quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

“Geraint Thomas renuncia ao Giro para estar "nas melhores condições" no Tour”

Ciclista galês foi o vencedor da Volta a França em 2018

Por: Lusa

Foto: EPA

O britânico Geraint Thomas, vencedor da Volta a França em 2018, vai abdicar de participar na próxima edição da Volta a Itália, para estar "nas melhores condições possíveis" para defender o título no Tour.

"Talvez participe no Giro no próximo ano, mas este ano será sempre o Tour" o centro das atenções, disse o ciclista galês, em declarações à BBC.

Thomas, que iniciou a época com a participação na Volta à Comunidade Valenciana, já tinha afirmado que o Tour era a grande prioridade para 2019, se bem que reconheça que tem uma imagem para melhorar em Itália, depois da desistência de 2017.

"O principal objetivo é correr de novo no Tour de França, para obter o melhor resultado possível. Se não tivesse triunfado na edição do Tour do ano passado, talvez encarasse este ano um programa Giro/Vuelta, mas como ganhei, terei o dorsal número um e ficarei triste se não estiver de novo a 100%", ", disse o ciclista da Sky, de 32 anos.

A Sky anunciou no mês passado que Chris Froome, vencedor do Tour e Vuelta em 2017, também não vai defender o título conquistado no Giro no ano passado. Em contrapartida, aponta para uma quinta vitória na 'Grande Boucle'.

Fonte: Record on-line

“Protocolo entre o GO fit e FTP”

O número de praticantes de Triatlo está a crescer, são cada vez mais as pessoas que treinam natação, ciclismo e corrida em separado ou mais do que uma modalidade que um dia tomam a resolução de experimentar todas as modalidades de seguida – em treino ou em prova – : a isso chama-se triatlo.

Quando existe piscina, é possível treinar as três modalidades do triatlo no interior de um ginásio, já que alguns health clubs possuem excelentes condições de treino que permitem desenvolver competências de natação, ciclismo e corrida.

Por isso, os ginásios e centros desportivos já começam a organizar eventos de triatlo mostrando a possibilidade de os clientes usufruírem de uma utilização mais abrangente das infraestruturas e equipamento que possuem e, em simultâneo, fazerem com que os clientes sintam os benefícios inequívocos de um treino mais completo.

Temos alguns casos de sucesso de parcerias como o Holmes Place que têm realizado treinos de triatlo, e eventos de duatlos e triatlos indoor, e que conta com um grupo entusiástico de sócios. Mais recentemente, dia 27 de janeiro de 2019, o ginásio For Life, localizado em Viseu, proporcionou uma Tri Experience aos seus sócios, mostrando que o Triatlo se pode fazer em qualquer altura e lugar.

A Federação de Triatlo de Portugal estabeleceu uma parceria com o GO fit, que conta já com dois centros desportivos nos Olivais e no Campo Pequeno, disponibilizando uma grande oferta na área do fitness, desporto e saúde. O GO fit inaugurou recentemente o seu Clube de Triatlo, com treinadores credenciados e disponíveis para treinar atletas que queiram começar ou desenvolver capacidades na trimodalidade.

Por outro lado, os objetivos que os triatletas se propõem alcançar motiva-os a disciplinarem o seu treino, investindo tempo na sua forma física, o que os torna clientes assíduos e duradouros, o que é excelente para a retenção dos ginásios.

Para João Galileu, diretor de operações do GO fit para Portugal e Pedro Quintanilha, Diretor Técnico Regional de Portugal e Canárias, esta parceria tem a vantagem de garantir a certificação dos treinadores do GO fit, sendo também uma garantia de qualidade da modalidade.

«Com esta parceria estamos mais capacitados na própria divulgação da modalidade dentro dos centros GO fit, da mesma forma que a própria Federação de Triatlo de Portugal terá a possibilidade de aumentar o número de praticantes de Triatlo, visto que somos a marca líder da Península Ibérica com mais de 250.000 clientes.» Explicam os responsáveis.

A aposta é desafiar os clientes do GO fit para que eles tenham diferentes atividades/modalidades desportivas para se superarem, uma fonte de inspiração para experimentarem algo diferente e que realmente os motive a treinar por objetivos.

«Queremos tirar partido das condições que as instalações dos Centros GO fit dão aos clientes, nomeadamente, as Piscinas, as Salas de Bike e a Sala Fitness, para a prática e preparação do Triatlo. Por isso lançamos o Clube de Triatlo GO fit, tanto em Portugal como em Espanha, com técnicos especializados e estamos a trabalhar para que consigamos ter mais pessoas a praticar Triatlo.

”O GO fit acredita que a médio prazo irá ter pessoas que não são atualmente sócias e que vão procurar este centro desportivo para conhecer e praticar esta modalidade com acompanhamento especializado, que a maior parte dos triatletas não tem e que será um motivo para procurarem o GO Fit.

«Para os triatletas, esta é uma oportunidade para terem um profissional certificado que os oriente no planeamento dos treinos em função das provas e consigam adaptar a respetiva preparação ao calendário.

”A ideia é todos saírem a ganhar, pois o GO fit possui salas de exercício onde é possível aumentar os níveis de resistência muscular de forma a diminuir a probabilidade de lesões musculares e articulares, através de um treino específico de força e/ou funcional. Para além disso, os triatletas têm ainda a possibilidade de nadar numa piscina, já que nem sempre existem condições físicas e/ou de segurança para nadar em águas abertas.

Vasco Rodrigues, presidente da Federação de Triatlo de Portugal, defende que «este é um nicho de mercado com um potencial enorme para a modalidade, mas também para os próprios ginásios.

”O presidente refere que em 2018 a modalidade ultrapassou os 3000 federados (com muitos mais praticantes não federados) e que só irá beneficiar com a oportunidade de comunicar e de se relacionar com um mercado que já ultrapassa um milhão de desportistas.

Por outro lado, os ginásios valorizam os triatletas pela sua atitude determinada em relação ao treino, usando-os como exemplo para os restantes sócios. «É uma oportunidade irrecusável e que a FTP se tem esforçado por potenciar, estreitando relações com as principais cadeias de ginásios em Portugal e também com a Associação de Ginásios e Academias de Portugal (AGAP).

“A Federação de Triatlo de Portugal oferece a vantagem de disponibilizar formação e experiência de modo a certificar ginásios e os treinadores que pretendam desenvolver ações no triatlo.

A ideia é apoiar mais parcerias com ginásios e health clubs que pretendam se Clubes de Triatlo, ajudando na credenciação de treinadores, já que esta é uma excelente maneira de treinar e até de competir.

Fonte: FTP

“Nelson Oliveira sexto na primeira etapa da Volta à Comunidade Valenciana”

Contrarrelógio individual em Orihuela ganho pelo norueguês Edvald Boasson Hagen

Foto: Filipe Farinha

O português Nelson Oliveira (Movistar) foi esta quarta-feira sexto classificado na primeira etapa da Volta à Comunidade Valenciana, um contrarrelógio individual em Orihuela ganho pelo norueguês Edvald Boasson Hagen (Dimension Data).

Hagen, de 31 anos, cumpriu os 10,2 quilómetros em 12.55 minutos, menos cinco segundos do que o segundo classificado, o espanhol Ion Izagirre (Astana), e menos sete do que o terceiro, o alemão Tony Martin (Team Jumbo-Visma).

Oliveira, quinto classificado no Mundial de 'crono' em 2018, gastou mais 11 segundos do que o vencedor, enquanto Rui Costa (UAE Team Emirates) foi 20.º a 25.

José Gonçalves (Katusha Alpecin) foi 31.º, a 31, sendo que João Rodrigues, em 60.º, e Joaquim Silva, 80.º, foram os melhores da W52-FC Porto, que se estreia como equipa Pro Continental, a 50.

José Neves (Burgos-BH) foi 66.º, a 54, enquanto Amaro Antunes (CCC Team) terminou em 79.º, a 59. Ricardo Vilela (Burgos-BH) foi 107.º, a 1.10 minutos.

Na formação dos 'dragões', Edgar Pinto foi 93.º, Samuel Caldeira 112.º, António Carvalho 113.º, o espanhol Raúl Alarcón, vencedor da Volta a Portugal em 2018, foi 131.º, e Rui Vinhas 153.º.

Na quinta-feira, Boasson Hagen defende a camisola amarela numa ligação de 166 quilómetros em Alicante, com duas contagens de montanha de segunda categoria e uma de terceira.

Fonte: Record on-line

“Equipa Portugal/Portugueses cedem na montanha camaronesa”

Por: José Carlos Gomes

A terceira etapa do Tour de l’Espoir, hoje disputada nos Camarões, foi madrasta para a Equipa Portugal, que não resistiu ao ataque da Eritreia na mais montanhosa das tiradas da prova da Taça das Nações de Sub-23.

Apesar de curta, a ligação de 66,8 quilómetros, entre Nkongsamba e Dschang, tornou-se muito difícil, pela intensidade com que foi corrida. Os quilómetros iniciais, planos, foram percorridos a alta velocidade. Desse modo, estava feito o endurecimento para os decisivos 9,3 quilómetros da subida cujo ponto mais alto distava 6,8 quilómetros da chegada.

A Eritreia confirmou o favoritismo, dinamitando o pelotão em plena montanha. Os portugueses não resistiram à mudança de velocidade dos africanos. Francisco Campos, 23.º, e Gonçalo Carvalho, 24.º, foram os melhores elementos da Equipa Portugal, gastando mais 3m56s do que o vencedor do dia, o eritreu Yacob Debesay, novo dono da camisola amarela.

A superioridade da Eritreia é total, com os corredores daquele país a ocuparem as três primeiras posições na classificação geral. Yacob Debesay, mais novo de cinco irmãos ciclistas, comanda com 49 segundos de vantagem sobre Natnael Mebrahtom e com 57 segundos sobre Daniel Habtemichael.

Francisco Campos é 17.º, a 4m22s, seguindo-se, entre os nacionais, Gonçalo Carvalho, 19.º, a 4m34s, Jorge Magalhães, 34.º, a 8m31s, Miguel Salgueiro, 49.º, a 11m41s, Pedro Miguel Lopes, 64.º, e Gonçalo Leaça, 65.º, ambos a 22m06s.

O Tour de l’Espoir, primeira ronda da Taça das Nações de sub-23, vive amanhã um dia de descanso. A quarta etapa corre-se na sexta-feira, prevendo-se que os sprinters possam voltar a dar cartas, numa ligação de 106,9 quilómetros, entre Ngoulemakong a Yaoundé.

Fonte: FPC

“Taça de Portugal Jogos Santa Casa/Equipa Portugal na Prova de Abertura Região de Aveiro”

Por: José Carlos Gomes

A Equipa Portugal vai juntar-se ao pelotão da Prova de Abertura – Região de Aveiro, primeira corrida da Taça de Portugal Jogos Santa, que vai realizar-se no domingo, entre Sever do Vouga e Estarreja.

Com José Poeira a dirigir a Seleção de estrada nos Camarões, cabe a Gabriel Mendes e a Pedro Vigário comandar a Equipa Portugal na região de Aveiro, já que esta participação tem como principal objetivo preparar os compromissos internacionais da Equipa Portugal nas vertentes de pista e de BTT.

A Equipa Portugal será composta pelos gémeos Ivo e Rui Oliveira (UAE Team Emirates) e por Miguel do Rego (CM Aubervilliers), corredores de pista, e pelos betetistas José Dias e Tiago Ferreira (DMT Racing Team)

A Prova de Abertura – Região de Aveiro parte de Sever do Vouga, às 12h00, e termina em Estarreja, cerca das 15h50, depois de percorridos 162,4 quilómetros. Num traçado maioritariamente plano, é provável uma chegada ao sprint, como a que coroou Francisco Campos, há dois anos, tendo as equipas dos velocistas de estar atentas para não serem surpreendidas por uma fuga bem sucedida, como a de Tiago Machado, em 2018.

A Prova de Abertura leva a festa do ciclismo a todos os concelhos da Região de Aveiro, de acordo com os seguintes horários de passagem: Sever do Vouga (12h00), Albergaria-a-Velha (12h30), Águeda (13h00), Oliveira do Bairro (13h15), Anadia (13h30), Vagos (14h05), Ílhavo (14h10), Aveiro (14h20), Estarreja (primeira passagem na meta, 14h50), Ovar (15h05), Murtosa (15h30) e Estarreja (15h50).

Além da Equipa Portugal, o pelotão será composto pelas nove equipas profissionais portuguesas e pelas seis formações de clube: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios-LA Sport, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, UD Oliveirense-InOutBuild, Vito-Feirense-PNB e W52-FC Porto, ACDC Trofe/Trofense, Crédito Agrícola/Jorbi/Almodôvar, Fortunna/Maia, Gondomar Cultural, Jorbi/Team José Maria Nicolau e Sicasal/Constantinos.

Fonte: FPC

“Alcobaça Clube de Ciclismo/Carlos Santos 3º lugar no Campeonato de Pista”

Carlos Santos, paraciclista do Alcobaça Clube de Ciclismo/Crédito Agrícola classificou-se no 3º lugar nas duas provas que disputou no Campeonato Nacional de Pista, disputado sábado e domingo, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, enquanto na camadas jovens do ciclismo de formação o único atleta do Alcobaça a participar foi Tiago Belchior, no escalão de cadetes que ficou em 6º lugar em duas das provas.

Carlos Santos, na classe C5, começou por disputar a prova de perseguição que viria a completar no tempo de 4,38 à média de 38,73 km/hora, ficando no 3º lugar, e viria a fazer igual resultado na prova do Quilómetro, que fez com o tempo de 1,28,72.

No final afirmava “desta vez não correu como eu queria. Depois de treinar com uma relação de andamentos, tentei melhorar trocando os andamentos, resultado foi pior, mas é assim que estamos sempre, a aprender”.

No escalão de cadetes, Tiago Belchior, foi o único participante nas provas do Campeonato Nacional de Pista, e apesar dos bons indicadores que apresentava, no sábado não se sentiu na sua melhor forma e na prova de Scratch cotou-se no 7º lugar, entre os 34 participantes deste escalão. Na corrida por pontos, viria a ficar em 7º lugar.

No domingo, voltou a competir, desta vez na prova de eliminação e ficou no 6º lugar. O atleta que esteve a correr de forma isolada, sem o apoio da estrutura do Clube, acaba por alcançar resultados muito promissores.

O Campeonato Nacional de Pista, com mais de 180 inscritos, revelou o crescimento desta vertente de pista, que também congregou muitos adeptos, que coloriram as bancadas durante dois dias.

No próximo sábado, Tiago Belchior termina as provas de pista deste início de época com a participação no Troféu SUNLIVE, a 3ª e última prova da Taça de Portugal de Pista, depois no início de Março terão inicio as provas de estrada.

Fonte: Alcobaça Clube de Ciclismo

“Volta a Valência testa W52-FC Porto”

Equipa portuguesa começou hoje a época, no país vizinho, como equipa do 2.º escalão da UCI

Por: Ana Paula Marques

Depois de vários anos a dominar o panorama nacional, sendo que nos últimos três já de dragão ao peito, a W52-FC Porto vai agora procurar transpor esse valor para fora de Portugal, em temporada de estreia no 2º escalão da UCI, denominado Profissional.

Com um conjunto onde se destacam o vencedor das duas últimas Volta a Portugal, o espanhol Raúl Alarcón e dois reforços de peso, Joaquim Silva (regressa de resto à equipa após experiência de um ano na Caja Rural) e Edgar Pinto (ex-Vito - Feirense - Blackjack), começar bem a época é fundamental para um ano que promete ser muito mais exigente por força do calendário alargado.

"Queremos dignificar a equipa, o ciclismo português, mas a Volta a Valência é a nossa primeira corrida do ano, contra adversários que se apresentam já mais rodados. Mas vamos tentar colocar dois ciclistas nos dez primeiros", disse-nos Nuno Ribeiro, diretor desportivo da equipa portuguesa, que aposta para alcançar o top dez precisamente em Raúl Alarcón, Joaquim Silva e Edgar Pinto.

"A Volta a Valência servirá sobretudo para prepararmos a Volta ao Algarve, mas vamos procurar ao longa época vencermos também no estrangeiro", acrescentou ainda o antigo ciclista e também ele um vencedor da Volta.

João Rodrigues, António Carvalho, Rui Vinhas e Samuel Caldeira completam a equipa da W52-FC Porto que vai participar na corrida espanhola, a primeira de um ano que marca uma nova era na formação que em Portugal não tem tido adversários à altura. Veremos como será no estrangeiro.


Rui e o inverno trabalhoso

A Volta a Valência disputa-se entre hoje e domingo, com um pelotão de 24 equipas, 11 das quais do World Tour. Entre os participantes estão seis portugueses que integram formações estrangeiras e quatro deles correm no principal escalão: Rui Costa (UAE), Amaro Antunes (CCC), Nelson Oliveira (Movistar) e José Gonçalves (Katusha). José Neves e Ricardo Vilela correm pela Burgos que, tal como a W52-FC Porto, é do 2º escalão.

Para Costa e Antunes trata-se da estreia em 2019, sendo que Oliveira e Gonçalves já correram no Challenge de Maiorca.

"Trabalhei muito durante o inverno, estou entusiasmado e motivado, após ter terminado 2018 em boa forma", frisou Rui Costa à assessoria da equipa

Alejandro Valverde (Movistar) parte à defesa do título, numa prova que conta ainda com o vencedor do Tour, Geraint Thomas (Sky).

Fonte: Record on-line

“23º Passeio de Cicloturismo de Pombal”

Dia 10 de Março de 2019

Por: José Morais

Organizado pelo Clube Cicloturismo de Pombal leva o mesmo para a estrada no próximo dia 10 de março, o seu 23º passeio de cicloturismo, o mesmo que contará com um trajeto de cerca de 60 quilómetros, promete uma manhã de fortes pedaladas pelo concelho de Pombal.

Vai existir no final um momento de roda livre em Caseirinhos-Capela de Srª de Belém, onde haverá uma lembrança especial ao participante que chegue em primeiro lugar ao alto da Capela da Srª de Belém, havendo ainda uma diversidade de lembranças nas diversas categorias, num passeio que muito promete.

No final, um delicioso porco no espeto para deliciar todos os participantes e acompanhantes, onde serão distribuídas as lembranças a todos.

As inscrições e informações podem ser feitas por: Tel. 968 130 525 ou Mail: cicloturismopombal@gmail.com

A concentração está marcada para as 8 horas na sede do Clube de Cicloturismo de Pombal, no terminal rodoviário, sendo a partida dada pelas 9 horas.

Marque já na sua agenda, e faça como nós que vamos marcar presença, para reportagem completa do evento, com transmissões diretas do mesmo.

Inscreva-se já, e delicie-se com este passeio que promete, considerado já por muitos uma grande clássica do cicloturismo nacional.

Participe…