quinta-feira, 6 de outubro de 2016

“Lampre contrata jovem promessa italiana Filippo Ganna”

Campeão mundial de pista de perseguição individual

Por: Lusa

Foto: Getty Images

A Lampre, que integra os ciclistas portugueses Rui Costa e Mário Costa, anunciou esta quinta-feira a contratação do italiano Filippo Ganna, campeão mundial de pista de perseguição individual.
Ganna, de 20 anos, que este ano também venceu a prova Paris-Roubaix na categoria de esperanças, vai encontrar na Lampre três neoprofissionais, todos também italianos, Edward Ravasi, Simone Consonni e Oliviero Troia.
Além daqueles jovens ciclistas, a Lampre, que no próximo ano vai ter sede na China, recrutou também o colombiano Darwin Atapuma (ex-BMC), os italianos Marco Marcato (ex-Wanty) e Andrea Guardini (ex-Astana) e o norueguês Vegard Stake Laengen (ex-IAM).

Fonte: Record on-line

“Bruno Pires sem equipa para 2017"

Team Roth comunicou a intenção de extinguir a equipa continental profissional, mantendo apenas a vertente de formação de ciclistas sub-23.
O ciclista português Bruno Pires revelou hoje estar sem equipa para a próxima temporada, uma vez que a Team Roth decidiu extinguir a formação continental profissional.
“A Team Roth anunciou-nos que não podia continuar no escalão profissional continental em 2017. O sentimento é de alguma preocupação, o que é normal, mas sobretudo de tristeza, pois tive um ano muito bom, em que encontrei boas pessoas, profissionais, companheiros e dei muito de mim”, escreveu Bruno Pires na sua conta do Facebook.
A suíça Team Roth comunicou a intenção de extinguir a equipa continental profissional, mantendo apenas a vertente de formação de ciclistas sub-23.
O corredor do Redondo, de 35 anos, acrescentou já estar à procura de uma nova equipa, que possa vê-lo como “um bom elemento” para o seu projeto.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Volta a Portugal em Bicicleta vale 84,5 milhões de euros”

Impacto cresceu 25%

O impacto mediático da 78ª Volta a Portugal Santander Totta, realizada entre 27 de julho e 7 de agosto,  revela o interesse continuado e cada vez mais apaixonado dos portugueses.

Segundo um estudo da Cision, o impacto financeiro mediático foi de 84,5 milhões de euros gerado pela prova através da presença nos diferentes órgãos de informação, o que corresponde a um aumento de 25% face ao ano passado.  Este estudo encomendado pela Podium Events, organizadora do evento, foi realizado entre janeiro e setembro deste ano para avaliar o potencial mediático da Volta a Portugal 2016.

A Cision, empresa especialista na avaliação das informações difundida pelos meios de comunicação social, avaliou ainda a atenção dada pelos portugueses à prova mais importante do calendário nacional e concluiu que, pelo menos, 76% da população portuguesa esteve exposta, através dos média, à Volta a Portugal Santander Totta. E mais: a Volta chegou a cada uma dessas pessoas, em média, 81 vezes durante o período analisado. Esta presença nos média traduz-se em 87,1 milhões de pessoas em contacto com o evento.

Este aumento significativo do impacto da prova resulta da estratégia da organização nomeadamente o forte investimento em novos e melhores conteúdos nas plataformas digitais e de um novo plano de meios elaborado com o apoio da Nova Expressão, onde se destaca a parceria com a Global Media, grupo que, entre outros, detém os jornais  JN, DN e O Jogo.

Ao longo dos nove meses em análise, a 78ª Volta a Portugal Santander Totta, que coroou Rui Vinhas (W52/FCPorto) como vencedor, foi identificada em 4614 notícias, o que resulta num valor publicitário equivalente a 80,2 milhões de euros. Estes números são surpreendentes face à comparação com o valor do investimento efetivo de 4,3 milhões de euros em publicidade. Da análise e cruzamento de todos os dados, a Cision  garante que o rasto gerado pela prova nos diferentes órgãos de informação pode ser traduzido num impacto financeiro de 84,5 milhões de euros.

Fonte: Podium