terça-feira, 11 de outubro de 2016

“Amber Neben é nova campeã mundial de contrarrelógio”

A ciclista norte-americana conquistou o seu segundo título mundial, oito anos depois do primeiro.

Foto: ROBERT GHEMENT / EPA
A ciclista norte-americana Amber Neben sagrou-se esta terça-feira campeã do mundo de contrarrelógio, em Doha (Qatar), oito anos depois do seu primeiro título.
Neben percorreu os 28,9 quilómetros do exercício individual dos Mundiais de ciclismo de estrada em 36.37 minutos, batendo a holandesa Ellen Van Dijk, segunda, a cinco segundos, e a australiana Katrin Garfoot, terceira, a oito.
A norte-americana, de 41 anos, somou o segundo título mundial, oito anos após ter vencido o contrarrelógio em Varese (Itália), e tornou-se a segunda ciclista mais velha de sempre a conquistar a prova, depois da francesa Jeannie Longo ter sido campeão mundial com 42 anos, em 2001.
Fonte: SAPO Desporto c/ Lusa

“Nuno Sabido revoltado com a dispensa do irmão Hugo do Sporting-Tavira”

Ciclista de 36 anos fica sem equipa

Por: José Morgado

Nuno Sabido, psicólogo desportivo e irmão do até à semana passada ciclista do Sporting-Tavira, reagiu nas redes sociais à notícia, inicialmente divulgada por Hugo Sabido no Facebook.
"Hugo Sabido foi o principal ‘embaixador’ no regresso da equipa Sporting-Tavaria. No entanto, agora foi dispensado pela mesma?", questionou no Twitter.
Com uma carreira construída em nove equipas diferentes, ao longo de 16 temporadas, Sabido espera encontrar ‘nova casa’ para 2017, mas ainda não tem nada em mente. "Para já ainda não há nada, mas vamos ver o que acontece", confessou a Record esta terça-feira.

Fonte: Record on-line

“Hugo Sabido anuncia dispensa do Sporting-Tavira”

Ciclista de 36 anos recebeu notícia na semana passada

Por: Fábio Lima

Foto: Filipe Farinha

Hugo Sabido anunciou esta terça-feira, através da sua página de Facebook, ter sido dispensado do  Sporting-Tavira, equipa à qual havia chegado no início da presente temporada, proveniente do Louletano. Admitindo ter sido "muito difícil receber a notícia", Hugo Sabido deixa claro que se sente com forças para continuar a competir, apesar dos seus 36 anos.
Recorde-se que o ciclista natural de Oeiras desistiu na recente Volta à Portugal, durante a nona etapa, prova na qual era, na altura, 87.º na classificação geral.
Fonte: Record on-line

“Seleção Nacional/Liberty Seguros”

Nelson Oliveira deseja contrarrelógio endurecido pelo vento

Nelson Oliveira será o representante da Seleção Nacional/Liberty Seguros no contrarrelógio de elite do Campeonato Mundial de Estrada, marcado para esta quarta-feira, em Doha, Catar. O português vai partir às 15h03 (menos duas horas em Portugal).

A prova de 40 quilómetros é totalmente plana, prevendo-se que o calor – esperam-se 35 graus – seja um elemento essencial na decisão da corrida, pois poderão acontecer surpresas, devido à maior ou menor capacidade de os especialistas se adaptarem ao clima. O vento pode também jogar um papel importante.

“Na longa reta que nos conduz à cidade, espero que o vento esteja um pouco mais lateral do que encontrei no último treino. Hoje estava completamente de costas. Cheguei a rolar a 60 km/h. Condições como as de hoje favoreceriam os ciclistas mais pesados”, afirma o campeão nacional da especialidade.

Nelson Oliveira competiu no mesmo percurso no contrarrelógio por equipas e já treinou várias vezes num traçado que conhece de trás para a frente. “Já fiz o percurso várias vezes. Os detalhes estão levados ao pormenor, já sei o que tenho de fazer. Sei também que é um percurso que não se adapta totalmente às minhas caraterísticas, porque é muito plano”, considera o anadiense.

A estrada plana e os efeitos do calor deixam Nelson Oliveira numa posição cautelosa. “Hoje estavam 40 graus e os 40 graus daqui não se sentem da mesma forma que em Portugal. As condições atmosféricas vão ditar quem ganha ou não. Prefiro não fazer grandes promessas. Garanto apenas que vou dar o meu melhor e, a partir daí, será o que Deus quiser”, sublinha o corredor.

O selecionador nacional, José Poeira, confia no potencial do pupilo. “O Nelson Oliveira é um dos bons contrarrelogistas do pelotão internacional. Acredito que, em condições normais, o seu lugar natural é no top 10, algo que conseguiu este ano nos Jogos Olímpicos e no Campeonato da Europa, e há dois anos no Campeonato do Mundo. É verdade que o percurso não o favorece, mas veremos o efeito do calor nos principais favoritos”, antevê o responsável técnico.

A lista de inscritos conta com a maior parte dos grandes contrarrelogistas internacionais. O holandês Tom Dumoulin, o australiano Rohan Dennis e o alemão Tony Martin estão num patamar superior de favoritismo. O atual detentor da camisola arco-íris, o bielorrusso Vasil Kiryienka, não teve uma época com prestações assinaláveis no contrarrelógio, mas o traçado é à sua medida e, no domingo, foi um dos esteios da prestação coletiva da Sky.

O espanhol Jonathan Castroviejo, coroado recentemente campeão europeu, o polaco Maciej Bodnar, o belga Victor Campenaerts, o britânico Alexa Dowsett e o esloveno Primoz Roglic são outros dos grandes adversários de Nelson Oliveira.

Fonte: FPC

“Seleção Nacional/Liberty Seguros”

 João Almeida 26.º no Mundial de Doha

João Almeida foi hoje o melhor elemento da Seleção Nacional/Liberty Seguros no contrarrelógio para juniores do Campeonato Mundial de Estrada, disputado em Doha. Catar, acabando na 26.ª posição.

A prova decorreu sob um calor abafado que condicionou o desempenho dos corredores, sobretudo dos que partiram mais tarde, como foi o caso de João Almeida. O ciclista natural das Caldas da Rainha completou os 28,9 quilómetros em 37m40s, mais 2m58s do que o vencedor, Brandon McNulty, dos Estados Unidos da América, que cortou a meta com 34m42s.

O estadunidense acabou acompanhado no pódio pelo dinamarquês Mikel Bjerg, que gastou mais 35 segundos, e por outro corredor dos Estados Unidos, Ian Garrison, que ficou a 53 segundos do compatriota.

João Almeida foi, há cerca de um mês, 18.º no Europeu de contrarrelógio. Na prova desta manhã conseguiu melhor a prestação, cotando-se como o 15.º melhor ciclista oriundo da Europa. “Foi uma prova que decorreu dentro do esperado. Apesar do muito calor que apanhei, consegui um resultado que me deixa satisfeito”, afirma o ciclista luso.

Portugal esteve também representado por Daniel Viegas, 45.º classificado, a 3m54s do campeão mundial. “Quando corri não estava tanto calor como nas últimas séries, mas estava mais vento. Esperava ter feito um pouco melhor, porque o percurso era ao meu jeito”, reconhece o algarvio.

Fonte: FPC