quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

“43.ª Volta ao Algarve/Percurso da Volta ao Algarve definido”

A 43.ª edição da Volta ao Algarve, na estrada entre 15 e 19 de fevereiro de 2017, vai contar com cinco etapas e um total de 770,2 quilómetros. O desenho final do percurso confirma a corrida portuguesa como uma competição ideal para início de época, conjugando o espectáculo com as necessidades desportivas dos ciclistas e das equipas em começo de temporada.

O trajeto mantém-se fiel ao conceito das anteriores edições, apresentando duas etapas propícias para velocistas, duas chegadas em alto e um contrarrelógio individual. Da conjugação destes fatores deverá sair como vencedor um corredor completo, à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos.

A competição arranca com uma ligação para roladores e sprinters, que levará os corredores de Albufeira até Lagos, ao longo de 180,3 quilómetros praticamente planos. A única subida pontuável do dia é de terceira categoria e está instalada na Picota, ao quilómetro 22,4.

O segundo dia será palco o primeiro teste entre os candidatos à camisola amarela final, ao longo dos 189,3 quilómetros que unem Lagoa ao alto da Fóia, em Monchique. A chegada do ponto mais alto do Algarve (900) irá ser feita por uma vertente diferente da do ano anterior. A escalada para a meta terá 9,1 quilómetros e uma inclinação média de 6,2 por cento. No entanto, o primeiro quilómetro desta subida tem rampas duríssimas e uma média de inclinação de 9,6 por cento.

A terceira etapa repete o contrarrelógio de 18 quilómetros, com início e final em Sagres, no qual Fabian Cancellara venceu e Tony Martin ascendeu ao comando da geral, na edição de 2016.

Os sprinters deverão ser os protagonistas da quarta etapa, a mais longa da competição. A partida será dada em Almodôvar e a chegada, 203,4 quilómetros adiante, vai acontecer em Tavira, cidade que habituou a caravana da Volta ao Algarve a grandes banhos de multidão.

Espera-se que haja emoção até ao último metro de corrida, já que a derradeira tirada termina na mítica subida do Malhão (2,8 km com inclinação média de 8,9 por cento), depois de percorridos 179,2 quilómetros, com início no centro de Loulé. O Malhão será ainda escalado a 41,5 quilómetros, no início de um circuito final de permanente sobe e desce que faz lembrar as clássicas das Ardenas.

Pelotão em construção

O pelotão da 43.ª Volta ao Algarve vai ganhando forma. Na última semana confirmaram a presença mais três equipas do WorldTour – FDJ, Lotto NL-Jumbo e Movistar -, fazendo subir para dez o número de conjuntos de primeira divisão com presença assegurada na prova portuguesa.

Equipas confirmadas

WorldTour: Astana (CAZ), Bora-hansgrohe (GER), Cannondale-Drapac (EUA), Dimension Data (RSA), FDJ (FRA), Katusha-Alpecin (SUI), Lotto NL-Jumbo (NED), Lotto Suudal (BEL), Movistar (ESP) e Quick-Step Floors (BEL).

Continental Profissonal: Caja Rural-Seguros RGA (ESP), Gazprom-RusVelo (RUS), Manzana Postobón (COL) e Wanty-Groupe Gobert (BEL)

Continental: Efapel, LA Alumínios-Metalusa, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto (POR), e Rally Cycling (EUA)

Etapas 2017

15 de fevereiro – 1.ª Etapa: Albufeira – Lagos, 180,3 km

16 de fevereiro – 2.ª Etapa: Lagoa – Fóia (Monchique), 189,3 km

17 de fevereiro – 3.ª Etapa: Sagres – Sagres (C/R Individual), 18 km

18 de fevereiro – 4.ª Etapa: Almodôvar – Tavira, 203,4 km

19 de fevereiro – 5.ª Etapa: Loulé – Malhão, 179,2 km

Últimos vencedores de etapa em:

Lagos

2011 - John Degenkolb (HTC-High Road)

2010 - André Greipel (Team HTC-Columbia)

2009 - Koldo Fernández (Euskaltel-Euskadi)

Fóia

2016 - Luis León Sánchez (Astana)

2002 - Alex Zülle (Team Coast)

2001 - José Azevedo (ONCE)

Sagres

2016 - Fabian Cancellara (Trek-Segafredo)

2015 - Tony Martin (Etixx-QuickStep)

2014 - Michal Kwiatkowski (Omega Pharma-QuickStep)

Tavira

2016 - Marcel Kittel (Etixx-QuickStep)

2013 - Tony Martin (Omega Pharma-QuickStep)

2012 - Gerald Ciolek (Omega Pharma-QuickStep)

Malhão

2016 - Alberto Contador (Tinkoff)

2015 - Richie Porte (Sky)

2014 - Alberto Contador (Tinkoff-Saxo)

Últimos vencedores da Volta ao Algarve

2016 - Geraint Thomas (Sky)

2015 - Geraint Thomas (Sky)

2014 - Michal Kwiatkowski (Omega Pharma-QuickStep)

2013 - Tony Martin (Omega Pharma-QuickStep)

2012 - Richie Porte (Sky)

2011 - Tony Martin (HTC-Highroad)

2010 - Alberto Contador (Astana)

2009 - Alberto Contador (Astana)

2008 - Stijn Devolder (QuickStep)

2007 - Alessandro Petacchi (Milram)

Fonte: FPC

“Alex Dowset quer bater recorde da hora de Bradley Wiggins”

Foto: Glyn KIRK / AFP
O ciclista britânico Alex Dowset, da Movistar, anunciou hoje que está nos seus planos bater o recorde da hora, na posse do seu compatriota Bradley Wiggins, com 54,526 quilómetros.
Ao site especializado cyclingnews, Dowset disse que ainda não definiu uma data para tentar ‘destronar’ Wiggins, mas admitiu que já está a preparar-se no velódromo de Manchester, Inglaterra.
“Por agora, apenas posso confirmar a intenção. Continuamos [com a Movistar] a tentar definir a melhor forma de coordenar a preparação, mas não podemos ainda fazer o anúncio formal”, explicou Dowset, que já foi detentor do recorde da hora, quando registou a marca de 52,397 quilómetros em maio de 2015.
Dowset considera, porém, que tem condições de voltar a ser o recordista mundial da hora.
“Temos feito alguns testes e constatámos que sou capaz de chegar aos 54,5 quilómetros e até superar os 55, mas com a ‘intervenção’ do vento nunca se sabe”, admitiu o britânico.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Equipa de Rui Costa em perigo”

TJ Sport corre contra o tempo para obter licença World Tour. Para já, foi cancelado o 1.º estágio

Por: Ana Paula Marques

Foto: Lampre Merida

A TJ Sport, equipa que comprou a Lampre, e que tem em Rui Costa um dos líderes, vive por estes dias na incerteza quanto ao seu futuro. Isto porque a Comissão de Licenças da UCI ainda não deu luz verde para integrar o pelotão World Tour em 2017, o que permitiria à China ter pela primeira vez uma formação no principal pelotão. Ontem, alguma imprensa estrangeira dava conta que o atraso na conclusão do processo junto da UCI poderá estar no governo chinês, que ainda não terá libertado as verbas necessárias. Aliás, o mesmo problema parece afetar o AC Milan. Silvio Berlusconi, presidente do clube, está à espera de fechar um acordo com um grupo chinês de 740 milhões de euros.

A indecisão quanto à equipa de Rui Costa levou mesmo ao cancelamento daquele que deveria ser o primeiro estágio de pré-temporada marcado para esta semana. A imprensa refere ainda que há muitos ciclistas preocupados, pois a TJ Sport tem até ao dia 15 para regularizar os documentos em falta junto da UCI para obter a licença World Tour. Caso não o consiga fazer, a formação poderá transitar para o 2º escalão, ou mesmo ser extinta. Os contratos já firmados com alguns ciclistas, entre eles Rui Costa, deixam de ser válidos a partir do momento em que não será World Tour. Há atletas que eventualmente poderão encontrar lugar noutras formações, mas com salários bem mais baixos. Mas estamos a falar de 70 pessoas, entre ciclistas, diretores, técnicos e restante staff, que podem ficar no desemprego.

"Enquanto não tivermos o visto da UCI para World Tour, continuaremos preocupados", frisou ao ‘VeloNews’ Mario Scirea, um dos diretores da equipa e o único a comentar a situação da equipa, referindo manter fé nos esforços do manager geral, Giuseppe Saronni, para resolver a situação.

Silêncio

O nosso jornal tentou obter uma reação de Rui Costa, mas apesar das várias tentativas não foi possível. A TJ Sport, para além do português, já terá firmado contrato com Diego Ulissi e Sacha Modolo, que transitam igualmente da Lampre-Mérida, e ainda com Ben Swift (ex-Sky), Darwin Atapuma (ex-BMC), Andrea Guardini (ex-Astana), entre outros.

Mário Costa ainda não assinou

Rui Costa não é o único português a estar nos planos da TJ Sport. O irmão, Mário Costa, também deverá transitar da anterior equipa. Mas a situação é diferente. "Ainda não tenho contrato. Estão à espera da inscrição no World Tour para formalizarem o acordo", disse-nos Mário Costa, que desconhecia as notícias ontem veiculadas. "Não estou preocupado. A equipa disse-me que iria fazer parte do plantel", frisou.

Fonte: Record on-line