terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

“Portugal de Lés-a-Lés de sempre prolonga-se até 30 de abril”

Limitada a 1500 motociclistas, ‘1.ª etapa’ do mais extenso  

Corrida por um lugar na aventura 

Apresentado oficialmente no Grande Hotel do Luso onde foi desvendado novo formato e alguns dos locais de passagem, o 19.º Portugal de Lés-a-Lés inicia ‘nova etapa’ às 12 horas de quarta-feira, momento de abertura das inscrições para a maratona mototurística organizada pela Federação de Motociclismo de Portugal. Limitadas a 1500 participantes – número que promete ser atingido muito antes da data limite, a 30 de abril – as inscrições só poderão ser feitas online através da página www.les-a-les.pt e custam 150 euros, exclusivamente para detentores do Cartão de Motociclista da FMP.

A edição 2017 do Portugal de Lés-a-Lés será a mais extensa de sempre, ligando Vila Pouca de Aguiar a Faro ao longo de 1100 quilómetros, percorrendo, de 14 a 17 de junho, algumas das mais pitorescas estradas nacionais, regionais e municipais. E até uns quantos caminhos não pavimentados, em fáceis estradões de terra para chegar aos locais mais inóspitos e surpreendentes, sempre longe das autoestradas, Itinerários Principais, Secundários e outros sinais de modernidade rodoviária. Pelo caminho, paragem no Fundão e Elvas em figurino que contempla três etapas e um Passeio de Abertura, espécie de prólogo no concelho aguiarense. Etapas mais curtas, em aventura de acrescida intensidade mototurística à descoberta de um país realmente singular apresentada no Grande Hotel do Luso e onde foram realizadas as primeiras 250 inscrições.

Depois das 24 horas consecutivas na travessia entre extremos do mapa nacional nos quatro primeiros anos, a quinta edição passou a contar com duas etapas que permitiram descobrir o centro do País, até então sempre atravessado durante a noite. Em 2007, a grande passeata pelo concelho de Arcos de Valdevez. prevista para a primeira etapa, acabou por transformar-se numa espécie de prólogo, cujo sucesso ditou continuidade deste formato até 2016. Agora, e para que o Lés-a-Lés não seja vítima do próprio sucesso, aumentando também a própria qualidade do passeio, foi adotada nova configuração. Que evitará partidas tão madrugadoras como em 2016 no evento patrocinado pela BMW, BP e Dunlop, quando o enorme pelotão 1500 motos e 1650 motociclistas começou a sair de Albufeira às 5.30 horas com muitas equipas a chegarem ao Luso, no final da primeira etapa, bem depois do pôr-do-sol.

Fonte: Gabinete de Imprensa 19.º Portugal de Lés-a-Lés/Parceria Notícias do Pedal

 

“Juiz aprova julgamento de pedido milionário de indemnização a Armstrong”

Departamento de Justiça reclama quase 100 milhões de dólares

Por: Lusa

Foto: Reuters

Um juiz federal de Washington aceitou na segunda-feira as acusações formadas pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos contra o ex-ciclista Lance Armstrong, irradiado devido a doping.
Este aval abre caminho para um julgamento do processo instaurado pelo Departamento de Justiça, que reclama a Armstrong quase 100 milhões de dólares (cerca de 94,2 milhões de euros) por ter defraudado o Estado quando representava a equipa patrocinada pela US Postal, o serviço de correios do país.
Armstrong sempre alegou que as acusações eram infundadas, considerando que a US Postal não sofreu qualquer prejuízo, já que foi "largamente beneficiada" com o vínculo ao ex-ciclista.
No entanto, o juiz federal Christopher Cooper rejeitou este argumento de Armstrong e considerou que compete a um júri avaliar o pedido.
A US Postal pagou à Talwind Sports Corporation 32 milhões de dólares (cerca de 30 milhões de euros) para ser o patrocinador da equipa de ciclismo, entretanto extinta.
Em 2012, Armstrong foi punido por prática sistemática de doping, o que lhe valeu a perda da maioria dos seus resultados, nomeadamente as sete vitórias no Tour (1999-2005). No ano seguinte, o texano viria a confessar a utilização regular de produtos dopantes.

Fonte: Record on-line

“Kristoff vence primeira etapa em Omã”

Boonen cai e Rui Costa chega em 27.º

Por: Lusa

Foto: DR
O norueguês Alexander Kristoff iniciou esta terça-feira a Volta a Omã como na edição do ano passado, com uma vitória na primeira etapa, marcada pela queda do belga Tom Boonen e o 27.º lugar de Rui Costa.
O 'sprinter' da Katusha impôs-se na longa reta final do Naseem Park, nos arredores de Mascate, batendo os italianos Kristian Sbaragli (Dimension Data) e Sonny Colbrelli (Bahrain Merida), para concluir os 176,5 quilómetros da tirada em 3:49.19 horas.

A chegada em pelotão compacto foi perturbada pela queda de vários corredores a cerca de 700 metros da meta, entre os quais Tom Boonen. O líder da Quick-Step Floors, que se preparava para disputar o sprint, tocou na roda traseira do seu colega Yves Lampaert e terminou caído no asfalto, cruzando a linha com algumas escoriações.
Rui Costa, da UEA Abu Dhabi, concluiu a etapa no 27.º posto, com o mesmo tempo de Kristoff, que lidera a classificação geral com quatro segundos de vantagem sobre Sbaragli e sobre o belga Aime De Gendt (Sport Vlaanderen-Baloise). O português, campeão do mundo em 2013, é 31.º da geral, a 10 segundos do norueguês.
Na quarta-feira, Kristoff envergará a camisola vermelha, símbolo da liderança, na segunda etapa, que vai liga Nakhal a Al Bustan, na extensão de 145 quilómetros.


Fonte: Record on-line

“43.ª Volta ao Algarve”

Melhores sprinters do mundo têm primeira oportunidade em Lagos

A 43.ª edição da Volta ao Algarve arranca nesta quarta-feira com uma etapa de 182,9 quilómetros, entre Albufeira e Lagos, que se adivinha propícia aos velocistas de primeiro nível presentes no pelotão.

A tirada inaugural arranca às 12h30, na Câmara de Albufeira, levando o pelotão por uma viagem em terreno plano até à Praça Infante D. Henrique, Lagos, onde o pelotão deverá chegar cerca das 17h00. É uma etapa propícia aos sprinters e, olhando à lista de inscritos, da qual constam muitos dos melhores especialistas do mundo, as equipas mais fortes tudo farão para permitir uma chegada em grupo compacto.

A lista de candidatos à vitória na etapa e à conquista da primeira Camisola Amarela Turismo do Algarve é extensa e rica. Perfilam-se como favoritos homens capazes de vencer etapas em qualquer corrida mundial: André Greipel (Lotto Soudal), Arnaud Démare (FDJ), Dylan Groenewegen (Team Lotto NL-Jumbo), Edvald Boasson Hagen (Team Dimension Data), Fernando Gaviria (Quick-Step Floors), John Degenkolb (Trek-Segafredo), Mark Cavendish (Team Dimension Data) ou Nacer Bouhanni (Cofidis).

A qualidade do pelotão da Volta ao Algarve não se esgota no excelente lote de sprinters. Fazendo jus à subida ao escalão 2.HC, o mais próximo do WorldTour, a corrida portuguesa recebe 12 equipas da primeira divisão internacional. É a prova que se realiza durante esta semana que mais coletivos WorldTour atraiu.

Individualmente, o pelotão da Volta ao Algarve tem 22 ciclistas do top 100 internacional, conta com os campeões mundial e o europeu de contrarrelógio, Tony Martin (Team Katusha Alpecin) e Jonathan Castroviejo (Movistar Team), respetivamente e com um total de 11 campeões nacionais de fundo e de contrarrelógio.

Se os homens mais rápidos são os protagonistas esperados para a primeira jornada, os interessados a suceder a Geraint Thomas como vencedor da Volta ao Algarve terão de mostrar-se nos dias seguintes. A segunda etapa une Lagoa ao Alto da Fóia, ao longo de 189,3 quilómetros e a terceira é o contrarrelógio individual de 18 quilómetros, em Sagres.

Nestes dois dias têm a obrigação de estar na dianteira corredores como Daniel Martin (Quick-Step Floors), Luis León Sánchez (Astana), Michal Kwiatkowski (Team SKy), Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo), Sergei Chernetskii (Astana), Stephen Cummings (Team Dimension Data), Tony Gallopin (Lotto Soudal) ou Tony Martin.

Os velocistas serão chamados a mostrar-se novamente na quarta etapa, a mais longa da competição, 203,4 quilómetros, entre Almodôvar e Tavira. Os favoritos voltam a ter de evidenciar-se na derradeira tirada, 179,2 quilómetros, entre Loulé e o alto do Malhão.

Além das estrelas internacionais, a Volta ao Algarve é a oportunidade para ver nas estradas portuguesas alguns dos emigrantes do ciclismo luso, alguns com aspirações ao protagonismo: José Gonçalves e Tiago Machado (Team Katusha Alpecin), José Mendes (Bora-hansgrohe), Nelson Oliveira e Nuno Bico (Movistar), Ricardo Vilela (Manzan Postobón) e Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo). Do pelotão nacional, Amaro Antunes (W52-FC Porto), melhor português em 2016, começou a época em força e quer brilhar na região natal.

A 43.ª edição da Volta a Portugal terá transmissão televisiva em direto para 55 países e 68 milhões de lares, diariamente, entre as 16h00 e as 17h00. Em Portugal a prova poderá ser vista no Eurosport 2 e na TVI24. O direto será possível graças ao investimento da Região de Turismo do Algarve e da Associação Turismo do Algarve, em parceria com o Turismo de Portugal, que encaram a Volta ao Algarve, organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo, como um extraordinário meio de promoção internacional da região. O apoio dos municípios que recebem as partidas e chegadas foi também importante para que se desse este passo decisivo para o crescimento da Volta ao Algarve.

Classificações Oficiais

Geral Individual – Camisola Amarela Turismo do Algarve

Pontos – Camisola Vermelha Cofidis

Montanha – Camisola Azul Liberty Seguros

Juventude – Camisola Branca Sicasal

43.ª Volta ao Algarve em números

5 etapas

772,8 quilómetros

25 equipas, 12 do WorldTour

198 corredores

26 países representados

22 ciclistas do top 100 mundial

1 campeão mundial de contrarrelógio

1 campeão europeu de contrarrelógio

11 campeões nacionais de fundo e contrarrelógio

2 antigos vencedores inscritos, Michal Kwiatkowski e Tony Martin

Equipas participantes

WorldTour: Astana (CAZ), Bora-hansgrohe (GER), Cannondale-Drapac (EUA), Dimension Data (RSA), FDJ (FRA), Katusha-Alpecin (SUI), Lotto NL-Jumbo (NED), Lotto Soudal (BEL), Movistar (ESP), Quick-Step Floors (BEL), Team Sky (GBR) e Trek-Segafredo (EUA).

Continental Profissonal: Caja Rural-Seguros RGA (ESP), Cofidis (FRA), Gazprom-RusVelo (RUS), Manzana Postobón (COL), Roompot-Nederlandse Loterij (NED) e Wanty-Groupe Gobert (BEL)

Continental: Efapel, LA Alumínios-Metalusa, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto (POR), e Rally Cycling (EUA)

Etapas

15 de fevereiro - 1.ª Etapa: Albufeira - Lagos, 182,9 km

16 de fevereiro - 2.ª Etapa: Lagoa - Fóia, 189,3 km

17 de fevereiro - 3.ª Etapa: Sagres - Sagres, 18 km (C/R)

18 de fevereiro - 4.ª Etapa: Almodôvar - Tavira, 203,4 km

19 de fevereiro - 5.ª Etapa: Loulé - Malhão, 179,2 km

Fonte: FPC

“A Volta ao Algarve em números”

Algumas curiosidades sobre a prova que arranca esta quarta-feira

Por: Lusa

Foto: Ricardo Nascimento

A Volta ao Algarve arranca já esta quarta-feira, com partida em Albufeira e a meta no alto do Malhão, em Loulé, no próximo domingo. Deixamos aqui alguns números e curiosidades da prova que atinge este ano a sua 43.ª edição.
2: vencedores de edições anteriores presentes: Tony Martin, vencedor em 2011 e 2013, e Michal Kwiatkowski, vencedor em 2014.

4: camisolas em disputa: amarela (geral individual), vermelha (classificação por pontos), branca (juventude) e azul (montanha)
10: segundos de bonificação atribuídos ao vencedor da etapa. O segundo e o terceiro classificado bonificam, seis e quatro segundos, respetivamente
10: metas volantes da Volta ao Algarve. São pontuáveis para a classificação por pontos e atribuem bonificação de 3, 2 e 1 segundos aos três primeiros classificados, respetivamente
10: total de contagens de montanhas, duas delas a coincidir com o final de etapa (2.ª e 5.ª)
11: campeões nacionais em título: Alex Dowsett, campeão britânico de contrarrelógio; André Greipel, campeão alemão de fundo; Dylan Greonewegen, campeão holandês de fundo; Edvald Boasson Hagen, campeão norueguês de fundo e de contrarrelógio; Ignatas Konovalovas, campeão ucraniano de contrarrelógio; Jonathan Castroviejo, campeão espanhol de contrarrelógio; José Mendes, campeão português de fundo; Nelson Oliveira, campeão português de contrarrelógio; Primoz Roglic, campeão esloveno de contrarrelógio; Sergei Chernetskii, campeão russo de contrarrelógio; e Taylor Phinney, campeão norte-americano de contrarrelógio
18: extensão em quilómetros do único contrarrelógio individual, marcado para a terceira etapa
22: corredores do top 100 do WorldTour, o primeiro escalão do ciclismo mundial: Baptiste Planckaert (20.º), Nacer Bouhanni (21.º), Dylan Gorenewegen (24.º), Arnaud Démare (25.º), Mark Cavendish (27.º), Daniel Martin (28.º), Sep Vanmarcke (33.º), Edvald Boasson Hagen (36.º), Tony Gallopin (38.º), André Greipel (39.º), Fernando Gaviria (42.º), Alberto Bettiol (46.º), John Degenkolb (59.º), Zdenek Stybar (61.º), Tiesj Benoot (63.º), Matteo Trentin (67.º), Jurgen Roelandts (72.º), Jens Debusschere (89.º), Gianni Moscon (91.º), Dries Devenyns (95.º), Jonathan Castroviejo (96.º) e Michal Kwiatkowski (97.º)
25: equipas participantes, 12 das quais do WorldTour, primeira divisão do ciclismo mundial
27: nacionalidades representadas: Portugal (36), Espanha (28), Bélgica (21), Holanda (19), França (13), Itália (13), Estados Unidos (10), Rússia (9), Alemanha (8), Colômbia (7), Reino Unido (5), Canadá (3), Dinamarca (3), Irlanda (3), Polónia (3), África do Sul (2), Eslovénia (2), Noruega (2), República Checa (2), Suíça (2), Argentina (1), Áustria (1), Equador (1), Eritreia (1), Lituânia (1), Nova Zelândia (1) e Uruguai (1)
198: número de corredores
200: pontos UCI atribuídos ao vencedor final
203,4: extensão em quilómetros da etapa mais longa (4.ª), entre Almodôvar e Tavira
772,8: extensão total em quilómetros, mais 29,6 do que em 2016
9.037,50: prémio em euros para o vencedor final

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve: Rafael Reis falha prova devido a luxação no pulso”

O jovem de 24 anos da Caja Rural terminou a época de 2016 como vencedor do Ranking Ciclista do Ano.
O ciclista português Rafael Reis (Caja Rural) vai falhar a 43.ª Volta ao Algarve devido a uma luxação no pulso esquerdo, revelou hoje o corredor.
Reis, que está a cumprir a sua primeira temporada no pelotão internacional, fazia parte do alinhamento inicial da formação espanhola para a prova, mas acabou por não recuperar de uma luxação no pulso esquerdo, resultante de uma queda durante a Volta a Valência.
O jovem de 24 anos terminou a época de 2016 como vencedor do Ranking Ciclista do Ano, que premeia o corredor mais regular do pelotão português.
A 43.ª Volta ao Algarve arranca de Albufeira, na quarta-feira, e termina no domingo, com o vencedor a ser coroado no alto do Malhão (Loulé).

Fonte: SAPO Desporto c/Lusa
Ciclista alemão é é recordista de títulos mundiais de contrarrelógio (2011, 2012, 2013 e 2016)

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha/Record

O Prémio Prestígio da 43.ª Volta ao Algarve em bicicleta será atribuído ao alemão Tony Martin (Katusha Alpecin), informou esta terça-feira a organização da prova inuagural do calendário velocipédico português.
O Prémio Prestígio, que pretende distinguir um corredor que, pelo seu currículo, prestigia a corrida, será entregue ao atual campeão mundial de contrarrelógio na quarta-feira, antes do arranque da primeira etapa, em Albufeira.

Tony Martin, vencedor da Volta ao Algarve em 2011 e 2013, é recordista de títulos mundiais de contrarrelógio (2011, 2012, 2013 e 2016), 'ex-aequo' com o suíço Fabian Cancellara, e venceu cinco etapas na Volta a França, onde chegou a andar de amarelo em 2015.
O Prémio Prestígio foi atribuído pela primeira vez em 2016, com a organização a decidir partilhar o 'galardão' entre Cancellara, o espanhol Alberto Contador e o belga Tom Boonen.
A Volta ao Algarve arranca na quarta-feira em Albufeira e termina no domingo no alto do Malhão (Loulé), que vai consagrar o sucessor do britânico Geraint Thomas (Sky).

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve tem novo patrocinador”

Há novidades na edição deste ano da competição

Foto: David Nascimento

A Volta ao Algarve vai contar com novo patrocinador na sua 43.ª edição, com a Cofidis a patrocinar a competição pela primeira vez, naquela que é uma das provas mais emblemáticas e mediáticas do calendário nacional de ciclismo. A prova acontece entre 15 e 19 de fevereiro e reúne alguns dos melhores ciclistas internacionais.
"Desde o início que patrocinamos e promovemos a prática do desporto. Exemplo disso é o nosso mais recente projeto 'Up My Bike', que tem como objetivo apoiar iniciativas relacionadas com bicicletas. A nossa associação ao ciclismo é histórica pelo que este patrocínio da Volta ao Algarve, que traz a Portugal os melhores ciclistas da atualidade, surgiu como algo natural", afirma o diretor geral da seguradora em Portugal, Nicolas Wallaert.

Uma das novidades da edição deste ano da Volta ao Algarve é a mudança da camisola verde para vermelha. Com ela, a Cofidis premeia o ciclista que se distingue na classificação por pontos em cada uma das etapas e nas metas volantes.
Além do patrocínio, a Cofidis terá também a sua equipa de ciclismo em competição que inclui o velocista francês Nacer Bouhanni, 20.º do top 100 e uma das maiores promessas do ciclismo mundial.
Com enorme projeção mediática, a prova chega atualmente a mais de 68 milhões de lares e envolve 25 equipas com mais de 200 corredores de 27 países, incluindo 22 ciclistas do top 100 mundial.

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve: Confira as equipas e principais inscritos”

Rafael Reis (Caja Rural) é baixa de última hora

Por: Ana Paula Marques

Foto: Filipe Farinha

A Volta ao Algarve que arranca esta quarta-feira conta com 25 equipas, 13 das quais do principal pelotão mundial, o World Tour. Do escalão mais baixo, o Continental, há sete formações, seis das quais portuguesas.

Após a reunião dos diretores desportivos com o Colégio de Comissários, saiu a lista definitiva, com 198 corredores, sendo Rafael Reis baixa de última hora. O ciclista português da Caja Rural tem uma luxação no pulso esquerdo.


EQUIPAS E PRINCIPAIS INSCRITOS:

WORLD TOUR
ASTANA (CAZ) – Luís Leon Sanchez (ESP), Michelle Scarponi (ITA); BORA (ALE) - José Mendes (POR); Jan Barta (R. CHEC); CANNONDALE (EUA) – Taylor Phinney (EUA); FDJ(FRA) – Arnaud Demare (FRA); LOTTO SOUDAL (HOL) – Tony Galopin (FRA), André Greipel (ALE); MOVISTAR (ESP) – Nuno Bico (POR), Nelson Oliveira (POR), Jonathan Castroviejo (ESP); QUICK STEP (BEL) – Daniel Martin (IRL), Zdenek Stybar (R.CHE); DIMENSION (A. SUL) – Mark Cavendish (GBR), Boasson Hagen (NOR); KATUSHA (SUI) – José Gonçalves (POR), Tiago Machado (POR); Tony Martin (ALE); LOTTO NL (HOL) – Lars Boom (HOL); SKY (GBR) – Michael Kwiatkowski (POL); TREK (EUA) – Ruben Guerreiro (POR); John Degenkolb (ALE).

CONTINENTAL PROFISSIONAL
CAJA RURAL (ESP) Jaime Roson (ESP); COFIDIS (FRA) – Nacer Bouhanni (FRA); GAZPROM (RUS) – Alexander Foliforov (RUS); MANZANA (COL) – RICARDO VILELA (POR); ROMPORT (HOL) ¬– Jesper Asselman (HOL), WANTY (BEL) – Frederick Backaert (BEL)

CONTINENTAL
EFAFEL (POR) – Sérgio Paulinho (POR), Rafael Silva (POR), Daniel Mestre); LA ALUMÍNIOS-METALUSA BLACKJACK (POR) – Edgar Pinto (POR), César Fonte (POR), Hugo Sancho (POR); LOULETANO-HOSPITAL DE LOULÉ (POR) – Vicente de Mateos (ESP), Sandro Pinto (POR), David de La Fuente (ESP); RALLY CYCLING (EUA) – Robert Briton (CAN); RP-BOAVISTA (POR) – Domingos Gonçalves (POR), Filipe Cardoso (POR), João Benta (POR); SPORTING-TAVIRA (POR) – Rinaldo Nocentini (ITA), Joni Brandão (POR), Alejandro Marque (ESP); W52-FC PORTO (POR) – Amaro Antunes (POR); Raul Alarcon (ESP), Rui Vinhas (POR)

Fonte: Record on-line

“Volta ao Algarve: Alto do Malhão desvenda o sucessor de Thomas”

Edição repete a fórmula do sucesso das edições anteriores

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

A Volta ao Algarve voltou a reservar o melhor para o final, com o alto do Malhão a ser palco ideal para, no domingo, coroar como vencedor o ciclista mais completo da 43.ª edição.
'Em equipa que ganha não se mexe', e, por isso, esta edição da Algarvia repete a fórmula do sucesso das edições anteriores, apresentando duas etapas desenhadas para 'sprinters', duas chegadas em alto e um contrarrelógio individual, na expetativa de premiar um corredor todo-o-terreno, no final dos 772,8 quilómetros da principal prova internacional do calendário velocipédico português, que decorre entre quarta-feira e domingo.
Ao primeiro dia, Albufeira volta a ser epicentro da competição, mas, ao contrário do que aconteceu nos últimos anos, o seu complexo esquema de rotundas será o local de partida da primeira etapa, uma ligação para roladores e sprinters, que levará os corredores até Lagos, ao longo de 182,9 quilómetros praticamente planos.
Após um primeiro contacto com as estradas algarvias, o pelotão de 25 equipas e 200 corredores enfrentará, logo na segunda tirada, o seu primeiro grande desafio, com os candidatos a terem de responder presente no final dos 189,3 quilómetros que vão unir Lagoa ao alto da Fóia, em Monchique.
A chegada do ponto mais alto do Algarve (900 metros) será feita por uma vertente diferente da do ano anterior, com a escalada para a meta a fazer-se ao longo de 9,1 quilómetros, com uma inclinação média de 6,2%.
Feita a primeira seleção na Fóia, os favoritos voltarão a ver as suas ambições testadas na sexta-feira, no contrarrelógio de 18 quilómetros, com início e final em Sagres, que repete integralmente o percurso que levou o alemão Tony Martin, agora na Katusha-Alpecin, à amarela na edição de 2016.
Antes das decisivas grandes emoções desta 'Algarvia', há ainda uma outra etapa dedicada aos 'sprinters'. No sábado, Tavira procurará repetir o banho de multidão registado há um ano, no final da quarta etapa, uma ligação de 203,4 quilómetros com partida em Almodôvar.
Mas só no quinto e último dia é que a Volta ao Algarve conhecerá o seu vencedor: é no emblemático alto do Malhão (uma subida de 2,8 quilómetros com inclinação média de 8,9%), em Loulé, que será coroado o sucessor do britânico Geraint Thomas (Sky), bicampeão em título e ausente este ano.
A derradeira etapa vai percorrer 179,2 quilómetros, a partir do centro de Loulé, com o pelotão a subir uma primeira vez o Malhão a 41,5 quilómetros da meta, no início de um circuito final de permanente sobe e desce que faz lembrar as clássicas das Ardenas.

Fonte: Record on-line

“Bombarralense vence Taça de Portugal Pista”

Dia 11 Sábado, na categoria de Juniores, decorreu a Taça de Portugal Pista nas disciplinas Perseguição por Equipas e Pontos.

Velódromo Nacional de Sangalhos, mais uma vez foi a Pista escolhida.

Para este evento o treinador Carlos Reis convocou:

Wilson Esperança Natural de Nazaré.

Francisco Duarte Natural de Mafra.

Bruno Martins Natura de Paraná “- Brasil.

Guilherme Simão Natural de Londres.

Após a vitória nos Campeonatos Nacionais de Pista foi a vez de a equipa conquistar a Taça de Portugal.

Iniciamos as qualificações da perseguição por equipas onde fomos apurados logo para a Final com o segundo melhor tempo, conseguindo na Final conquistar o 1º lugar.

Final da tarde correu se a disciplina de Pontos onde a equipa tinha também ambições de chegar ao pódio.

Com um trabalho de equipa brilhante conseguiram controlar a corrida do início ao fim.

Francisco Duarte conquistar o lugar mais alto do Pódio. Já Wilson Esperança consegue um bom 5º lugar e Bruno Martins um 6º lugar.

A equipa termina a época de Pista com resultados bastante positivos.

Aguarda-se agora o início de época de estrada:

25 de fevereiro em Espanha - Dom Benito

1 de março Apresentação da Equipa – Auditório Municipal do Bombarral

5 de março Portugal – Carregado

19 de março Portugal – Alcobaça

Fonte: Bombarralense


 

“Atualização do Canal NP-TV com o “Vídeo Promocional da 15ª Bênção Nacional dos Ciclistas em Fátima.2017”

A Revista Notícias do Pedal acaba de atualizar o seu canal de televisão “Notícias do Pedal-TV” no YouTube e no MEO/KANAL com o “Vídeo Promocional da 15ª Bênção Nacional dos Ciclistas em Fátima.2017”.


Para ver o vídeo no MEO/KANAL, quem possuir MEO, pode aceder carregando na tecla verde do comando, inserir o código 531450, e ver no MEO/KANAL este e outros filmes, podendo consultar toda a programação. Podem ver ainda através do seguinte link: https://kanal.pt/lista-canais/comunicao-social/lisboa/vila-franca-de-xira/?display=grid&order=updated 

Desejamos que passem e recordem bons momentos.