domingo, 31 de julho de 2016

“JÁ CONHECE OS PROJECTOS DA REVISTA NOTÍCIAS DO PEDAL”

Agora com o novo espaço dedicado à mulher “Pedal Feminino”

Já conhece os nossos projectos, ainda não!!!

Então consulte, leia, divulgue, participe, estamos abertos a novas opiniões, divulgamos o seu evento gratuitamente, publicamos a sua notícia, seja repórter na sua região, nós temos o espaço para publicar tudo sobre a bicicleta, faça-nos chegar a sua notícia, nós tratamos do resto.

Todas as notícias e informações devem ser enviadas para o nosso mail em: noticiasdopedal@gmail.com 


“OS NOSSOS PROJECTOS”

Revista Mensal, um resumo de todas as notícias das diversas modalidades no final de cada mês, entre outras novidades, consulte em: www.noticiasdopedal.com


Blogue Diário Notícias do Pedal, as mais diversas notícias e as divulgações dos eventos, diariamente ao final do dia, com ligação direta às redes sociais, Facebook e Twitter, divulgando e expandindo ao máximo, todas as notícias, consulte em: http://revistanoticiasdopedal.blogspot.pt/


Notícias do Pedal TV, o nosso canal de televisão com os melhores momentos do cicloturismo, entre outros, apenas para quem possui MEO, consulte em: Meo/Kanal Posição: 531450


Notícias do Pedal TV no You Tube: o nosso canal de televisão na internet, para quem não possui MEO, pode assistir à nossa programação através do You Tube, consulte em: https://www.youtube.com/user/noticiasdopedaltv/videos?sort=dd&view=0&shelf_id=0


Pedal Feminino, um espaço dedicado a todas as mulheres, um Blogue atualizado regularmente, com ligação direta às redes sociais, Facebook e Twitter, aqui a Mulher é Rainha, leia, divulgue, participe, esperamos notícias vossa sobre o Sexo Feminino, um espaço que fazia falta, numa altura em que cada vez vimos mais mulheres a pedalar, seja como lazer, ou em competição, consulte em: http://opedalfeminino.blogspot.pt/

“Nova edição da Revista Notícias do Pedal”

Já está on-line mais uma edição da “Revista Notícias do Pedal”, a edição de novembro número 251, contém uma grande diversidade de notícias, nas mais diversas modalidades, mensalmente pode ser visualizada a nossa revista em: www.noticiasdopedal.com

“Volta Portugal/Jóni Brandão ataca toda a subida à Sra. da Graça”

Grande exibição da EFAPEL nas montanhas transmontanas

No grande desafio com quase 200 quilómetros que ligou Bragança ao Alto da Senhora da Graça, a EFAPEL foi a grande protagonista no ataque ao camisola amarela e a formação que mais fez para encurtar a diferença para o líder. No final, e depois de um extraordinário trabalho de todos os elementos, Jóni Brandão protagonizou uma das melhores subidas dos últimos anos ao topo do Monte Farinha e acabou no terceiro posto. Com este resultado, ocupa o último lugar do pódio e está um pouco mais perto da amarela.

O dia de hoje foi muito duro. Não tanto pelas temperaturas, que estiveram ligeiramente mais baixas, mas porque a distância era grande e havia quatro montanhas para ultrapassar, duas delas de primeira categoria. Na equipa, havia que procurar encurtar a distância para o camisola amarela. Os corredores interiorizaram bem a mensagem e trabalharam unidos para colocar Jóni Brandão nas melhores condições para atacar a derradeira ascensão.

O líder da equipa não se fez rogado e logo no início da subida desferiu o primeiro ataque. Sem outros interessados em baixar a desvantagem para o camisola amarela, Jóni Brandão pedalou sempre com o intuito de diminuir esse fosso e no final, não só subiu na classificação como ficou mais perto do líder. Destaque, também, para Henrique Casimiro que chegou no grupo perseguidor e fez sexto.

“Entrámos para esta etapa mais uma vez com o objectivo a que nos propusemos para esta Volta a Portugal, que foi tentar vencê-la. Endurecemos a corrida. Fizemos tudo o que tínhamos a fazer. Podíamos, porventura, vencer a etapa, mas esse não era o nosso objectivo. Estivemos concentrados no que pretendemos no final, que é vencer a prova”, afirmou o director desportivo da EFAPEL, Américo Silva.

Amanhã, o pelotão da Volta a Portugal desce mais um pouco na geografia do país. Os ciclistas partem de Lamego às 13h10 e pedalam 153,2 quilómetros até Viseu num dia que se antevê, mais uma vez, bastante exigente. Para além das habituais três metas volante, há cinco contagens de montanha. Três são de quarta categoria, uma é de segunda e há uma de primeira na Serra de São Macário. A chegada a Viseu está prevista para um intervalo temporal entre as 17h20 e as 17h40.

Classificação na 4ª etapa da Volta a Portugal

    Gustavo Veloso        W52/FC Porto        5h12m24s

    Daniel Silva            R. Popular/Boavista    a 5s

    Jóni Brandão            EFAPEL        a 12s


    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 35s

46º    Rafael Silva            EFAPEL        a 13m37s

47º    Filipe Cardoso        EFAPEL        mt

48º    Daniel Mestre            EFAPEL        mt

106º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 29m08s

118º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 35m17s

123º    António Barbio        EFAPEL        mt

 

Classificação individual após a 4ª etapa da Volta a Portugal

    Rui Vinhas            W52/FC Porto        17h42m58s

    Gustavo Veloso        W52/FC Porto        a 2m48s

    Jóni Brandão            EFAPEL        a 3m04s


    Henrique Casimiro        EFAPEL        a 3m49s

34º    Daniel Mestre            EFAPEL        a 16m17s

38º    Filipe Cardoso        EFAPEL        a 18m25s

80º    Rafael Silva            EFAPEL        a 46m40s

92º    António Barbio        EFAPEL        a 1h00m56s

106º    Nuno Almeida        EFAPEL        a 1h16m54s

115º    Álvaro Trueba        EFAPEL        a 1h20m38s

Fonte: Efapel

 

“Volta Portugal/Antigo ciclista é o 'médico de família' do pelotão”

Foto: Nuno Veiga

A Volta a Portugal emprega meios diferentes das outras provas nacionais e que são alterados em função do perfil da etapa.

O antigo ciclista Vasco Costa é um dos médicos oficiais da 78.ª edição da Volta a Portugal em bicicleta, a experiência de pelotão facilita o trabalho, numa corrida atípica e recheada de quedas.
“Tem sido uma Volta atípica. Por norma, o pelotão está mais nervoso nos primeiros dias, porque atinge velocidade mais alta, os corredores estão com mais força, mas espero que normalize entretanto, quando as equipas começarem a controlar mais a corrida com a definição das posições na geral”, afirmou Vasco Costa, que, aos 33 anos, cumpre a sua quinta Volta.
A atipicidade da corrida é justificada pelo clínico com a abundância de quedas, que já afetaram, por exemplo, os chefes de fila do Sporting-Tavira, Rinaldo Nocentini, e da Rádio Popular-Boavista, Rui Sousa, que continuam na corrida, ao contrário do dinamarquês Frederik Zeuner (Christina Jewelry), cuja indicação médica ditou o seu abandono.
“O corredor tinha um golpe muito profundo e muito sangrante na asa do nariz, que nós não conseguíamos estancar. Sugerir a desistência é a última coisa que fazemos e apenas quando não conseguimos resolver no momento a situações ou porque suspeitamos que é algo mais grave”, explicou.
Feito o diagnóstico e esgotadas as tentativas de cura, um dos dois médicos da Volta explica o sucedido e tenta um acordo com o diretor desportivo da equipa do acidentado para o encaminhamento para uma unidade de saúde.
“Temos de gerir várias coisas, porque sempre que transportamos um atleta ao hospital ficamos sem uma ambulância e se uma corrida ficar sem as três que seguem na caravana tem de ser imediatamente interrompida”, referiu, ressalvando que tal nunca ocorreu numa prova em que trabalhasse.
Este exercício de gestão de meios levou Zeuner ao hospital de Braga, apesar de Guimarães ficar mais próximo, para que a ambulância pudesse acompanhar a parte final da etapa, e para que o corredor ficasse mais perto do local onde a equipa estava alojada nesse dia.

A Volta a Portugal emprega meios diferentes das outras provas nacionais e que são alterados em função do perfil da etapa, como é o caso da de hoje, com a subida à Senhora da Graça, em Mondim de Basto. Além das três ambulâncias, a caravana conta com dois carros médicos e dois enfermeiros, normalmente um no carro médico que segue na frente e outro na ambulância da retaguarda – é este enfermeiro que acompanha o acidentado ao hospital.

“A experiência que tinha do pelotão é muito importante, se a medicina desportiva é diferente da clínica geral, acho também que um médico de ciclismo é muito diferente dos restantes desportos. Aliás, acho que mais nenhum desporto obriga à assistência em andamento”, sublinhou Vasco Costa, acrescentando que os restantes elementos da sua equipa têm mais experiência de provas, mas não como praticantes.
O médico vai entretanto abandonar a Volta a Portugal, para “concretizar o sonho” de estar nos Jogos Olímpicos, integrando a organização, após a decisão “na brincadeira” de avançar para uma candidatura. Foi aceite e Vasco Costa segue para o Rio2016 juntamente com o motorista e um enfermeiro.

“Formamos uma equipa dinâmica, acho que foram fatores tidos em conta pela organização, e, claro, é a oportunidade de concretizar o sonho de estar no maior evento desportivo, algo que não consegui como atleta. Não deixamos a prova de maior carisma do país de ânimo leve, mas temos plena confiança na equipa que fica. O pelotão fica bem entregue”, rematou.
Fonte: SAPO Desporto c/Lusa

“Gustavo Veloso na Sra. Graça à procura do “Tri”

Ataquei sem prejudicar o Vinhas”


A subida à Sra. da Graça, em Mondim de Basto, continua a fazer as delícias dos amantes do ciclismo e este domingo, mais uma vez, assistiu-se a uma etapa de grande nível da 78ª Volta a Portugal Santander Totta com uma autêntica romaria espalhada Monte Farinha acima.


Gustavo Veloso foi o “Homem do Dia” com uma ponta final muito forte ao atacar a 475 metros da meta deixando para trás Jóni Brandão (Efapel) e Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista) que estava isolado na frente. Na meta, Veloso foi mais rápido cinco segundos que o axadrezado enquando Jóni gastou mais 12 segundos. Com o triunfo, o vencedor da Volta das duas últimas edições ficou mais próximo do “tri”. O galego subiu ao segundo lugar da classificação e ficou a 2 minutos e 48 segundos do companheiro de equipa Rui Vinhas, líder da competição, que cruzou a linha de meta na quinta posição, a 35 segundos.


“Eu sabia que o Jóni Brandão e outros tinham de atacar para ganhar tempo ao Rui”, começou por explicar Gustavo Veloso.“Estive sempre a calcular a distância para saber exatamente onde atacar para poder ganhar, mas sem prejudicar o Rui Vinhas”, disse o homem da W52-FC Porto aproveitando para esclarecer que, independentemente do resultado de cada um, o mais importante é a Camisola Amarela ficar na equipa.


A vitória de Veloso, para além de o catapultar para a segunda posição, permitiu-lhe vestir a Camisola Verde Rubis Gás da classificação por pontos. Na geral Jóni Brandão é agora terceiro com mais 3 minutos e 4 segundos que o líder. Com os pontos amealhados na contagem de montanha de 1ª categoria na Barragem de Alvão, César Fonte (Rádio Popular-Boavista) manteve-se na frente do Prémio da Montanha e continua a envergar a Camisola Azul Liberty Seguros. A Rádio Popular-Boavista, que esteve perto da vitória na mítica subida da Sr. da Graça com Daniel Silva, tem o melhor jovem em prova, Vitor Etxebarria, que vestiu a Camisola Branca RTP.


Sobe e desce até à Sra. da Graça


Bragança, à partida desta etapa número 4, marcou a despedida de Trás-os-Montes na Volta 2016 e abriu caminho à segunda tirada mais longa com 191,9 Km, num autêntico sobe e desce até a Mondim de Basto. Com 37 km de prova, dois homens decidiram sair do grande grupo. Domingos Gonçalves (Caja Rural) e Yannis Yssaad (Armée de Terre) conseguiram ganhar uma vantagem que quase atingiu os  10 minutos, mas ao fim de 120 Km, na descida do Alvão, após o Prémio de Montanha de 1ª categoria, o francês caiu e deixou isolado o homem da Caja Rural que acabou por ser alcançado pelo pelotão, comandado pela Efapel, perto do centro de Mondim de Basto, onde começou o verdadeiro espetáculo até ao alto do Monte Farinha.


Quem é Gustavo Veloso?
Nasceu em Villagarcia de Arosa, na Galiza, tem 34 anos, é casado e pai de dois filhos. Começou a pedalar aos 18 anos. Em 2000 veio para Portugal representar o Boavista. Veloso passou depois pela equipa Relax-Bodisol e mais tarde pela Kaiku e Xacobeo-Galicia. Esta última desapareceu e o galego ficou desempregado. Passou pela Andalucia, mas o azar bateu novamente à porta, quando a equipa terminou. Em 2013 começou a segunda fase da carreira em Portugal… na OFM-Quinta da Lixa.


Dia de Descanso segue dentro de momentos


Ultrapassados dois dias de intensas emoções desportivas, o pelotão segue esta 2ª feira, 1 de agosto, em direção à jornada de descanso. Lamego regressa à Volta, cinco anos depois, para receber a partida da 5ª etapa, a mais pequena deste ano, marcada para as 13h10. Até à animada Avenida Europa, em Viseu, serão percorridos 153,2 Km, com as complicadas travessias da serra de São Macário e Arada.

Fonte: Podium