segunda-feira, 2 de abril de 2018

“Motorclássico – Salão Internacional de Automóveis e Motociclos Clássicos”

7 RAZÕES PARA NÃO PERDER O SALÃO MOTORCLÁSSICO

A 14ª edição do Salão Motorclássico, o maior salão nacional relacionado com veículos clássicos e desportivos, decorre já nos próximos dias 6, 7 e 8 de Abril, na FIL em Lisboa. Apresentamos em baixo 7 razões pelas quais não deve perder esta edição.

#1 Exposição temática "Porsche: 70 anos de evolução" Um dos destaques principais do Salão Motorclássico será a exposição “Porsche: 70 anos de evolução”, dedicada à marca da cidade de Estugarda, uma das mais emblemáticas de sempre na indústria automóvel. A exposição irá apresentar uma viagem pela história da marca, mostrando modelos das várias décadas, desde o seu início até à actualidade, incluindo várias versões raras do icónico modelo 911.

#2 APM, o automóvel português esquecido Outro dos destaques será a revelação do APM, um automóvel português de 1937 que nasceu numa pequena oficina no Porto, pelas mãos de Libório Machado e que o baptizou com o nome do seu sócio, António Pereira Machado. A sua única aparição ao grande público foi no rali “A Mundial”, em 1945, tendo, depois disso, sido deixado ao abandono durante décadas, até chegar a um avançado estado de degradação. Anos mais tarde, o APM foi redescoberto por Luís António Simões, que o restaurou minuciosamente, trazendo-o até à sua condição original e na qual pode agora ser visto pelo público, no Salão Motorclássico.

#3 Leilão de Automobilia Histórica Uma rara oportunidade para assistir, vender ou comprar num leilão especializado em automobilia histórica e de colecção. Realizado em parceria com a leiloeira Leilosoc, o leilão está aberto a coleccionadores e visitantes, que poderão inscrever-se no site do Salão Motorclássico. O catálogo do leilão pode ser consultado em www.leilao-motorclassico.com.

#4 Marcas de automóvel de luxo presentes O Salão Motorclássico não atrai apenas os modelos mais antigos. As grandes marcas de automóveis de luxo também estarão presentes no salão, como é o caso da Bentley, Lamborghini, Tesla, Mazda ou Land Rover, com os seus modelos mais recentes, fazendo a ponte com o passado.

#5 Motor Talks com os pilotos históricos do Team Palma Os míticos pilotos portugueses António Peixinho e Nené Neves, a dupla histórica do Team Palma dos anos 60 e 70 e os respectivos automóveis com que corriam (Ford Escort TC de 1969) vão estar todos reunidos, pela primeira vez em 50 anos, para relembrar a era dourada da competição em Portugal. Este encontro será o ponto alto das Motor Talks do Jornal dos Clássicos, um conjunto de conferências e conversas com personalidades do mundo automóvel, transmitidas em simultâneo pela internet.

#6 70 anos da Land Rover e do Citroën 2CV O 70º aniversário da mítica Land Rover e do icónico Citroën 2CV também vão ser alvo de destaque no Salão Motorclássico de 2018. Para assinalar esta data, o Clube Land Rover de Portugal vai levar a cabo o passeio “Land Rover 70 Anos”, durante o Sábado, dia 7. No Domingo, será a vez do Salão Motorclássico receber um passeio e concentração de Citroën 2CV na sua área exterior.

#7 Possibilidade de ganhar um co-drive num Ferrari Durante todo o evento vão ser sorteados co-drives num Ferrari Lusso. Presentes no Salão Motorclássico estarão ainda outros super desportivos em exposição, com possibilidade de saírem em demonstração, como sejam o Lamborghini Aventador, McLaren MP4, Porsche 991 Turbo S, Lamborghini Huracán, Ferrari GTB 488, Audi R8 V10 Plus, Mercedes AMG SLS 63, Nissan GT-R, Mercedes GTS AMG ou o Ferrari California.

Fonte: Museu Caramulo/Parceria Notícias do Pedal 

“JULIAN ALAPHILIPPE VENCE ETAPA INAUGURAL DA VOLTA AO PAÍS BASCO”

Após uma fuga a dois nos últimos quilómetros

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors) venceu esta segunda-feira a etapa inaugural da Volta ao País Basco, após uma fuga a dois nos últimos quilómetros, juntamente com o esloveno Primoz Roglic (LottoNL-Jumbo).

Alaphilippe, de 25 anos, cortou a meta ao fim de 4:17.36 horas, após 162,1 quilómetros, e tornou-se o primeiro líder da classificação geral, à frente de Roglic, companheiro de fuga na parte final, e do espanhol Pello Bilbao (Astana), que fechou em terceiro a 23 segundos.

O duo adiantou-se nos últimos quilómetros e ganhou vantagem após a descida da última de seis contagens de montanha, arriscando nos seis últimos quilómetros até à meta para colocar 23 segundos entre eles e o primeiro grupo de perseguidores.

Uma série de favoritos à vitória final terminaram a 51 segundos do vencedor, entre eles o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Média) e o canadiano Michael Woods (Education First).

O ciclista francês da Quick-Step Floors lidera agora com quatro segundos de vantagem para Roglic e 32 segundos sobre o restante 'top 10', que inclui, na 10.ª posição, o colombiano Nairo Quintana (Movistar), que tentou perseguir os dois fugitivos, mas acabou apanhado pelo primeiro grupo.

O melhor português em prova foi Rui Costa (UAE Team Emirates), que ocupa a 23.ª posição da geral, a 1.22 minutos de Alaphilippe, enquanto Rúben Guerreiro (Trek Segafredo) fechou na 76.ª posição, a 5.25.

Na terça-feira, os ciclistas voltam a partir de Zarautz para uma ligação de 152,7 quilómetros a Bermeo, com uma contagem de montanha de primeira categoria, uma de segunda e outras duas de terceira categoria.

Fonte: Lusa

“CARTEL DE LUXO NO PAÍS BASCO”

Prova espanhola com dois portugueses no elenco

Nairo Quintana presente

Foto: EPA

Mikel Landa, Nairo Quintana, Vincenzo Nibali, Rigoberto Urán, Romain Bardet e Richie Porte são os nomes mais sonantes de um cartel de luxo que se apresenta hoje na linha de partida da 58ª edição da Volta ao País Basco, prova que faz parte do calendário do World Tour. Entre os inscritos há dois portugueses: Rui Costa (UAE) e o campeão nacional, Ruben Guerreiro (Trek).

Para Rui Costa, trata-se do regresso à competição, depois do abandono, à segunda etapa, do Paris-Nice, devido a queda. O seu melhor resultado no País Basco são dois 7ºs lugares, em 2015 e 2016, sendo que o ano passado não disputou esta corrida. E o seu melhor desempenho este ano é o 8º posto em Abu Dhabi, corrida que venceu a temporada transata.

Fonte: Record on-line