quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

“Equipa Portugal/Seleção Nacional de Pista no Canadá para chegar aos Jogos e ao Mundial”

Por: André Antunes

A Equipa Portugal irá competir, no próximo fim de semana, nos dias 25 e 26 de janeiro, na Taça do Mundo de Pista, em Milton, Canadá. A campanha será decisiva para somar pontos para o ranking olímpico e para garantir a qualificação para o Campeonato do Mundo de Pista, nas disciplinas de omnium e madison.

A competição no Canadá será a derradeira oportunidade de selar a qualificação em madison para o Campeonato do Mundo e somar pontos para o ranking olímpico. A seleção portuguesa procura melhorar os resultados anteriores, de modo a acrescentar pontos no ranking de apuramento olímpico.

O selecionador nacional de pista Gabriel Mendes convocou Iuri Leitão, Ivo Oliveira e João Matias para competir na categoria de elite masculina, nas disciplinas de omnium e madison. No entanto, só após o treino de quinta-feira é que se ficará a saber quem alinhará em cada uma das provas. Maria Martins será a representante portuguesa na prova feminina de omnium.

No dia 25 de janeiro, a participação lusa começa com o concurso de omnium masculino, pelas 23h00, com término por volta das 2h00.

Maria Martins entra em ação no dia seguinte, 26 de janeiro, no concurso de omnium feminino, pelas 21h00, competindo até cerca das 00h25. A dupla masculina irá participar em madison pelas 22h00.

As corridas no velódromo de Milton prevêem-se muito competitivas, visto que termina o ciclo da Taça do Mundo e, sendo assim, todas as nações vão querer amealhar o máximo de pontos possível. Esta será a última competição pontuável para o Campeonato do Mundo, que será realizado em Berlim, Alemanha, entre 26 de fevereiro e 1 de março.

As horas apresentadas estão de acordo com o horário de Portugal Continental.

Fonte: FPC

“Cofidis abre curso para ensinar a andar de bicicleta”

Por: Teresa Salgueiro

No âmbito do patrocínio do projeto ‘O Ciclismo Vai à Escola’, da Federação Portuguesa de Ciclismo, a Cofidis vai abrir um curso a colaboradores, clientes e ao público em geral, que pretende ensinar adultos e crianças a andar de bicicleta. O curso terá lugar no Complexo Desportivo do Jamor, nos dias 25 de janeiro e 1 de fevereiro, e serão os técnicos especializados da Federação a dirigir as aulas.

A ação vem reforçar a aposta da Cofidis no Ciclismo enquanto modalidade para a promoção da mobilidade, tornando tangível a missão da empresa: Contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. A parceria entre as duas entidades vem, também, contribuir para a promoção da mobilidade e de um estilo de vida mais ativo, saudável e sustentável. Recorde-se que a Cofidis tem uma equipa profissional de ciclismo há 24 anos, que integrou recentemente o World Tour.  

Segundo um estudo promovido pela Federação Portuguesa de Ciclismo, na região de Lisboa e Vale do Tejo, 20% a 25% dos alunos do primeiro ciclo admitiu não saber pedalar. No entanto, mais de 50% dos alunos que participaram no rastreio prático para avaliar se sabiam pedalar, não tinham esta capacidade. Quando questionados sobre se gostariam de aprender, 86% dos alunos declararam que sim. Estes dados foram a base que levou ao nascimento do projeto ‘O Ciclismo vai à Escola’ que atua principalmente no contexto escolar, junto de crianças e jovens, mas também conta com iniciativas direcionadas para adultos.

 A Cofidis disponibiliza mais informação sobre as inscrições no seu site em www.cofidis.pt  


Sobre a Cofidis Portugal 

A Cofidis é uma sociedade financeira que criou um conceito simples e inovador: o crédito ao consumo à distância. Em Portugal desde 1996, a Cofidis conta com uma equipa constituída por cerca de 800 colaboradores e acompanha os clientes e parceiros numa relação sustentável e personalizada, conquistando uma posição de referência na venda e na gestão do crédito a particulares.

Fonte: Cofidis

“Ben Hermans de fora dois meses após queda no Tour Down Under”

Queda massiva afetou vários corredores nos últimos dois quilómetros da etapa

Por: Lusa

O ciclista belga Ben Hermans (Israel Start-Up Nation) vai parar pelo menos dois meses devido a múltiplas fraturas, sofridas esta quarta-feira na sequência de queda coletiva durante a segunda etapa do Tour Down Under.

Segundo a equipa, o belga, de 33 anos, fraturou a clavícula esquerda, um ombro e várias costelas, lesões que exigem cirurgia e uma paragem de pelo menos oito semanas.

Uma queda massiva afetou vários corredores nos últimos dois quilómetros da etapa, entre os quais o italiano Elia Viviani (Cofidis), campeão da Europa, o australiano Richie Porte (Trek-Segafredo) e, especialmente, o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott), vencedor da Vuelta em 2019, cuja continuidade em prova depende da gravidade do toque sofrido no joelho.

Se Yates e Viviani vão ainda avaliar a participação na manhã de quinta-feira, antes do arranque da terceira etapa, o espanhol Rafael Valls (Bahrain-McLaren) já desistiu, depois de fazer exames e ser detetada uma fratura.

O ciclista australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal) venceu hoje a segunda etapa e assumiu a liderança do Tour Down Under, destronando o irlandês Sam Bennett (Deceuninck-QuickStep).

Fonte: Record on-line

“Froome regressa à competição no final de fevereiro”

Ciclista britânico lesionou-se gravemente numa queda no Critério do Dauphiné em junho

O ciclista britânico Chris Froome, gravemente lesionado numa queda no Critério do Dauphiné em junho, anunciou esta quarta-feira que vai regressar à competição na Volta aos Emirados Árabes Unidos, que decorre entre 23 e 29 de fevereiro.

"Estou muito feliz por anunciar que vou iniciar a minha época na Volta aos Emirados. Acabo de terminar um período de treinos nas Canárias e estou desejoso de começar a próxima etapa da minha recuperação", declarou o corredor da INEOS num vídeo publicado nas redes sociais.

O quatro vezes vencedor da Volta a França (2013, 2015, 2016 e 2017) não compete desde 12 de junho, dia em que sofreu uma queda violenta durante o reconhecimento do contrarrelógio da prova francesa.

A queda causou-lhe fraturas na coxa, cotovelo, fémur, esterno e várias vértebras, obrigando a diversas operações cirúrgicas, a última das quais em novembro do ano passado.

No início do ano, o britânico, de 34 anos, tinha desmentido que a sua recuperação estivesse a ser mais lenta do que o esperado e assumido que o seu objetivo é estar no Tour deste ano, que decorre entre 27 de junho e 19 de julho.

Fonte: Record on-line

“Ewan vence segunda etapa da Tour Down Under e destrona Bennett”

Novo líder, vencedor de três etapas no Tour, impôs-se ao sprint, no final dos 135,8 quilómetros

Por: Lusa

O ciclista australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal) venceu esta quarta-feira a segunda etapa e assumiu a liderança do Tour Down Under, destronando o irlandês Sam Bennett (Deceuninck-QuickStep).

O novo líder, vencedor de três etapas no Tour, impôs-se ao sprint, no final dos 135,8 quilómetros entre Woodside e Stirling, ao sul-africano Daryl Impey (Mitchelton-Scott) e ao compatriota Nathan Hass (Cofidis), segundo e terceiro na tirada, respetivamente, após 3:27.31 horas.

Uma queda massiva afetou vários corredores nos últimos dois quilómetros da etapa, entre os quais o italiano Elia Viviani (Cofidis), campeão da Europa, o australiano Richie Porte (Trek-Segafredo) e, especialmente, o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott), vencedor da Vuelta em 2019, cuja continuidade em prova depende da gravidade do toque sofrido no joelho.

João Almeida (Deceuninck-QuickStep) foi o 105.º a cruzar a linha de chegada, 5.21 minutos depois do vencedor, e ocupa o 109.º lugar da classificação geral, a 5.31.

Ewan lidera em igualdade com Bennett, vencedor da primeira etapa, e com um segundo de vantagem sobre Impey, terceiro classificado. O belga Jasper Philipsen (UAE-Emirates) segue no quarto posto, a quatro segundos.

Fonte: Record on-line

“Rohan Dennis cita razões familiares para ter deixado Volta a França de 2019”

Ciclista australiano abandonou a meio da 12.ª etapa

Por: Lusa

O australiano Rohan Dennis, atualmente na INEOS, disse que "razões familiares" fizeram-no abandonar a Volta a França em bicicleta de 2019, a meio da 12.ª etapa, quando estava ao serviço da Bahrain-Merida.

O abandono precipitou uma série de problemas entre as duas partes e a saída do campeão do mundo de contrarrelógio em 2018 e 2019, acontecendo na etapa anterior a um 'crono', no qual seria um dos favoritos.

"Razões pessoais e familiares [surgiram], pela pessoa em que me estava a tornar, devido à situação ou ambiente em que estava. Estava a causar com que fosse, digamos assim, alguém que não era bom ou feliz, nem bom de ter por perto", atirou, após o fim da primeira etapa do Tour Down Under.

O sucedido causou uma rutura entre as duas partes, depois de uma investigação da equipa, e Dennis, de 29 anos, venceu o 'crono' dos Mundiais já sem clube, o que aconteceu em setembro, levando-o a assinar pela INEOS para 2020 e 2021.

Fonte: Record on-line