quarta-feira, 13 de novembro de 2019

“Romain Bardet fora do Tour de France 2020”

Foto: AFP or licensors

O francês dá uma pausa à prova francesa para se focar noutras provas, como os Jogos Olímpicos.

O francês Romain Bardet disse esta quarta-feira que irá falhar a Volta a França de 2020, para se focar no Giro de Itália, nos Jogos Olímpicos de Tóquio e nos Mundiais da modalidade.

Bardet, de 29 anos, o último francês a chegar ao pódio do 'Tour', com o segundo lugar em 2016 e o terceiro no ano seguinte, disse que está à procura de "novos horizontes" para o próximo ano, mas que estará de volta para o 'Tour' de 2021.

Na última edição, terminou em 15.º da geral numa Volta à França abaixo das expectativas, com a equipa francesa AG2R La Mondiale, apesar de ter sido o melhor da montanha.

"Não foi uma fácil desistir do 'Tour de France', que me trouxe tanto e que é uma prova que amo profundamente", disse.

"Mas é saudável dar um tempo à bonita história que me liga à corrida, para regressar melhor no ano seguinte".

Bardet, que terminou a época no final do último 'Tour' em julho, vai voltar à competição 'Tour Down Under' na Austrália entre 21 e 26 de janeiro de 2020. As outras datas importantes são o 'Giro' de 9 a 21 de maio, os Jogos Olímpicos entre 24 de julho e 9 de agosto e os mundiais de cicismo entre 22 e 29 de setembro.

Fonte: Sapo on-line

“Kristijan Durasek suspenso quatro anos por doping no caso Aderlass”

Ciclista violou das regras entre 2016 e 2019

Por: Lusa

Foto: Instagram

Kristijan Durasek (UAE Emirates) foi esta quarta-feira suspenso por quatros anos por doping, no âmbito do caso Aderlass (Áustria), anunciou a União Ciclista Internacional (UCI).

Em comunicado, o organismo de cúpula do ciclismo mundial fundamentou a suspensão com base em "violações das regras antidoping cometidas entre 2016 e 2019", nomeadamente, o uso de substâncias proibidas por Durasek, colega de equipa dos portugueses Rui Costa, Rui Oliveira e Ivo Oliveira.

O caso foi decidido após "informação recebida pelas autoridades policiais austríacas", ainda que possa ser alvo de recurso pelo corpo antidopagem da Croácia e a Agência Mundial Antidopagem (AMA).

Em maio, Durasek, de 32 anos, tinha sido suspenso em conjunto com o esloveno Kristijan Koren no âmbito do caso Aderlass, em torno do médico Mark Schmidt, detido em 27 de fevereiro, que abrangeu também corredores já retirados, como o italiano Alessandro Petacchi.

Fonte: Record on-line

“Merckx adverte que Poulidor "não pode ser resumido à expressão 'eterno segundo'"”

Antigo ciclista morreu aos 83 anos

Por: Lusa

Os antigos ciclistas Eddy Merckx e Bernard Hinault lamentaram esta quarta-feira a morte de Raymond Poulidor, o 'eterno segundo' classificado da Volta a França, prova da qual ainda é detentor do recorde de pódios.

"É uma grande tristeza, é um grande amigo que parte", disse o belga Eddy Merckx, considerando injusto resumir à expressão 'eterno segundo' a carreira Poulidor, que faleceu hoje, aos 83 anos.

Merckx, de 74 anos, referiu que "Poulidor não pode ser resumido ao facto de nunca ter vestido a camisola amarela na Volta a França" e lembrou que o francês venceu "muitas corridas importantes, como as clássicas Paris-Nice, La Flèche Wallonne e uma edição da Vuelta, em 1964.

"Era muito mais do que o eterno segundo", afirmou Merckx, lembrando o duelo com Poulidor em 1974, ano no qual venceu pela quinta e última vez o Tour, que o francês terminou em segundo lugar.

Bernard Hinault lembrou os duelos protagonizado por Poulidor e Jacques Anquetil na subida do Puy de Dome, na Volta a França em 1964, classificando-a de "um momento fantástico" de ciclismo.

O antigo ciclista francês, que admitiu torcer mais por Anquetil e Merckx, destacou o "histórico palmarés" de Poulidor, que soma 189 vitórias como profissional.

O presidente francês, Emmanuel Mácron, destacou, no Twitter, "as façanhas e a coragem" de Poulidor, que "ficará para sempre no coração dos franceses".

A morte de Raymond Poulidor, que estava hospitalizado desde 08 de outubro, em Saint-Léonard-de-Noblat, onde residia há décadas, foi anunciada hoje pela mulher do antigo corredor à AFP.

Poulidor teve o 'azar' de rivalizar com Anquetil, primeiro a vencer cinco vezes o Tour, entre 1957 e 1964, e Merckx, igualmente 'penta', entre 1969 e 1974, mas construiu um historial notável, no qual se destaca a Vuelta de 1964, mas também a Milão-San Remo de 1961, a La Flèche Wallonne de 1963, a Paris-Nice de 1972 e o Dauphiné de 1966 e 1969.

Fonte: Record  

“Morreu o antigo ciclista Raymond Poulidor”

Esteve oito vezes no pódio da Volta a França, entre 1962 e 1976

Por: Correio da Manhã

O antigo ciclista francês Raymond Poulidor morreu esta quarta-feira, aos 83 anos, revelou a mulher do vencedor da edição de 1964 da Volta a Espanha e recordista de pódios da Volta a França, citada pela AFP. Raymond Poulidor, que estava hospitalizado desde 8 de outubro, "partiu esta manhã", disse a mulher do antigo corredor à agência noticiosa francesa.

Hospitalizado em Saint-Léonard-de-Noblat, no centro de França, onde residia há décadas, Poulidor foi o 'eterno segundo' do Tour, detentor do recorde de pódios da Volta a França, com três segundos lugares (1964, 1965 e 1974) e cinco terceiros (1962, 1966, 1969, 1972 e 1976), sem que nunca tivesse vestido a camisola amarela.

"Se a tivesse envergado, não se falaria tanto de mim passados estes anos todos, depois de ter acabado a carreira. Subi oito vezes ao pódio, mais do que qualquer um e tenho um grande historial. Mas o meu nome está ligado a ser o 'segundão'", referiu o francês, em entrevista à agência EFE, em julho de 2019.

Poulidor teve o 'azar' de rivalizar com Jacques Anquetil, primeiro a vencer cinco vezes o Tour, entre 1957 e 1964, e o belga Eddy Merckx, igualmente 'penta', entre 1969 e 1974, mas construiu um historial notável, no qual se destaca a Vuelta de 1964, mas também a Milão-San Remo de 1961, a La Flèche Wallonne de 1963, a Paris-Nice de 1972 e o Dauphiné de 1966 e 1969.

Fonte: Record on-line