sexta-feira, 7 de junho de 2019

“JOAQUIM SILVA TENTOU A SUA SORTE NA VOLTA AO LUXEMBURGO, MAS SEM SUCESSO”

Joaquim Silva, da W52-FC Porto, tentou hoje a sua sorte na segunda etapa da Volta ao Luxemburgo em bicicleta.

Joaquim Silva, da W52-FC Porto, tentou hoje a sua sorte na segunda etapa da Volta ao Luxemburgo em bicicleta, participando na última fuga do dia, para ser absorvido pelo pelotão a 50 metros da meta.

O ciclista português abordou a chegada a Rosport na companhia do holandês Pieter Weeening (Roompot), que viria a ser o vencedor da tirada, em 4:00.23 horas. O portista foi apanhado a cerca de 300 metros da meta, enquanto Weening prolongou o esforço, com o pelotão cada vez mais próximo.

Silva acabou por entrar a dois segundos do vencedor, em oitavo lugar, e foi o melhor da sua formação. Foi também primeiro em duas contagens de montanha do dia, subindo a segundo da geral dos 'trepadores', logo atrás de Robin Carter (Rally).

O francês Christophe Laporte (Cofidis) chegou em nono e manteve a camisola amarela, com 10 segundos de avanço sobre o belga Aime de Gendt (Wanty-Gobert) e 11 sobre o belga Piet Allegaert (Sport Vlaanderen).

Na geral, Joaquim Silva sobiu a 58.º, a 30 segundos, e João Rodrigues a 59.º, a 31. Os outros quatro corredores da equipa portuguesa estão um pouco mais atrasados na tabela.

Fonte: Sapo on-line

“Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc/2º Setor (Tarde)”

W52-FC Porto leva Ricardo Mestre à camisola amarela

Por: José Carlos Gomes

A W52-FC Porto ganhou, no final da tarde desta sexta-feira, o segundo setor da terceira etapa do Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, um contrarrelógio por equipas, em Leça da Palmeira, guindando Ricardo Mestre ao topo da classificação geral.

Os 9,6 quilómetros de luta contra o tempo em equipa demonstraram a poderio da W52-FC Porto, que completou o percurso em 11m03s, à média de 52,127 km/h. A Efapel ficou no segundo lugar, a 11 segundos, reservando o terceiro posto para o Sporting-Tavira, a 18 segundos dos portistas.

Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) alinhou com a camisola amarela, vestida no setor matutino, mas o modesto registo dos louletanos no contrarrelógio por equipas – sétimo lugar, a 55 segundos – relegou o espanhol para o sexto lugar da geral, agora comandada por Ricardo Mestre.

A classificação está muito marcada pela fuga na tirada desta manhã, em que os fugitivos ganharam 2m05s ao pelotão. Um desses fugitivos foi Ricardo Mestre, agora dono da camisola amarela, com 24 segundos de vantagem sobre Alejandro Marque (Sporting-Tavira) e com 30 segundos de margem sobre Fabricio Ferrari (Efapel).

“A etapa da manhã foi muito importante e pode vir a ditar a classificação deste Grande Prémio JN. Concretizámos a estratégia planeada, mandar alguém para a frente para não termos de assumir as despesas todas no pelotão. Para já estou eu com a camisola amarela, mas não quer dizer que tenha que ser eu a ganhar. Estou na posição mais favorável, mas o objetivo principal é chegarmos ao final com a camisola dentro da equipa”, afirmou Ricardo Mestre, após o setor vespertino da terceira etapa.

Nas restantes classificações destaca-se Rafael Lourenço (UD Oliveirense/InOutBuild), primeiro na juventude e nas metas volantes. O venezuelano Leangel Linarez (Kuota/Construcciones Paulino) é o primeiro por pontos e Paulo Silva (Fortunna/Maia) segue na frente dos trepadores. A W52-FC Porto manda coletivamente.

A quarta etapa corre-se neste sábado, 131,9 quilómetros, com partida e chegada em Valongo e início às 14h50.

Fonte: FPC

“Equipa Portugal/Francisco Campos terceiro na etapa da Corrida da Paz”

Por: José Carlos Gomes

O português Francisco Campos foi hoje o terceiro classificado na primeira etapa em linha da Corrida da Paz, 134,2 quilómetros que ligaram Jeseník e Rýmařov. Este resultado dá mais um ponto a Portugal no ranking da Taça das Nações.

Francisco Campos integrou uma fuga de sete corredores, formada ainda na fase inicial da tirada. Os escapados conseguiram levar a aventura até à meta. Entre os atacantes estavam vários homens rápidos, como é o caso do suíço Stefan Bissegger, vencedor, e do holandês Marijn van den Berg, terceiro.

Os restantes elementos da Equipa Portugal chegaram integrados no pelotão, a 1m09s dos melhores do dia.

A etapa alterou a classificação geral, agora encabeçada por Stefan Bissegger. Seguindo-se o austríaco Patrick Gamper, a 7 segundos, e o holandês Marijn van den Berg, a 9 segundos. Francisco Campos é quarto, a 17 segundos. Seguem-se João Almeida, 13.º, a 1m22s, Jorge Magalhães, 49.º, a 1m29s, Guilherme Mota, 67.º, a 1m31s, Gonçalo Carvalho, 80.º, a 1m32s, e Afonso Silva, 93.º, a 1m35s.

 

A Equipa Portugal está no quinto lugar entre 19 seleções

A segunda etapa, a disputar neste sábado, tem 148,5 quilómetros, entre Krnov e Dlouhé stráně, incorporando quatro prémios de montanha, dois de elevada dificuldade, um dos quais coincidente com a meta. Espera-se que seja a primeira oportunidade para os candidatos à geral medirem forças entre si e para alterarem significativamente a classificação.

Fonte: FPC

“Alcobaça Clube de Ciclismo/Prémio Vitor Rocha na Maiorga”

Por: Joaquim Marques

O ciclismo regressa à Freguesia da Maiorga no dia 16 de Junho de 2019 com a realização de mais uma edição do Prémio Vitor Rocha, que terá organização da Freguesia da Maiorga com a colaboração do Alcobaça Clube de Ciclismo.

As provas para os escalões de Escolas começam pelas 9:30 h, seguindo-se as provas para os escalões de femininos pelas 11:00 h e Cadetes masculinos. O Circuito conhece neste ano da sua 10ª edição, uma reformulação na sua organização, e a partir das 15:00 h contará com uma prova de juniores que irá percorrer a freguesia, com partida na Maiorga, seguindo pela Fervença, Bemposta, Boavista e regresso novamente à Maiorga num percurso de 9,6 km, para um circuito de seis voltas e um total de 58,2 quilómetros.

Destaque-se a subida de Bemposta com uma inclinação de 10% que prometem fazer daquele troço um importante atractivo por ser ali que os atletas vão ser sujeitos a um maior esforço e onde os trepadores prometem dar espectáculo.

Esta prova de ciclismo destina-se a homenagear Vitor Rocha um ciclista natural da freguesia da Maiorga, falecido em 2006 e que ao longo da sua carreira desportiva representou o Sporting Clube de Portugal entre 1966 e 1974 tendo participado em sete edições da Volta a Portugal em que venceu três etapas. Foi campeão nacional por equipas, diversas vezes, tendo vencido o Grande Prémio Laranjina C e o Circuito Rio Maior.

Ao homenagear este ciclista com uma prova de ciclismo para os escalões de iniciação e formação pretende-se dar um contributo para a promoção e divulgação desta modalidade.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo

“Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc/1º Setor (Manhã)”

Vicente García de Mateos ganha etapa e veste amarela

Por: José Carlos Gomes

O espanhol Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano) foi o novo camisola amarela do Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, depois de ganhar, na manhã de hoje, o primeiro setor da terceira etapa, uma curta ligação de 70,6 quilómetros, com partida e chegada em Gaia.

Apesar de curta, a etapa foi animada, com ataques desde o quilómetro inicial. Ao quilómetro 17, juntaram-se oito homens em fuga: Ricardo Mestre (W52-FC Porto), Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano), Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), Fabricio Ferrari (Efapel), Alejandro Marque (Sporting-Tavira), Raúl Rico e Filipe Cardoso (Vito-Feirense-PNB) e Rafael Lourenço (UD Oliveirense-InOutBuild).

Entre os escapados, as equipas da W52-FC Porto, Aviludo-Louletano, Sporting-Tavira e Rádio Popular-Boavista colocaram homens com potencial para vencer este Grande Prémio. Com a diferença dos fugitivos superior a três minutos, a Efapel teve de meter mãos à obra e assumiu o comando do pelotão.

O esforço do esquadrão ovarense não foi suficiente e o setor matutino da etapa foi discutido pelos oito fugitivos, que chegaram 2m05s antes do grande grupo. As decisões aconteceram com um emocionante sprint, na inclinada reta da meta. Rafael Lourenço atacou de longe e foi olhando várias vezes para trás, chegando e levantar os braços como vencedor. No entanto, mais experiente, Vicente García de Mateos protelou o arranque e num último impulso da bicicleta, mesmo sobre a meta, venceu por escassos centímetros. O terceiro foi Filipe Cardoso.

“Já venci várias vezes assim, até ao risco não se pode dar a etapa como ganha. Assim aconteceu mais uma vez. Vinha cansado de puxar toda a etapa, arranquei de trás e foi uma vitória bonita”, descreve o espanhol da formação algarvia.

Vicente García de Mateos assumiu o comando da geral individual, com 2 segundos de vantagem sobre Ricardo Mestre e com 8 segundos à melhor para Alejandro Marque. O espanhol não quer, todavia, assumir favoritismo para a conquista do Grande Prémio.

“Estamos na discussão, mas há muitos candidatos e, até segunda-feira, não se sabe o que vai acontecer. O contrarrelógio por equipas favorece as formações com roladores, que podem marcar muitas diferenças. A última etapa é verdadeiramente a etapa-rainha e tudo pode mudar”, sublinha o novo dono da camisola amarela.

 Após o primeiro setor da terceira etapa, Leangel Linarez (Kuota/Construcciones Paulini) mantém-se na frente da classificação por pontos, Rafael Lourenço é dono das camisolas da juventude de das metas volantes e Paulo Silva (Fortunna/Maia) segurou a camisola da montanha. A Vito-Feirense-PNB comanda por equipas.

O segundo setor da terceira etapa correu-se hoje, a partir das 17h00, na marginal de Leça da Palmeira. Será um contrarrelógio por equipas, com 9,6 quilómetros, que se espera dê mais alguns ajustes na definição da classificação geral individual.

Fonte: FPC

“Volta ao Luxemburgo: Christophe Laporte repete triunfo e mantém amarela”

Francês da Cofidis em bom plano

Por: Lusa

O ciclista francês Christophe Laporte (Cofidis) repetiu esta quinta-feira a vitória da véspera e assim manteve a camisola amarela da Volta ao Luxemburgo, competição de cinco dias que conta com uma equipa da W52-FC Porto.

Já vencedor do prólogo, ganhou esta quinta-feira ao sprint a primeira etapa, que ligou a capital do grão-ducado a Hautcharage, em 191,3 quilómetros.

Com a bonificação do triunfo de esta quinta-feira, Laporte lidera com 11 segundos sobre o alemão Marcel Meisen (Corendon) e 1.03 minutos sobre o belga Piet Allegaert (Sport Vlaanderen.

O melhor ciclista da W52-FC Porto - equipa que compete ao mesmo tempo no Grande Prémio JN - foi João Rodrigues, em 22.º, integrado no pelotão.

Na geral, Joaquim Silva, em 79.º, a 30 segundos, é o dragão mais bem classificado. Globalmente, a equipa está mal e ocupa mesmo o último lugar da tabela.

Fonte: Record on-line