sexta-feira, 2 de junho de 2017

“Grande Passeio de Cicloturismo do CCL.2017”

Dia 25 de Junho de 2017

9 Horas – Parque do CCL – Costa da Caparica

Texto: José Morais

O Clube de Campismo de Lisboa-CCL, leva para a estrada no próximo dia 25 de junho mais um passeio de cicloturismo, o mesmo será realizado pelos concelhos de Almada e Seixal, terá uma distância de 60 quilómetros aproximadamente, e promete muita animação e uma manhã de fortes pedaladas, no final haverá um almoço convívio para todos os participantes.

Para mais informações e inscrições, contatar pelos telefones: 212 900 100 – 912 137 572, pelo Fax: 212 902 848 ou pelo e-mail: geninhorui@gmail.com

Participe, um passeio que muito promete.

“Peniche palco de campeonatos nacionais”

A 34ª edição do Triatlo Cidade de Peniche será palco de disputa de dois campeonatos nacionais da modalidade. No próximo dia 10 de junho o Campeonato Nacional de Grupos de Idade e o Campeonato Nacional Universitário trarão centenas de triatletas à cidade que recebeu o primeiro triatlo no nosso país e procurarão oferecer a todos os participantes a possibilidade de competir num percurso desafiante, intenso e emblemático.

Todos os que aceitarem o desafio e marcarem presença na cidade mais ocidental da Europa alinharão junto à marina da ribeira para iniciar a competição. Ao longo da Baía de Peniche percorrerão 750m de natação que serão seguidos de 21,7km de ciclismo. O segundo segmento da prova será cumprido em torno da península de Peniche e, dada a sua grande exposição ao vento, desafiará as capacidades de todos os participantes. Após o ciclismo a competição levará os triatletas a percorrer 5km de corrida que se farão cumprir num troço plano de ida e volta que prometerá momentos de grande intensidade competitiva.

A prova do Campeonato Nacional de Grupos de Idade juntará em Peniche todos os que ambicionam a conquista de lugares na competição com mais pódios do país. Todos os inscritos serão desafiados a competir diretamente contra atletas do mesmo escalão etário, o que aproximará os adversários e dinamizará o ritmo competitivo. No Campeonato Nacional Universitário haverá espaço para os triatletas estudantes no ensino superior correrem pelas cores das suas intituições de ensino e provarem, mais uma vez, que o equilibrio entre o desporto e o percurso académico pode ser feito de sucessos.

No mesmo dia será realizada uma Prova Aberta, disputada no formato super-sprint (300m/8km/2km), que se apresentará como uma excelente oportunidade para aqueles que procuram dar os primeiros passos na modalidade e procuram competir num local histórico.

O XXXIV Triatlo Cidade de Peniche é uma organização da Câmara Municipal de Peniche, do Peniche Amigos Clube e da Federação de Triatlo de Portugal que procurará trazer à cidade pioneira da modalidade em Portugal mais um grande evento, preenchido de atletas, clubes e espectadores.

Fonte: FPC

“Diretor do RP-Boavista considera "muito grave" que positivos de ciclistas se saibam pelo jornal”

José Santos negou ter recebido notificação

Por: Lusa

O diretor desportivo do RP-Boavista considerou esta sexta-feira "muito grave" que as equipas tenham conhecimento de casos de doping pelos jornais e negou, tal como o responsável pelo Louletano-Hospital de Loulé, ter sido notificado do positivo de Daniel Silva.

"Nós não sabemos de nada, soubemos pelo jornal", começou por dizer à Lusa José Santos, referindo-se ao alegado caso positivo de Daniel Silva, terceiro classificado da Volta a Portugal de 2016, que atualmente representa a brasileira Soul Brasil.

O diretor desportivo dos 'axadrezados' referia-se à notícia do jornal A Bola, que na quarta-feira revelou os alegados casos de doping de Daniel Silva e de Sandro Pinto, ciclista do Louletano-Hospital de Loulé.

"A ser verdade, lamentamos profundamente que a Autoridade Antidopagem de Portugal tenha fornecido informações. O que sei é que os clubes não deviam ter conhecimento dos casos pelos jornais. Isto é muito grave. Não percebo qual o interesse destas fugas de informação, porque já não é a primeira vez que acontece", prosseguiu José Santos, antes da partida da primeira etapa da segunda edição do Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela, em Penamacor.

O técnico do RP-Boavista revelou que falou com Daniel Silva e que o ciclista da Trofa está a preparar a sua defesa.

"O positivo foi no Grande Prémio do Dão [de 2016]. Nessa prova ele estava a regressar depois de lesão, chegou atrasadíssimo", recordou à Lusa.

Também Jorge Piedade, diretor desportivo do Louletano-Hospital de Loulé, negou ter conhecimento do positivo de Sandro Pinto.

"Para já, não sei de nada. Ele até tinha terminado a carreira, porque depois do acidente [uma queda no GP do Dão, na qual fraturou o fémur] nunca mais conseguiu recuperar. Não tenho notificação de nada", concluiu.

Fonte: Record on-line

“Caja Rural falha Volta a Portugal pela primeira vez em oito anos”

Diretor desportivo diz que "não tem carros nem corredores"

Por: Lusa

A Caja Rural, equipa espanhola da categoria profissional continental, não vai participar na Volta a Portugal em bicicleta, confirmou esta sexta-feira à agência Lusa o diretor desportivo José Miguel Fernández.

"Nas mesmas datas, temos a Volta a Espanha, a Volta a Burgos, o Tour de Utah. Não temos nem carros, nem corredores", explicou à Lusa José Miguel Fernández, antes da partida da primeira etapa da segunda edição do Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela, em Penamacor.

Nas últimas edições da Volta a Portugal, a Caja Rural tem sido a mais prestigiada e também uma das mais interventivas das equipas participantes, pelo que a sua ausência significa uma baixa de peso para a 79.ª edição, que vai para a estrada entre 04 e 15 de agosto.

"Para nós é muito estranho não correr a 'Grandíssima', mas é por um motivo de força maior. A Volta a Portugal é sempre uma prova que nos sai bem, onde nos sentimos confortáveis e onde ganhamos etapas. Esperamos regressar em 2018", assumiu o diretor desportivo espanhol.

A Caja Rural participou ininterruptamente na Volta a Portugal desde 2010, tendo como melhor resultado na geral o quinto lugar do espanhol David de la Cruz, em 2012.

Fonte: Record on-line

“FPC atribui vitória no GP Dão a Óscar Brea e na Taça de Portugal a Samuel Caldeira”

Decisão já foi conhecida

Por: Lusa

Foto: Filipe Farinha

A Federação Portuguesa de Ciclismo atribuiu a vitória no Grande Prémio do Dão, cuja última etapa foi anulada por questões de policiamento, a Óscar Brea (Sporting-Tavira) e o triunfo na Taça da Portugal a Samuel Caldeira (W52-FC Porto).

A direção da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) entendeu que, apesar de terem acontecido "situações de insegurança na área urbana de Viseu, depois da transição da responsabilidade de policiamento da GNR para a PSP, e também provocadas pela deficiente sinalização, a segunda e última etapa do Grande Prémio do Dão poderia ter sido concluída".

"O relatório do presidente do colégio de comissários entende que estavam reunidas as condições de segurança no momento em que a prova foi reiniciada. Nesse sentido, entendeu penalizar os corredores que impediram que a prova se desenrolasse com normalidade, aplicando a cada um a pena de expulsão da corrida e uma multa de 100 francos suíços. O colégio de comissários considerou nula a segunda etapa da competição, devendo a classificação geral final ter em conta apenas os resultados da primeira etapa, expurgando dos mesmos os ciclistas aos quais foi aplicada a expulsão da corrida", pode ler-se na nota publicada na página da FPC.

No seguimento das decisões do colégio de comissários, depois de refeitas as classificações com base nos resultados da primeira etapa e expurgando da listagem os cerca de 30 ciclistas expulsos da competição, incluindo o então camisola amarela Alejandro Marque (Sporting-Tavira), foi declarado vencedor do GP do Dão o ciclista Óscar Brea.

A direção da FPC decidiu ainda que, como previsto, a edição de 2017 da Taça de Portugal de elite e sub-23 terminou com o Grande Prémio do Dão. "Tendo em conta os resultados desta corrida, são declarados vencedores individuais o elite Samuel Caldeira (W52-FC Porto) e o sub-23 Xuban Errazquin (RP-Boavista). Coletivamente, vencem a equipa continental W52-FC Porto e a equipa de clube Liberty Seguros/Carglass", acrescenta ainda a nota.

Em 14 de maio, a segunda etapa do Grande Prémio do Dão foi anulada devido a problemas decorrentes da transição da responsabilidade de policiamento da GNR para a PSP, à entrada no circuito urbano de Viseu, com um grupo de ciclistas a recusar-se a cortar a meta.

"Aos problemas de segurança decorrentes da transição das responsabilidades de policiamento, juntou-se um engano no percurso, levando os ciclistas a parar antes de cruzarem a meta pela última vez. Na sequência destes factos, a organização, em conjunto com o colégio de comissários, decidiu anular a segunda e última etapa da competição", explicou então a FPC, em comunicado.

O GP do Dão era liderado pelo ciclista espanhol Alejandro Marque (Sporting-Tavira), que tinha vencido o contrarrelógio da primeira etapa.

O galego, vencedor da Volta a Portugal de 2013, partiu para a segunda etapa, uma ligação de 152 quilómetros, entre Penalva do Castelo e Viseu, com 47 segundos de vantagem sobre Daniel Mestre (Efapel) e 56 sobre Domingos Gonçalves (RP-Boavista).

Fonte: Record on-line

“EFAPEL voltou a ficar perto da vitória”

Jesus del Pino ficou em segundo na primeira etapa do GP das Beiras

Sempre entre os destaques do ciclismo nacional, a equipa EFAPEL voltou a estar em evidência, desta vez em mais uma prova internacional. Na primeira etapa do Grande Prémio das Beiras e Serra da Estrela, que ligou Penamacor a Celorico da Beira, Jesus del Pino foi o segundo a cortar a linha de meta, a apenas cinco segundos do vencedor, Alexander Evtushenko.

O primeiro de três dias de competição na segunda edição da prova que cruza as beiras, a baixa e a alta, e passa pela mais icónica montanha de Portugal Continental, a Serra da Estrela. Pela frente, o pelotão internacional tinha quase 200 quilómetros a ligar Penamacor e Celorico da Beira.

A equipa EFAPEL, animada pelos dois triunfos consecutivos conquistados no GP do Jornal de Notícias, entrou para a etapa inaugural com a mesma vontade de sempre, ou seja, discutir os primeiros lugares e ser um dos destaques da competição.

Se assim o quis, melhor o concretizou. O corredor espanhol da equipa integrou a fuga que viria a singrar e fechou em segundo lugar. Jesus del Pino foi o primeiro do estrito grupo de homens que chegou cinco segundos após o vencedor, resultado de um ataque bem perto do final que acabou por ser bem sucedido.

Ao segundo posto de Del Pino, a EFAPEL teve, ainda, Daniel Mestre no top-ten da etapa. O ciclista alentejano chegou integrado no pelotão, a 3m38s do vencedor. Com as bonificações da etapa, a equipa parte com o ciclista espanhol classificado no terceiro posto da geral individual a dez segundos do camisola amarela.

Amanhã, a etapa tem 192 quilómetros e liga Fornos de Algodres a Trancoso. Pelo meio, tem duas metas volantes e três contagens de montanha, duas de terceira e uma de segunda categoria.

 

Classificação na primeira etapa

    Alexander Evtushenko        Lokosphinx            5h14m03s

    Jesus del Pino            EFAPEL            a 5s

    Ricardo Mestre            W52/FC Porto            a 5s


    Daniel Mestre                EFAPEL            a 3m38s

16º    Henrique Casimiro            EFAPEL            mt

25º    Sérgio Paulinho            EFAPEL            mt

27º    Bruno Silva                EFAPEL             mt

34º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 3m53s

60º    Rafael Silva                EFAPEL             a 4m46s

65º    António Pereira Barbio        EFAPEL            a 20m55s

 

Classificação geral individual

    Alexander Evtushenko        Lokosphinx            5h13m53s

    Ricardo Mestre            W52/FC Porto            a 8s

    Jesus del Pino            EFAPEL            a 10s


    Sérgio Paulinho            EFAPEL            a 3m46s

    Bruno Silva                EFAPEL             a 3m47s

12º    Daniel Mestre                EFAPEL            a 3m49s

20º    Henrique Casimiro            EFAPEL            mt

35º    Mateo Garcia                EFAPEL             a 4m04s

60º    Rafael Silva                EFAPEL             a 5m07s

65º    António Pereira Barbio        EFAPEL            a 21m06s

Fonte: Efapel

“Equipa Portugal/Seleção Nacional trabalhou em etapa de transição”

A Equipa Portugal cedeu a camisola amarela ao fim da primeira etapa da Corrida da Paz, prova da Taça das Nações que decorre na República Checa até domingo, mas mantém as intactas as aspirações de lutar pelos primeiros lugares da geral.

Ivo Oliveira partiu para a primeira etapa linha, 133 quilómetros entre Jeseník e Rýmařov, no comando da geral individual, mas a forma movimentada como decorreu a ligação obrigou a Equipa Portugal a manter o sangue frio para conservar as hipóteses de lutar pelos primeiros lugares no final da competição, mesmo cedendo a camisola amarela hoje.

Depois de muitos ataques, sempre com um ritmo intenso, seis corredores saíram para uma fuga que viria a vingar e que chegou a ter uma diferença significativa face ao pelotão, algo consentido pela formação lusa, que, desse modo, procurou aliados para controlar a tirada.

“Foi uma etapa muito tática e rápida. Deixámos a fuga ganhar cerca de 5 minutos. Sabíamos que uma diferença grande obrigaria as outras seleções com aspirações à vitória a partilharem o trabalho de perseguição connosco. Foi isso que aconteceu. Dos seis elementos que compunham a fuga só chegaram três e com uma diferença que pode ser contrariada na etapa de amanhã, que é muito dura, quase com quatro mil metros de acumulado de subida. A equipa está de parabéns, especialmente o Jorge Magalhães e o David Ribeiro, a quem coube trabalhar na cabeça do pelotão”, conta o selecionador nacional, José Poeira.

Ivo Oliveira foi o primeiro corredor nacional a cortar a meta nesta sexta-feira, no 11.º, a 1m33s do vencedor da jornada, o francês Axel Journiaux, que passou para o topo da geral individual. Toda a restante equipa nacional chegou no primeiro pelotão, exceto Gonçalo Carvalho, que não resistiu às dificuldades e abandonou. Tiago Antunes foi 32.º, João Almeida 43.º, Jorge Magalhães 56.º e David Ribeiro 93.º, todos a 1m33s.

A geral passou a ser encabeçada pelo gaulês Axel Journiaux, com 39 segundos de vantagem sobre o dinamarquês Mathias Norsgaard Jorgensen e com 45 segundos à melhor sobre o norueguês Jonas Abrahamsen. Ivo Oliveira é quarto, a 1m43s. Na representação nacional seguem-se João Almeida, 27.º, a 1m50s, Tiago Antunes, 50.º, a 1m52s, Jorge Magalhães, 55.º, a 1m53s, e David Ribeiro, 100.º, a 2m00s.

A Equipa Portugal continua no quinto lugar coletivo entre 21 países classificados.  

A etapa-rainha da competição disputa-se neste sábado. São 151 quilómetros, que começam em Krnov, terminam em Dlouhé stráně, numa chegada em alto, que é a segunda das duas longas subidas dos últimos 30 quilómetros.

Fonte: FPC

“Grande Prémio Beiras e Serra da Estrela”

Alexander Evtushenko ganha em Celorico da Beira

O russo Alexander Evtushenko (Lokosphinx) ganhou hoje a primeira etapa do Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela, uma exigente ligação de 199 quilómetros entre Penamacor e Celorico da Beira, marcada pelo terrreno ondulado e pelo calor intenso.

A etapa acabou por coroar a ousadia de um quarteto que escapou ao pelotão com cerca de 120 quilómetros percorridos: Alexander Evtushenko, Beñat Txoperena (Euskadi Basque Country-Murias), Jesús del Pino (Efapel) e Ricardo Mestre (W52-FC Porto). Os quatro homens aproveitaram a apatia que se instalou no pelotão na segunda metade da tirada e chegaram a ter mais de quatro minutos e meio de vantagem.

A distância face ao pelotão permitiu aos fugitivos discutirem entre si o triunfo. Alexander Evtushenko demonstrou ser o mais possante, vencendo com 5 segundos de vantagem sobre os companheiros de aventura. O segundo classificado foi Jesús del Pino e o terceiro posto coube a Ricardo Mestre. O pelotão só cruzou a meta 3m38s depois do vencedor.

Alexander Evtushenko assumiu o comando da geral individual, repetindo o sucesso alcançado, há duas semanas, na Volta a Castela e Leão, na qual também se impôs na etapa inaugural. O algarvio Ricardo Mestre, graças às bonificações, é o segundo classificado, a 8 segundos, e assume-se como o principal candidato ao triunfo no Grande Prémio. O terceiro é Jesús del Pino, a 10 segundos.

Além da geral individual, a Lokosphinx comanda por equipas e tem Dmitrii Strakhov na dianteira entre os jovens. Omar Mendoza (Equipo Bolivia) é o dono da camisola dos trepadores e Ricardo Mestre veste a camisola das metas volantes.

Apesar da diferença dos fugitivos face a grosso do pelotão e de Ricardo Mestre estar, teoricamente, relativamente aos restantes candidatos, tudo permanece em aberto, tendo em conta a grande dificuldade das duas tiradas que falta disputar.

Neste sábado o pelotão vai completar a segunda etapa, 191,2 quilómetros, entre Fornos de Algodres e Trancoso. O percurso inclui duas subidas de terceira categorias e uma de segunda, que ajudarão a selecionar os mais aptos para a luta pela camisola amarela.

Classificações

1.ª Etapa: Penamacor - Celorico da Beira, 199 km

1.º Alexander Evtushenko (Lokosphinx), 5h14m03s

2.º Jesús del Pino (Efapel), a 5s

3.º Ricardo Mestre (W52-FC Porto), mt

4.º Beñat Txoperena (Euskadi Basque Country-Murias), mt

5.º Nikodemus Holler (Bike Aid), a 2m56s

6.º Marcos Jurado (Burgos BH), a 3m38s

7.º Samuel Blanco (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt

8.º Daniel Mestre (Efapel), mt

9.º Raúl Alarcón (W52-FC Porto), mt

10.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé)

Geral Individual

1.º Alexander Evtushenko (Lokosphinx), 5h13m52s

2.º Ricardo Mestre (W52-FC Porto), a 8s

3.º Jesús del Pino (Efapel), a 10s

4.º Beñat Txoperena (Euskadi Basque Country-Murias), a 13s

5.º Nikodemus Holler (Bike Aid), a 3m07s

6.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), a 3m46s

7.º Sérgio Paulinho (Efapel), mt

8.º Bruno Silva (Efapel), a 3m47s

9.º David Rodrigues (RP-Boavista), a 3m48s

10.º Marcos Jurado (Burgos BH), a 3m49s

Fonte: FPC