sábado, 24 de março de 2018

“Taça de Portugal Feminina/Emily Meakin vence em Albufeira”

Por: José Carlos Gomes

A equipa britânica Fusion Velo Performance dominou a primeira prova da Taça de Portugal Feminina Jogos Santa Casa, conseguindo as três primeiras posições na corrida de elite, disputada na manhã deste sábado, em Albufeira. Emily Meakin foi a mais forte.

Os 87 quilómetros da prova de elite assistiram ao domínio absoluto das corredoras britânicas, mas houve uma delas que foi claramente a mais forte. Emily Meakin cortou a meta ao fim de 2h14m10s, deixando duas colegas de equipa, Fiona Hunter-johnston e Jennifer Holden, a 2m36s. A melhor portuguesa, na quarta posição, a 3m37s, foi Soraia Silva (Sopela Women Team).

A corrida de juniores também teve uma vencedora isolada. Joana Vinagre concluiu os 70 quilómetros em 1h57m39s, menos 1m27s do que a rival mais direta, Joana Pereira (5Quinas/Município de Albufeira/CADSJ). A terceira classificada, a 7m23s, foi Mariana Almeida (Vito/Feirense/BlackJack).

Daniela Campos (5Quinas/Município de Albufeira/CADSJ) dominou hegemonicamente os 53 quilómetros da prova de cadetes, que terminou em 1h25m30s. No segundo lugar colocou-se Beatriz Pereira (Bairrada), a 4m00s, enquanto Rafaela Ramalho (Maiatos/Reabnorte) fechou o pódio, a 5m35s.

As masters também cumpriram 53 quilómetros, com Rita Reis (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi) a destacar-se da concorrência em master 30. Nathalie Duelmann (ADECT/Garrafeira Gomes) Foi a melhor master 40.

A equipa da casa, 5Quinas/Município de Albufeira/CADSJ, venceu coletivamente.

A segunda prova da Taça de Portugal Feminina corre-se já neste domingo, em Palmela, às 11h00.

Fonte: FPC

“MELANIE SANTOS SEGUNDA NA TAÇA DA EUROPA DE QUARTEIRA”

Vitória da suíça Julie Derron

Por: Ana Paula Marques

Melanie Santos (2:07:58) foi esta tarde segunda classificada em elites na Taça da Europa de Quarteira, discutindo o triunfo taco a taco com a suíça Julie Derron (2:07:56). O pódio ficou completo com a francesa Sandra Dodet (2:08:00).

Houve ainda mais uma portuguesa no top 15, Madalena Almeida em 14.º (2:10:27), sendo que Andreia Ferrum foi 19.ª (2:11:35), Helena Carvalho 20.ª (2:12:01), Liliana Alexandre 23.ª (2:15:48), Ana Ramos 28.ª (2:18:45) e Raquel Rocha 29.ª (2:18:48).

Fonte: Record on-line

“ENGENHEIRO HÚNGARO ALEGA QUE ARMSTRONG UTILIZOU MOTOR NA SUA BICICLETA”

Em causa a primeira grande vitória do norte-americano no Tour, em 1999

Por: Fábio Lima

Foto: EPA

O tema do doping mecânico tem estado muito em voga recentemente, mas ao que parece já terá sido usado no passado. Pelo menos é isso que alega o engenheiro húngaro Istvan Varjas, que no livro "Rouler plus vite que la mort", da autoria de Philippe Brunel, deixa indicações que dão conta da possibilidade séria de que o norte-americano Lance Armstrong, que já confessou utilização de substâncias dopantes, ter igualmente utilizado bicicletas com motor para ganhar vantagem sobre os seus oponentes.

A análise de Varjas é feita à primeira grande vitória do norte-americano numa Grande Volta, a 13 de julho de 1999, na chegada a Sestrieres, no Tour daquele ano. Aí, Armstrong bateu toda a concorrência de forma clara, deixando o engenheiro com muitas dúvidas. "Move as pernas à mesma velocidade, qualquer que seja a posição; seja levantado ou sentado. Sentado no selim deveria pausar o ritmo, mas não o faz. Pedala de forma contínua", explica Varjas, que para mais coloca em causa os watts debitados (590) por Lance nessa subida. "Só o consegues na Lua, pela falta de gravidade, não na Terra", atira.

Lance Armstrong, recorde-se, venceu nesse ano o primeiro Tour da sua carreira, tendo ainda conquistado quatro etapas. Vitórias que acabaria por perder, depois de confessar a utilização de substâncias dopantes.

Fonte: Record on-line

“VALVERDE MANTÉM LIDERANÇA DA VOLTA À CATALUNHA”

Etapa mais curta devido à neve

Por: Lusa

Foto: EPA

O espanhol Alejandro Valverde (Movistar) manteve este sábado a liderança da Volta à Catalunha em bicicleta, após a sexta etapa, encurtada devido à neve, vencida pelo alemão Maximilian Schachmann (Quick-Step Floors).

A ligação entre Pobla de Segur e Torrefarrera foi reduzida em 78 quilómetros, devido à queda de neve nos Pirenéus, quedando-se a penúltima tirada da corrida em 116 quilómetros, após os quais Schachmann se impôs em 02:34.25 horas, o mesmo tempo do espanhol Diego Rubio (Burgos-BH), seu companheiro de fuga e segundo classificado.

O irlandês Sam Bennett (Bora-hansgrohe) arrebatou o terceiro lugar na etapa, encabeçando, 18 segundos depois, o pelotão, que integrava o português Ricardo Vilela (Manzana Postobon), 52.º na etapa. Joaquim Silva (Caja Rural) foi o 120.º a terminar, 03.10 minutos depois do vencedor.

Valverde segurou a camisola amarela e vai partir no domingo, para os 154,8 quilómetros da sétima etapa, com partida e chegada em Barcelona, com 16 segundos de vantagem sobre o colombiano Egan Bernal (Sky) e 26 sobre o também colombiano Nairo Quintana (Movistar), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Vilela subiu ao 26.º lugar, a 02.46 minutos de Valverde, enquanto Silva ocupa o 95.º posto, a 27.59.

Fonte: Record on-line

“UCI Junior Series/Rafael Rita 16.º na estreia ao mais alto nível”

Por: José Carlos Gomes

Rafael Rita foi o 16.º na prova da UCI Júnior Series de cross country olímpico, hoje disputada em Luminy, Marselha, França, naquela que foi a estreia do corredor português em competições internacionais de mais elevado patamar competitivo.

O corredor algarvio foi o elemento da Equipa Portugal que conseguiu melhor adaptação ao ritmo do pelotão internacional júnior, tendo um desempenho auspicioso na prova da UCI Junior Series, o equivalente à Taça do Mundo para esta categoria etária. Rafael Rita gastou mais 4m28s do que o vencedor, o francês Mathis Azzaro, que foi acompanhado no pódio pelo suíço Alexandre Balmer e pelo holandês Mick van Dike.

Rodolfo Serafim foi o 22.º classificado, a 5m19s, João Macedo terminou na 32.ª posição, a 7m08s, e Guilherme Mota acabou no 51.º lugar, a 9m54s.

O selecionador nacional de BTT, Pedro Vigário, ficou satisfeito com a prestação dos jovens corredores. “A equipa cumpriu as expectativas, alcançando resultados dentro do esperado para uma corrida com este nível. Só o Guilherme Mota teve um dia ‘não’. As prestações dão-nos confiança para o futuro. Acredito que com mais trabalho e mais experiência, os resultados serão melhores no futuro”, frisa Pedro Vigário.

Fonte: FPC