sexta-feira, 30 de agosto de 2019

“Nova edição mensal da Revista Notícias do Pedal”

A “Revista Notícias do Pedal” acabou de lançar a edição número 288, de agosto, a mesma contém uma grande diversidade de notícias, nas mais diversas modalidades, descubra e conheça a mesma, e ainda outras novidades, e outros projetos, e participe.

A sua notícia é importante para nós…

Temos espaço para divulgar o seu evento antes e após a realização do mesmo, pode divulgar ainda tudo o que se relaciona com a bicicleta, como um acontecimento, um passeio onde participou, uma novidade.



Temos espaço diário, e mensal, e damos liberdade aos nossos leitores, de se pronunciarem, e fazerem as suas divulgações, para que isso aconteça, basta enviarem um pequeno texto, algumas fotos, ou cartazes, e nós tratamos do resto.


Todas as notícias podem ser enviadas para os nossos mails
 



A nossa publicação pode ser visualizada em: www.noticiasdopedal.com onde vai encontrar todos os nossos projetos e links para os mesmos.

Temos o nosso espaço diário em:



 Boas leituras…

“Vasco Vilaça em quarto na prova de sub-23 dos Mundiais de triatlo”

Atleta português ficou a 48 segundos do vencedor da prova, o espanhol Roberto Sanchez

Por: Lusa

Foto: DIREITOS RESERVADOS 

O triatleta Vasco Vilaça obteve, esta sexta-feira, o quarto lugar na prova de sub-23 dos Mundiais de triatlo, em Lausana, na Suíça, ficando a 48 segundo do vencedor, o espanhol Roberto Sanchez.

Vasco Vilaça (Benfica) foi o único português em competição, finalizando o percurso realizado na distância olímpica com 01:51.07 horas, superado apenas por Roberto Sanchez (1:50:19), o húngaro Csongor Lehmann (1:50.36) e o israelita Ran Sagiv (1:50.50).

Horas antes, Ricardo Batista conquistou o título de campeão mundial de juniores.

Fonte: Record on-line

“Ricardo Batista é Campeão do Mundo de Juniores 2019”

Ricardo Batista subiu ao mais alto lugar do pódio do Campeonato do Mundo de Juniores 2019

Realizou-se hoje, 30 de agosto, em Lausanne, na Suíça, a Finalíssima do Campeonato do Mundo de Juniores, onde participaram também Alexandre Montez e José Pedro Vieira.

Batista tem demonstrado estar em excelente forma, com resultados relevantes na presente época, como o segundo lugar na Taça da Europa em Quarteira, Algarve, que se realizou em abril de 2019 ou mais recentemente, em junho deste ano, no Campeonato da Europa de Weert, Holanda, onde conquistou a terceira posição.

Com a sua participação na Final do Campeonato do Mundo, era um forte candidato aos lugares cimeiros; Batista esteve de facto na disputa da prova desde a primeira transição da natação para o ciclismo, demonstrando a sua consistência e talento. Aliás, todos os atletas que conquistaram o top 4 no Campeonato da Europa de Juniores 2019 conseguiram integrar-se nos primeiros cinco atletas, o que demonstra o nível extremamente elevado do Campeonato da Europa.

O primeiro atleta a sair da água foi o inglês Marcus Dey, mas atrás dele, nos 30 segundos seguintes, formou-se um grupo de cerca de 30 atletas, demonstrando o nível elevado e simultaneamente semelhante dos atletas juniores. Mas sendo o triatlo uma modalidade que exige estratégia e depende de muitas condicionantes, com três modalidades diferentes e duas transições, a gestão de esforço dos triatletas e respetiva integração de grupos, principalmente no ciclismo, é fundamental para alcançar uma boa posição.

Desta forma, o Batista saiu da água em 34º, fez uma excelente transição e iniciou o ciclismo de quatro voltas num grupo muito numeroso de ciclistas, num percurso extremamente exigente fisicamente, com duas subidas acentuadas. «Estava com um pouco receio do ciclismo porque o grupo era enorme e tudo podia acontecer», diz Ricardo Batista. Na verdade com a formação de um grupo tão grande a pedalar, era necessário posicionar-se o mais na frente possível, pois seria previsível a divisão em pequenos grupos, e quem não se integrasse no primeiro grupo teria também perdido a possibilidade de alcançar uma boa posição. Foi o que aconteceu a Alexandre Montez, também ele muito bom atleta, com a 5ª posição no Campeonato da Europa de Weert, que seguia no primeiro grupo de ciclismo.

Com uma prova espetacular, Batista mostrou a sua excelente condição física ao longo do percurso de ciclismo onde destacamos as duas subidas acentuadas de 10% e 12% de inclinação. O triatleta nacional soube gerir este segmento exigente, posicionando-se sempre a pedalar na zona da frente do grupo.

Na corrida, Ricardo Batista foi extremamente consistente, integrando-se num grupo de sete atletas que se dividiu a determinada altura, em que Batista assumiu a liderança em conjunto com mais dois atletas. Foi na última volta do terceiro segmento que tudo se decidiu. Mostrando uma forma física extraordinária, com uma corrida de outro mundo depois de uma natação dura e de um percurso de ciclismo muito massacrante, o  triatleta nacional passou para a frente da prova, deixando para trás Lorcan Redmond, da Áustria e Sergio Baxter Cabrera, de Espanha. O português ainda se enganou no último retorno, avançando um pouco mais do que era necessário, mas passou a meta com uns confortáveis sete segundos de vantagem, conquistando o título de Campeão do Mundo Junior.

«Estou extremamente satisfeito com este título, tenho pouca experiência em Campeonatos do Mundo, mas correu bem, gostei muito da prova!»


Batista fez uma prova extraordinária, com destaque para o segmento da corrida onde assumiu a liderança

O triatleta nacional Ricardo Batista foi medalha de ouro com 00:55:05, seguido do austríaco Lorcan Redmond que ficou na segunda posição com 00:55:12 e do espanhol Sergio Baxter que fechou o pódio com 00:55:16.

O presidente da Federação de Triatlo de Portugal, Vasco Rodrigues, que ontem tinha afirmado que o objetivo seria uma medalha, afirma, já com a sua meta alcançada no primeiro dia: «Esta é uma seleção que me enche de orgulho, pela forma como todos se empenham, aplicam e perspetivam sempre resultados de excelência.» O dirigente refere que numa prova com tantas variantes, as possibilidade de acontecerem problemas é muito grande. «É pena que a prova tenha corrido menos bem a alguns atletas juniores, envolvidos em quedas, problemas mecânicos ou problemas na natação.» O presidente refere-se à prova de Ricardo Batista como inexcedível, considerando que é um excelente pronuncio para as provas restantes. «Aproveito este momento para congratular a dedicação de treinadores e atletas, pois só assim se atingem estes resultados. O triatlo nacional e as pessoas envolvidas estão de Parabéns!» remata Vasco Rodrigues.


Alexandre Montez ficou na 26ª posição e José Vieira foi DNF

Na Finalíssima do Campeonato do Mundo de Juniores Femininas, Gabriela Ribeiro foi a segunda atleta a sair da água, colada à primeira, mas por ainda não ter treino consistente e de qualidade devido a lesão entretanto superada, acabou por desistir no ciclismo, não estando ao nível a que nos habituámos. Maria Tomé ficou na 42ª posição e Mariana Vargem em 50º , com problemas mecânicos.

Nesta prova, Itália foi a nação mais forte, conquistado o primeiro e segundo lugares com Beatrice Mallozzi, com 01:00:41 e Costanza Arpinelli, com 01:00:42.  A francesa Jessica Fullagar, que veio sempre na frente da competição, perdeu a liderança na última parte da corrida, ficando na terceira posição com 01:00:53.

Fonte: FTP

“Gustavo Veloso 15.º na Poitou-Charentes”

Ricardo Mestre foi o melhor português

Por: Lusa

O espanhol Gustavo Veloso, vencedor da Volta a Portugal em bicicleta de 2014 e 2015, foi esta terça-feira o corredor da W52-FC Porto mais bem classificado na Poitou-Charentes, ao terminar no 15.º lugar.

O galego terminou a corrida francesa de cinco etapas a 1.42 minutos do vencedor, o francês Christophe Laporte (Cofidis), que liderou a prova desde o primeiro dia.

Ricardo Mestre, também da equipa azul e branca, foi o português mais bem classificado, com o 18.º posto, a 2.05 minutos do vencedor.

Fonte: Record on-line

“Alexander Kristoff vence segunda etapa e arrebata liderança na Volta à Alemanha”

Norueguês triunfou ao sprint

Por: Lusa

O norueguês Alexander Kristoff (UAE-Emirates) assumiu esta sexta-feira a liderança da Volta à Alemanha em bicicleta, depois de vencer ao sprint a segunda etapa, em Göttingen.

Kristoff foi o mais rápido no final dos 202 quilómetros desde Marburg, com o tempo de 4:21.04 horas, o mesmo do italiano Sonny Colbrelli (Bahrain-Merida) e do belga Yves Lampaert (Deceuninck-Quick Step), segundo e terceiro classificados, respetivamente.

O norueguês subiu à liderança da prova, detendo 10 segundos de vantagem sobre Colbrelli e 12 sobre Lampaert.

O alemão Pascal Ackermann (Bora-hansgrohe), que liderava a prova após o triunfo na primeira etapa, caiu para o 78.º posto, a 16.19 minutos de Kristoff.

O português José Gonçalves (Katusha Alpecin) segue no 61.º lugar da geral, a 8.06 minutos do norueguês, depois de ter sido 62.º na etapa, a 7.50.

No sábado, o pelotão vai enfrentar os 189 quilómetros da terceira e penúltima etapa da prova, entre Göttingen e Eisenach.

Fonte: Record on-line

“Vuelta/Miguel Ángel López recupera camisola vermelha”

Etapa ganha por Alejandro Valverde

Por: Lusa

O ciclista espanhol Alejandro Valverde (Movistar), atual campeão do mundo, ganhou esta sexta-feira em Mas de la Costa a sétima etapa da Volta a Espanha, uma tirada que permitiu ao colombiano Miguel Ángel López (Astana) recuperar a camisola vermelha.

Valverde foi o melhor de um quarteto de vips que se formou na frente da corrida, em que se incluia o esloveno Primoz Roglic e os colombianos Miguel Ángel López e Nairo Quintana (Movistar), que passam a ser os quatro primeiros da geral.

Creditado em 4:34.10 horas na meta para os 183,2 quilómetros entre Onda e Mas de la Costa, Valverde entrou com Roglic colado a si e os colombianos a somente seis segundos.

López recuperou a camisola vermelha, que perdera por um dia, e comanda a geral com seis segundos sobre Roglic, 16 sobre Valverde e 27 sobre Quintana.

No sábado, corre-se a oitava etapa, entre Valls e Igualada, 166,9 quilómetros que se antecipam sem problemas, na véspera de uma etapa de alta montanha, em Andorra.

Fonte: Record on-line

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

“Finalíssima do Campeonato do Mundo de Triatlo 2019”

A partir de amanhã, 30 de agosto e até domingo, 1 de setembro, realiza-se a Finalíssima do Campeonato do Mundo de Triatlo 2019.

Nos dias 30, 31 de agosto e 1 de setembro todos os olhares do triatlo vão estar postos na finalíssima do Campeonato do Mundo da modalidade que se realiza em Lausanne, na Suíça. Com um percurso de ciclismo fisicamente muito exigente, são 10 os triatletas nacionais que irão disputar esta prova nas diferentes categorias.

Grande Final do Campeonato do Mundo – prova individual na categoria júnior masculina

Amanhã, sexta, 30 de agosto, às 9h, realizar-se-á a final do Campeonato do Mundo de Juniores que contará com a presença de Alexandre Montez, Ricardo Batista e José Vieira, três triatletas jovens de elevado nível. Com os resultados demonstrados esta época, os três atletas terão potencial para nadar e pedalar na frente, posicionando-se muito bem no segmento de corrida, ambicionando por isso uma boa posição que, mesmo que não cheguem à conquista das medalhas, poderão facilmente aceder ao top 10. De destacar as posições no Campeonato Europeu onde os atletas nacionais saíram do segmento de natação em primeiro, segundo e terceiro lugar.


Grande Final do Campeonato do Mundo – prova individual na categoria júnior feminina

Duas horas mais cedo, às 7h, será a vez da prova feminina júnior, uma final que contará com a participação de Gabriela Ribeiro, Maria Tomé e Mariana Vargem, todas com possibilidades de bons resultados, embora em situações competitivas diferentes. No caso de Gabriela Ribeiro, que vem de uma lesão recentemente ultrapassada, é um pouco imprevisível já que a atleta poderá não estar ao mais alto nível. A triatleta Maria Tomé, que conquistou uma boa posição no Campeonato Europeu com um 8º lugar, poderá conseguir uma boa classificação, apesar da sua pouca experiência em palcos internacionais. Mariana Vargem é uma atleta que potencialmente poderá obter uma boa posição, já que é competente nos três segmentos.

Ao nível dos juniores, e tendo em conta resultados anteriores, existem fortes possibilidades de alcançar medalhas ou conquistar muito bons resultados, sendo que os atletas mais jovens poderão disputar a prova desde o primeiro momento, saindo da água no top 10 dos atletas.  O elevado nível no segmento de natação, que era o calcanhar de Aquiles dos triatletas portugueses, está também relacionado com o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido com os juniores no enquadramento técnico da Federação de Triatlo de Portugal.


Grande Final do Campeonato do Mundo Sub 23

É também amanhã, 30 de agosto, às 14h que se realiza a prova da categoria sub-23, onde Vasco Vilaça irá alinhar à partida, um atleta que já conquistou os títulos de Campeão Europeu e Vice-Campeão do Mundo. Este triatleta, que nos habituou a grandes resultados como júnior, tem possibilidades de disputar uma medalha, pelos seus bons indicadores e nível demonstrado, além de uma atitude muito lutadora e persistente em prova.


Grande Final do Campeonato do Mundo de Elite

No sábado, 31 de agosto, será a vez da prova das elites que contará com Melanie Santos (às 13h) e João Silva e João Pereira (às 16h).

A start list feminina está muitíssimo forte, com o top 10 mundial, e uma série atletas de nível muito elevado no ciclismo. Pelas características do segmento de ciclismo, que é fisicamente muito exigente, perspetiva-se a possibilidade de chegar um grupo muito reduzido na frente da corrida: desta forma, as atletas que conseguirem manter-se no grupo de ciclismo, poderão alcançar um bom resultado. É possível que a nossa única triatleta nacional não esteja ainda no seu nível competitivo, já que lhe falta treino de qualidade na corrida, por ter estado condicionada devido a lesão e quebras de rimo competitivo, pelo que a sua prestação é um pouco imprevisível.

O João Pereira e o João Silva encontram-se numa muito boa condição física, com um ciclismo e uma corrida muito competentes, pelo que poderão disputar os lugares cimeiros e obter uma medalha.

Segundo o presidente da Federação de Triatlo de Portugal, Vasco Rodrigues, «o objetivo é sair do mundial com uma medalha e ambicionar a conquista de dois pódios!»


Horário em Portugal da Finalíssima do Campeonato do Mundo de Lausanne, Suíça

Sexta, 30 de agosto

-7h juniores mulheres – Gabriela Ribeiro, Mariana Vargem, Maria Tomé

-9h juniores homens – Ricardo Batista, Alexandre Montez, José Vieira


Sexta, 30 de agosto

-14h sub 23 homens – Vasco Vilaça

Sábado, 31 de agosto

-13h – elite masculina João Silva e João Pereira

-16h – elite feminina Melanie Santos


Domingo, 1 de setembro

– 17h estafetas mistas (ainda por apurar os atletas, já que a sua composição depende dos resultados individuais.)

Fonte: FTP

“Jesus Herrada vence 6.ª etapa da Volta a Espanha e Dylan Teuns arrebata camisola vermelha”

O colombiano Miguel Angel López (Astana), anterior líder da prova, desceu para terceiro

Por: Lusa

Foto: EPA

O espanhol Jesus Herrada (Cofidis) foi hoje o vencedor da sexta etapa da Volta a Espanha em bicicleta, 198,9 quilómetros de Mora de Rubielos a Ares da Maestrat.

A etapa, de média montanha, foi marcada por uma fuga bem sucedida, em que se integrou o português Nelson Oliveira (Movistar), sétimo na etapa, com a camisola vermelha a passar para o belga Dylan Teuns (Bahrein Merida), segundo na etapa a sete segundos do primeiro.

O colombiano Miguel Angel López (Astana), anterior líder da prova, terminou com o primeiro grupo e desceu para terceiro, a um minuto de Teuns e 22 segundos do espanhol David de la Cruz (Ineos), outro dos homens que chegou mais adiantado.

Entre os desistentes do dia conta-se o irlandês Nicolas Roche (Sunweb), que já foi líder da prova, e o colombiano Rigoberto Urán (EF Education First), que eram quinto e sexto da geral.

Juntamente com López entraram o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma) e  o colombiano Nairo Quintana (Movistar), que eram os três primeiros da geral e agora ocupam as posições entre terceiro e quinto.

Fonte: Record on-line

“Ackermann lidera Volta à Alemanha após vencer primeira etapa”

O ciclista alemão (Bora-hansgrohe) foi o primeiro a completar os 167 quilómetros entre Hannover e Halberstadt

Por: Lusa

Foto: EPA

O alemão Pascal Ackermann (Bora-hansgrohe) venceu hoje ao 'sprint' a primeira etapa da Volta à Alemanha em bicicleta, assumindo a liderança da prova de quatro dias.

Ackermann foi o primeiro a completar os 167 quilómetros Hannover e Halberstadt, com o tempo de 3:49.30 horas, o mesmo dos restantes ocupantes do pódio da etapa, o norueguês Alexander Kristoff e o italiano Simone Consonni, ambos da UAE-Emirates.

O português José Gonçalves (Katusha Alpecin) foi o 49.º a cruzar a meta, com o mesmo tempo de Ackermann.

O vencedor da primeira tirada lidera a corrida germânica com quatro segundos de vantagem sobre Kristoff e seis sobre Consonni.

Na sexta-feira, o pelotão vai enfrentar 202 quilómetros entre Marburg e Göttingen.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Ana Santos 25.ª no Mundial de XCO”

Por: José Carlos Gomes

Ana Santos foi hoje a 25.ª classificada na prova de juniores femininas do Campeonato do Mundo de Cross Country Olímpico (XCO), disputada no Mont-Saint-Anne, Canadá, com vitória da suíça Jacqueline Schneebeli.

A jovem portuguesa fez uma corrida em progressão. Saiu da última linha da grelha de partida, entre 49 corredoras, e foi recuperando posições ao longo da prova para fechar a estreia em Campeonatos do Mundo no 25.º lugar. A representante da Equipa Portugal chegou a rodar na 21.ª posição, cedendo quatro lugares nas últimas duas voltas.

Ana Santos ficou a 9m43s da suíça Jacqueline Schneebeli, que conquistou o título cortando a meta em solitário. O pódio completou-se com a austríaca Mona Mitterwallner, que ficou a 1m08s do ouro, e com a norueguesa Helene Marie Fossesholm, a 3m11s.

Emanuel Pombo foi o primeiro português a competir neste Mundial, participando, ontem, na prova para bicicletas de assistência elétrica. O madeirense foi o 25.º classificado, na estreia desta competição em Campeonatos do Mundo de BTT. Emanuel Pombo gastou mais 9m44s do que o sul-africano Alan Hatherly, primeiro campeão mundial desta disciplina.

Na sexta-feira correm-se as provas de qualificação de Downhill. Às 15h15 inicia-se a descida de juniores, que contará com a prestação de Gonçalo Bandeira. Às 16h30 é a vez de saírem para a pista os corredores de elite, entre os quais Emanuel Pombo e Francisco Pardal.

Fonte: FPC

“27ªVolta a Portugal do Futuro á procura dos melhores jovens"

Depois da vibrante Volta a Portugal que, como sempre decorre em agosto, chegou a vez das jovens promessas do ciclismo nacional terem também o ponto alto da temporada. A 27ª. Volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros acontece de 5 a 8 de setembro com início na Sertã e meta final em Portalegre. São cerca de 500 quilómetros distribuídos por cinco etapas que marcam esta competição destinada ao escalão Sub 23. Uma das curiosidades deste ano é a formatação dos dias de corrida com ponto de partida e chegada no mesmo local com exceção do dia de sábado que terá duas etapas.

O pelotão enfrenta no primeiro dia um circuito na Sertã, com percurso de constante sobe e desce ao longo de 115,6 quilómetros repartidos por quatro voltas que vão proporcionar grande animação na meta, instalada na Avenida 25 de abril. A Capital do Maranho reserva igualmente quatro contagens de Montanha de 3ª categoria para este dia em que se começa a pedalar às 15 horas.

A segunda etapa, a mais longa com 168,2 quilómetros começa e acaba em Abrantes depois de uma incursão em Ponte de Sor e terras ribatejanas. Há Metas Volantes na passagem por Tramagal, Chouto e Golegã.

Com o fim-de-semana a chegar, a Volta a Portugal do Futuro ruma ao Alentejo. Abrantes dá novamente a partida a uma etapa que vai terminar em Castelo de Vide. Este será um sábado longo de competição porque de manhã pedalam-se 79,9 quilómetros e à tarde, ainda na vila alentejana, como aconteceu no ano passado, decorre o curto mas exigente contrarrelógio de 8,4 quilómetros com subida à ermida da Sr.ª da Penha na sobranceira Serra de S. Paulo.

Já com os candidatos à vitória perfeitamente identificados e selecionados restará um dia para fechar as contas desta 27ª edição da Volta Portugal Futuro, e que dia! No domingo, 8 de setembro, Portalegre vai coroar o campeão que terá de provar ser um verdadeiro “duro do asfalto”. A quinta e última etapa tem 122,8 quilómetros com Metas Volantes no Crato, Monforte e Arronches e na fase final dois decisivos Prémios de Montanha de 2ª categoria, Serra de S. Mamede e Cabeço do Mouro. Só os melhores vão chegar aos primeiros lugares na Avenida da Liberdade, em Portalegre.

Quem vai suceder ao jovem Venceslau Fernandes, vencedor do ano passado e filho do mítico corredor dos anos oitenta com o mesmo nome? A Volta a Portugal do Futuro Liberty Seguros é uma prova que ao longo dos anos tem vindo a revelar os nomes que mais tarde se afirmam na modalidade.

Fonte: Podium 

“Alcobaça em 12º lugar na Volta Júnior”

O 12º lugar na classificação por equipas foi a posição com que o Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola terminou a sua participação 14ª Volta a Portugal de Juniores que decorreu de quinta-feira a domingo, na região da Guarda.

As expectativas da formação alcobacense caíram por terra, quando nos últimos quilómetros da prova de sábado, o atleta da equipa melhor classificado, o belga Daan Grosemans, residente em São Martinho do Porto, sofreu uma queda aparatosa que o levou ao hospital com múltiplas escoriações quando se encontrava a lutar pelo prémio da montanha.

Esta queda deitou por terra a estratégia estabelecida pelo treinador Jorge Caldeira para a equipa que lutou o que pode para compensar o prejuízo da queda. No final dos quatro dias de prova, Miguel Correia terminou a Volta na 28ª posição, Gabriel Casal foi o 46º, Rodrigo Fonseca a ser 52º, Carlos Jorge a terminar na posição 67ª. Daan Grosemans na sequência da queda foi forçado a abandonar a prova, enquanto Carlos Fernandes e Rafael Mateus não resistiram à dureza da primeira etapa e acabaram também por ser forçados a desistir.

A prova começou na quinta-feira na cidade da Guarda, com um contra-relógio individual de 5,6 quilómetros disputado sob um calor sufocante, num percurso exigente que terminava num empedrado que agravou ainda mais as dificuldades dos atletas.

Seguiu-se na sexta-feira a primeira etapa em linha, entre Celorico da Beira e Meda com um percurso de 118,2 km e um desnível acumulado de 1800m. No sábado os atletas alinharam em Figueira de Castelo Rodrigo para uma prova com um extenso percurso de 130 km e 1725 metros de desnível acumulado que terminou no Sabugal enquanto a etapa de domingo, partiu de Fornos de Algodres para Seia numa extensão de 121,1 km e um desnível de 1970 metros de acumulado.

Alinharam à partida 163 jovens corredores que no presente ano completam 17 e 18 anos de idade em representação de 25 equipas, sendo 19 equipas portuguesas, quatro espanholas, uma Belga e uma colombiana, mas 60 atletas ficaram pelo caminho.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo

“Revelados em Alcobaça os vencedores da Taça de Portugal de Paraciclismo”

Os nove vencedores das nove categorias da Taça de Portugal de Paraciclismo foram revelados em Alcobaça no decorrer da 5ª e última prova desta vertente desportiva destinada a atletas portadores de deficiências físicas ou neurológicas.

A prova integrada na 28ª edição do Circuito de Ciclismo de S. Bernardo contou com a presença de 21 paraciclistas e constitui um momento marcante para a cidade de Alcobaça que assistiu com entusiasmo e emoção ao esforço destes homens, que tiveram pela frente uma prova dura, mas que consideraram estimulante numa demonstração de resiliência para mostrarem a garra de quem luta para superar dificuldades e obstáculos.

 A classe C5 para atletas com incapacidades ao nível dos braços e mãos, foi a mais concorrida, com seis atletas em prova, com a vitória a pertencer a Hélder Maximino (360º Bike Trail/Mundimat/CC Aldeia de Paio Pires), mas com Manuel Ferreira (da equipa Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) a arrecadar o Troféu de Vencedor da Taça de Portugal nesta classe enquanto Carlos Santos, do Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola ficou em 3º lugar.

Na classe C4 participaram três corredores, tendo a vitória na etapa pertencido a Francisco Martins, mas o Troféu da Taça de Portugal foi para João Monteiro (da equipa Mozinho RT Martos Pellets). Paulo Barreto (Extremosul/Hotel Alísios/Cenmais) foi o único corredor de classe C3 presente em Alcobaça, Paulo Teixeira (Rodabike/ACRG/Gondomar) tinha já conquistado os pontos necessários que lhe deram a vitória na sua classe.

Telmo Pinão, da Casa do Benfica de Montemor-o-Velho foi o vencedor na classe C2 e Bernardo Vieira venceu na classe C1.

Em H4 foram também três os paraciclistas presentes em Alcobaça, com a vitória de Rúben Garcia (GD Metralhas), embora a Taça fosse para o ausente Flávio Pacheco (Sporting/Tavira Paracycling) que também já tinha amealhado os pontos necessários para alcançar este troféu. João Marques, venceu na classe D, João Pinto, em H3, e Luís Costa, em H5.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

“IV Triatlo de Leiria recebe Taça Portugal de Triatlo 2019”

No dia 7 de setembro irá realizar-se o IV Triatlo de Leiria que recebe última etapa da Taça da Portugal de Triatlo

A lagoa da Ervedeira será palco de duas provas de triatlo no sábado, 7 de setembro, com última etapa da Taça de Portugal na distância sprint e um triatlo super sprint.

O IV Triatlo de Leira será disputado no formato de contrarrelógio individual, onde os atletas iniciam individualmente a prova, de 30 em 30 segundos, vencendo aquele que terminar em menos tempo a competição.

Este é um formato dinâmico em que o atleta compete consigo mesmo durante a prova, dando o seu melhor para terminar o percurso no mais curto tempo que lhe for possível, sem ter a comparação direta com os seus adversários e colegas de equipa.

Percurso da prova super sprint

O percurso da prova super sprint será realizado na lagoa de Ervedeira, com uma volta circular no sentido contrário aos ponteiros do relógio. O ciclismo tem um percurso direto para a Praia do Pedrogão num só sentido em estrada larga e com bom piso, iniciando na Estrada Atlântica, passando depois na Rua Dom Dinis e Rua Maré Viva, onde se encontra o Parque de Transição no largo da feira. O percurso de corrida é de ida e volta na marginal da Praia do Pedrogão.

Percurso da Taça de Triatlo na distância sprint

Natação: a Taça de Portugal na distância sprint terá o seu segmento de natação na lagoa da Ervedeira, com uma volta circular no sentido dos ponteiros do relógio;

Ciclismo: o ciclismo será maioritariamente plano, em estrada com bom piso, sendo que na primeira metade do percurso os atletas percorrem nos dois sentidos, pelo que terão que respeitar as regras de transito nesta parte do percurso. O ciclismo inicia-se na Estrada Atlântica no sentido do norte, na primeira rotunda os atletas cortam à direita para a estrada CM1193 no sentido de Grou, onde efetuam o 1º retorno, voltam à rotunda onde cortam à direita continuando pela Estrada Atlântica para efetuarem o 2º retorno e a partir deste local é direto o percurso para a Praia do Pedrogão realizado sempre na Estrada Atlântica, Rua Dom Dinis e Rua Maré Viva onde se encontra o Parque de Transição no largo da feira.

Corrida: o terceiro segmento inclui duas voltas de um percurso de ida e volta na marginal da Praia do Pedrogão.

Com sete etapas concluídas, o OutSystems Olímpico de Oeiras encontra-se à frente da Taça de Portugal na prova masculina, enquanto o Alhandra Sporting Club encontra-se até ao momento na primeira posição na competição masculina.

Força a todos os clubes e a atletas participantes no IV Triatlo de Leiria!

As inscrições no IV Triatlo de Leiria devem ser efetuadas através do site da Federação de Triatlo de Portugal, até às 23h59 do dia 2 de setembro aqui

O IV Triatlo de Leiria é uma organização da Câmara Municipal de Leiria com o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal.

Fonte: FTP

“Onze Pódios e uma Vitória Histórica”

Texto: AfterTwo //Works    Fotos:

Helena Dias e AfterTwo //Works

Iúri Leitão da Sicasal Constantinos foi o brilhante vencedor da prova de eliminação do Festival de Pista da Malveira, prova realizada no passado domingo nesta localidade do concelho de Mafra.

O ciclista de Viana do Castelo bateu César Martingil do Sporting Tavira no derradeiro sprint sobre a meta e alcançou um feito histórico para a equipa de Torres Vedras, ao ser o primeiro atleta a triunfar em competição direta com os atletas profissionais.

Este foi apenas um dos resultados positivos que a formação torriense colecionou numa semana marcada pela participação nos tradicionais circuitos de agosto que se iniciaram terça-feira dia 20 com o de São Bernardo em Alcobaça.

Na cidade que ostenta o mosteiro gótico que é património mundial da Unesco, Diogo Sardinha foi 17º da geral e subiu ao pódio distinguido como 2º melhor sub-23 em prova. Francisco Morais na 21ª posição e Miguel Salgueiro na 23ª ajudaram a equipa a alcançar o 6º posto na geral coletiva.

No sábado realizou-se o Circuito da Póvoa da Galega, onde a formação de Torres Vedras conquistou categoricamente o 1º lugar entre as equipas de clube ao colocar 3 atletas no pódio. Francisco Morais subiu ao lugar mais alto, enquanto Daniel Silva e Diogo Sardinha ocuparam a 2ª e 3ª posição respetivamente.

No domingo, o percurso bastante curto e rápido do circuito da Malveira obrigava a andar sempre a um ritmo frenético e não permitia qualquer distração, razão pela qual muitos atletas foram apanhados desprevenidos e não terminaram a prova. Miguel Salgueiro foi o único atleta das equipas de clube a concluir o desafio e o 2º melhor sub-23 em prova.

Na segunda-feira a equipa repartiu-se entre o circuito de Nafarros e da Moita (Marinha Grande). Na 59ª edição do circuito sintrense, Miguel Salgueiro foi o 3º melhor sub-23 e a equipa foi a 3ª melhor da geral coletiva, enquanto que na Moita Iúri Leitão disputou a corrida até aos últimos metros e acabou na 5ª posição da geral, sendo o melhor atleta sub-23. Wilson Esperança terminou no 8º posto e também subiu ao pódio sub-23 para ocupar a 3ª posição.

Fonte: Academia Joaquim Agostinho



 

“Ciclista espanhol sofre ferimentos graves após explosão de bomba da 1.ª Guerra Mundial”

Eloi Palau e um amigo encontraram o artefacto enterrado na neve

Eloi Palau, campeão espanhol de bike trail, sofreu ferimentos graves depois de fazer explodir acidentalmente uma bomba da 1.ª Guerra Mundial em Itália.

O ciclista e um amigo faziam um percurso de bicicleta em Presena, na cordilheira dos Dolomitas, nos Alpes, quando encontraram a bomba na neve. Ao tentarem removê-la explodiu, causando ferimentos graves nos olhos e nos braços no ciclista de 21 anos.

Palau e o amigo foram transportados para um hospital de Trento, de helicóptero, onde ainda se encontram internados.

Naquela zona digladiaram-se os exércitos italiano e austro-húngaro, com constantes bombardeamentos por parte da artilharia italiana. Vários artefactos por explodir encontram-se ainda debaixo da neve. 

Fonte: Record on-line

“Vuelta/Primeira vitória de Madrazo, Miguel Angel López assume liderança”

Madrazo ganhou em 4:48.31 horas, reforçando também a liderança do prémio da montanha.

O colombiano Miguel Angel López, líder da Astana, é o novo comandante da Vuelta, após uma etapa de montanha que proporcionou ao espanhol da Burgos-BH Angel Madrazo a sua primeira vitória numa grande competição de ciclismo.

Os 170,7 km entre L'Eliana e Javalambre eram especialmente duros nos últimos quilómetros, bem aproveitados por Alejandro Valverde (Movistar) e López para ganhar tempo, enquanto que Nairo Quintana (Movistar), Rigoberto Uran (EF Educational First) e Nicolas Roche (Sunweb) cederem terreno, com este último a perder a camisola vermelha.

A Burgos-BH colocara dois homens na fuga do dia, Madrazo e o holandês Jetse Bol, juntamente com José Herrada, da Cofidis, e conseguiu ver a aposta ser vencedora, já que não foram alcançados até à meta, apesar do esforço do pelotão.

Madrazo ganhou em 4:48.31 horas, reforçando também a liderança do prémio da montanha, naquilo que já é uma excelente estreia em grandes voltas. Bol ficou a 10 segundos e Herrada a 22.

López bem tentou a 'caçada' na subida de Javalambre, só que não chegou e foi quarto a 47 segundos, mostrando credenciais de potencial vencedor da Vuelta.

Valverde, a 59 segundos, entrou com o esloveno da Jumbo-Visma Primoz Roglic, também ele apontado como forte candidato ao triunfo final.

Na escalada final, o irlandês Nicolas Roche, que subia de vermelho, foi dos primeiros a descolar do primeiro pelotão, quando a EF Educational First do colombiano Uran resolveu estimular o ritmo da perseguição aos da frente.

Pouco depois, seriam os outros dois do top-3, os colombianos Quintana e Uran, a ficar atrasados, o que permitiu uma pequena 'revolução' na classificação geral, ainda que as diferenças continuem mínimas.

López lidera com uma vantagem de 14 segundos sobre Roglic, 23 sobre Quintana, 28 sobre Valverde, 57 sobre Roche e 59 sobre Uran, os ciclistas que estão a menos de um minuto da camisola vermelha.

Ruben Guerreiro, da Katusha, foi hoje o 15.º, a 2.26, numa corrida em muito bom plano que o confirma como o melhor dos cinco portugueses na Vuelta.

Ricardo Vilela (Burgos-BH) foi 55.º, a 7.09, Nelson Oliveira (Movistar) 103.º, a 13.42, Domingos Gonçalves (Caja Rural) 105.º, com o mesmo tempo, e Nuno Bico (Burgos-BH) 119.º, a 15.42.

Guerreiro subiu a 18.º e é mesmo o ciclista mais bem classificado da Katusha. Está a 3.18 de López e 1.28 somente do top-10.

Quanto aos outros lusos, Vilela é 81.º (a 18.41), Gonçalves 100.º (a 23.01), Oliveira 107.º (a 24.09) e Bico 169.º (a 48.31)

Esta quinta-feira, a sexta etapa disputa-se entre Mora de Rubielos e Ares del Maestrat, com 198,9 quilómetros. Há alguma montanha, com uma escalada de segunda e três de terceira, a última a coincidir com a meta.

Fonte: Sapo on-line