sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

“Nocentini, do Sporting-Tavira, volta a ser terceiro em África”

Quinta etapa da Tropicale Amissa Bongo

O italiano Rinaldo Nocentini, do Sporting-Tavira, voltou a estar no pódio de uma etapa da Tropilace Amissa Bongo, no Gabão, ao ser outra vez terceiro, agora na quinta etapa, com o mesmo tempo do vencedor, o australiano Brenton Jones, da Delko.

A liderança continua na posse de Joseph Areruya, da seleção do Ruanda, com Nocentini a subir um lugar, de sexto para sétimo, estando a 7.37 minutos.

Coletivamente, a equipa portuguesa que escolheu o continente africano para iniciar a temporada continua no novo lugar.

Fonte: Record on-line

“Tour Down Under: Sagan vence 4.ª etapa e sobe à liderança”

Rui Costa ascendeu ao sétimo lugar da geral

Por: Lusa

Foto: EPA

O eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe) assumiu a liderança da Tour Down Under, ao vencer a quarta etapa da primeira corrida do calendário velocipédico World Tour, enquanto o português Rui Costa (UAE Team Emirates) subiu ao sétimo posto.

Sagan venceu ao 'sprint' na chegada a Uraidla, nas montanhas junto a Adelaide, no final dos 128,2 desde Norwood, numa tirada cujo início foi antecipado em uma hora devido às altas temperaturas, que, mesmo assim chegaram aos 45 graus Celsius.

O tricampeão do mundo impôs-se ao sul-africano Daryl Impey (Mitchelton-Scott) e ao australiano e seu companheiro de equipa Jay McCarthy, segundo e terceiro na etapa, respetivamente, com as mesmas 03:21.07 horas do eslovaco.

Rui Costa foi o oitavo a cruzar a meta, com o mesmo tempo do vencedor, e subiu ao sétimo lugar da classificação geral, a 14 segundos de Sagan, tal como Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo), que segue no 18.º posto, depois de ter sido o 16.º na etapa.

Nuno Bico (Movistar) foi o terceiro luso na tirada, no 47.º lugar, a 03:56 minutos de Sagan, enquanto Nelson Oliveira (Movistar), Tiago Machado (Katusha Alpecin) e José Gonçalves (Katusha Alpecin) cederam mais de dez minutos, terminando nas 78.ª, 80.ª e 118.ª posições, respetivamente.

Na classificação geral, Sagan lidera com dois segundos de vantagem sobre Impey, segundo classificado, e nove sobre McCarthy, terceiro, enquanto o australiano Caleb Ewan (Mitchelton-Scott), anterior líder, 'caiu' para o 65.º posto, a 11.24 minutos.

O triunfo de Sagan, que tinha sido quarto na primeira etapa, terceiro na segunda e quinto na terceira, começou a decidir-se na curta descida para a meta, depois da subida de 1,5 quilómetros à Norton Summit Road, tendo Sagan seguido a roda de Impey, antes de acelerar para o triunfo na última dezena de metros da tirada.

Apesar da liderança, Sagan, após a etapa, assumiu que vai trabalhar para McCarthy na quinta etapa, a mais longa da corrida, com 151,5 quilómetros, com duas passagens na Willunga Hill: "É a corrida dele, que está em casa, e esta etapa acidentada tem o perfil ideal para ele".

Na geral, depois de Costa e Guerreiro, seguem Bico, no 45.º lugar, a 05.14 minutos, Oliveira, no 72.º, a 12.16, Machado, no 74.º, a 12.38, e Gonçalves, no 102.º, a 23.25.

Fonte: Record on-line

“Taça do Mundo de Pista/Ivo Oliveira ganha a Taça do Mundo na corrida por pontos”

Por: José Carlos Gomes

Ivo Oliveira ganhou hoje a Taça do Mundo na disciplina de corrida por pontos, graças ao terceiro lugar na última prova pontuável, disputada em Minsk, Bielorrússia. O terceiro posto na corrida desta sexta-feira, melhor lugar de sempre de um luso em corridas da Taça do Mundo, valeu a conquista do troféu e o apuramento de Portugal para o Campeonato do Mundo.

O corredor gaiense entrou forte na prova, ganhando o primeiro sprint pontuável. O bom início teve sequência ao longo de toda a prova. Ivo Oliveira pontuou em mais sete sprints e somou ainda uma volta de avanço sobre o pelotão.

O excelente desempenho do ciclista nacional valeu-lhe um total de 41 pontos. Ivo Oliveira foi apenas batido pelo holandês Jan Willem van Schip, que chegou aos 75 pontos, e por Lok Cheung King, de Hong Kong, com 50 pontos.

Depois do quarto lugar na etapa da Taça do Mundo realizada em Pruszków, Polónia, o terceiro posto de hoje colocou Ivo Oliveira no topo da geral. O português fechou a Taça do Mundo com 775 pontos, mais 50 do que o grego Christos Volikakis e mais 135 do que ok Cheung King.

Além da conquista da Taça do Mundo, o desempenho de hoje assegura que Portugal terá presença na corrida por pontos do Campeonato do Mundo de Pista, que será disputado em Apeldoorn, Holanda, entre 28 de fevereiro e 4 de março.

“Foi uma corrida muito exigente, na qual o Ivo cumpriu a estratégia que tínhamos delineado. Fizemos a corrida com a qualificação para o Mundial sempre em mente, até porque o corredor de Hong Kong era um adversário perigoso em termos de ranking. A conquista da Taça do Mundo veio por acréscimo”, afirma o selecionador nacional de pista, Gabriel Mendes.

“Era a medalha que me faltava. Já tinha subido ao pódio em provas internacionais C1 e C2, em Europeus e em Mundiais. Faltava-me uma medalha na Taça do Mundo e surgiu hoje, numa corrida muito difícil. Teve ainda o sabor especial de garantir o apuramento para o Campeonato do Mundo e a vitória na geral da Taça do Mundo”, conta o corredor.

Ivo Oliveira regressa à pista neste sábado, manhã cedo. Entre as 7h00 e as 8h00 portuguesas decorre a fase de apuramento de perseguição individual. O corredor luso, campeão europeu de sub-23 e vice-campeão europeu de elite desta especialidade, é um dos favoritos.

Partindo como o mais bem colocado no ranking mundial entre os inscritos, Ivo Oliveira terá, no entanto, forte oposição de ciclistas que, nos últimos meses, demonstraram estar muito fortes em perseguição individual. É o caso do britânico Charlie Tanfield, do estadunidense Ashton Lambie, do russo Alexander Evtushenko e do holandês Dion Beukeboom, que se encontra a poucos meses de tentar bater o recorde da hora em posse de Bradley Wiggins.

Caso consiga um dos quatro melhores tempos na qualificação, Ivo Oliveira irá às corridas de disputa das medalhas, com início programado para as 14h00. Como a etapa de Minsk é a única da Taça do Mundo 2017/2018 com perseguição individual no programa, o vencedor da competição de sábado será também o vencedor da Taça do Mundo de perseguição individual.

“Nos treinos desta semana, consegui tempos muito bons. Se não tivesse o desgaste da corrida por pontos de hoje, partiria amanhã com a convicção de que discutiria as finais. Mas com o esforço de hoje e o pouco tempo de recuperação, apenas posso prometer dar o meu melhor”, confessa Ivo Oliveira.

Cerca das 18h20 de sábado, Ivo Oliveira faz dupla com o gémeo, Rui Oliveira, representando a Equipa Portugal na disciplina olímpica de Madison.

 Fonte: Record on-line