terça-feira, 16 de janeiro de 2018

“VOLTA A FRANÇA DO PRÓXIMO ANO VAI PARTIR DA BÉLGICA EM HOMENAGEM A EDDY MERCKX”

Organização quer homenagear o 50º aniversário da primeira vitória do ciclista belga na prova.

A Volta a França em bicicleta de 2019 vai começar em Bruxelas, na Bélgica, em 06 de julho, para homenagear o 50.º aniversário da primeira vitória de Eddy Merckx, anunciou hoje a organização.

Em 1969, o belga Eddy Merckx, conhecido pela alcunha de ‘Canibal’, venceu pela primeira vez o Tour, que viria a conquistar mais quatro vezes, num palmarés em que ainda constam cinco vitórias na Volta a Itália e três no campeonato do mundo.

Uma etapa em linha de 192 quilómetros, favorável a ‘sprinters’ mas que inclui a subida ao Muro de Grammont, ícone da Volta à Flandres, vai abrir a edição de 2019 da ‘Grande Boucle’, que terá a partida no Museu Real de Belas-Artes de Bruxelas.

A Bélgica já acolheu cinco partidas da Volta a França e Bruxelas vai marcar o início da corrida de 2019, que irá celebrar o centenário da camisola amarela, que era a cor do jornal L’Auto. pela segunda vez, depois da estreia na edição de 1958.

Merckx já tinha sido homenageado pelos promotores da Volta a França em 2010, nos seus 65 anos, com uma etapa que ligou a cidade holandesa de Roterdão a Bruxelas e que passou pela sua residência, em Meise, a norte da capital belga.

Fonte: Sapo on-line

“FPC assina Memorando de Entendimento com Universidade de Coimbra”

Por: José Carlos Gomes

A Federação Portuguesa de Ciclismo e a Universidade de Coimbra assinaram, na manhã desta terça-feira, na Sala do Senado da Universidade, o Memorando de Entendimento que estabelece a forma de cooperação entre as duas instituições.

A mais antiga Universidade portuguesa e a mais antiga Federação desportiva nacional estão abertas à modernidade e à cooperação, tendo em vista uma parceria que contribua para a prossecução dos objetivos estratégicos de ambas.

“É um momento histórico para a nossa modalidade. O ciclismo tem vindo a crescer e a desenvolver-se, colocando-se num patamar que nos leva a ter ambições mais elevadas, que, em grande medida, dependem do conhecimento e são as universidades que estão na vanguarda do conhecimento”, salientou o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, na cerimónia de assinatura do Memorando.

“Temos seguido uma estratégia de desenvolvimento desportivo, procurando contribuir para que os atletas nacionais alcancem o sucesso. Até porque, quanto maior for esse sucesso, maior é o impulso para a prática desportiva generalizada. O nosso trabalho pretende também colocar a Universidade de Coimbra como primeira opção para alguém que pense numa carreira dual – conjugação do alto rendimento com carreira académica”, frisou o reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva.

O Memorando de Entendimento prevê as condições de acesso ao estatuto de atleta-estudante, a introdução da cadeira de ciclismo no plano de estudos do curso de Ciências do Desporto e Educação Física, assim como o acesso dos ciclistas em regime de alto rendimento a testes de performance e ao acompanhamento transdisciplinar por parte da Universidade, visando dar-lhes condições para potenciar o rendimento desportivo.

A cerimónia contou também com a presença da Federação Portuguesa de Natação, que também assinou um Memorando de Entendimento com a Universidade. 

Fonte: FPC

“Alejandro Marque (Sporting-Tavira) 11.º na segunda etapa da Tropicale Amissa Bongo”

Equipa portuguesa corre em África

Foto: Lusa

O galego Alejandro Marque, em 11.º, foi esta terça-feira o melhor do Sporting-Tavira na segunda etapa da Tropicale Amissa Bongo, país africano onde a equipa portuguesa faz a sua estreia na temporada de 2018.

O vencedor da Volta a Portugal cortou meta integrado no pelotão, com o mesmo tempo do vencedor, o australiano Brenton Jones, da Delko Merseille.

Na classificação geral, Marque é igualmente o melhor posicionado da equipa portuguesa, em 15.º, a 14 segundos do líder, o alemão Lucas Carstensen (Bike Aid).

Fonte: Record on-line

“Froome vai alegar falha nos rins para controlo positivo”

Notícia avançada pelo "L'Equipe"

Por: Ana Paula Marques

Foto: EPA

Um mês depois de ter sido conhecido o controlo positivo numa etapa da Volta a Espanha de 2017, Chris Froome vai preparando a sua defesa com os advogados, para demonstrar as razões que levaram a ter aquele resultado num controlo antidoping.

Segundo revela esta terça-feira o jornal francês "L'Equipe", o ciclista britânico defende-se com um falha nos rins e no fígado para que estes não tenham absorvido a substância ingerida, o salbutamol, de modo a que no dia seguinte o seu organismo estivesse 'limpo'.

Esta teoria pode ser analisada pela UCI, que tem nos seus quadro clínicos especialistas am casos renais, que atestarão a veracidade das razões evocadas pelo ciclista da Sky.

Fonte: Record on-line

“Andre Greipel vence primeira etapa da Tour Down Under”

Rui Costa foi o primeiro português a cruzar a meta (39.º)

Por: Lusa

Foto: Reuters

O alemão Andre Greipel (Lotto Soudal) venceu esta terça-feira a primeira etapa da Tour Down Under, impondo-se ao sprint ao australiano Caleb Ewan (Mitchelton-Scott) e ao eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe), e lidera a primeira corrida do World Tour.

Greipel somou a sua 17.ª vitória em etapas da corrida australiana, ao concluir os 145 quilómetros entre Port Adelaide e Lyndoch em 03:50.21 horas, o mesmo tempo que os demais.

Rui Costa (UAE Team Emirates) foi o primeiro português a cruzar a meta, em 39.º, seguindo-se Tiago Machado (Katusha Alpecin), em 63.º, Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo), em 66.º, Nuno Bico (Movistar), em 75.º, José Gonçalves (Katusha Alpecin), em 79.º, e Nelson Oliveira (Movistar), em 94.º.

O primeiro dia de prova do World Tour de 2018 foi animado por uma fuga dos australianos Scott Bowden (Bennelong SwissWellness) e Wills Clarke (Education First-Drapac p/b Cannondale) e pelo sul-africano Nicholas Dlamini (Dimension Data), que chegaram a dispor de quatro minutos de vantagem sobre o pelotão.

Desta 'fuga' apenas Clarke resistiu até perto do final, conseguindo seis segundos de bonificação, que o colocaram no segundo lugar da classificação geral, em igualdade com Ewan, ambos a quatro segundos de Greipel. Sagan segue no quarto posto, a seis, enquanto os seis portugueses estão a 10 do alemão.

A segunda etapa da corrida vai levar o pelotão a percorrer 148,6 quilómetros, entre Unley e Stirling.

Fonte: Record on-line

“Sporting-Tavira defende-se bem no Gabão”

Quarteto integrado no pelotão da 1ª etapa do Tropicale Amissa Bongo

Por: Alexandre Reis

Foto: Filipe Farinha

A primeira prova por etapas da temporada não começou nada mal para o Sporting-Tavira, com os seus principais corredores, entre os quais o italiano Nicola Toffali (10º lugar), a chegarem integrados no pelotão da 1ª etapa da Tropicale Amissa Bongo, que decorre até domingo no Gabão.

A tirada entre Kango e Lambarene (146 km) foi conquistada ao sprint pelo dinamarquês Lucas Carstensen (Bike), seguido do francês Adrien Petit (Direct Energie) e pelo argelino Youcef Reguigui (Sovac), com Toffali, o espanhol Alejandro Marque (27º), o italiano Rinaldo Nocentini (31º) e Joni Brandão (34º) a chegarem com o mesmo tempo do vencedor.

Mais atrasados, cortaram a meta Fábio Silvestre (60º lugar, a 1.05 minutos) e o espanhol Mario Gonzalez (69º, a 1.17).

Na geral, o quarteto mais bem colocado do Sporting-Tavira encontra-se a 10 segundos de Carstensen – bonificou graças ao seu triunfo –, com Toffali (11º), Marque (27º), Nocentini (31º) e Brandão (34º). A equipa portuguesa está em 6º lugar na tabela coletiva, com o mesmo tempo da Bike.

Para o dia de hoje, o terreno também será favorável a roladores ou sprinters, com partida de Ndende e chegada a Foumagou (173 km).

Portugueses no WorldTour

Também em ambiente mais quente que as atuais temperaturas da Europa, o Tour Down Under arranca hoje com a 1ª etapa, entre Port Adelaide e Lyndoch (145 km), na Austrália, com a estreia dos seis portugueses que atuam no WorldTour.

Rui Costa (UAE), antigo campeão mundial, será o foco das atenções, num pelotão recheado de estrelas, entre as quais Richie Porte (AUS/BMC) – defende o título de 2017 –, o tricampeão mundial Peter Sagan (ESQ/Bora) ou André Greipel (ALE/Lotto).

José Gonçalves e Tiago Machado (Katusha-Alpecin), Nuno Bico e Nelson Oliveira (Movistar), e Ruben Guerreiro (Trek) são os restantes lusitanos em prova

Fonte: Record on-line