terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

“Sky impõe curiosa proibição a Chris Froome e Geraint Thomas”

Modelo instituído por David Brailsford proíbe que atletas se cumprimentem para evitar possíveis contágios

Foto: Reuters

Há proibições e proibições e aquela que a Sky impôs aos seus ciclistas é, no mínimo, curiosa. Chris Froome e Geraint Thomas não podem apertar as mãos por ordem da equipa gerida por David Brailsford, noticia o portal 'Diario del Triatlón'. A decisão de Brailsford prende-se com a necessidade de evitar possíveis contágios de germes - em vez disso, os ciclistas apenas chocam os punhos.

A política rígida de Brailsford não é novidade e remonta a 2002, quando instituiu o conceito que denomina como 'política dos ganhos marginais'. Esta teoria aborda os pequenos detalhes do quotidiano desportivo como forma de ganhar pequenas vantagens em relação à restante competição.

Detalhes como a aerodinâmica da bicicleta ou dos tecidos vestidos pelos ciclistas (para aumentar a velocidade), a preocupação com a limpeza (para reduzir o risco de doenças e do seu contágio), a alimentação dos atletas (tendo em conta o género de etapa que vão enfrentar) e a fomentação de um período de descanso o mais tranquilo possível (para uma recuperação mais eficaz) são alguns exemplos desta política.

Certo é que o modelo de Brailsford tem dado resultados: desde que o técnico assumiu a equipa Sky, em 2010, venceu quatro Tours de França (2012, 2013, 2015, 2016), prova rainha do ciclismo mundial.

Esta explicação vem colocar água na fervura nas suspeitas do mau estar existente entre Chris Froome e Geraint Thomas, uma vez que Thomas tornou público no ano passado, numa entrevista ao 'The Guardian', que sente que não é tão bem tratado como Froome.

Fonte: Record on-line

“Tiago Belchior conquistou 5º lugar na Taça de Pista”

Tiago Belchior, atleta cadete do Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola, alcançou o 5º lugar na Taça de Portugal de Pista, na corrida por pontos, uma das vertentes em que esteve a competir. O atleta da formação alcobacense, que foi o único a apostar nas provas de pista, doseou o esforço na primeira série na corrida por pontos, feita em 10 voltas à pista, e cotou-se no 8º lugar sendo apurado para a final.

Na prova final de 7500 metros voltaria a ficar em 8º lugar, amealhou mais 17 pontos e concluiu assim o ciclo de três provas que constituem a Taça de Portugal de Pista, uma classificação “excelente” considerando que o atleta esteve sozinho sem o apoio do staff da equipa.

Na primeira prova desta competição tinha alcançado 17 pontos, na segunda prova atingiu os 20 pontos e nesta terceira e última prova voltou a conseguir mais 17 pontos, totalizando 54 pontos, que lhe valeram o 5º lugar no ranking desta disciplina, com apenas menos 15 pontos que que o vencedor da prova.

Além da corrida por pontos, Tiago Belchior disputou a prova de 500 metros, uma disciplina de curta distância em que todos os segundos contam. Teve um mau arranque que prejudicou a sua prestação vendo-se relegado para o 18º lugar, nesta terceira e última etapa, disciplina que termina na 6ª posição no conjunto das três provas pontuáveis.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo

“Não, não era um jogo de futebol...”

Loucura em Medellín na apresentação das equipas que vão participar na Volta à Colômbia

Por: Ana Paula Marques

Foto: DR

O Estádio Atanasio Girardot, em Medellín, onde jogam as equipas do Atlético Nacional – clube de que Pablo Escobar era adepto –, e do Independiente, encheu-se não para receber um qualquer dérbi desta cidade colombiana, mas sim para a população aplaudir os ciclistas que a partir de hoje participam na Volta à Colômbia.

A prova vai contar com a participação de uma equipa portuguesa, a Efapel. "Foi incrível. Nunca antes tinha visto uma apresentação assim e muito menos estado presente. Um estádio todo de pé a gritar e aplaudir todas as equipas e ciclistas é uma coisa que nunca tinha sequer sonhado", relatou-nos Rafael Silva, ciclista da Efapel, que ficou verdadeiramente deslumbrado com o que viu. "É um país que vê o ciclismo e os ciclistas como verdadeiros heróis."

O ciclismo é efetivamente uma modalidade que desperta paixões na Colômbia e espelho disso é a forma como Nairo Quintana é recebido cada vez que vence uma Grande Volta. Tem honras de receção das mais altas instâncias governamentais que viram nele um meio para fazer da Volta à Colômbia uma prova mediática. E embalados, os organizadores ainda conseguiram ter Chris Froome. O britânico inicia 2019 na corrida colombiana e também ele ficou rendido com a receção.

"É impressionante e reconfortante ser recebido desta forma, quando todos os anos corro contra o Nairo Quintana. Poderia ser visto como o inimigo, mas nada disso", frisou Froome.

Fonte: Record on-line

“Rádio Popular-Boavista aposta na experiência e consistência para a nova época”

Objetivo é dar sequência aos bons resultados época anterior

Fonte: LUsa

Foto: Peter Spark/Movephoto

A equipa de ciclismo Rádio Popular-Boavista apresentou esta segunda-feira a equipa com que vai encarar a temporada de 2019, assumindo o objetivo de dar sequência aos bons resultados época anterior, com um grupo experiente.

O diretor desportivo José Santos reuniu um grupo de 10 corredores, misturando jovens valores e atletas experientes, tendo como a contratação mais sonante Luís Mendonça, que chegou da Aviludo-Louletano, e que vem colmatar a saída de Domingos Gonçalves, o campeão nacional de fundo, que foi para os espanhóis da Caja Rural.

"Creio que o importante foi não perdermos qualidade em relação ao ano anterior. É certo que tivemos uma baixa importante com a saída do Domingos [Gonçalves], mas creio que compensamos com a chegada do Luís Mendonça, que é um ciclista muito regular, com bons resultados em 2018, e que apesar dos 31 anos, tem muito para evoluir", analisou o diretor desportivo da equipa portuense.

 

Falando num "grupo equilibrado e semelhante ao do ano passado", José Santos acredita que poderá repetir os bons resultados de 2018

"Sabemos que não há épocas iguais, mas acreditamos que nos vamos apresentar a um bom nível. Em 2018, e tirando a contagem da Volta a Portugal, fomos a equipa mais ganhou, nomeadamente com a conquista da Taça de Portugal e dos campeonatos nacionais. Queremos manter essa boa prestação este ano", partilhou José Santos.

Além da entrada de Luís Mendonça, destaque, também para o regresso do espanhol Pablo Guerrero (ex-PC Beniota Team), que volta a vestir de xadrez depois de ter representado a equipa em 2016 e 2017, e para os jovens António Gomez (ex-Caja Rural Sub23) e Hugo Nunes (ex-Miranda-Mortágua).

Apesar da equipa ter mantido o seu núcleo duro, com elementos experientes como João Benta, Daniel Silva ou David Rodrigues, os 'axadrezados' viram sair Filipe Cardoso e Óscar Pellegri para a Vito-Feirense.

Na apresentação da equipa, estiveram presentes figuras do clube, como o atual presidente Vítor Murta, mas também o ex-líder dos 'axadrezados' Valentim Loureiro, assim como Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, e Catarina Araújo, vereadora com o pelouro do Desporto da Câmara Municipal do Porto.

Equipa RP/Boavista para 2019:

Ciclistas: Luís Mendonça (POR) (ex-Aviludo/Louletano), João Benta (POR), Daniel Silva (POR), David Rodrigues (POR), Pablo Guerrero (ESP) (ex-Beniota Team), Luís Gomes (POR), António Gomez (ESP) (ex-Caja Rural Sub23), Hugo Nunes (POR) (ex-Miranda-Mortágua), João Salgado (POR) e Afonso Silva (POR) (ex-Sporting/Tavira)

Diretor Desportivo: José Santos

Fonte: Record on-line

“A equipa de ciclismo ASFIC será orientada na época 2019, pelo técnico Armindo Lúcio, que já orientou a equipa em 2016”

Com a saída de Jorge Caldeira para os escalões de formação do Alcobaça, a equipa ASFIC garantiu o regresso de Armindo Lúcio, para o comando da equipa em 2019.

A ASFIC deseja ao Chefe Jorge Caldeira, o maior sucesso no seu novo desafio, e agradece toda a sua dedicação com que comandou a equipa nos últimos 2 anos, levando a mesma a alcançar um grandioso número de vitórias e títulos.

Quanto a Armindo Lúcio, iniciou a sua carreira no ciclismo em 1972/73 no A.C. Malveira como popular. Em 1976 formou a equipa de ciclismo Costa do Sol, onde teve Marco Chagas como colega de equipa, terminando nesse ano a volta a Portugal em 10.º lugar. Em 1977 representou o Águias de Alpiarça, passando no ano seguinte para a Lousa/Trinaranjus tendo sido 2.º classificado na Volta a Portugal.

Em 1980, recebeu uma proposta de emprego e deixou o ciclismo profissional, no entanto continuou sempre ligado ao ciclismo na condição de treinador, tendo passado por diversos clubes com especial destaque o Águias de Alpiarça e o Sport Lisboa e Benfica.

Para o Chefe Armindo Lúcio, trata-se de um regresso a uma casa onde já foi feliz, e onde conseguiu com que a equipa obtivesse uma excelente época com várias vitórias coletivas e individuais, das quais se destaca ainda a obtenção de 1 campeão nacional, 1 campeão Ibérico e 2 campeões regionais. 

A ASFIC agradece a confiança que Armindo Lúcio demonstrou nesta equipa ao aceitar mais uma vez comandar a ASFIC e acreditar no projeto apresentado.

Fonte: ASFIC - Clube de Ciclismo

 

“Época Começa Com Todos no Pódio”

Texto: AfterTwo //Works    

Fotos:  João Fonseca/FPCiclismo

A equipa Sicasal Constantinos venceu individual e coletivamente a Prova de Abertura da época velocipédica portuguesa disputada este domingo na região de Aveiro.

Iúri Leitão esteve na discussão da etapa terminando o sprint final em Estarreja na 8ª posição da geral, facto que lhe garantiu a vitória na categoria Sub-23.

Um excelente começo para o atleta de Viana do Castelo que assim começa a época 2019 da mesma forma que terminou em 2018, no lugar mais alto do pódio. Com esta vitória, o ciclista da equipa torriense é o primeiro líder da taça de Portugal em Sub-23 e foi com enorme satisfação que afirmou “Esperava poder estar aqui a discutir a etapa e correu tudo como planeado. A nossa ambição era o top 10, correu muito bem, consegui vencer em Sub-23 e estamos todos muito contentes. É um ótimo incentivo para mais uma época dura que agora começa e na qual estamos focados em aprender e evoluir sempre mais”.

Com uma distância de 162 quilómetros, a viagem entre Sever do Vouga e Estarreja percorreu todos os concelhos da região de Aveiro a uma velocidade média de 42,2 kms/hora e contou com um sprint final eletrizante, onde Rui Oliveira da equipa Portugal levou a melhor sobre os adversários.

No conjunto torriense, realce ainda para o fantástico 16º posto alcançado por Francisco Guerreiro entre a elite do ciclismo nacional. O atleta proveniente do escalão júnior foi o 4º melhor Sub-23 na sua prova de estreia nesta categoria.

Com um grande desempenho coletivo, a equipa do projeto Academia Joaquim Agostinho/UDO foi 7ª classificada entre as 17 formações participantes e subiu ao pódio para receber a taça correspondente à melhor formação Sub-23 em prova. Para esta distinção, muito contribuíram as grandes prestações de Marcelo Salvador (13º Sub-23), José Vieira (14º), Francisco Morais (22º) e do também estreante Wilson Esperança (25º).
 

Salgueiro 2º melhor Português em África

Miguel Salgueiro terminou com sucesso a sua participação no Tour de L'espoir ao serviço da Equipa Portugal de Sub-23.

Nesta prova da Taça das Nações disputada na República dos Camarões, o atleta da Sicasal Constantinos destacou-se como o segundo melhor luso da classificação final, terminando na 22ª posição uma competição onde envergou por duas vezes a camisola branca de líder da montanha.

A equipa portuguesa venceu a segunda etapa através de Francisco Campos e no rescaldo final somou 12 preciosos pontos para o ranking que dá acesso ao Tour de l'Avenir, a Volta a França do Futuro.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho/UDO