quarta-feira, 27 de julho de 2016

“Sandro Branco segundo em Paio Pires”

Realizou-se no passado Domingo o 26º Prémio de Ciclismo Juvenil de Paio Pires, com boas prestações das nossas equipas. No principal escalão em prova Sandro Branco conseguiu um excelente segundo lugar, enquanto no escalão mais novo, Francisco Brilha foi segundo em iniciados, a mesma posição de Daniela Santos na mesma categoria, mas em femininas.

Na prova de juniores, seria um pelotão de cerca de meia centena de corredores a fazer-se à estrada paracumprir perto de 70km de prova, sendo oprincipal adversários a elevada temperaturaque se fazia sentir. Mesmo assim os atletasda Jorbi-Team José Maria Nicolau, partiram determinados e logo na fuga inicial, que se viria a revelar a fuga vencedoracolocaram Sandro Branco, que no final alcançaria uma brilhante segunda posição. Ainda no Top –15 chegaramBernardo Gonçalves em oitavo e André Cunha na11ª posição. Colectivamente a Jorbi-Team José Maria Nicolau, foi a segunda melhor equipa.

Nas provas de escolas realizadas no mesmo dia, mas da parte da manhã, os ciclistas mais jovens da Jorbi-Team José Maria Nicolau, também estiveram suberbos, pois todos conseguiram um lugar no pódio, com especial destaque para segunda posição de Francisco Brilha nosiniciados ede Daniela Santostambém em iniciados mas femininos.


Classificações Escolas: Daniel Estêvão -3º BenjaminsMiguel Santos -4º BenjaminsLeonor Estêvão -7ª Benjamins (F)Daniela Santos -2ª Iniciados (F)Francisco Brilha -2º Iniciados

Equipa:

8º lugar

Classificação Juniores: 2ºSandro Branco8º Bernardo Gonçalves

11º André Cunha19º Bernardo Norte

Equipa:

2º lugar

Fonte: Clube de Ciclismo José Maria Nicolau:

“2º Troféu Guilherme Silva e o 1º Circuito da Pera Rocha Liberty Seguros”

Dia 15 de agosto é feriado e no Bombarral é dia de ciclismo!!
É com enorme orgulho que apresentamos o 2º Troféu Guilherme Silva e o 1º Circuito da Pera Rocha Liberty Seguros.

O 2º Troféu Guilherme Silva, prova com o nome do nosso malogrado atleta, é destinada aos escalões de formação, começando pelas 10 horas, com provas de destreza para os escalões de Iniciados, junto à Escola Secundária Fernão do Pó, no Bombarral. Ao longo de toda a manhã, nesta bonita homenagem, haverão provas em linha e de contra relógio dos escalões de formação.

Já da parte da tarde, o ponto alto do 2º Troféu Guilherme Silva, tem lugar pelas 15 horas, com a prova em linha do escalão de juniores, que terá o total de 75 KM, divididos por 30 voltas, pela vila do Bombarral.
Mas há mais…
Pelas 17 horas, também junto à Escola Secundária, terá lugar o 1º Circuito da Pera Rocha Liberty Seguros. Esta prova, destinada aos escalões de Profissionais e Sub-23, terá a participação das mais proeminentes equipas do panorama velocipédico português, como é o caso das equipas W52 F.C.Porto e S.C.Portugal Tavira, entre outras.

Com 75 KM, divididos por 30 voltas, este será o reviver dos grandes momentos desportivos na vila do Bombarral.
Não perca este dia, inteiramente dedicado ao ciclismo! Apoie os ciclistas na estrada e divirta-se em família!   

Fonte: Bombarrelense

“11ª Volta a Portugal de Juniores”



A 11ª Volta a Portugal de Juniores, consiste em três etapas. A primeira etapa, ligará S. João de Vêr a Braga, num total de 108,6 KM e com um final para os corredores mais rápidos.

A segunda tirada, terá como cenário de partida, Vila Verde, com término em Fafe, numa extensão de 88 KM. Esta será uma etapa inédita, visto que o pelotão de jovens atletas passará no piso de terra (2,2 Km) de um dos troços mais famosos do Rally de Portugal. O “Salto da Pedra Sentada” será certamente, local de muitas emoções, antes da sempre espetacular chegada a Fafe.
É já esta quinta-feira que começa a prova rainha do escalão júnior e os nossos atletas já se encontram preparados!
A terceira e última etapa, ligará Boticas a Macedo de Cavaleiros, num total de 110,3 KM, numa etapa talhada para os verdadeiros trepadores.

“Volta Portugal/Jóni Brandão é segundo no prólogo da Volta a Portugal”

Equipa coloca três corredores entre os sete primeiros

A equipa de ciclismo EFAPEL começou a sua participação na 78ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta da melhor maneira. A formação teve em Jóni Brandão, o líder da equipa na procura da camisola amarela, o seu melhor representante no prólogo que marcou o início da competição. O ciclista da equipa obteve o segundo tempo nos 3,6 quilómetros do percurso desenhado em Oliveira de Azeméis e ficou a apenas três segundos do vencedor do dia, Rafael Reis. Daniel Mestre, quarto mais rápido, e Filipe Cardoso, com o sétimo tempo, também ficaram entre os mais rápidos.

No dia em que a Volta a Portugal foi para a estrada, os ciclistas tinham pela frente um desafio muito particular. O prólogo, com menos de quatro quilómetros de extensão, apresentava três quilómetros essencialmente planos e a descer para, nos derradeiros 600 metros, os corredores terem de subir até à meta. E foi aí que se fizeram as principais diferenças.

Depois de Nuno Almeida, Álvaro Trueba e António Barbio terem feito o seu contra-relógio, Rafael Silva foi o primeiro elemento a surgir entre os mais rápidos até ao momento. Mas foi Filipe Cardoso que, mal cruzou a linha de meta, assumiu o melhor tempo provisório. E foi com esse estatuto que se manteve durante um bom período de tempo. Batida a sua marca, Daniel Mestre voltava a ficar com a amarela à condição, mas perdeu o primeiro lugar quando chegou o adversário que venceria a jornada.

Penúltimo a partir para a estrada, Jóni Brandão fez uma excelente marca e foi mesmo o mais forte entre os candidatos à vitória final da Volta a Portugal. Com a boa prestação de Brandão, Mestre e Cardoso, a EFAPEL parte para a primeira etapa, que se realiza amanhã, com a liderança por equipas.

“Foi um contra-relógio individual muito positivo para nós tendo em conta o bom resultado do Jóni e a regularidade apresentada por todos os corredores da equipa. Esta foi, também, uma oportunidade para fazermos uma avaliação de como alguns ciclistas se prepararam para esta volta e tiveram pouca competição no último mês. Percebemos que a equipa se apresenta a um nível bastante bom para a competição que agora se inicia”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

Cumpridos os primeiros quilómetros, a Volta a Portugal tem, amanhã, a primeira etapa em linha. Depois do início na região Centro, o pelotão ruma a Norte. São 167,4 km com partida no Furadouro, concelho de Ovar, e chegada a Braga. Com o calor dos últimos dias, os ciclistas não terão tarefa fácil. O percurso também contribui para as dificuldades. Na derradeira fase da etapa, e já depois da primeira passagem pela meta, os corredores têm dois prémios de montanha de segunda categoria no Alto do Sameiro, o que poderá contribuir para o sucesso de um ataque nessas subidas.

Fonte: Efapel

“Volta Portugal/Não há consagração que valha ao campeão”

Contrarrelógio disputa-se no último dia

Por: Ana Paula Marques

Foto: Podium

A montanha, é certo, vai definir quem estará na luta pela camisola amarela, mas será uma vez mais o contrarrelógio a ter honras de coroar o vencedor. E este ano com a particularidade de surgir no último dia, substituindo a tradicional etapa da consagração. Em suma, haverá suspense até à derradeira pedalada, a ser dada desta vez no Terreiro do Paço, em detrimento do Marquês de Pombal.
Mas o percurso deste ano fica ainda marcado por uma incursão à terra batida, com o salto de Fafe (2ª etapa), e pela ausência de um final na Torre, pertencendo à Srª da Graça (1ª categoria), na 4ª etapa, e para a Guarda (3ª categoria), na 6ª, as chegadas em alto. Contudo, as dificuldades não diminuem. É certo que um final na Torre tem outra espetacularidade, mas os amantes do ciclismo poderão ver o pelotão na serra mais alta de Portugal. Na 6ª tirada, a tal que termina na cidade da Guarda, a caravana terá talvez a jornada mais complicada. É que para lá da chegada, os ciclistas passarão duas vezes na Torre. A primeira fazendo a abordagem pelo lado da Covilhã e Penhas da Saúde; a segunda por Seia, Sabugueiro e Lagoa Comprida.
A montanha também surge em outros pontos do país. Há alguns anos que a Volta não ia mais a Sul que Lisboa; este ano vai até Alcácer do Sal, partida da penúltima etapa, que inclui a serra da Arrábida, em tempos um ex-líbris do GP Costa Azul. Uma montanha de 2ª categoria, a 13 km da meta, em Setúbal. De resto, das dez etapas, apenas duas não têm qualquer contagem de montanha: a 7ª, entre Figueira de Castelo Rodrigo e Castelo Branco, e a última, o contrarrelógio individual, de Vila Franca de Xira e Lisboa.

Fonte: Record on-line

“Volta Portugal/Rafael Reis e Senhor no Prólogo de Azeméis”

Isto é um exercício tão curto, é completamente a fundo!”

Especialista em contrarrelógios, Rafael Reis triunfou esta quarta-feira no Prólogo da 78ª Volta a Portugal Santander Totta e vestiu a primeira Camisola Amarela da competição. O corredor da W52-FC Porto foi o mais rápido entre os 143 corredores que completaram um percurso curto, técnico e difícil de 3,6 quilómetros, no centro de Oliveira de Azeméis.

Quatro minutos e 42 segundos foi o tempo de Rafael Reis com uma velocidade média de quase 46 km/hora deixando o segundo classificado, Jóni Brandão (Efapel) a três segundos e José Gonçalves (Caja Rural) a quatro.

No fim do esforço individual, Rafael Reis deixou claro o que pretende a equipa desta Volta. “O nosso principal objetivo é vencer com o Gustavo Veloso. Ele é um grande campeão, tem bastante experiência e seguramente vai dar a volta, mesmo com o azar que teve”. O espanhol, vencedor das duas últimas edições, furou no primeiro quilómetro de prova e teve de trocar de bicicleta. Com o atraso terminou o cronona18ºposição, a 11 segundos do vencedor, o companheiro de equipa.

Quem é Rafael Reis?
Rafael Reis nasceu a 15 de julho de 1992. Natural de Palmela apresentou-se na Volta 2016 como líder do ranking português de ciclista do ano, fruto das oito vitórias nesta temporada. O triunfo desta quarta-feira foi o quinto em luta direta com o cronómetro. Esta especialidade foi, desde sempre, a que mais atraiu o corredor que no palmarés tem o título de Campeão Nacional de contrarrelógio Sub 23 alcançado em 2014.


…E o Minho ali tão perto


Depois dos primeiros calores da Volta e dos primeiros quilómetros no Prólogo, realiza-se a 1ª etapa esta quinta-feira. Do litoral, a 78ª Volta a Portugal Santander Totta vai partir para o Minho. A partida, em Ovar, junto à praia do Furadouro, vai acontecer às 12h50.

Até ao centro de Braga, onde estará a meta, o pelotão vai enfrentar 167,4 Km com um circuito final demolidor que passa duas vezes pelo Bom Jesus e pelo Sameiro. Tal como em 2014, no centro da cidade bracarense, espera-se uma festa animada a “alta velocidade”, com a chegada prevista para as 17h20.

Fonte: Podium