sexta-feira, 18 de novembro de 2016

“Critério Internacional desaparece do calendário”

Competição realizava-se desde 1932, o francês Thibaut Pinot ganhou a última edição da prova

Por: Lusa

Foto: Site Critério Internacional

A Amaury Sport Organisation (ASO), organizadora da Volta a França, anunciou esta sexta-feira o fim do Critério Internacional, uma prova de três etapas em dois dias, que era disputada habitualmente em março, na Córsega.
A derradeira edição da competição, criada em 1932 e que contemplava uma etapa plana, um contrarrelógio e uma tirada de montanha, foi vencida por Thibaut Pinot. O australiano Cadel Evans, em 2012, o britânico Chris Froome, em 2013, o francês Jean-Christophe Péraud, em 2014 e 2015, precederam o gaulês no historial.
Tiago Machado, com dois terceiros lugares, em 2010 e 2014, foi o português mais bem classificado na prova, agora extinta, devido à diminuição da qualidade e quantidade do pelotão, segundo o responsável da ASO Christian Prudhomme, justificando este facto com a crescente concorrência de provas como a Volta à Catalunha, a Coppi-Bartali, em Itália, e a clássica Gand-Wevelgem, na Bélgica.

Fonte: Record on.line

“Vencedor da montanha deste ano suspenso por doping”

Wilson Diaz acusou CERA e vai perder a camisola conquistada

Por: Lusa

Foto: LUSA

A União Ciclista Internacional (UCI) anunciou esta quinta-feira a suspensão de Wilson Diaz, colombiano que venceu a camisola de montanha na Volta a Portugal, e de João Gaspar, ciclistas da equipa brasileira Funvic Soul Cycles-Carrefour.
Ambos os ciclistas acusaram positivo por CERA, uma variante da EPO, durante a participação na Volta a Portugal deste ano, em que Wilson Diaz conquistou a classificação de montanha (25.º na geral) e João Gaspar foi desclassificado na quinta etapa.

A vitória na montanha deve agora passar para as mãos do segundo classificado, o português Joni Brandão, da Efapel.
A decisão deixa a Funvic Soul Cycles temporariamente suspensa e pode levar a um castigo definitivo à equipa brasileira do pelotão secundário por um período de 15 dias a um ano.
O caso da equipa brasileira passou agora da UCI para o comité disciplinar do organismo.
Em agosto, antes da prova de estrada dos Jogos Olímpicos Rio'2016, o colega de equipa Kléber Ramos foi desqualificado da prova por ter testado positivo por CERA durante os treinos.

Fonte: Record on-line

“Anaís dá a cara por escola”

Belenenses chamou nome sonante

Por: Vítor Ventura

Foto: Fernando Ferreira

O Belenenses, um histórico da modalidade em Portugal, decidiu criar uma escola de triatlo com o objetivo de apostar na formação de jovens atletas. E para liderar esse projeto o clube do Restelo chamou a sua mais famosa representante, Anaís Moniz, antiga campeã do Mundo júnior (2005) e da Europa (2006).
"Agradeço ao clube do meu coração e que me viu crescer, tanto no triatlo, como mais tarde no futebol", começou por dizer ontem, Anaís Moniz, na apresentação do novo projeto do Belenenses, que passa por criar "uma escola para jovens entre os 7 e 15 anos", conforme nos disse a ‘madrinha’ da iniciativa, que esteve acompanhada pelo presidente do clube do Restelo, Patrick Morais de Carvalho, e pelo vice-presidente para as modalidades do clube, Óscar Rodrigues.

"Nunca abandonei na verdade o triatlo, mas este é um desafio que vou encarar com maior entusiasmo", referiu Anaís Moniz, que nos confessou ir às escolas da zona de Belém fazer a captação de jovens.
Depois do triatlo, no Belenenses e Benfica, e futebol, no Futebol Benfica e no Restelo, Anaís Moniz regressa, aos 29 anos, ao seu "grande amor", como nos confidenciou.

Fonte: Record on-line