sexta-feira, 6 de abril de 2018

“VOLTA AO PAÍS BASCO: OMAR FRAILE VENCE QUINTA ETAPA E RUI COSTA É 9.º”

Ronda trouxe muitas mudanças ao top 10

Foto: EPA

O ciclista espanhol Omar Fraile (Astana) venceu esta sexta-feira a quinta etapa da Volta ao País Basco, com o esloveno Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo) a reforçar a liderança da geral e Rui Costa (UAE Emirates) no nono lugar.

Fraile, de 27 anos, cortou a meta ao fim de 3:53.59, depois de um ritmo frenético a que se correu a ligação de 164,7 quilómetros entre Vitoria e Eibar, batendo num 'sprint' reduzido o esloveno Roglic, segundo, e o espanhol Ion Izagirre (Bahrain Mérida).

Para Roglic, esta foi a terceira ocasião em que terminou uma etapa na Itzulia 2018 no segundo posto, depois das duas primeiras etapas, mas o ciclista da LottoNL-Jumbo conseguiu reforçar a liderança que conquistou na quinta-feira, ao vencer o contrarrelógio individual.

No final de uma etapa que trouxe muitas mudanças ao top 10, afastando o francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors), antigo líder e vencedor das duas primeiras etapas, e o colombiano Nairo Quintana (Movistar), entre outros candidatos, um grupo de seis ciclistas aproximou-se da meta, com Fraile a ser mais forte no 'sprint'.

No grupo reduzido, atrás de Fraile e Roglic, terminaram os espanhóis Ion Izagirre e Mikel Landa (Movistar), que subiram ao segundo e terceiro posto da classificação geral, respetivamente.

Izagirre encontra-se a 2.13 minutos de Roglic, com Landa a 2.17, assumindo-se como os únicos corredores capazes de ameaçar a liderança do esloveno na última etapa, no sábado.

O bom resultado de Rui Costa, que fechou em nono ao ser o segundo mais rápido de um grupo que terminou a 1.27 do vencedor, permitiu-lhe subir 12 posições na geral, na qual é agora 15.º classificado, a 5.45 de Roglic.

Já Rúben Guerreiro (Trek-Segafredo) terminou o dia em 137.º lugar, o que provocou uma queda de 16 lugares na classificação geral, para o 98.º posto.

No sábado, a conclusão da Volta ao País Basco faz-se com uma ligação de 122,2 quilómetros entre Eibar e Arrate, com oito contagens de montanha, duas de primeira categoria, a testarem os candidatos à vitória

Fonte: Record on-line

“RUI OLIVEIRA 6.º NA PRIMEIRA ETAPA DO CIRCUITO INTERNACIONAL DAS ARDENAS”

Corrida ganha ao 'sprint' pelo norte-americano John Murphy

Por: Lusa

O ciclista português Rui Oliveira (Hagens Berman Axeon) terminou esta sexta-feira no 6.º lugar a etapa inaugural do Circuito Internacional das Ardenas, ganha ao 'sprint' pelo norte-americano John Murphy (Holowesko-Citadel/Arapahoe Resources).

No primeiro de três dias, com 160 quilómetros em Bazeilles, França, Murphy, de 33 anos, foi o mais rápido do pelotão, com Rui Oliveira a terminar com o mesmo tempo do vencedor no sexto lugar.

O irmão e colega de equipa Ivo Oliveira terminou no 54.º lugar, com João Almeida, outro ciclista luso que representa a norte-americana Hagens Berman Axeon, no 23.º posto.

Em 63.º lugar, também com o mesmo tempo de Murphy, terminou Tiago Antunes (Centre Mondial du Cyclisme).

No sábado, os ciclistas enfrentam a segunda e penúltima etapa, que conta com um total de oito contagens de montanha na ligação entre Beauring e Givet, de 175 quilómetros.

Fonte: Record on-line

“NIBALI ABANDONA VOLTA AO PAÍS BASCO DEVIDO A LESÃO CUTÂNEA”

Lesão impede-o "de pedalar com normalidade"

Por: Lusa

Foto: EPA

O italiano Vincenzo Nibali (Bahrain-Merida) abandonou esta sexta-feira a Volta ao País Basco, não alinhando na quinta etapa da prova, entre Vitoria e Eibar, devido a uma "lesão cutânea dolorosa", segundo o médico da equipa.

"O Nibali sofre de uma lesão cutânea dolorosa, que o impede de pedalar com normalidade, quando está sentado no selim, pelo que, preventivamente e para facilitar a recuperação completa, decidimos pela retirada", explicou o clínico Emilio Magni.

O recente vencedor da Milão-San Remo ocupava o 45.º lugar na corrida basca, a 06.51 minutos do líder, o esloveno Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo).

Nibali, de 33 anos, conquistou o Tour em 2014, o Giro em 2013 e 2016 e a Vuelta em 2010.

Fonte: Record on-line

“MIGUEL INDURAIN ENTRA NO SALÃO DA FAMA DO GIRO”

Prova que conquistou duas vezes seguidas, em 1992 e 1993

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista espanhol Miguel Indurain entrou no salão da fama do Giro, uma prova que conquistou duas vezes seguidas, em 1992 e 1993.

Indurain, que participou três vezes na maior prova de ciclismo italiana, com duas vitórias e um terceiro lugar, foi premiado numa cerimónia em Milão, informou esta sexta-feira o jornal 'La Gazzetta dello Sport'.

"Faz 25 anos que ganhei as minhas edições do Giro, 1992 e 1993, um feito de que os organizadores do Giro se recordam e incluem-me neste grupo restrito e bonito", disse Indurain ao ser premiado.

O corredor disse que tem grandes lembranças das suas vitórias na prova e confessou que a etapa de que mais se orgulha é da edição de 1994, entre Merano e Aprica, em que competiu com o italiano Marco Pantani, numa subida mítica.

"Chegar a Milão vestido de rosa foi muito bonito, mas a etapa que mais recordo foi a subida ao Stelvio e ao Mortitolo. Escapava com Pantani e logo no final desfaleci, mas era uma etapa em que podia ganhar o Giro ou podia perdê-lo", recordou o espanhol.

Miguel Indurain, o primeiro espanhol a ganhar o Giro, para além dos dois primeiros lugares, venceu cinco vezes a Volta a França, de 1991 a 1995.

O salão da fama do Giro conta com nomes como Eddy Mercks, Felice Gimondi, Stephen Roche, Franceso Moser, Ercole Baldini e Bernard Hinault.

Fonte: Record on-line

“Campeonato da Europa de DHI”

Contagem decrescente para disputa dos títulos europeus

Por: José Carlos Gomes

A luta pela conquista dos títulos europeus de downhill (DHI) começa neste sábado, na Lousã, com as descidas cronometradas, que permitirão ficar a conhecer os corredores em melhor forma para as finais de domingo.

Após dois dias em que a azáfama já foi visível no Louzanpark, devido aos treinos oficiais de quinta e sexta-feira, a competição começa a doer no sábado para os cerca de 200 corredores, de 21 países, que participam no Campeonato da Europa de DHI, organizado pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

A ação vai arrancar às 9h00, com mais duas sessões de treinos, mas é a partir das 10h45 que os cronómetros começarão a contar. As femininas e os masters entram em pista durante a sessão da manhã, até às 12h00. Os juniores e os corredores de elite descem a partir das 15h10.

As sessões cronometradas de sábado determinarão a ordem de partida para a final de domingo – ordem inversa dos resultados obtidos amanhã – nas categorias de juniores e masters. Em elite, no setor masculino e feminino, os tempos de sábado permitirão aferir o estado de forma dos concorrentes, mas a ordem de saída na final é determinada pela posição no ranking internacional.

A lista de inscritos permite antever um elevado nível competitivo, já que estarão presentes 22 ciclistas do top 100 mundial masculino e 11 corredoras do top 100 mundial feminino. Os vencedores da competição de elite em 2017 não defenderão os títulos.

A chuva intensa desta sexta-feira vai tornar mais exigente a tarefa dos ciclistas, já que a lama irá condicionar o desempenho. A pista do Louzanpark está desenhada para potenciar as emoções fortes. Os corredores vão descer dos 626 até aos 154 metros de altitude. É uma pista com 2,43 quilómetros de extensão, com inclinação média descendente de 14,3 por cento e pendente máxima de 29 por cento. O primeiro terço do percurso é muito rápido. Entra-se, depois numa zona técnica mais exigente, com raízes, pedras e obstáculos, até que se chega ao terço final, que volta a fazer apelo à velocidade de ponta.

O Campeonato da Europa de DHI é mais um evento integrado no projeto Cyclin’Portugal Aldeias do Xisto, que visa promover o território das Aldeias do Xisto como local privilegiado para a prática de todas as vertentes de ciclismo, de competição e de lazer.

Em 2019, Portugal voltará a organizar este Europeu, estando em cima da mesa uma candidatura da Federação Portuguesa de Ciclismo para acolher o Campeonato da Europa de Maratona BTT num dos próximos anos.

Fonte: FPC