quinta-feira, 8 de novembro de 2018

“Filipe Cardoso regressa a "casa" para alinhar na Vito-Feirense Blackjack”

Óscar Pelegrí também foi contratado

Por: LUsa

Foto: Filipe Farinha

Filipe Cardoso vai reforçar a equipa de ciclismo Vito-Feirense-Blackjack, regressando a Santa Maria da Feira, onde nasceu, confirmou esta quinta-feira o ciclista na sua conta pessoal do Instagram.

"Depois de a equipa mostrar interesse e de eu também assumir que era o meu desejo, foi uma questão de trabalhar o contrato. Somos profissionais e por muito amor que se tenha pela modalidade é preciso pagar as contas no final do mês", escreveu Filipe Cardoso, que se despediu com um agradecimento à anterior equipa, RP-Boavista.

Filipe Cardoso, de 34 anos, venceu o Grande Prémio Crédito Agrícola da Costa Azul em 2011, e a etapa da Senhora da Graça da Volta a Portugal em 2015.

Além de Filipe Cardoso, a Vito-Feirense-Blackjack também contratou Óscar Pelegrí, que alinhava na RP- Boavista.

Fonte: Record on-line

“Froome quer vencer quinta Volta a França e entrar no "clube especial"

Britãnico quer igualar Anquetil, Hinault, Indurain e Merckx

Por: Lusa

Foto: Reuters

O ciclista britânico Chris Froome (Sky) pretende alcançar a quinta vitória na Volta a França, para entrar no "clube especial" dos franceses Jaques Anquetil e Bernard Hinault, do espanhol Miguel Induraín e do belga Eddie Merckx.

Numa entrevista publicada esta quinta-feira no jornal italiano 'La Gazzetta dello Sport', Chris Froome reconheceu que tentar vencer a Volta a França pela quinta vez é um desafio aliciante, mas adianta que ainda não decidiu se vai participar na prova gaulesa ou defender o título na Volta a Itália.

"Ainda não decidi, tenho de reunir com a equipa e tomar uma decisão. O Giro é uma prova muito espetacular e o Tour é a melhor maneira de aferir o valor de um ciclista. Não escondo que alcançar cinco triunfos no Tour e entrar no clube especial com Anquetil, Hinault, Indurain e Merckx é um objetivo", disse.

Embora o Tour envolva uma grande motivação, Chris Froome admitiu que a vitória alcançada no Giro do ano passado, com um ataque demolidor a 83 quilómetros da meta no alto do Colle delle Finestre, foi o "melhor desempenho" da sua carreira.

"No Giro tive de arriscar tudo. Chegar em quarto ou em décimo primeiro não mudaria nada. Na minha cabeça senti que estava pronto para dar tudo, até ao limite. Correu tudo da melhor forma, e os meus rivais também cometeram alguns erros", recordou.

Foi um feito que, reconheceu Chris Froome, mudou a sua "relação com o público" italiano e lhe deu emoções que nunca mais irá esquecer.

Aos 33 anos, o ciclista britânico ainda vê um futuro desportivo longo à sua frente e disse que pretende manter-se ao mais alto nível competitivo "por mais cinco épocas".

"Estou convencido de que posso competir ao mais alto nível até aos 38 anos, mas tenho de estar na minha melhor forma", disse.

Chris Froome explicou que os seus principais objetivos continuam a passar pelas corridas por etapas, em detrimento das clássicas de um dia, devido a questões de preparação, embora admita que possa mudar de ideia antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Quanto ao futuro, após a sua retirada do ciclismo profissional, Chris Froome avançou a possibilidade de continuar ligado à modalidade como diretor de uma equipa ou como técnico de jovens.

Fonte: Record on-line

“Antigo colega de Sérgio Paulinho e Bruno Pires morre aos 36 anos”

Jonathan Cantwell retirou-se do ciclismo em 2014

O antigo ciclista australiano Jonathan Cantwell, que em 2012 e 2013 representou a equipa Saxo Bank, morreu esta terça-feira aos 36 anos, por causas ainda desconhecidas. Profissional entre 2007 e 2014, Cantwell foi colega de equipa dos portugueses Sérgio Paulinho e Bruno Pires na referida equipa Saxo Bank, onde chegou após boas épocas na Fly V Australia.

Fonte: Record on-line

“Pista e BTT”

UEC atribui a Portugal organização de dois Europeus em 2020

Por: José Carlos Gomes

A União Europeia de Ciclismo (UEC) atribuiu à Federação Portuguesa de Ciclismo a organização dos Campeonatos da Europa de Maratona BTT e de Pista para Sub-23 e Juniores em 2020.

As duas competições somam-se ao Campeonato da Europa de Downhill de 2019, cuja organização já havia sido consignada a Portugal, que vai disputar-se na Pampilhosa da Serra, na região das Aldeias do Xisto, nos dias 4 e 5 de maio.

A capacidade organizativa da Federação Portuguesa de Ciclismo é, assim, mais uma vez reconhecida pela UEC, em duas vertentes nas quais Portugal tem vindo a dar cartas e a conquistar medalhas, o que aumenta ainda mais as expectativas para as competições agora outorgadas a Portugal.

As datas dos Europeus de Maratona BTT e de Pista ainda não são conhecidas, mas os locais estão definidos. A Maratona Serra da Estrela irá atribuir os títulos de 2020 na disciplina em que Tiago Ferreira já se sagrou campeão mundial e europeu. O Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, será palco do Campeonato da Europa de Pista para Sub-23 e Juniores.

Portugal tem sido um destino cada vez mais recorrente para as grandes competições internacionais de ciclismo, com especial enfoque nos Campeonatos da Europa. O Velódromo Nacional recebeu o Europeu de Sub-23 e Juniores em 2011, 2012, 2013, 2014 e 2017. A Lousã foi palco do Europeu de Downhill em 2018.

Fonte: FPC