merida, sendo verdade que esta é via normalmente adotada pelas equipas do World Tour quando um ciclista está sob suspeita ou a ser investigado...

Froome vai dando sequência normal ao plano de treinos tendo em vista 2018, cujo objetivo é vencer o Tour e Giro, enquanto os seus advogados preparam a sua defesa.

Contador, Sharapova...

O que têm em comum Chris Froome, Alberto Contador e Maria Sharapova? Os três acusaram positivo num controlo antidopagem e escolheram o mesmo advogado para os defender, ou seja, o ciclista britânico contratou o compatriota Mike Morgan, que já tinha defendido o espanhol e a russa.

Segundo contam os meios de comunicação social britânicos, Froome socorre-se da vasta experiência de um advogado em assuntos relacionados com o doping e que defendeu, entre outros, Alberto Contador (clembuterol no Tour de 2010) e a tenista Maria Sharapova (meldonium em 2016). Um e outro acabaram por ser suspensos, sendo que Contador perdeu mesmo o triunfo no Tour desse ano e o Giro em 2011.

Segundos alguns indicadores, Chris Froome, nascido no Quénia, há 32 anos, poderá escapar à sanção mais grave, dois anos, e levar um castigo a rondar os seis meses, de modo a não travar a sua participação na Volta a Itália.

Fonte: Record on-line