sábado, 20 de janeiro de 2018

“NOVO CALENDÁRIO DE COMPETIÇÕES DA ÁREA JOVEM EM 2018”

Um novo figurino e um novo desafio está em marcha na área jovem do Triatlo em Portugal!

A redução de 15 para 5 provas no Campeonato Nacional e o significativo aumento de provas a contar para os Circuitos Regionais, irá proporcionar e alargar a prática da modalidade a novas zonas geográficas do país e levar o Triatlo para mais perto de clubes, atletas, organizadores e famílias. Estas, particularmente, terão o Triatlo mais “perto de casa”.

O número de provas jovens multiplicar-se-á, sendo que cada atleta pontuará nas 5 provas nacionais e nas 5 provas da sua região, cujos calendários poderão consultar AQUI. Além destas provas pontuáveis, os atletas poderão participar em todas as outras provas regionais, obtendo apenas classificação na prova e não pontuando para esses circuitos. Já os clubes, podendo obviamente participar em todas as provas, de todas as regiões, apenas pontuarão na respetiva região.

Em cada uma das 8 regiões, os Circuitos serão compostos por 5 provas em cada uma delas e decorrerão entre Fevereiro e Junho de modo a acompanhar o ano letivo.

Com modelos de prova adaptados às instalações, vocação e experiência dos organizadores e altura do ano em que têm lugar, constituirão uma oferta variada e por isso rica que proporcionará novas experiências a um vasto leque de praticantes.

Um Guia de funcionamento dos Circuitos regionais jovens está disponível AQUI.

As etapas do Campeonato Nacional Jovem de Clubes, de Iniciados e de Juvenis passarão por Fátima, um Duatlo Cross em 17 de Fevereiro, por Machico, um Aquatlo no dia 17 de Março, um Triatlo de estrada na Amora em 28 de Abril, um Triatlo Cross no Arripiado, Chamusca, em 19 de Maio, e por Évora em 15 de Julho onde decorrerá um Triatlo em sistema de estafetas.

Um Guia de funcionamento do Campeonato nacional jovem está disponível AQUI.

As provas nacionais assumir-se-ão como provas de referência, sendo os organizadores rotativos, mas premiando-se a competitividade participativa e organizativa. Já as provas regionais terão como principal foco a iniciação e participação, promoção dos valores do desporto e da modalidade, iniciando ainda os clubes na organização de provas, dinâmica que consideramos imprescindível para o desenvolvimento da modalidade.

Fonte: FTP

“Triatlo do Benfica eleito Equipa do Ano na 22ª Gala do Desporto”

A formação de Triatlo do Sport Lisboa e Benfica venceu o galardão de Equipa do Ano na Gala do Desporto da Confederação do Desporto de Portugal. A equipa da luz foi a grande representante da nossa modalidade na 22ª edição da cerimónia de prémios, que também assinalou os 25 anos da CDP, tendo conquistado o feito frente à equipa de atletismo do Sporting, à seleção nacional A feminina de futebol, à seleção nacional de hóquei em patins de sub-20 e à seleção nacional de seniores masculinos de ténis de mesa. A conquista do ouro no Campeonato da Europa de Clubes de Triatlo bem como o título no Campeonato Nacional Jovem foram os argumentos que levaram à conquista do tão ambicionado galardão.

Na mesma gala também outros nomes bem conhecidos do triatlo estiveram em destaque. João Pereira, triplo Campeão da Europa em 2017 (Sprint, Standard e Clubes), e Vasco Vilaça, Campeão da Europa de Juniores, foram homenageados pela CDP pelas conquistas continentais e por, consequentemente, elevarem o nome de Portugal ao mais alto nível internacional.

Na Gala do Desporto foram igualmente entregues os trófeus de Atleta Masculino do Ano a Miguel Oliveira (motociclismo), Atleta feminina do ano a Inês Henriques (Atletismo), Treinador do Ano a Hélio Lucas (Canoagem) e Jovem Promessa do Ano a Bruno Fernandes (Futebol).

A 22ª Gala do Desporto da Confederação do Desporto de Portugal teve lugar no Casino do Estoril durante a noite de ontem, 17 de Janeiro, e comprovou mais uma vez a qualidade, relevância e contributo dos nossos atletas e formações no panorama competitivo nacional e internacional.

Fonte: FTP

“Nocentini (Sporting-Tavira) soma segundo triunfo na La Tropicale Amissa Bongo2"

Italiano impôs-se na sexta tirada da prova do Gabão

Por: Lusa

Foto: Lusa

O ciclista italiano Rinaudo Nocentini (Sporting-Tavira) conquistou este sábado o seu segundo triunfo em etapas da La Tropicale Amissa Bongo, no Gabão, ao impor-se na sexta tirada, entre Bitam e Oyem.

Nocentini, que já tinha vencido a terceira etapa, na quarta-feira, concluiu os 115 quilómetros da penúltima etapa em 02:32.48 horas, o mesmo tempo do eritreu Zemenfes Solomon. O ruandês Joseph Areruya terminou no terceiro lugar, a quatro segundos, mas manteve a liderança da prova.

Areruya detém 18 segundos de vantagem sobre o alemão Nikodemus Holler (Bike Aid) e 38 sobre o francês Damien Gaudin (Direct Energie), terceiro classificado.

Joni Brandão (Sporting-Tavira), que regressa à competição, ocupa o 25.º lugar da classificação geral, a 09.42 minuto, depois de ter terminado a etapa em idêntica posição, a sete segundos do seu companheiro de equipa.

No domingo, o pelotão vai enfrentar os 140 quilómetros da sétima e última etapa, entre Bikélé e Libreville.

Fonte: Record on-line

“Impey na liderança da Tour Down Under após vitória de Porte na etapa 'rainha'”

Ao terminar a quinta etapa em segundo

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista sul-africano Daryl Impey (Mitchelton-Scott) assumiu este sábado a liderança da Tour Down Under, ao terminar a quinta etapa em segundo, atrás do australiano Richie Porte (BMC), enquanto Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo) é agora o português mais bem classificado.

Nesta etapa 'rainha' e também a mais longa, com 151,5 quilómetros, Porte, campeão em 2017, venceu em 03:42.22 horas, menos oito segundos do que Impey, que terminou no segundo lugar pela terceira vez na prova, e menos 10 do que o primeiro grupo perseguidor.

Impey lidera, mas com o mesmo tempo de Porte, que venceu pela quinta vez consecutiva esta etapa, com dupla subida a Willunga Hill, enquanto o holandês Tom-Jelte Slagter (Dimenson Data), terceiro na jornada, ocupa o último lugar do pódio, a 16 segundos.

Ruben Guerreiro chegou 14 segundos depois do australiano, em 10.º, tornando-se no português mais bem classificado, subindo ao 13.º posto na classificação geral, a 24 segundos de Impey, beneficiando também do atraso de Rui Costa (UAE Team Emirates), que, com o 42.º lugar na etapa, a 01.56 minutos, 'caiu' do sétimo para a 32.ª posição, a 02.06.

Tiago Machado (Katusha Alpecin) foi o segundo luso na etapa, no 32.º lugar, a 01.16 minutos de Porte, ligeiramente à frente do seu companheiro de equipa José Gonçalves, 38.º a 01.24, enquanto Nelson Oliveira (Movistar) concluiu a tirada no 44.º posto, a 02.06. Nuno Bico (Movistar) cedeu mais de 11 minutos.

Na geral, destaque para as subidas de 16 posições de Machado, para o 58.º posto, a 13.50, e de 13 de Oliveira, para o 59.º, a 14.18. Bico e Gonçalves seguem nos 68.º e 85.º lugares.

O eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe), tricampeão do mundo, que tinha prometido trabalhar para o australiano e seu companheiro de equipa Jay McCarthy, perdeu a liderança, ao ser o 49.º a terminar a etapa, a 02.33 de Porte, descendo para a posição imediatamente depois de Rui Costa, a 02.29 de Impey.

McCarthy, que estava na terceira posição, atrás de Sagan e Impey, não foi além do 23.º lugar na etapa, terminando a jornada no 18.º posto da geral, a 29 segundos da liderança.

No sábado, o pelotão enfrenta os 90 quilómetros da última etapa, a disputar num circuito em Adelaide, onde o 'sprinter' sul-africano tem oportunidade de quebrar o domínio australiano na corrida desde 2013 e Porte de se tornar no primeiro corredor a conquistá-la em anos consecutivos.

Fonte: Record on-line

“Taça do Mundo de Pista/Gémeos Ivo e Rui Oliveira no pódio em Madison"

Por: José Carlos Gomes

A dupla portuguesa formada pelos gémeos Ivo e Rui Oliveira conquistou a medalha de bronze na prova de Madison da Taça do Mundo de Pista, disputada em Minsk, Bielorrússia. É o segundo pódio do dia e o terceiro desta etapa da Taça do Mundo para Portugal.

A equipa nacional começou a prova a todo o gás, somando 13 pontos nos três primeiros sprints, o que deu a Ivo e Rui Oliveira o comando da classificação durante a maior parte da prova. A reação dos adversários foi forte e o pódio esteve em risco. A conquista da medalha de bronze deveu-se ao primeiro lugar no último sprint, cuja pontuação é a dobrar.

Portugal terminou a corrida de Madison com 25 pontos, menos dois do que os holandeses Wim Stroetinga e Roy Pieters. A vitória, com mais cinco pontos do que os lusos, foi para os representantes de Hong Kong, King Lok Cheung e Chun Wing Leung, ue dobraram o pelotão, numa prova disputada à estonteante velocidade média de 56,859 km/h.

O terceiro lugar em Madison é a segunda medalha do dia para Portugal e terceira em toda esta etapa bielorussa da Taça do Mundo. Ivo Oliveira foi ontem terceiro na corrida por pontos, o que lhe garantiu a vitória na classificação geral final, e foi hoje segundo em perseguição individual. O pódio de madison é de grande relevância, pois é o primeiro que Portugal consegue na Taça do Mundo em disciplinas olímpicas.

A terceira jornada da etapa final da Taça do Mundo 2017-18, a disputar neste domingo, conta novamente com a presença do duo português. Rui Oliveira alinha no concurso de omnium – scratch, tempo, eliminação e corrida por pontos -, que termina cerca das 17h30, hora prevista para o início da final de scratch, na qual tomará parte Ivo Oliveira.

Os irmãos Oliveira, expoentes máximos do ciclismo de pista português, estão a representar o país, neste fim-de-semana, na Taça do Mundo. Ao mesmo tempo, o Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, recebe hoje e amanhã o Campeonato Nacional de Pista. Prepara-se, assim, dentro de fronteiras, o futuro desta vertente da modalidade, com um recorde de participantes no Campeonato Nacional: 165 corredores.

Fonte: FPC

“2º Dia Taça do Mundo de Pista/Ivo Oliveira faz história a dobrar”

Por: José Carlos Gomes

O português Ivo Oliveira continua a fazer história na etapa da Taça do Mundo de Pista, em Minsk, Bielorrússia, ganhando hoje a medalha de prata na disciplina de perseguição individual, depois de ontem ter conquistado a geral da corrida por pontos, graças ao terceiro lugar na última prova pontuável.

Portugal chegou à capital da Bielorrússia sem qualquer medalha em provas da Taça do Mundo de Pista e, a meio do programa, soma já o bronze de ontem e a prata de hoje, além da vitória na geral da corrida por pontos.

Ivo Oliveira alinhou na disciplina de perseguição individual, na qual é campeão europeu de sub-23 e vice-campeão da Europa de elite, com receio de pagar o esforço ontem empreendido para alcançar o pódio na corrida por pontos.

O excelente momento de forma permitiu superar com sucesso as cautelas, fazendo com que o corredor se apurasse para a corrida de disputa da medalha de ouro com o segundo registo na manga de qualificação, 4’17’’522, apenas batido pelo britânico Charlie Tanfield, que cumpriu o contrarrelógio de 4 quilómetros em 4’15’’313.

Os mais rápidos da qualificação encontraram-se num duelo mano a mano na final. O britânico acabou por ser claramente o mais forte, conseguindo mesmo melhorar o registo que fizera na qualificação, terminando a corrida em 4’12’’253. Ivo Oliveira teve um desempenho convincente, com mais uma marca abaixo dos 4’20’’, fazendo 4’19’’718. O terceiro classificado foi o russo Alexander Evtushenko.

“O Ivo teve um desempenho muito bom, tanto na corrida da manhã como na corrida da tarde. Na final manteve registos ao mesmo nível da qualificação até aos dois quilómetros, baixando apenas na segunda metade da prova. O resultado é excelente, sobretudo se tivermos em conta a fase de preparação em que se encontra. Se já estivesse numa fase mais adiantada é possível que a fadiga da corrida de ontem não tivesse qualquer efeito”, avalia o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

Só na etapa de Minsk é que a perseguição individual entrou nas contas da Taça do Mundo desta temporada, pelo que o resultado na prova deste sábado é também a classificação geral final. O segundo lugar na Taça do Mundo permite a Ivo Oliveira ascender ao topo do ranking mundial de perseguição.

Ivo Oliveira ainda regressa hoje à pista para fazer dupla com o irmão, Rui Oliveira, na prova de Madison. Os portugueses são uma das 17 duplas que entram em pista cerca das 18h20.

A terceira jornada da etapa final da Taça do Mundo 2017-18, a disputar neste domingo, conta novamente com a presença do duo português. Rui Oliveira alinha no concurso de omnium – scratch, tempo, eliminação e corrida por pontos -, que termina cerca das 17h30, hora prevista para o início da final de scratch, na qual tomará parte Ivo Oliveira.

Os irmãos Oliveira, expoentes máximos do ciclismo de pista português, estão a representar o país, neste fim-de-semana, na Taça do Mundo. Ao mesmo tempo, o Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, recebe hoje e amanhã o Campeonato Nacional de Pista. Prepara-se, assim, dentro de fronteiras, o futuro desta vertente da modalidade, com um recorde de participantes no Campeonato Nacional: 165 corredores.

 Fonte: FPC