domingo, 4 de fevereiro de 2018

“Começou a época! 5º Duatlo de Rio Maior"

Rio Maior recebeu a primeira prova do calendário da época do Triatlo. Uma prova sprint para clubes e licenciados e uma competição para atletas universitários abriram a época num espetáculo disputado.

Realizou-se dia 3 de fevereiro o 5º Duatlo de Rio Maior, prova que combina os segmentos de corrida e ciclismo de estrada. As provas na distância sprint – (5,1km de corrida, 18,7km de ciclismo e 2,4 de corrida) decorreram com normalidade. Disputaram-se a prova do Campeonato Nacional de Clubes e o Campeonato Nacional Universitário.

Com o mesmo circuito do ano passado, e com a zona de transição localizada na zona norte do Pavilhão Multisusos, foram cerca de 300 participantes que percorreram as principais ruas da cidade de Rio Maior e a bela zona das Marinhas do Sal.

E os resultados do V Duatlo de Rio Maior

A prova teve início às 15h30, com um percurso disputado pelos três primeiros lugares femininos. Madalena Almeida, do Alhandra Sporting Clube, venceu a prova com o tempo de 00:59:25, com 5’ de vantagem em relação a Mariana Vargem, do Ludens Clube de Manchico, que terminou a prova em 00:59:30. A completar o pódio feminino, 23’ depois da primeira classificada, ficou Inês Rico, do Alhandra Sporting Clube.

Na competição masculina, os dois primeiros lugares foram para a equipa do Estoril Praia: João Ferreira subiu ao pódio em primeiro lugar com 00:52:22, enquanto que na segunda posição ficou Rafael Domingos com 00:52:29 e Ricardo Batista, do Clube de Natação de Torres Novas, fechou o pódio, com 00:52:36.

 

O Alhandra Sporting Clube foi o grande vencedor desta competição por equipas, com Madalena Almeida, Inês Rico e Ana Ferreira, com os tempos 00:59:25, 00:59:48 e 01:02:51 respetivamente e um tempo total de 03:02:04.

A segunda posição pertenceu à equipa Outsystems Olímpico de Oeiras; Ana Ramos terminou a prova em 01:00:28, Liliana Alexandre em 01:02:35 e Maria Tomé completou a equipa com 01:02:44, com uma diferença de 3’ e 43’’ para o primeiro lugar.

Ana Filipa Santos, Kim Mangrobang e Catarina Rodrigues, da equipa Rio Maior Triatlo, subiram ao pódio em terceiro lugar, com os tempos de 01:00:46, 01:03:20 e 01:07:21, num tempo total de 03:11:27.

As três equipas masculinas que venceram esta 5ª edição do Duatlo de Rio Maior foram em primeiro lugar o Clube de Natação Torres Novas, em segundo o Alhandra Sporting Clube e a fechar o pódio o Outsystem Olímpico de Oeiras. Ricardo Batista, José Pedro Vieira e Afonso do Canto totalizaram 02:2813 obtendo um primeiro lugar por equipas. O segundo lugar pertenceu a Diogo Gonçalves, João Gomes Queiróz e Miguel Fortunato (com 39’ de diferença do primeiro lugar). A completar o pódio ficaram Alexandre Montez, Gonçalo Oliveira e Rui Narigueta com o tempo conjunto de 2:40:26.


O Duatlo de Rio Maior incluiu o campeonato nacional universitário, uma prova exclusiva para estudantes de cursos superiores.

Na competição feminina Ana Ramos (AEESEL), Ana Filipa Santos (IPSantarém) e Maria Talhinhas (AAUE) conseguiram o primeiro, segundo lugar e terceiro lugares respetivamente, com os tempos 01:00:28, 01:00:46 e 01:07:30.

Miguel Fortunato, do IPSantarém ganhou a prova universitária, com 00:53:07, Francisco Luís, AAUMa, ficou em segundo lugar com 00:53:20 e Guilherme Pires completou o pódio com o tempo 00:54:24.

Este evento contou com a organização da Desmor e da Câmara de Rio Maior e tem o apoio técnico da Federação de Triatlo de Portugal e ainda a colaboração da Escola Superior de Desporto de Rio Maior e da Federação Académica do Desporto Universitário.

A próxima prova do campeonato nacional de clubes de duatlo é o X Duatlo de Arronches no dia 24 de fevereiro, com uma prova na distância super sprint e um duatlo sprint.

Inscrições pelo e-mail: inscricoes@federacao-triatlo.pt 

Fonte: FTP

“Valverde ganha Volta à Comunidade Valenciana, Amaro Antunes em 10.º lugar”

Espanhol, que já conquistou a prova em 2004 e 2007, fechou a última etapa no 23.º lugar.


O ciclista espanhol Alejandro Valverde (Movistar) venceu hoje a classificação geral da Volta à Comunidade Valenciana, no final da quinta e última etapa, com o português Amaro Antunes (CCC Sprandi Polkowice) a terminar no 10.º lugar.

Valverde, que já conquistou a prova em 2004 e 2007, fechou a última etapa no 23.º lugar, numa tirada de 135,2 quilómetros ganha ao ‘sprint’ pelo belga Jurgen Roelandts (BMC), que terminou a tirada ao fim de 2:58.26 horas e bateu na linha de meta o holandês Danny Van Poppel (LottoNL-Jumbo), segundo, e o francês Clément Venturini (AG2R La Mondiale), terceiro.

O espanhol terminou com 14 segundos de vantagem sobre o compatriota Luis Leon Sánchez (Astana), segundo classificado, e 26 face ao terceiro, o dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana), com Adam Yates (Michelton-Scott) no quarto posto, também a 26.

Amaro Antunes terminou a derradeira etapa, que ligou Paterna a Valência, no 15.º lugar, segurando o 10.º posto final, estreando-se na temporada 2018 e como chefe de fila da equipa polaca com um 'top 10' entre várias equipas de WorldTour.

José Mendes (Burgos-BH) terminou no 31.º lugar da geral, a cinco minutos de Valverde, com Nuno Bico (Movistar) a fechar no 154.º lugar, a mais de 42 minutos.

Fonte: Sapo on-line

“Esteban Chaves vence Herald Sun Tour”

Ruben Guerreiro foi 4.º classificado

Por: Lusa

Foto: EPA

O colombiano Esteban Chaves (Mitchelton-SCOTT) conquistou este domingo o Herald Sun Tour, na Austrália, que o português Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo) fechou na quarta posição.

Num pódio final só com ciclistas australianos da Mitchelton-SCOTT, Esteban Chaves terminou a prova em 18:34.09 horas, superando Cameron Meyer por 26 segundos e Damien Howson por 39.

Ruben Guerreiro foi quarto, a 41 segundos, depois de ter concluído a quarta e última etapa no terceiro posto.

A derradeira tirada, de 152,1 quilómetros, foi decidida ao sprint, com o australiano Sam Crome (Benelong SwissWellness) a impor-se a Cameron Meyer e Ruben Guerreiro.

Fonte: Record on-line

“ASFIC em inferioridade numérica triunfa na primeira prova da época”

Decorreu hoje, 4 de fevereiro, o Granfondo de Almodôvar, a primeira prova de estrada desta nova época para a equipa riomaiorense da ASFIC, que participou nesta prova apenas com 6 ciclistas (Rui Rodrigues, João Portela, Jorge Letras, Aníbal Santos, Carlos Ochoa e João Letras).

Esta foi uma corrida que decorreu com muitos ataques, onde a inferioridade numérica da ASFIC perante os seus adversários levou a um elevado desgaste dos atletas, onde demonstraram uma enorme raça e ambição, lutando como guerreiros, o que não impediu de estarem sempre em destaque e evidência na corrida, a qual viria a terminar ao sprint com a vitória a sorrir ao ciclista João letras da equipa ASFIC do concelho de Rio Maior, tendo o seu colega João Portela terminado no 3.º lugar.

Destaque ainda para Rui Rodrigues que terminou no 7.º lugar da geral, sendo o 1.º no seu escalão.

A ASFIC venceu também nos escalões de elite e master 40, ficando em 2.º em master 30, tendo para além da vitória coletiva conquistado mais 3 lugares no pódio por escalões, ( 1 lugar elites, 1º lugar master 40 e 2º lugar master 30 ).

A ASFIC agradece a todos os nossos patrocinadores, e esperamos que esta seja apenas a primeira de muitas vitórias esta época.

JUNTOS E UNIDOS, COM RAÇA, AMBIÇÃO, QUERER, ACREDITAR E MUITA DETERMINAÇÃO

 Fonte: ASFIC


 

“Apresentação novos equipamentos seleção nacional.2018”

Por: José Carlos Gomes

Os novos equipamentos da seleção nacional de ciclismo procuram transmitir uma imagem renovada à EQUIPA PORTUGAL, valorizando mais a identidade nacional e procurando ao mesmo tempo uma aliança poderosa entre conforto e performance. A equipa da FLYNX© colocou no desenvolvimento deste projeto o mesmo entusiasmo e a mesma determinação que os nossos ciclistas nacionais colocam em prova sempre que representam a Equipa Portugal!

Jersey

Uma peça com um fi tting extremamente elegante que incorpora um material leve (110 gr/m2) com provas dadas em túnel de vento no que toca ao aerodinamismo, de secagem ultra rápida proporcionada através de uma elevada velocidade de espalhamento da humidade (6 mm/s), mas sem comprometer a proteção UV. Trata-se de um material com certificação Oekotex© (Isento de substâncias nocivas) e Bluesign© e que como tal respeita a sustentabilidade do planeta

Calção

Pernas em material com tecnologia de corte limpo e com um compromisso optimizado entre compressão e conforto/mobilidade. Com 15% de Lycra e uma estabilidade multidirecional que garante uma excelente contenção muscular aos grupos que mais trabalham na pedalada. Este material compacto com 192 gr/m2, proporciona uma compressão diferenciada à largura e ao comprimento, otimizando assim o compromisso entre compressão e elasticidade nas diferentes solicitações mecânicas. Terminação interior do punho em grip de silicone suave.

Fato Contra-Relógio

Combinação na parte superior entre o material liso utilizado no jersey e um material leve (135 gr/m2), super elástico (25% de elastano) de superfície irregular tridimensional, com vantagens comprovadas em túnel de vento, distribuído de forma estudada na área superficial do fato, para proporcionar uma vantagem aerodinâmica nas posições e nos regimes competitivos da modalidade de contra-relógio.

A FLYNX© é uma marca portuguesa de team wear personalizado para ciclismo e triatlo, parceiro oficial da Federação Portuguesa de Ciclismo, da Federação de Triatlo de Portugal e do Team Rádio Popular Boavista.

Fonte: FPC

“Prova de Abertura – Região de Aveiro”

Tiago Machado estreia equipamento da Seleção com triunfo

Por: José Carlos Gomes

Tiago Machado ganhou hoje a Prova de Abertura – Região de Aveiro, corrida de 155,5 quilómetros, entre Oliveira do Bairro e a Torreira, Murtosa. O famalicense festejou o triunfo com a nova camisola da Seleção Nacional, apresentada na noite anterior, durante a Cerimónia de Abertura da Época 2018.

A corrida iniciou-se com várias escaramuças, tendo vingado uma fuga, encetada perto do quilómetro 20 de corrida, formada por Tiago Machado (Equipa Portugal) e por César Fonte (W52-FC Porto).

O duo seguiu junto até à subida de Talhadas, primeiro prémio de montanha do dia, onde Tiago Machado acelerou e ficou isolado em frente de corrida. Como um azar nunca vem só, depois de ter sido deixado para trás, César Fonte foi vítima de uma queda, conjuntamente com uma moto da corrida.

Enquanto isso, Tiago Machado insistia e chegou a ter cerca quase 6 minutos de vantagem sobre o pelotão, onde o trabalho do Sporting-Tavira reduziu drasticamente a diferença na entrada para os derradeiros 30 quilómetros. Nada que assustasse o fugitivo, até porque a alta velocidade e o vento forte acabaram mesmo por provocar duas quedas no pelotão já nos últimos quilómetros.

Alheio aos azares de quem perseguia, Tiago Machado persistiu e a resiliência acabou premiada com a vitória, perante o numeroso público que quis ver ao vivo as primeiras pedaladas do ano. Tiago Machado cruzou a meta com o pelotão no encalço, mas com os metros suficientes para celebrar a glória. João Matias (Vito-Feirense-BlackJack) foi o segundo classificado e Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli) fechou o pódio da jornada.

Tiago Machado pedalou em fuga cerca de 130 quilómetros, 80 dos quais em solitário. Após a vitória, foi com emoção que reagiu ao resultado. “É a Prova de Abertura, uma corrida nacional, mas para mim foi como se fosse o Campeonato do Mundo. Provei na estrada que não estou acabado. Dedico a vitória àqueles que continuam a vir apoiar-me, como se eu ainda fosse um jovem”, disse o ciclista da Equipa Portugal.

O primeiro lugar na Torreira resultou de uma gestão criteriosa do esforço. “A faltar 35 quilómetros para o fim, quando começámos a apanhar vento de costas, regulei o esforço, até porque se o pelotão viesse sempre ‘à morte’ acabaria por rebentar”, explicou Tiago Machado.

“Se calhar estou ainda melhor do que pensava. Se fiz quatro horas escapado, talvez consiga controlar um pelotão durante o mesmo tempo”, brincou Tiago Machado, referindo-se ao impacto que o sucesso de hoje pode ter na Team Katusha Alpecin.

A Prova de Abertura – Região de Aveiro foi a primeira corrida do Troféu Liberty Seguros. A Equipa Portugal assumiu o comando da geral em todas as classificações do Troféu. Tiago Machado é o comandante absoluto, a Seleção encima a tabela coletiva e Rui Oliveira, quarto na Torreira, é o melhor sub-23.

O Troféu Liberty Seguros é um conjunto de três corridas. Depois da Prova de Abertura, a competição prossegue com a Clássica da Arrábida – Cyclin’Portugal, dia 11 de março, e a Clássica Aldeias do Xisto – Cyclin’Portugal, 25 março.

Classificação

Oliveira do Bairro – Torreira, 155,5 km

1.º Tiago Machado (Equipa Portugal), 3h53m09s

2.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 3s

3.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), mt

4.º Rui Oliveira (Equipa Portugal), mt

5.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt

6.º Rafael Silva (Efapel), mt

7.º Daniel Freitas (W52-FC Porto), mt

8.º Samuel Caldeira (W52-FC Porto), a 4s

9.º Óscar Hernández (Aviludo-Louletano-Uli), mt

10.º André Crispim (Liberty Seguros-Carglass), mt

Fonte: FPC

“Equipa EFAPEL entre os melhores na Prova de Abertura"

Rafael Silva foi o sexto a cortar a linha de meta da primeira prova do ano, a corrida foi marcada por uma fuga de onde saiu o vencedor, mas queda perto do fim limitou o rendimento da Equipa EFAPEL

Por: João Picado

A Equipa EFAPEL começou a temporada velocipédica em Portugal com um resultado entre os dez primeiros. Num dia em que o vencedor, Tiago Machado, culminou uma fuga de 130 quilómetros, Rafael Silva foi o melhor representante da formação comandada por Américo Silva. O ciclista de Vila Nova de Gaia acabou a prova que ligou Oliveira do Bairro a Torreia no sexto lugar, no grupo que cruzou a meta no encalço do vencedor.

Depois de vários dias de trabalho conjunto, num estágio baseado na região de Ovar, os ciclistas participaram, ontem, no Passeio Solidário da Equipa EFAPEL, iniciativa que deu início a um dia que teve na apresentação oficial do projecto desportivo para a temporada que agora se inicia um dos momentos altos desta fase da época.

Cumpridos todos os momentos que normalmente antecedem o início da competição, hoje foi o dia por que os ciclistas mais esperam no inverno. A Prova de Abertura - Região de Aveiro marcou o arranque do calendário competitivo com um percurso de 155 quilómetros e duas contagens de segunda categoria. A vitória podia ser discutida ao sprint mas foi Tiago Machado, que fugiu ao 20º quilómetro da corrida, que celebrou o triunfo. O ciclista que correu pela seleção foi precedido por um pequeno grupo em que estava Rafael Silva e que sprintou pelo segundo posto.

No final da primeira prova de 2018, o melhor representante da Equipa EFAPEL não estava contente com o resultado mas, perante o que aconteceu, vê o mesmo como positivo. “Não tivemos muita sorte porque íamos lançar a chegada para mim e já perto do final houve uma queda que envolveu o Marcos (Jurado) e o Pedro (Paulinho) que iam ajudar nesse processo. Eu também fiquei cortado e tive de gastar forças extras para reentrar no grupo da frente. O Daniel ainda me tentou ajudar, mas tem uma pequena lesão e não podia fazer mais. É óbvio que queria muito mais, mas temos de ver o copo meio cheio perante tudo o que aconteceu”, afirmou Rafael Silva.

Concluída a participação na Prova de Abertura - Região de Aveiro, a equipa regressa, agora, aos treinos de preparação das próximas competição. A seguinte é a 44ª Volta ao Algarve em Bicicleta. A prova que se realiza entre os próximos dias 14 e 18 é a corrida em Portugal que normalmente reúne o melhor plantel devido à presença de inúmeras estruturas do escalão máximo mundial, o World Tour.

 Fonte: Efapel