sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

“Wellens vence 'crono' e consolida liderança na Volta à Andaluzia”

Ciclista belga cumpriu o contrarrelógio em 22.25 minutos

Por: Lusa

Foto: EPA

O ciclista belga Tim Wellens (Lotto-Soudal) consolidou esta sexta-feira a liderança da Volta à Andaluzia, ao vencer o contrarrelógio da terceira etapa, entre Mancha Real e La Guardia de Jaén, num total de 16,2 quilómetros.

Depois de já ter vencido a primeira etapa, Wellens voltou a ser o mais forte esta sexta-feira, cumprindo o contrarrelógio em 22.25 minutos, menos dois segundos do que o dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana) e nove do que o espanhol Ion Izagirre (Astana) e do que o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma).

José Neves (Burgos-BH) foi o melhor português, na 31.ª posição, a 1.39 minutos de Wellens, enquanto o seu companheiro de equipa Ricardo Vilela foi 45.º, a 1.55.

Na geral, Wellens, vencedor da prova em 2018, tem sete segundos de avanço sobre Fuglsang e 14 sobre Izagirre, com Vilela a subir a 29.º, a 2.42, e Neves a 107.º, a 15.28.

No sábado corre-se a quarta e penúltima etapa, entre Armilla e Granada, num percurso de 119,9 quilómetros com uma contagem de montanha de terceira categoria, uma de segunda e duas de primeira, a última das quais a pouco mais de 20 quilómetros da meta.

Fonte: Record on-line

“VOLTA AO ALGARVE: CAMPEÃO PORTUGUÊS DOMINGOS GONÇALVES QUER "CORRER MAIS" EM 2019”

O ciclista português assume que os objetivos passam por apoiar o chefe de fila da Caja Rural-Seguros RGA, o russo Sergei Chernetskii, enquanto recupera o físico, uma vez que falhou o arranque da época.

Domingos Gonçalves, campeão português das duas vertentes do ciclismo de estrada, fundo e contrarrelógio, quer “correr mais” em 2019 para se manter no estrangeiro, assumiu hoje à Lusa, à margem da Volta ao Algarve.

No Algarve para “melhorar a forma”, depois de ter sofrido uma lesão num braço em Maiorca, Gonçalves assume que os objetivos passam por apoiar o chefe de fila da Caja Rural-Seguros RGA, o russo Sergei Chernetskii, enquanto recupera o físico, uma vez que falhou o arranque da época.

Na ‘Algarvia’, e dois dias volvidos da 45.ª edição, é atualmente 75.º classificado na geral, depois de um primeiro dia em que foi ‘apanhado’ na queda que atrasou dezenas de corredores, e de um segundo, na subida à Foia, em que terminou em 36.º lugar.

Gonçalves procura melhor sorte no Algarve, depois de não ter terminado as três edições anteriores, em 2016, 2017 e 2018, desistindo sempre na última etapa, que acaba no Malhão (Loulé), após um 78.º lugar em 2015.

A temporada de 2019 é uma de regresso ao escalão Profissional Continental, e à Caja Rural, que já tinha representado em 2016, antes de ter voltado a Portugal para correr na Rádio Popular-Boavista.

Para este ano, os objetivos são “correr mais do que em Portugal”, além de poder testar-se “ao mais alto nível”, para poder conseguir manter-se “lá fora”, ou seja, inserido no pelotão internacional.

“Quero perceber até onde posso chegar, e tentar ganhar uma ou outra corrida, isso seria muito importante para a minha carreira”, explica.

Apesar de só ter calendário definido até aos Nacionais, o campeão português nas duas especialidades de estrada quer perceber “até onde dá para chegar” e não esconde que a Volta a Espanha é uma ambição.

 “Dependendo de como a época corre até lá, vamos ver se vou poder ir. Mas gostava de ir, isso sim”, atira.

Natural de Barcelos, o ciclista de 30 anos terminou 2018 com um 41.º lugar no contrarrelógio dos Mundiais, já depois de ter sido nono classificado na geral da Volta a Portugal, em que venceu a sexta etapa.

Antes, tinha sido campeão luso nas duas vertentes, revalidando o título de contrarrelógio que já trazia de 2017, e segundo classificado no ‘crono’ dos Jogos do Mediterrâneo, em Tarragona.

Fonte: Sapo on-line

“Volta ao Algarve/Stefan Küng vence crono e Pogacar reforça comando”

Por: José Carlos Gomes

O suíço Stefan Küng (Groupama-FDJ) conquistou hoje a terceira etapa da Volta ao Algarve, um contrarrelógio de 20,3 quilómetros, em Lagoa. O esoloveno Tadej Pogačar (UAE Team Emirates) reforçou o comando da geral individual com o quinto posto na etapa.

A luta pela etapa foi emocionante, com os quatro primeiros a acabarem separados por menos de dez segundos. O campeão suíço de contrarrelógio, Stefan Küng foi o mais forte de todos, concluindo a exigente prova, num terreno ondulado, técnico e batido pelo vento, em 24m33s, à média de 49,613 km/h.

“Fiz este contrarrelógio na Volta ao Algarve do ano passado e isso deu-me alguma vantagem, pois conhecia o percurso e sabia onde fazer mais esforço. Tive um início algo conservador, mas, depois de estabelecer o meu ritmo, insisti e acabei por fazer a diferença no final.

É a primeira corrida do ano e, por isso, é a primeira vez que nos comparamos com os outros. É uma altura de ajustes. Estou numa nova equipa e durante o Inverno trabalhamos bastante para ajustar todos os detalhes e por isso é muito positivo vencer neste primeiro teste”, explicou Stefan Küng.

O dinamarquês Søren Kragh Andersen (Team Sunweb) confirmou as expectativas de que estaria na discussão do contrarrelógio, conseguindo o segundo melhor tempo, apenas a 2 segundos do vencedor.

O campeão belga de fundo, Yves Lampaert (Deceuninck-Quick Step) fechou o pódio da jornada, com mais 5 segundos do que o vencedor. A 8 segundos de Küng colocou-se o campeão irlandês de contrarrelógio, Ryan Müllen (Trek-Segafredo).

O esloveno Tadej Pogačar mostrou consistência para ser considerado o mais sério candidato à vitória na 45.ª Volta ao Algarve. Completou o contrarrelógio em 24m50s, no quinto posto, ganhando tempo a toda a concorrência direta na luta pela Camisola Amarela Turismo do Algarve.

Tadej Pogačar continua no topo da geral, mas agora com uma margem confortável de 31 segundos sobre Enric Mas (Deceuninck-Quick Step) e com 36 segundos à melhor sobre Søren Kragh Andersen, segundo e terceiro, respetivamente. A batalha pelo pódio prevê-se animada até às pedaladas finais, uma vez que há mais dois homens, ambos da Team Sky, a menos de um minuto do comandante, Wouter Poels, a 37 segundos, e David de la Cruz, a 57. Amaro Antunes (CCC Team), décimo da geral, a 2m43s, é o melhor português.

A Camisola Azul Águas do Algarve, de melhor trepador, e a Camisola Branca 120 Anos FPC, de melhor jovem, também são envergadas pelo esloveno Tadej Pogačar, de 20 anos.

“Estou muito satisfeito. Sentia-me confiante mas não esperava reforçar a liderança. Fiz um bom contrarrelógio, fui bem orientado no esforço pelo meu diretor desportivo e consegui um excelente resultado. Agora estou com a camisola amarela e com o apoio da minha equipa vamos tentar protegê-la até ao fim”, resumiu Tadej Pogačar.

O holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick Step) continua em posse da Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos. A Team Sunweb comanda por equipas.

A quarta etapa da Volta ao Algarve corre-se neste sábado. Prevê-se uma oportunidade para os sprinters, em Tavira, ao cabo dos 198,3 quilómetros, que se iniciam em Albufeira, às 12h00.
 

Rosa Mota pedala na Volta ao Algarve

O sábado velocipédico começa com a Volta ao Algarve Feminina, um passeio de 13 quilómetros, exclusivamente para mulheres, que se realiza em Albufeira, a partir das 9h30. A campeã olímpica Rosa Mota vai ser uma das participantes nesta iniciativa que tem como principal objetivo estimular a prática de atividade física pela população feminina. São esperadas cerca de cem participantes.

Fonte: FPC